Evidências escrita por Sarcastic Lady


Capítulo 26
Capítulo 26


Notas iniciais do capítulo

O aniversário é meu... MAS DOU ESSE CAPÍTULO DE PRESENTE ❤



"... Como posso continuar

Dia após dia

Quem pode me fortalecer em todos os sentidos

Onde posso estar seguro?

Onde pertenço?

Nesse enorme mundo de tristeza

Como posso esquecer

Aqueles lindos sonhos que compartilhamos

Eles estão perdidos e não consigo acha-los

Como posso continuar?... "

 

How Can I Go On - Freddie Mercury

 

Autora Pov... 

 

Na manhã seguinte, Sakura se levantou muito cedo. Ela fez tudo no automático, como se estivesse na casa da madrinha, até perceber que estava entrando no quarto de Sasuke, achando que era o de Tsunade (já que a Senju sempre a acompanhava nas visitas durante o inverno). 

 

Antes que pudesse sair dali sem ser notada, o moreno saiu de uma porta que ela jurava ser parte do armário. Sasuke tinha uma toalha azul cobalto em volta da cintura, e uma nos ombros, com a qual secava os cabelos negros. Sakura começou a respirar depressa. Não queria ser indiscreta, mas também não conseguia desviar os olhos daquele abdômen definido. Ela umedeceu o lábio inferior, para o morder em seguida. Logo Sasuke a olhou. 

Ele pareceu surpreso em vê-la ali. Ainda mais de camisola. 

 

— G-gomen, Sasuke-kun — ela pediu, se virando para sair. 

 

— Tudo bem, Sakura — ele riu. — Não é como se você nunca tivesse entrado aqui. 

 

— Mas você não tava de toalha — ela quase engasgou, lutando para esticar a camisola para o mais baixo possível. 

 

— Não sou tão feio assim, sou? — o moreno se aproximou dela, a fazendo se afastar instintivamente.

 

— Você não é feio — Sakura murmurou, mordendo os lábios. 

 

Sasuke deu dois passos mais rápidos, cobrindo a curta distância entre eles. Sakura percebeu que não tinha mais para onde se afastar: ela estava espremida contra a porta de madeira. 

 

— Não faz isso — ele sussurrou, observando os lábios rosados serem umedecidos novamente, e grunhiu. 

 

— O... O quê? — ela ofegou de novo. 

 

— Ahh, Sakura... — o Uchiha apoiou as mãos uma de cada lado da cabeça dela. — Você está acabando com a minha sanidade. 

 

Devido ao fato de Sasuke ser mais alto do que ela, Sakura tinha de levantar a cabeça para olhar nos olhos dele. Ela sentia o hálito de menta dele (provavelmente havia escovado os dentes durante o banho) no rosto. As respirações rápidas. 

 

— Eu vou me arrepender muito disso — o moreno murmurou. 

 

Sasuke abaixou o rosto e selou seus lábios de imediato. Com o braço direito envolveu a cintura dela, enquanto a mão esquerda se entranhava no cabelo macio e cor de rosa. Sakura o correspondeu na hora, enlaçando o pescoço dele com os dois braços, trazendo ele para mais perto. Ela arranhava a nuca dele o fazendo grunhir contra seus lábios. 

 

— Você se arrependeu? — ela perguntou, quando ele encostou suas testas depois de terem perdido todo o ar. 

 

— Não mesmo — riu o garoto. —Eu quero mais. Muito mais, hana.

 

— Mais? — Sakura sorriu doce, olhando no fundo dos olhos negros. — O quanto mais você quer? 

 

— O suficiente para suprir, por ora, a necessidade sufocante que eu tenho de beijar você — dizendo isso o moreno a beijou novamente, dessa vez com mais decisão e, bem, pegada. 

 

Ele a emprensou mais contra a parede, com as duas mãos nas coxas dela, fazendo com que a rosada gemesse baixinho contra sua boca. Logo Sakura sentiu algo endurecer entre eles, mas ela não estava se importando muito, já que também estava se sentindo bem molhada em lugares suspeitos.

 

Ao mesmo tempo que Sasuke descia seus lábios para o pescoço alvo e vulnerável, ele subia as pernas dela em volta da sua cintura, causando contato quase imediato entre as intimidades de ambos. Ainda com a boca no pescoço dela, o garoto a levou em direção à cama. Sakura arqueou as costas, sentindo o membro pulsante dele na sua região sensível. Ela não era virgem, mas aquilo era novo. 

 

Sasori nunca conseguiu acendê-la com apenas beijos e carícias tão simples. 

 

Sasuke já havia se livrado da toalha, a frustrando um pouco por estar usando uma cueca branca que mal podia conter todo aquele volume. Mesmo que ambos estivessem com roupas íntimas, ele começou a roçar suas intimidades com força, fazendo Sakura soltar gemidos altos de prazer. As mãos dele passeavam pelo corpo escultural, percorrendo caminhos que nem em seus sonhos mais pervertidos ele pensara tocar nela. 

Os braços e as costas dele já estavam marcados pelas unhas da rosada. 

 

Ele não imaginava sentir nada assim. Quer dizer... Ele nem estava dentro dela. Como era possível sentir tanto prazer? 

 

Com uma tensão gradativa e com suas bocas coladas novamente, Sasuke sentiu Sakura gozar sob seu corpo, provando a si mesmo que aquele prazer era uma coisa somente deles. E que as coisas entre eles estava começando a caminhar num rumo diferente... 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Evidências" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.