I Will Never Give Up On You escrita por JTLYNCH


Capítulo 30
Nojo




—eei eii-digo pra uma garota do meu lado, todas parecem estar mortas de tão quietas-consegue me ouvir?!

—quem não consegue?!-diz, uma brava - o que você quer?

—o que ta acontecendo?

—se soubéssemos já teríamos dito, não acha?-diz uma ignorante e trinco os dentes.

—bom vocês podem ficar aqui se quiserem mais eu não vou-digo bem baixo

—como vai fugir?

—quando eles abrirem as portas, se todas nos corrermos eles não vão conseguir capturar todas.

—consegue correr rápido.

—sim

—com a perna engessada?

—sim

—não quero morrer-diz uma com medo-eles tem armas.

—são armas fracas, nada que não possa ser reparado.

—a menos que acerte  em um lugar difícil e te mate na hora.

—se você correr vai ser difícil.

—e se nem todas conseguirem.

—nos voltamos pra busca-las

—é claro que você vai-diz irônica.

—eu prometo

—sua promessa não vale nada aqui-diz grossa

—você quer morrer ou viver?

—viver. Por isso não vou fazer nada.

—quer virar a pxxx deles?

—não

—então escolha agora-digo quando o carro vai parando aos poucos-se preparem-aviso e  eles abrem a porta.

 Quando vão pedindo pra nos descermos começamos a correr rapidamente, mais não contávamos com cercas por todo lugar mais não paro, Escalo e quando chego lá em cima tem uma cerca, pulo e vejo que esta uma confusão lá atrás e algumas conseguem fugir.

 Um cara começa a atirar e corro o mais longe que consigo.

—E AGORA?-questiona uma correndo rápido assim como as outras

—VAMOS FUGIR-digo correndo mais rápido, eles começam a nos seguir com carro e nos não paramos, corremos mais rápido ainda, corremos muito ate que não aguentamos mais e paramos pra respirar.

—qual o plano?

—finjam que estamos nos entregando e quando se aproximarem batam neles. Vamos roubar os carros

—não vai dar, eles tem armas-diz uma muito assustada.

—precisa dar-digo e ficamos paradas

 Eles se aproximam mais não contava que todos estariam armados.

DROGA!

—VAMOS ENTREM AGORA!-diz um cara apontando pra gente e levantamos as mãos

 Elas começam a entrar e olho pro cara ao meu lado que não esta prestando muito atenção, bato nas suas mãos derrubando sua arma, pego rapidamente, apontando pra ele e os outros apontam pra mim.

—LARGA A ARMA!

—NÃO

—SE VOCÊ NÃO LARGAR, VAMOS ATIRAR EM TRES SEGUNDOS-diz e respiro fundo-3.... 2....1...-diz e bufo largando a arma no chão, ele ri,  vindo ate mim, pega a arma e me mostra –ainda quer?-questiona e fico calada, ele se aproxima, abre meu roupão e sorri pervertido –nossa, um grande achado. Se você não fosse tão gostosa eu te mataria agora.

—e porque não mata logo?

—porque quero me divertir com você-diz dando um beijo em meu pescoço , sinto um bolo em minha garganta e ele ri; me empurra no carro com brutalidade e tranca a porta.

—ótimo não deu certo

—ainda não

—como assim?

—tenho um plano

—não vou participar mais de nada!

—participe quem quiser eu vou sair daqui

Eles nos levam de volta pra dentro daquele lugar que parece um tipo de prisão, tem muitos homens armados e mulheres vestidas de  prostitutas. Eles nos levam pra um tipo de palco e os homens começam a se reunir na frente dele, rindo, o que faz ser bem mais nojento, se possível.

—CERTO GENTE-diz um cara subindo no palco-VAMOS VENDER NOSSAS PROSTITUTAS DE HOJE-diz e eles gritam animados, ele olha pra nos e pega uma mulher a levando pra frente-QUEM DA UM LANCE?

—EU-diz um cara com cara de doente

 Todos devem ser doentes aqui.

—TEMOS UM LANCE. QUEM DA MAIS?

—EU, EU DOU-diz outro cara.

—TEMOS 200 ALGUEM MAIS?

—EU DOU MAIS 10

—CERTO,TENHO MAIS DEZ ALGUEM QUER DISPUTAR?-questiona e todos ficam quietos-VENDIDO PRA VOCÊ POR 210-diz e todos comemoram, ele vai ate o palco e puxa a mulher sem nenhum tipo de cuidado e a leva pra um lugar.

—EII ME EMPRESA DEPOIS

—SE DIVIRTAM!-dizem,  me fazendo sentir mais nojo.

—VAMOS LA GENTE AINDA TEM MUITAS MULHERES-diz, puxa uma idosa e todos começam a rir -A VAMOS GENTE, ELA AINDA É UMA MULHER, VELHA, MAIS UMA MULHER. QUEM DA UM LANCE?

—DOU 1 DOLAR-diz um cara e eles começam a rir

Dou uma olhada pelos lados discreta, as cercas são altas mais não muito protegidas, apenas pela eletricidade mais por alguma razão não estava ligada, pode ser que desliguem nessa hora. Olho pro sol e constato que deve ser umas 7 ou 9 horas da manhã.

—AGORA UMA BEM BOA-diz um cara, me puxa e eles começam a gritar animados-ELA, ALEM DE MUITO GOSTOSA, TAMBÉM É BEM NERVOSA E LIDEROU A FUGA DAS PRISIONEIRAS HOJE DE MANHA. MAIS EU GOSTARIA DE COMEÇAR O LANCE COMIGO MESMO DANDO 1000.

—DOU 1200

—1500

—TENHO 1500, ALGUEM MAIS?

—DOU 2000-diz um cara e olho pra ele ficando chocada

 É o ex-namorado da fox!

—NOSSA 2000 EU DOU 2500, QUERO REALMENTE EXPERIMENTAR VOCÊ-diz e engulo em seco.

—DOU 3000-diz de novo o namorado da fox.

—NOSSA NUNCA TIVEMOS UM LANCE DE 3000, MAIS EU NÃO VOU DESISTIR. DOU 4000-diz e vejo todos animados e começam a aumentar o lance.

—EU DOU 10

—O QUE? 10 000 POR UMA MULHER?! VOCÊ DEVE SER MUITO BOA DE CAMA MESMO. ACHO QUE NÃO POSSO COBRIR ISSO, ENTÃO VOU DEIXAR ELA PRA VOCÊ-diz e o ex da fox vem ate mim –me empreste quando acabar de usar.

—claro-diz sorrindo e puxa minha cintura pra fora do palco, me leva pra um lugar longe.

Entramos em um tipo de quarto e me afasto dele

—calma, não vou fazer nada.

—porque deu lances? porque esta aqui?

— eu que digo isso

—não vim porque quis. Agora sua vez

—eu não tive outra opção, não entendo porque esta aqui! não devia esta com seus pais ou algo assim?

—eu devia, mais eles não foram me buscar quando tudo aconteceu.

—eu sei os meus também por isso estou aqui-diz indo ate um armário e me entrega uma blusa-deve estar com frio

—obrigada você pode-digo, ele vira e me visto rapidamente.

—você esta bem longe da faculdade

—sim, consegui uma carona.

—gale deve estar preocupado

—é acho que sim-digo não ligando muito-pode me tirar daqui?

—não sei, é muito difícil.

—por quê? Apenas me tire daqui e eu vou embora,  ninguém vai saber.

—vão sim, o comandante quer você, isso já te faz uma pessoa presencial. Se ele ver que você não esta aqui vai achar estranho.

— tem que ter um jeito, não sei, preciso ir embora.

—porque você não fica aqui, a única coisa que tem que fazer é fingir ser minha escrava, lavar roupa e essas coisas, pelo menos vai estar segura.

—você chama isso aqui de seguro? Esses caras são nojentos, não acredito que esta com eles.

—se eu não estivesse você estaria dormindo com algum cara agora e eu não posso deixar isso acontecer. Gale é meu amigo, não vou deixar que façam nada com a futura esposa dele-diz e concordo.

—mais eu realmente preciso ir, tem que ter um jeito.

—acho que talvez você possa ir na festa.

—festa?

—sim, damos uma festa todos os finais de semana e eles enchem a cara. O problema é que ligam as cercas, mais acho que posso tentar  embebedar o segurança ele também.

—obrigada, muito obrigada mesmo-digo e ele concorda.

—mais preciso saber que vai estar segura.

—eu vou,  peguei carona com um homem e a irmã dele e eles são legais. Foram eles que me trouxeram pra uma cidade aqui perto, cuidam bem de mim.

—não parece já que sua perna ta quebrada.

—isso foi um problema.

—você ta toda machucada. Esse cara te bateu?

—não, não. Peeta não fez nada.

—preciso conhecê-lo.

—não vai dar, não sei onde ele esta. Por isso preciso ir atrás dele antes que ele venha e tente confrontar vocês.

—ele faria isso?

—faria, tenho certeza.

—certo amm... vou ficar de olho. Esta com fome?

—não, tudo bem.

—pode dormir se quiser, mais não esqueça de trancar a porta quando eu sair ou eles entram-diz e concordo

 Ele sai, tranco a porta e começo a chorar

 Não sei o que vou fazer mais estou com medo do que peeta pode fazer, espero que estejam bem.



Notas finais do capítulo



—JT.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Will Never Give Up On You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.