2 Homens 1 Bala escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 3
Capítulo 3




Laura se viu encurralada com a amiga quando viu o detetive bem na sua frente. A sua sorte foi que um policial fardado passava bem na hora.

— Guarda! Esse homem está armado.

Rapidamente o policial sacou a pistola e apontou para o homem. As duas aproveitaram para correr ao máximo.

— Largue a arma ou eu atiro!

— Olha o meu distintivo...

Enquanto isso, Laura e Freya pegaram o elevador antes que o segundo detetive pudesse subir.

— Em que você se meteu, amiga?

— Não posso te responder. Por enquanto não. Tenho apenas que sair daqui.

Os detetives se explicaram para o policial e alertaram que a médica estava sendo procurada por cúmplice de um assassinato. Um alerta foi emitido e agora era ela quem estava sendo procurada.

O elevador abriu, ambas saíram, mas viram dois policiais fardados no subsolo que servia de estacionamento. Laura negou continuar a ir por ali, mas Freya a encorajou a sair pelos fundos do prédio.

— Aqueles caras enganaram a polícia. Eles são bandidos.

— E por que não fala a verdade?

— Eles me matam.

Na área de carga e descarga, as duas conseguiram se esquivar e foram para o subsolo.

— Parece que tem uma viatura do lado de fora. Talvez eles conheçam seu carro. Tome, pegue o meu.

— Valeu, amiga. Não sei como agradecer.

A doutora saiu do hospital com segurança. Voltou para o sítio, mas viu algumas motos paradas na entrada. Correu imediatamente. Viu seis caras caídos no chão e um outro imobilizado.

— Primo Calvin. O que faz aqui?

— Esse ladrão entrou em casa, tentei expulsá-lo, mas conseguiu acabar com todos. Parece que o cara é durão.

— Tudo bem, Frank, largue-o. Primo, esse é Ted Franklin, um amigo.

— Avisei para esses caras, mas preferiram o jeito difícil.

— Tudo bem, encontrei os curativos. Posso dar um jeito no seu ombro.

Calvin e os Red Necks faziam parte de uma gangue de motoqueiros que causavam uma baderna na cidade pequena. Calvin morava no sítio na ausência da prima. Laura Jane conseguiu colocar remédio e enfaixar o ombro do policial.

— Que história é essa de colocar um policial aqui em casa?

— Ele não é um policial qualquer. Outros policiais estão tentando matá-lo.

— Ótimo, agora somos nós os ferrados. E se os canas vierem aqui, não me responsabilizo se meus homens revidarem.

Os motoqueiros da gangue Red Necks logo fizeram amizade com o detetive. Ted ensinou alguns movimentos de luta quando estava na academia.

...

Mônaco

Dentro de um luxuosíssimo iate, o poderoso empresário russo-americano Victor Strzok brindava a sua conquista. Com muito sucesso conseguiu revender muitos opiáceos no mercado negro e assim faturou quase cinquenta milhões de dólares. Um negócio lucrativo que estava sendo ameaçado. Então o velho careca e de um grande bigode branco ligou para os seus informantes nos Estados Unidos.

— Hum, já vai, querido?

— Tenho que voltar para o meu país, puta. Deixei dez mil naquela gaveta de sempre.

Sua maior preocupação era que o tenente Maximilian tivesse falhado em matar o seu ex-colega.

 

E passaram-se alguns dias. Theodor poderia entregar as fotos para um amigo promotor de justiça, mas resolveu esperar um pouco mais.

Enquanto isso, Max castigava seus dois capangas.

— Pra que vocês servem? O meu chefe está voltando aí e nada de resultados. Pois eu pessoalmente vou atrás do Ted.

Os dois tentaram convencer o tenente a voltarem para a caçada. Com um pouco de esforço conseguiram.

Detetives particulares contratados por Max descobriram que a amiga de Jane havia emprestado o seu carro. Foi rastreado e assim o ardiloso Max conseguiu o endereço de onde os dois estavam.

...

Quatro dias se passaram desde que Laura e Ted se conheceram. Ela preparou um almoço bem reforçado tanto para ela quanto para ele. Retirou o frango do forno e preparou uma salada. Eles comeram.

— Quando vai entregar o teu ex-colega?

— Amanhã mesmo. Não tenho o porquê ficar adiando.

De repente uma granada de fumaça foi atirada para dentro da casa pela janela de vidro. Theodor pulou para cima de Laura e a protegeu, puxando-a para longe da cortina de fumaça. Logo uma sequência de tiros dados por metralhadora causou um grande estrago na parte da frente da casa.

Maximilian observava seus capangas atirarem com tudo. Acendou um cigarro e ficou fumando enquanto via a destruição.

— Entrem, mas não o matem. Tenho que fazer isso eu mesmo.

Os bandidos assim fizeram. Uns quatro entraram carregando armas como metralhadoras. O policial, porém, conseguiu abater três com tiros de pistola e se agarrou com o quarto. Ambos caíram pelos degraus até a sala. Laura se protegia na parte superior da casa.

— Melhor parar com isso, Frank, ou eu atiro na cabeça dela — disse Max apontando para Laura.

— Você!

— Pensou que ficaria esses dois meses fugindo de mim? Hã?

— Enquanto eu não te matar, não descansarei. Matou a Gina, por isso nunca vou perdoá-lo.

— Ah, Ted, por favor. Muda esse disco! Gina nem era lá essas coisas. A doutorazinha aqui é muito mais bonita.

Um dos capangas apareceu para falar com Max. Segundo ele, o chefe havia mandado uma mensagem para levar Ted Franklin até ele.

— Olha que sorte. Vai conhecer pessoalmente o meu chefe antes de morrer. Algeme-o?

— E essa garota?

— Façam o que quiserem com ela. O que quiserem. Vamos, Ted. Victor nos espera.

Max ficou sentado ao lado do ex-colega com uma arma apontada para ele enquanto um capanga dirigia. Ambos tiveram uma breve conversa sobre a fatídica noite em que Gina morreu.

O local do encontro era uma casa no campo, três horas de viagem do sítio. A casa de veraneio do poderoso empresário era quase toda feita de vidro e branca. O portão abriu, revelando uma área externa com um gramado verde, uma estátua de anjo que expelia água e alguns carros luxuosos. Assim que chegaram, os seguranças particulares retiraram Ted.

— Se eu fosse você nunca teria me metido com ele.

A porta principal se abriu, revelando a figura de Victor Strzok. O velho havia acabado de chegar nos EUA e foi direto se encontrar com Ted.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "2 Homens 1 Bala" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.