I Will Never Give Up On You escrita por JTLYNCH


Capítulo 3
Ajuda?




Ouço um barulho alto que me faz acordar com uma sacudida forte, como se estivessem me acordando.

 Levanto sentindo meu corpo todo estralar por eu já estar dormindo no chão duro por uma semana inteira

Olho pelo vidro que já esta bem sujo de poeira, mais consigo ver uma movimentação um pouco distante e pelo que parece rápida. Mudo de lado pra poder ver de outros ângulos mais não faz diferença e espero ele passar

 Ele passa como um vulto mais não parece ser um zombie, porque parece estar carregando algo, tipo uma bolsa

E agora? O que faço?

 Não tenho tempo pra pensar, essa pode ser minha chance de sobreviver.

Não penso muito e pego o esfregão, minha única defesa

 Abro a porta rapidamente e começo a correr ate a porta de química e paro, olhando o corredor e não tem nada, esta tudo silencioso demais

Ouço o barulho de algo caindo e parece que não sou a única, quando ouço um grunhido vindo do lado esquerdo e vejo um deles que já esta quase em carne viva. Meu coração acelera, quando ele corre ate mim e entro na porta a minha frente e fecho rapidamente.

 Coloco o esfregão pra trancar, ouvindo ele esbarrar na porta e fico encostada nela com medo de ele abrir

Ouço outro som e viro pro meu lado, onde tem um homem todo vestido de preto, onde posso ver apenas um pouco de seus olhos, apontando uma arma pra mim

Arregalo os olhos e levanto os braços

—não, por favor

—esta infectada?

—eu juro que não

—tira o jaleco-diz e tiro meu jaleco rapidamente, largo no chão e levanto minhas mãos de novo-gira-diz e dou uma volta e ele suspira, abaixando a arma e guardando em seu cinto-o que faz aqui?

—já estou aqui há uma semana, é minha escola-digo com a respiração descontrolada e pego meu jaleco de volta colocando pra me aquecer, já que esta bem frio aqui

—sua escola esta infestada, já devia estar longe

—eu não sei de nada, meu professor tentou me atacar e me escondi no armário, estava esperando alguém pra me ajudar-digo e ele ri

—se acha que essa pessoa sou eu, esta enganada-diz indo ate sua bolsa e guardando  comprimidos

—por favor

—eu não ajudo pessoas-diz grosso

—eu preciso me defender. Pode me dar uma arma?

—porque acha que eu tenho mais uma?-questiona fechando a bolsa e colocando nas costas

—eu sei que sim, porque você não teria?

—é um argumento interessante, mais eu não faço favores e muito menos vou te dar uma arma-diz começando a andar reto, o paro, colocando a mão em seu peito e ele me encara

—por favor, o que você quer em troca?

—em troca?-questiona confuso

—sim, dinheiro, minha família tem muito-digo e ele gargalha

—sua família não pode pagar pela sua vida

—não, não pode. Mais  por favor-digo, ele suspira, olha pra cima e depois pra mim de novo

—bom você é uma garota

—sim, eu sou-digo não entendendo

—me faça um favor e eu te dou uma arma

—ta-digo, um pouco receosa sobre o que pode ser, mais pelo menos vou ter uma arma-me promete que dará a arma

—eu prometo

—o que você..-digo engolindo em seco e suspiro nervosa, fazendo ele rir

—calma, não precisa ficar nervosa-diz indo ate a porta, tirando o esfregão e me olha-fique atrás de mim-diz e concordo ficando um pouco distante

 Ele chuta a porta e pega sua arma e quando o senhor White vai ataca-lo, ele atira em sua cabeça, fazendo meu coração bombear muito rápido

—vamos-diz simplesmente saindo

 Fico parada no lugar sabendo que acabei de presenciar um assassinato na minha frente e não faço ideia do que fazer

—eii-diz e o olho-eu não vou chamar de novo-diz e concordo indo atrás dele e olho pra cima, pra não ver aquela imagem horrível e o sigo pra fora da escola com medo, ainda olhando pra todos os lados

—já olhei sua escola, não tem ninguém

—então porque disse esta infestada?

—queria ver se você admitia que era uma deles

—deles, o que certamente?

—dos zombies ou seja lá o que for isso?-diz e sai pela porta e finalmente vejo a luz

—respiro fundo- sentindo o ar puro e depois volto ao modo de olhar pra todos os lados e ele anda em direção a uma van.

—esse favor que você quer, não é nada sabe..-digo, ele para e vira olhando pra mim

—nada o que?

—nada sabe..-digo mordendo o lábio me encolhendo no lugar e a única coisa que ele faz e crescer um sorriso irônico em seu rosto

—tipo algo intimo-diz e assinto com a cabeça

 Ele se aproxima, me fazendo dar dois passos pra trás, o que o faz rir mais e vir ate mim. Rapidamente, sem aviso, pega meu braço brutalmente, me fazendo engolir a saliva-saiba que se fosse pra você dormir comigo você imploraria por isso, mais o que você vai fazer é uma coisa realmente importante, então não fique de gracinhas-diz grosso

—tudo bem-digo concordando, sentindo meu corpo todo mole, ele me solta e vira continuando a andar pra van

 Abre uma porta e fico parada esperando ele me chamar

—pode se aproximar-diz e dou passos curtos, mais rápidos, ate a van e quando me aproximo vejo uma garotinha que sorri animada

—você trouxe uma garota pra mim brincar?

—isso não é brincadeira prim-diz bravo, fazendo ela ficar triste, abaixando a cabeça e ele me encara duro-não tente fazer nada

—eu não vou

—cuide da prim, eu vou pegar a arma e quando você terminar o trabalho você sai e eu coloco a arma bem distante de nos

—tudo bem-digo concordando

 Ele sai do carro e da a volta, ficando do outro lado armado. Entro no carro e olho pra garotinha que sorri pra mim

—oi, meu nome é prim

—sou katniss

—é um prazer conhece-la katniss. Pode me ajudar?

—claro, o que precisa?

—meu irmão não deixa eu sair do carro pra ir ao banheiro, então eu tenho usado fralda, mais eu não sou muito boa em trocar

—tudo bem-digo e ela concorda e me mostra onde estão as coisas e começo a troca-la

—o que faz aqui?

—é minha faculdade, estou presa aqui.

—por quê?-questiona curiosa

—não sei o que fazer

—nos também não sabíamos, mais fomos aprendendo

—eu não entendo o que ta acontecendo-digo mordendo o lábio -eu estou presa aqui, por isso preciso da arma, pra conseguir pelo menos chegar a algum lugar onde possa encontrar meus pais

—onde seus pais moram?

—na Califórnia-digo e ela arregala os olhos

—ouu

—sabe alguma coisa?

—não-diz negando mordendo o lábio, parecendo saber, mais não querendo contar-você esta bem longe?

—sim, estou, mais eu preciso tentar-digo e ela concorda

—gostei de você katniss, parece uma boa pessoa e é bonita-diz e rio sem dentes

—você também umm..

—prim, primrose

—primrose-digo concordando e terminando meu trabalho

—foi legal te conhecer prim-digo indo sair do carro

—não quero que vá

—o que?-digo confusa

—por favor fique, eu não quero ficar sozinha de novo

—sozinha? não esta com seu irmão?

—ele sempre me deixa sozinha aqui e fico preocupada

—desculpa eu na...

—pronto, acabou?-questiona o homem voltando e concordo, descendo do carro

—peeta, deixa ela ficar

—o que? Não!-diz bravo

—ela é uma boa pessoa, precisa de ajuda

—todos precisam de ajuda

—ela ta sozinha, não tem ninguém

—idai prim, se for assim, vamos ter que ajudar meio mundo

—por favor, só por pouco tempo, queria ter uma menina pra conversar-diz fazendo uma cara de dó

—não prim

—eu não...-digo me afastando

—aonde você quer ir?-questiona me fazendo parar e viro o olhando

—Califórnia

—o que?! você ta muito longe sabia?

—eu sei

—porque não liga pros seus pais?

—não tenho bateria

—vai peeta, por favor por mim-diz prim implorando e ele fica um tempo a olhando e depois olha pra mim e bufa

—vou te levar ate o próximo carro que acharmos e depois é por sua conta

—obrigada-digo me aproximando

—mais você vai ter que ajudar também

—tudo bem, eu ajudo-digo, ele concorda, entrando no carro e me aproximo pra sentar com prim-não-diz e o olho-você vi sentar do meu lado, ainda não confio em você

—eu também não-digo o olhando

—então ótimo, fecha a porta-diz e tranco a porta de prim que sorri

 Dou um meio sorriso e volto a ficar normal

Dou a volta no carro, entrando no banco do carona e colocando o cinto e pouso minhas mãos majestosamente sobre meu colo.

—não tente fazer nada, ouviu?-diz apontando a arma pra mim e concordo e ele da partida



Notas finais do capítulo



—JT.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Will Never Give Up On You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.