As Bruxas De Oz escrita por HatBox Ghost


Capítulo 10
Capitulo 10 - As visões de Sabrina Spellman




— Meu Deus - disse Sabrina - Le-Leota, eu sonhei com você.
— É normal sonharmos com quem está próximo de nós menina. - disse Leota.
— Mas não sonhei com você na bola de cristal, sonhei com você da forma que está agora, com esse seu lindo cabelo, seu vestido maravilhoso, e tudo mais.
Salém então apareceu, esfregou seus pelos e seu corpo na perna de Sabrina e ronronou. Então olhou para todas e perguntou:
— O que tá pegando senhoras?
— Estamos refazendo a segurança do lugar Salém - disse Maddie - Sabrina e as nossas outras colegas bruxas estão nos ajudando.
As feiticeiras então fizeram mais alguns feitiços e sortilégios, e por fim, se sentiram a vontade para parar, pois agora a proteção era, ou pelo menos parecia ser o bastante.
Então Leota chamou Sabrina de lado, e disse que queria mostrar a sua sala de sessões espíritas em baixo do castelo de Elphabá, lá elas foram.
Na sala de sessões de Madame Leota, havia uma mesa, várias cartas de um baralho de tarot distribuídas sob a mesa, e também ali ao lado estavam duas cadeiras, e um corvo.
— Que belo corvo, Madame - Disse a loira.
— Ele se chama Nunca-Mais, Sabrina, uma homenagem ao meu escritor favorito, Edgar Alan Poe. Tal como seu gato, Salém, Nunca-Mais é a encarnação de um Deus antigo, Anubis...Você deve saber que me ligo muito aos mortos e aos espíritos deles principalmente...E Anubis, é o Deus dos mortos e moribundos, e costuma guia-los pelo submundo, e assim também por Regions Beyond, as regiões do além...
— Tá dizendo que...
— Nunca-Mais, é meu Animal Familiar, e foi quem me ajudou a canonizar meu poderes, para minha bola de cristal, e quem me ajudou a entender tudo o que estava relacionado a eles. Bem Sabrina, você disse que sonhou comigo, certo?
— Na verdade, foi mais do que isso Madame, eu sonhei com a senhora, sonhei que estava em casa, sonhei que Elphabá tinha triunfado sobre Glinda.
Ela sorriu e disse:
— Isso é bom, e ruim, dependerá da forma como você irá interpretar isso, jovem aprendiz de feiticeira. Eu creio Sabrina, que você sem saber, além de sua magia, também possua uma certa clarevidencia, não tão evoluída e não tão clara quanto a minha, mas talvez se você treinar consiga claramente ter visões sobre o futuro. A visão de seu sonho, não é clara, entenda, as visões se tratam de possibilidades! O que você viu no seu sonho, foi a possibilidade de que irá para casa, triunfante quando Elphabá ganhar a guerra, porém, há também a possibilidade de tudo desabar, de Elphabá perder, e de que eu esteja na sua casa, por que Glinda dominou Oz, isso na minha bola de cristal, quando eu ainda estava dentro dela, eu conseguia ver claramente.
— Mas eu quero acreditar que vamos ganhar a guerra Madame, minha única esperança é acreditar, por que se eu não acreditar em nós, quem? Quem Acreditará?
— Jovem feiticeira, Você pode acreditar, mas tem que saber dos riscos, tem de aprender como chegar aos objetivos, como mover as barreiras, tem que saber olhar além do que está a sua frente Sabrina Spellman, todas corremos perigo, e não há salvação a menos que vocês acabem com os feitiços! Liberte suas amigas, liberte-se, liberte a todos nós...
— Madame, o que exactamente a senhora quer dizer? Estávamos falando da minha ''visão'' se é que posso chamar assim, e do que estamos falando agora?
—...Estou apenas lhe dizendo minha querida, que deveria tentar desenvolver mais esse dom, como, eu já havia mencionado antes. E para isso, eu vou lhe propor, algo, algo bem...digamos sofisticado, Aulas particulares, tente nos próximos dias, se conectar mais ao Salém, tentar ver o que ele pode lhe passar, saber quais os poderes que você está proporcionando para ele, e quais você proporciona para ele. E mais uma coisa... Fale com Elphabá, sobre tudo o que falamos aqui, para saber se é do agrado dela... Ah mais uma coisa, já vou lhe dar uma coisa, sem nem mesmo saber se é do agrado dela, mas... é apenas um presente não é mesmo? Qual seria o problema, se ela não quiser que você use, você só terá que não usar e pronto.
Leota então, foi até uma pequena estante, no fundo de sua sala,e devagarzinho abriu uma gavetinha que havia ali, ela fez um barulho estranho, parecia que a parte que corria para que a gaveta abrisse estava enferrujada ou coisa do tipo, pois o barulho foi extremamente estranho, mas Sabrina continuou ali, e na verdade não moveu um dedo se quer, mesmo com o susto que levou pelo barulho que a Madame fez. Ela viu que ela estava procurando alguma coisa, e demorou alguns minutos, ela parecia não encontrar o que procurava, tirou alguns papeis de dentro da gaveta, tirou o que parecia uma varinha(talvez...uma varinha de condão? Uma varinha mágica? Ela não saberia dizer, só sabia que era uma varinha, talvez fosse apenas um graveto quem sabe.) Ela tirou também um livro, não muito grande mas extremamente grosso, ''poderia ser usado na batalha contra Glinda,'' pensou Sabrina ''seria só jogarmos na cabeça dela, e ela poderia até cair dura ali mesmo!'' Sabrina riu internamente, mas não poderia rir fisicamente, por mais que Madame Leota, fosse boa, ela era extremamente séria, e parecia ser o tipo de pessoa que perde sua paciência muito facilmente.
Então Leota, finalmente pegou uma caixinha, e a abriu, tirou várias cartas de dentro dela, era um baralho, então se aproximou de Sabrina. Pegou também o livro pesadíssimo e trouxe até a garota, então mostrou as cartas para Sabrina, indicando para ela pegar-las, e assim ela fez.
— Se você quer realmente desenvolver um dom mágico, que envolva ''Clarevidencia.'' O baralho de Tarot é a melhor ferramenta. Pra dizer a verdade devo em parte a ele, muitas coisas que eu aprendi. O baralho, tem significados únicos, mas ao mesmo tempo, é muito amplo. Estou lhe dando esse baralho de Tarot de presente Spellman, como, na verdade, a minha falecida mãe fez comigo. É na verdade o mesmo baralho que minha mãe me deu... E junto a isso, também quero lhe dar essa manual de Tarot, ele te instruirá no começo, mas é importante que você tenha e mantenha, sua mente totalmente livre para poder lidar com essa poderosa ferramenta. Agora vá falar com Elphabá, para saber se ela permite que você tenha aulas comigo.
— Está bem, Obrigado - então Sabrina virou as costas e saiu.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "As Bruxas De Oz" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.