2 Homens 1 Bala escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 4
Capítulo 4


Notas iniciais do capítulo

Sinto muito por ter demorado a postar esta fic, mas ela flopou. Além disso, estava escrevendo o meu livro, e piorou agora no mês de outubro que estou num desafio que quase tirou o meu tempo. Prometo que terminarei já no capítulo 5.

Boa Leitura.



O velho empresário sorriu de maneira hipócrita e em desdém. Conseguiu finalmente capturar o homem que o ameaçava.

— E você, meu rapaz. Quem você pensa que é pra me peitar assim? Achou mesmo que iria vencer, não é? Mas agora acabou.

Ted olhou para o velho e sorriu. Um segurança socou o seu rosto mais de uma vez.

— Não pense que acabou.

— Hahahaha. Esse cara é engraçado, não? Está com o pé quase dentro da cova e não baixa a crista. Max, você tem escolha peculiar para fazer amigo. Levem o cretino ao aterro.

Os seguranças seguraram Franklin e o levaram para um carro preto até um tipo de aterro de lixo.

...

Laura ficou sozinha com os dois policiais corruptos. Segundo Max, ambos poderiam fazer qualquer coisa com ela, inclusive abusá-la sexualmente. Tudo se encaminhava para acontecer o abuso em questão, mas os Red Necks apareceram e abateram os policiais corruptos.

— Primo. Graças a Deus vocês chegaram. Preciso sair agora.

— O que você vai fazer? Que envelope é esse?

— Quero que vá para Chicago ainda hoje e entregue ao procurador geral da cidade.

— Que que que que como? Não me peça para falar com os canas, prima? Não posso fazer isso.

— Cara, ele é procurador. Só entregue isto a ele.

— Pra quando?

— Pra ontem.

Laura pegou as chaves do carro, a arma com uma bala de Ted e saiu imediatamente. Lembrou da conversa que tivera com o policial na noite anterior em que falara sobre uma mansão de veraneio no campo.

— Que mansão?

— Sabe aquele empresário que estou acusando junto com o meu ex-amigo? Pois bem, se algo acontecer comigo, vá para este endereço.

Ela sabia que teria de sair e salvar Ted imediatamente antes que ele seja morto pelos bandidos e policiais corruptos.

Vinte minutos depois, ela chegou na estrada perto da propriedade do velho Victor. Viu um carro com vidro escuro sair.

Ted foi espancado pelos seguranças durante todo o trajeto para o aterro. Seu rosto estava com alguns hematomas e um filete de sangue saía do canto esquerdo da sua boca. 

— Tem cigarro,chefe? Antes de morrer eu quero dar uma tragada.

— Você é um grande filho da mãe, Franklin. Vai morrer sem nada. Fica quieto!

Quilômetros na estrada, o carro entrou num canteiro cheio de areia e lixo. Havia um buraco com uns vinte metros de profundidade onde se jogava sacos de lixo industrial.

— Vamos, sai — disse o segurança apontando uma pistola.

Ted saiu praticamente arrastado pelos homens. Pediram para ele andar até a beirada do buraco.

— Vamos lá. Pula!

O carro que Laura dirigia apareceu no horizonte a toda a velocidade. Os dois seguranças se viraram e começaram atirar, mas a médica não parou e atropelou ambos.

— Demorou.

— Estava me maquiando. Vamos.

— Espera.

Os seguranças se levantaram e começaram uma luta corporal contra Franklin. Em pouco tempo, porém, foram vencidos e rendidos pelo famoso policial. Logo depois foram colocados no porta-malas do carro em que vieram.

— E esses caras? O que vai acontecer com eles?

— Deixe-os aí. Se tiverem sorte, alguma alma bondosa irá encontrá-los pela manhã.

Os dois entraram no carro de Laura e foram embora.

— Se não fosse pelo meu primo, estaríamos na pior situação possível. Não quero nem pensar no que poderia ter ocorrido.

— As fotos! Temos que voltar pra sua casa...

— Relaxa. O Calvin levou para o procurador de Chicago. Não esquenta, ele vai fazer o que eu pedi e o tal policial ex-amigo seu será preso em breve.

— Amanhã Strzok vai tentar fechar um acordo milionário coom um traficante colombiano, ex-Farc. Preciso que eles sejam capturados no ato.

— Vai ser divertido.

À noite, Calvin e os motoqueiros da Red Necks se reuniram no sítio e planejaram uma verdadeira invasão na mansão do poderoso empresário. O procurador do estado emitirá um mandado de prisão aquem estiver naquele momento solene.

— Eu quero frustrar aqueles dois. Quero que se impressionem do que sou capaz. Vocês podem me ajudar?

— Posso ajudar sim. O que você quer? — perguntou Calvin.

— Quando conversamos, você me disse que conhecia uma pessoa que trabalhava numa obra. Pois chegou o momento desse seu amigo me dar uma mãozinha, e eu vou pagar dois mil pelo empréstimo do que eu quero dele.

— Fechou.

...

Mansão de Victor Strzok

Os carros do traficante apareceram na residência por volta das nove horas da manhã do dia seguinte. Maximilian estava ao lado de Victor, aguardando o fim da transação e se responsabilizando pela segurança do empresário.

— Quanto você trouxe?

— Um carregamento de cem quilos de cocaína naquele furgão.

Victor chamou o traficante e seus comparsas para dentro da manhão. O negócio seria feito na sala principal da mansão.

Enquanto isso no portão da propriedade...

— O que você quer? — perguntou o segurança.

— Sou da prefeitura, senhor. Me chamaram para reparar uma possível deterioração do imóvel.

— Saia daqui. Não há nada para um sujeitinho como você vir fazer aqui.

— Tudo bem, colega. Eu só queria ser gentil — disse Calvin.

Minutos depois o chão começou a tremer.

— Que porra é aquela?

Algo enorme se aproximava cada vez mais do portão da casa. Os seguranças tentaram tirar, mas foi em vão.

Um estrondo fez com que Victor, Max, o traficante, e os capangas saíssem da mansão. Um trator enorme estava prestes a levar a casa abaixo.

— Façam algum coisa! Não deixem aquela coisa se aproximar de minha casa.

Max ficou surpreso.

Na noite anterior, Franklin pediu para que Calvin falasse com um amigo de uma obra para que alugasse um trator no dia que invadiria a mansão. Queria entrar com tudo, arrebentando a boca do balão. dito e feito. Uma escavadeira enorme estava esmagando os veículos de luxo da propriedade.

— Maldito Franklin. Eu vou te pegar — disse Max tentando se aproximar do trator.

Entretanto, não era só aquela escavadeira que estava prestes a fazer estragos. Duas picapes monster entraram logo em seguida.

— Tenho que sair daqui. Preciso fugir!

Victor ficou acuado pela primeira vez na vida. Tentou correr para os fundos da mansão para tentar pegar o seu helicóptero.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "2 Homens 1 Bala" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.