Tourner dans la Vie [Concluído] escrita por Ursula Lieselotte


Capítulo 6
Carta 5: Da Amorte à Mr.Universo




Mr.Universo

Sinto muito lhe trazer está notícia, agora sei bem como tu se sentes, ocupo todos os campos deste planeta para deixar ela fora dos meus pensamentos. Assim como o senhor ocupa todos os espaços deste universo.

Eu sei. é que este é o meu modo de esconder que sinto a falta dela. Estar aqui sozinho, onde existe apenas o Tempo, é aquela sensação de que o frio do mundo existe mesmo que esteja dentro de um vulcão - agora inativo - Ocupo todos os segundos do dia e da noite porque tomado sou pela solidão - minha única companheira agora - sou totalmente sozinho, não há como negar, sinto falta da vida.

Pode não parecer, mas aceitei a ausência dela, e nada disso que disse foi o suficiente porque eu mesmo não estou sabendo como aceitar isto de fato. Mas sempre soube, algo em mim gritava - além do senhor - de que eu deveria manter distância, mas o peso que carregava eu não era capaz de dividir com ninguém, só com ela. Mas agora ao menos ninguém tem o poder de roubar de mim a mim mesmo. O tempo, não muda nada. Só faz confundir realidade e passado num borrão sem cor. Sinto tanta falta da Vida. Relembro-me de quando tomei coragem para finalmente beija-la, apenas para provar a ela que eu tinha um coração e se ela ousasse falar e valsar comigo uma última vez, dizendo a mim que eu não tenho este músculo que pulsa sangue eu lhe diria brincando: Eu tenho coração. Tenho um coração vazio de ódio ou amor. Porque no instante que ele transbordou-se do amor-ódio que sinto por ti, eu perderia você. Mas isso só se faria possível se imortal a Vida fosse...

As luzes do mundo, agora desligadas, sendo tarde demais para dançar ou valsar um passo ou dois para trás.

Dos portões deste salão que é o mundo, o único barulho que se ouve é a tranca após termos finalizado o nosso beijo e dança.

O mundo se contorce em dor, onde só o tempo é capaz de registrar a perda e assimilar que a única canção restante é a da quietude.

E agora me pergunto: Como vim parar neste mundo estranho onde sentimento é uma coisa que se deve evitar, esconder e negar? Foi tudo graças a você, mas se eu tivesse te eu nunca teria voltado a ser Amor, mas eu nunca teria perdido a vida.

A vida por um instante esteve em meu braço e a única coisa que eu queria era um pouquinho de carinho, será que foi muito difícil?
Talvez se eu voltar no tempo... Só talvez...
Sim é isso que há de ser feito.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Tourner dans la Vie [Concluído]" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.