Love Will Find A Way escrita por avause


Capítulo 23
Capítulo 23 - Siempre Tu




Laura POV

Sexta-feira chegou e no horário combinado apareci no apartamento de Taylor com Ella pendurada no canguru. O porteiro me deixou subir assim que me reconheceu. Apertei o número do andar de Taylor e esperei até que o elevador parasse nele. Segui até o número de sua porta e apertei a campainha. Taylor nos recebeu ajudando a carregar a bolsa com coisas da Ella e deu passagem para que pudéssemos entrar.

— Fique a vontade.

— Obrigada Tay.

— E essa garotinha aqui. – Taylor comentou fazendo algumas caretas para Ella.

— Está com a pilha carregada.

— Imagino. Depois iremos brincar bastante pra você descarregar essa pilha mocinha.

— O que você está cozinhando? O cheiro parece bom.

— Esse cheiro é de queimado. Você se importaria se o nosso jantar for pizza? – Ela me perguntou meio que na duvida temendo a minha resposta.

— Você cozinhando? Isso realmente é novidade para mim. Claro que pode ser pizza. – Taylor discou um número e fez o pedido para umas três pizzas.

— Eu tentei, mas não sou que nem você na cozinha que deve preparar maravilhas na cozinha.

— Fico feliz que tenha tentado. – Comentei.

— Aceita vinho? – Taylor me perguntou.

— Adoraria. – Comentei olhando para Ella e entregando um brinquedo de morder para ela. Taylor pegou duas taças e nos serviu vinho.

— Fico feliz que voltamos a nos falar. – Taylor comentou bebericando um pouco de seu vinho.

— Eu também Tay. Você não tem ideia.

— Alguém te perguntou se voltamos a nos falar? – Taylor me perguntou.

— Às vezes a Yael vem me perguntar alguma coisa e com você?

— A Yael veio me perguntar algumas vezes, mas a Natasha se supera. Já perdi as contas de quantas vezes ela veio com “Já falou com a ruiva?”. Quanta invasão de privacidade.

Olhei para Taylor e dei um riso bobo. – Taylor, será que você poderia pegar a bolsa dela que deixei ali na sua sala? – Tay concordou e voltou com a bolsa e ficou me olhando.

— Algo especifico?

— Tem um potinho de papinha em um dos bolsos. Pega pra mim?

— Claro. – Comentou e logo me entregou.

— Obrigada. – Ela sentou-se perto de mim e ficou me observando em silencio eu dar a papinha para Ella. – Que foi? – Perguntei quando notei que estava tudo quieto demais.

— Nada. Só é uma novidade para mim você com a Ella aqui e cuidando dela com tanta dedicação. É algo bonito de se ver.

— Ela mudou algumas coisas em minha vida e me fez perceber outras coisas também. – Dei um beijo na testa de minha filha e ela olhou para mim com cara de quem não estava entendendo nada. Coloquei mais um pouco de papinha na colher, já abrindo a boca para mais. Enquanto Ella degustava sua papinha e Taylor a admirava, o interfone tocou. Era a nossa pizza. Taylor desceu para busca-las e voltou em poucos minutos. Andei com Ella pela sala para tenta-la fazer ficar com sono. Na estante de Taylor vi uma foto nossa. Uma foto que tiraram nossa durante nossa estadia para promover Orange em Paris. Peguei o porta-retrato e fiquei admirando.

— É a minha favorita. – Taylor comentou me interrompendo o pensamento fechando a porta e com as caixas de pizza em mãos.

— A minha também. Acredita que tenho essa mesma foto em um porta-retrato em meu quarto? Claro que coloquei lá depois... bem você sabe.

— Claro. – Olhei Taylor em seu quarto. Taylor aproximou-se mim.

— Posso te fazer uma pergunta Tay? – Ela assentiu positivamente para que eu continuasse. – Você chegou a conhecer alguém enquanto não estivemos juntas?

Ela caminhou até o balcão da cozinha e fui atrás dela.

— Cheguei a conhecer, mas não demos certo e resolvi colocar um ponto final.

— O que aconteceu?

— Algumas pontas ficaram soltas e eram impossíveis de amarrar. Acho que se quisermos saber o nosso futuro temos que deixar os nossos erros passados para trás.

Sorri para ela.

— Acho que tem alguém ficando com sono. – Comentei.

— Fique a vontade para colocar a Ella em minha cama.  – Taylor comentou oferecendo sua cama.

— Obrigada Tay. – Acompanhou-me até o quarto e indicou sua cama.

— Leve o tempo que precisar. Vou te esperar para comermos aquela pizza. – Deu um beijo em minha cabeça e se retirou.

Voltei para a cozinha depois de uns vinte minutos e lá estava Taylor me aguardando. Ela arrumou a mesa tão delicadamente tudo para nós duas. Ao me ver ela ficou encarando o meu olhar e sorriu.

— Ella dormiu?

— Demorou, mas sim.

Taylor se aproximou de mim e estendeu sua mão direita. Minha mão direita foi de encontro com a sua e ela nos conduziu até a cozinha. Gentilmente puxou a minha cadeira e sentei-me. Ela sentou-se na cadeira que ficava na ponta da mesa. Tinha me esquecido desse lado de Taylor.

— Por que você desconversou quando perguntei se tinha conhecido outra pessoa quando não estávamos juntas? – Perguntei antes de degustar um pedaço de pizza.

— Não desconversei. Te falei a minha resposta, mas não quis entrar em detalhe. Acho que falar do passado pode ser doloroso, acredito que tenha que ser feito quando estivermos confortáveis. Eu vi o quão abalada você ficou quando relembrou o que te aconteceu.

Encarei Taylor por alguns segundos e ela provou seu pedaço de pizza.

— Sabe que se precisar de mim para conversar sobre qualquer coisa, pode contar comigo. Eu te amo Taylor.

— Sei que posso, por que eu também te amo. – Ela segurou uma de minhas mãos que estava sobre a mesa.

Depois que terminamos nosso jantar, ajudei Taylor na cozinha e depois ficamos assistindo televisão. Vez ou outra ia ver se estava tudo bem com Ella que estava a dormir na cama de Taylor.

— Acho que alguém gostou da sua cama. – Comentei quando retornei a sala depois de ter ido dar uma verificada em Ella.

— Você também já gostou dela um dia. – Taylor comentou me deixando um pouco corada.

— Ainda gosto. – Comentei baixinho.

— Eu escutei isso Laura!

— Você é muito abusada Schilling. – Comentei sentando-me ao lado dela no sofá. Ela me deu um beijo na bochecha. Olhei para ela e roubei-lhe um beijo.

— Uau Prepon. Depois eu que sou a abusada aqui.

— Você ainda ganha. – Dei uma risadinha sarcástica.

— Dorme aqui? – Taylor me pediu.

— Acho que não vai ter outro jeito. – Comentei. – Ella está desmaiada na sua cama. E onde vamos dormir?

— Não me importo de que seja aqui no chão da sala. Vou lá ao quarto pegar alguns cobertores para a gente. – Ela levantou-se rapidamente e sumiu da minha vista.

Taylor foi ao seu quarto e trouxe alguns cobertores. Improvisamos uma cama ali, no meio de sua sala, e aconcheguei-me em seus braços enrolada em um cobertor e Taylor em outro. Ficamos curtindo o momento e assistindo televisão. Hora ou outra eu acariciava o braço de Taylor para ela saber que eu estava ali e ela beijava a minha cabeça ou testa.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Love Will Find A Way" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.