Uma Casa de Estrelas escrita por Lyn Black


Capítulo 19
Materna


Notas iniciais do capítulo

Parece que essa fanfic se tornou um refúgio para os momentos onde o mundo parece prestes a me engolir...



materna - décimo nono capítulo 

uma casa de estrelas, por lyn black 

 

A infância de Andrômeda é meio nublada, feita de água se condensando e cristais afiados. Entre ser cuidada por elfos domésticos, educada junto de Bellatrix por tutores - Cissy era pequena e irriquieta demais para participar das aulas - e rodopiar no jardim da casa do tio Órion, Black era uma menina mimada e mordaz.

A mão macia de Druella a segurando firme em saídas para comprar roupas sedosas e luxuosas é uma marca quando Andie reflete sobre a presença de Rosier na sua vida. A mulher adorava se sentar com ela em frente ao grande espelho do quarto compartilhado com o pai e trançar os cabelos ondulados da filha do meio. Andrômeda mantinha os grunhidos presos quando um puxão era forte demais, aproveitando o momento exclusivo com a bela Druella.

Crianças, porém, crescem, e a garota-galáxia encontrou em si uma adolescente quem odiava manter os lábios selados pelas aparências. Só não dava mais trabalho do que Bella, quem com seu nariz arrebitado e sobrancelhas grossas, era o terror de Cygnus em festas do Ministério. A mais velha se divertia em atormentar qualquer senhor que ousasse requerir sua mão para uma dança, sorrindo dissimulada enquanto pisava com elegância em seus pés por toda a música. 

As três filhas do casal mais belo da elite mágica tinham talento para transformarem a casa num inferno. Desde discussões sobre o lenço lilás de Narcissa às ferozes gritarias entre Andrômeda e Bellatrix sobre Hogwarts na mesa do jantar, elas eram irmãs de berros. A medida que Bella se tornou mais mulher, descartando a ladainha de Cissy sobre as picuinhas da escola, Andrômeda se tornou sua companheira mais comum na falta dos seus odiosos amigos. Tomavam chá com a mãe enquanto liam, as três mulheres sentadas em frente da crepitante lareira.

Quando Andie está prestes a desertar da Mui Antiga e Nobre Casa dos Black, Druella anda estressada com a falta de cortesia de Bella e com o noivado de sua Andrômeda. 

A Rosier se tornara reservada a medida que elas cresceram, observando em silêncio a preferência de Bellatrix pelas conversas puristas de Órion e Cygnus, e como Narcissa segurava qualquer emoção atrás de uma fachada. Andrômeda continuava sendo sua garota rebelde, confusa como ela mesma era quando saira da França para se casar com Órion, a bebê que a salvou dos braços da morte. Druella faz tranças nos curtos cabelos de Andie na última noite que a moça passa na casa da família.

Porém, mais uma vez, Druella é preterida pelo que tinha certeza que a filha também desprezava: um rapazola nascido-trouxa por quem sua filha, seu antes precioso bem, está deixando a casa com apenas as roupas do corpo. Ela ruge, desolada por sua menina trair a família, e a condena. Mantem o rosto gélido, determinada a apagar a garota de sua vida.

O laço delas é mais do que sanguíneo, existe magia entre as duas. Quando Andrômeda, pouco menos de um ano após sair de casa, dá a luz a Nymphadora, Druella tem que se segurar na mesa de mogno, a mão embranquecida, diante da excruciante dor de uma última contração entre as duas. 

 



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Uma Casa de Estrelas" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.