A garota da canção escrita por remoonyy


Capítulo 1
Capítulo 1


Notas iniciais do capítulo

primeiro de tudo, eu to um pouco insegura com essa fic, então comentem TUDO o que vocês acharam, seja bom ou seja ruim (e se achou ruim, comenta de um jeito fofinho pra eu não me sentir mal kkkk).

Eu não entendo muito bem como funciona o X Factor ok, então na minha cabeça essa parte do programa foi gravada antes de ser passada na televisão. Se não é assim que acontece, me avisem, que eu tento mudar de algum jeito não sei kkkkkkkkkk

link do plot original é esse aqui https://twitter.com/fanctions/status/1054154300451160065

é isto... espero que gostem e tals



Londres, Casa dos Evans – Sábado, 16:00h

— Anda Lene, você vai perder os primeiros candidatos – Falou Lily, enquanto se preparava no sofá para seu programa preferido da televisão.

The X Factor sempre foi o Tallent show favorito de Lily Evans. Por meio dele, ela conheceu as bandas que ama, e os cantores que hoje tanto admira. Vendo o show, foi quando ela pela primeira vez torceu para os cantores que mais tarde se tornariam sua banda mais aclamada, e a que mais a faria sofrer depois de tantos meses que os mesmos ficaram em hiatus. 

— Olha Evans, eu te amo, mas eu ainda não acredito que desmarquei com um cara pra ficar minha noite toda vendo essa gente cantar e jogar minha auto estima no lixo – Reclamou Marlene, enquanto se jogava no sofá com um pote de pipoca nas mãos.

Marlene Mckinnon era a típica melhor amiga popular, da garota não tão popular assim. Muitas vezes, Lily havia parado para pensar se não era realmente a DUFF – Desengonçada, Útil, Feia e Fofa; de seu grupo de amigas. O que fazia muito sentido, a julgar que era chamada para as festas apenas por causa de Marlene, e nenhum menino nunca havia se interessado realmente por ela, apenas a paravam para pedir informações sobre a amiga.

Lily revirou os olhos, e ajeitou o cobertor para que pudesse cobrir as duas. Esse era um ritual quase que sagrado para ela, e sinceramente não estava disposta a abrir mão por causa das luxúrias de sua amiga.

— Eu convidei, você veio por que quis. Fiquei sabendo que esse ano tem um Londrino, acredita? Imagina se o próximo Liam Payne é alguém que a gente conhece.

— Você imagina demais, isso sim. Olha, vai começar.

Lily estava extremamente eufórica. A cada pessoa que passava, causava uma emoção diferente. Alguns cantaram muito bem, mas infelizmente não passaram para a próxima fase. Outros, por outro lado, conquistaram não só os jurados, mas também todo o público ao redor. Algumas vezes, podia-se ver os olhos da ruiva lacrimejando.

Marlene também estava um pouco emocionada com algumas apresentações, mas nunca admitiria em voz alta.

O programa estava chegando ao fim, quando devido a grande quantidade de líquido ingerido, a garota precisou urgentemente ir ao banheiro. O cantor da vez não havia realmente conquistado a garota, então não se preocupou em perder aquela parte do programa.

Mal havia terminado de dar a descarga, quando batidas frenéticas na porta do seu banheiro a deixaram em alerta.

— LILY, VOCÊ PRECISA VER O PRÓXIMO CANDIDATO.

A garota abriu a porta do banheiro com pressa, antes de ser puxada pela amiga de volta para o sofá.

Ela esperava tudo vindo de Marlene. A princípio pensou que seria apenas um cara bonito, que a amiga havia se encantado igual o que acontecia com praticamente todos do sexo oposto. 

Também chegou a imaginar por um momento que o participante Londrino havia finalmente aparecido, e os rumores que havia lido em um fan page no twitter não eram falsos.

Bem, no fim das contas ela não estava errada em nenhuma das alternativas.

Na tela de sua TV, estava James Potter. O garoto popular na escola, que ela desprezou por muito tempo, e hoje via-se obrigada a simplesmente ignorar sua presença. O mesmo que muitas vezes já se disse apaixonado por Lily Evans, e ela nunca deu ouvidos, ou aceitou qualquer uma das vezes que ele havia a chamado para sair. James Potter, que no último ano do ensino médio finalmente criara juízo, e de quebra, parara de tentar flertar com Lily.

James Potter, o garoto que Lily sempre teve uma pequena queda, e imaginava secretamente como seria beijá-lo.

A verdade é que a ruiva era sim chamada para sair, porém apenas por ele. Por muito tempo ela alimentou essa teoria de filme clichê americano, onde o popular aposta com os amigos que consegue ir pra cama com a nerd estranha da escola, e no fim eles se apaixonavam.

Mas Lily não era protagonista de um filme americano. Se o ‘plot da sua vida fosse esse, ela tinha certeza que o desenvolvimento seria ele largando-a em plenos ares, e ela entrando na sua “lista de conquistas fáceis” enquanto se via como todas as outras, apaixonada e iludida pelo canalha da escola.

Então Lily se fechava. Para sobreviver ao ensino médio, ela precisava apenas de seus livros, suas HQ’S, suas fanfics, sua conta falsa no twitter para interagir sem precisar ser reconhecida, e de Marlene, a única que sabia sobre todos esses “segredos” da amiga.

A apresentação de James começou com o básico, seu nome, sua idade e sua nacionalidade. Aos poucos, fora apresentada sua família, e seus amigos também estavam presentes em algumas gravações.

Lily conseguiu reconhecer Remus Lupin, que era o único amigo em comum que os dois tinham, Sirius Black, um dos rolos de Marlene, e Peter Pettigrew, um garoto consideravelmente fofo.

Aos poucos, James foi contando mais de sua vida, como conheceu os amigos, como todos eles junto de sua família o incentivaram na música, e desde quando aprendeu a tocar instrumentos.

Lily observava atenta a cada detalhe, sem piscar um único olho para a televisão. Haviam muitas coisas que não sabia sobre o garoto, que acabara de descobrir.

Enfim, James entra no palco com um violão em mãos. Pela primeira vez, a garota consegue vê-lo nervoso e um tanto tímido. Ao ver os jurados, James dá um sorriso capaz de arrancar até mesmo alguns suspiros da plateia (e de Lily.)

— Bem-vindo garoto. Qual o seu nome, sua idade, de onde você vêm..? – Disse Louis Tomlinson, um dos jurados, de uma forma amistosa.

— Cacete, eu no lugar do Jay já teria pulado no pescoço desse homem – Falou Marlene, mais para si mesma do que para Lily, que mal estava prestando atenção.

— Eu sou James Potter. Vim de Londres, e tenho 17 anos – Falou um garoto, com um sorriso maior que o próprio rosto.

— 17 anos? Você não deveria estar em aula? – Perguntou Ayda Williams em forma de brincadeira.

— Tecnicamente sim, mas acredite, já matei aula pra fazer coisa pior – Respondeu ele, no mesmo tom, arrancando uma gargalhada da platéia.

Lily revira os olhos perante o comentário. Ele acha isso bonito mesmo?

— Então foi por isso que ele faltou aula sozinho semana passada, pra gravar o programa! – A loira exclamou como se houvesse descoberto a cura do câncer. – Eu bem que desconfiei que tinha algo errado, ele nunca mata aula sem o Black.

— Então James, o que preparou para nós hoje? – Continuou um dos jurados.

— Bom, eu irei cantar a música Naked, do meu chará James Arthur, pra ver se tenho um pouco de sorte. – Fala ele, ainda muito bem humorado.

— É uma música bem sentimental. Alguma garota em mente? – Insinua Simon Cowell, divertido.

Pela primeira vez em anos estudando juntos, Lily presencia James Potter corado. O garoto desarruma os cabelos em nervosismo, arrancando mais uma vez uma onda de suspiros da platéia feminina.

— Bem... Tem essa garota da escola... – Ele fala, visivelmente abatido.

— Ela sabe que você está aqui?

James dá uma risada constrangida, enquanto olha para o chão. – Se ela soubesse, ela com certeza me daria uma detenção por estar matando aula. Mas uma das poucas coisas que sei sobre ela é que ela assiste o show, então quando ouvir a música, ela vai entender o recado... Eu espero.

Marlene levanta do sofá em um pulo.

— Lily é você! James vai cantar pra você em rede nacional Evans, por Deus, isso é lindo! – Ela senta de novo, mordendo a ponta do lençol em sinal de ansiedade. Desde sempre Mckinnon incentivava Lily a dar uma chance para o Potter, mas sempre sem sucesso.

James prepara o apoio do microfone, e logo em seguida termina de afinar as cordas do violão. Ao primeiro verso da música, Lily sentiu-se arrepiar.

Hey, you there / Hey, você aí
Can we take it to the next level?
/ Podemos ir para o próximo nível?
Baby, do you dare?
/ Querida, você se atreveria?

Lily sentia algo forte invadir o seu peito. Mesmo que aquela música não fosse de fato para ela, a voz do garoto a trazia uma paz inexplicável, onde tudo que ela mais queria era guardar aqueles versos para si.

Don't be scared / Não tenha medo
'Cause if you can say the words
/ Pois se você pode dizer as palavras
I don't know why I should care
/ Eu não sei por que me importo

'Cause here I am / Pois eu estou aqui
I'm giving all I can
/ Estou dando tudo o que posso
But all you ever do is mess it up
/ Mas tudo o que você faz é estragar tudo

Lily sentiu o ar faltar, e lágrimas ameaçavam sair de seus olhos. Ela não prestava mais atenção na reação dos jurados, da platéia, nem de Marlene, pois o mundo havia parado de girar, e a única coisa que ela queria era pular para dentro daquela televisão.

Yeah, I'm right here / Sim, eu estou aqui
I'm trying to make it clear
/ Estou tentando deixar claro
That getting half of you just ain't enough
/ Que ter só metade de você não é o suficiente

I'm not gonna wait until you're done / Não vou esperar até que você termine
Pretending you don't need anyone
/ De fingir que não precisa de ninguém
I'm standing here naked
/ Estou aqui vulnerável

A essa altura, Lily não conseguia mais segurar o choro, e um soluço forte foi audível em sua sala de estar. A voz de James era tão forte e confiante, sendo grave nas horas certas e alcançando notas agudas quando necessário, trazendo um tanto inexplicável de sentimento para a música.

I'm not gonna try 'til you decide / Não vou tentar até você se decidir
You're ready to swallow all your pride
/ Que está pronta para engolir todo seu orgulho
I'm standing here naked
/ Estou aqui vulnerável

“’Não vou mais tentar até você se decidir, você está pronta para engolir seu orgulho’ é. Se essa música não era pra mim antes, agora definitivamente ela é”. Pensou Lily.

Hey, get out / Hey, vai embora
I've got nothing left to give
/ Eu não tenho mais nada pra dar
And you give me nothing now
/ E você não me dá nada agora
Read my mouth
/ Leia meus lábios
If you ever want me back
/ Se você me quiser de volta
Then your walls need breaking down
/ Suas paredes terão que quebrar

A ruiva levanta bruscamente do sofá com o controle remoto em mãos, desligando a ‘TV com as mãos trêmulas.

— Eu... Não consigo, Lene.

— Lily, espera...

Evans deixou a sala correndo e se trancou no quarto sozinha.

A garota sabia que o programa havia sido gravado a poucas semanas, pois lembrava perfeitamente quando andou o dia inteiro suspeitando de que o garoto havia feito naquela data. Sabia também que James estava frequentando as aulas recentes já sabendo do resultado da audição, mesmo que não demonstrasse absolutamente nada.

Também sabia que aquela paixão dita por ele, durante tantos anos, era verdadeira, afinal um bom músico nunca conseguiria cantar sem sentimento. E o que mais lhe doía, era o fato dela não saber o que fazer com tamanha informação.

— Tranque a porta quando for embora, sim? – Gritou para Marlene, com uma voz rouca e alterada por conta do choro.

— Ok... Te ligo amanhã Lils.

Depois disso, Lily não ouviu mais sua melhor amiga e decidiu que poderia soluçar a vontade. Teria até segunda-feira para dar um jeito em tudo.         



Notas finais do capítulo

então, algumas coisas que eu queria explicar rs

eu escolhi a música Naked, por dois motivos: 1) eu me inspirei no James Arthur para fazer o James Potter, visto que ele já ganhou uma edição do X Factor, e por que eu AMO a voz dele, e eu imagino muito o meu James cantando daquele jeito. 2) A música descreve muito o relacionamento de jily (pelo menos que eu imagino), falando que ele está vulnerável pra ela, e que ela precisa engolir o próprio orgulho e admitir de uma vez que gosta dele.

Por enquanto é isso heh

Espero que tenham gostado, e deixem reviews ne



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A garota da canção" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.