O Colecionador escrita por Kaline Bogard


Capítulo 7
Mas você até que é normal


Notas iniciais do capítulo

Agora apresento a vocês: o monstro lago ness...

hehe



Enquanto seguiam até o lago, Naruto aproveitou para falar um pouco mais sobre a rotina do lugar.

Kiba ouviu por educação. Seus planos eram de sair o quanto antes dali. Mas parou de repetir isso, porque não queria insistir em algo que para si era mais do que óbvio. Era coisa do destino que viesse ali libertar aqueles prisioneiros!

Perdeu-se em devaneios sobre se tornar um herói e ser recebido de volta em Konoha com glórias, abraçar a família e retomar os planos interrompidos.

Desse modo chegou ao lago sem sequer perceber direito.

O sol quase desaparecera no horizonte, a noite vinha abraçá-los deixando claro que aquele seria o último encontro, antes que estivesse escuro demais para qualquer coisa.

— Acho que ela não está por aqui — Naruto falou abaixando-se na beira do lago — INO!

Gritou a plenos pulmões.

Hinata abaixou-se também, apenas Kiba continuou de pé observando em segurança. Não que tivesse medo ou algo assim, mas aprendeu que prudência também era características dos mais fortes e sábios.

Shikamaru tinha ficado para trás. Ele não mostrou interesse em encontrar o monstro do lago, preferia continuar na paz e sossego daquela árvore até que estivesse na hora de ir para casa dormir.

— Será que ela foi embora? — Kiba perguntou.

— Não pode ser, Kiba-kun. Ela está tão presa nesse mundo quanto a gente.

Claro! Ela era um monstro! Isso o alíviou um pouco mais, fazendo com que se aproximasse da margem do lago.

Esperaram alguns segundos, em silêncio expectante, até que a água se ondulou e uma garota emergiu, respingando água para todo lado. Dessa vez Kiba não se assustou, já estava preparado.

— Boa noite, perdedores — a tal Ino cumprimentou sorrindo. Tinha olhos verdes intensos e longos cabelos loiros que caiam por seu torso, única cobertura dos seios bem torneados. Água escorria pelos fios, pelo rosto… era uma imagem sensual.

Kiba nunca tinha visto uma garota sem blusa antes. Sentiu o rosto entrar em combustão. Foi incapaz de responder ao cumprimento.

— Boa noite, Ino!

— Ah, Hinata! Boa noite!

— Yo! — Naruto se meteu — Vim te apresentar o Kiba. Ele chegou hoje de manhã!

A garota lançou um longo olhar na direção do recém-chegado e o analisou com interesse sem tentar disfarçar. Ao final, torceu o nariz com desagrado.

— Outro moleque! Não acredito nisso.

A frase depreciativa irritou Kiba.

— Espero que o monstro do lago te engula, isso sim! Ia te avisar pra ter cuidado…

— Monstro do lago…? — Ino indagou.

— Você estava falando a sério sobre o “monstro”? — Naruto coçou o queixo — Pensei que era um jeito de se referir a Ino.

— OE! Idiota — Ino respondeu irritada — Eu notei você aqui mais cedo, mas não consegui ver direito. Eu estava vindo para a superfície e você saiu correndo, meio borrado de medo!

Kiba entreabriu os lábios. Ele todo era a imagem da indignação.

— Eu não estava com medo! Me afastei um pouco pra pensar uma estratégia, só isso!

A afirmação não convenceu nenhum dos outros três. Talvez não tenha convencido nem o próprio Kiba.  Okay, talvez lá no fundo ele tivesse sentido um tiquinho de medo, o que não era muito honroso para quem tem planos de ser Hokage. Por outro lado, era um sentimento nato que ajudava na sobrevivência e…

— Não fique assim, Kiba — Hinata não gostava de ver as pessoas pressionadas — Você acabou de chegar em um lugar estranho, tem que se precaver mesmo.

A afirmação gentil trouxe um sorriso tão grande ao rosto do garoto, que divertiu os demais.

— Isso! Eu estava sendo precavido — afirmou cheio de si, mesmo que tivesse um pouco de dúvida sobre o que “precavido” significava.

— Então você é nosso novo coleguinha… — Ino falou mais suave, nadando até a beira do lago, onde cruzou os dois braços sobre a grama fofa.

— Por pouco tempo…

— Ele vai obrigar o Colecionador a mostrar a saída — Naruto explicou depressa, trocando um olhar significativo com as duas garotas. Assim como Kiba repetia sua intenção à exaustão, sabiam que era impossível conseguir tal intento. Todos ali tinham tentado muito. Ou melhor, quase todos.

— Okay — Ino soou desinteressada — E que tipo de bicho mestiço você é? Sinto cheiro de cachorro…

— Não sou cachorro! — por fim Kiba também se aproximou do lago, sentando-se junto a Naruto e Hinata, numa espécie de semicírculo que deixava a garota de longos cabelos loiros no centro das atenções — Sou meio humano e meio shifter. E você?

— Shifter?! — ela bateu os dentinhos algumas vezes, exibindo uma fileira afiada e pontiaguda como de tubarões — Uma vez jantei um shifter golfinho. Era uma delicia! Você é golfinho também?

— Não! Sou um shifter lobo… — explicou mais do que depressa, tentando desvendar que Ino falava a sério ou estava sendo irônica e debochando dele.

A expressão que a garota fez não ajudou a esclarecer.

— Eca. Os pelos grudam na língua e incomodam muito. E você não parece muito saboroso… talvez em alguns anos — a provocação ficou clara, ela estava apenas brincando com o garoto. Porém Kiba arrepiou-se.

— Ei, pra sua informação eu sou uma delícia. Daria um banquete e tanto, mas é claro que isso nunca vai acontecer.

— Vou confiar na sua palavra — Ino sorriu, impressionada com a autoestima do novato.

— E você é mestiça com o quê? — Kiba teve um estalo. Ainda não sabia que tipo de criatura era aquela mulher.

Como resposta, a água do lago se agitou e uma espécie de cauda emergiu. Era uma parte anatômica exuberante, recoberta de escamas verde escuro perfeitamente enfileiradas. Espirrou água em todo mundo.

— Sou metade humana, metade sereia.

— Sereia! — o queixo de Kiba caiu — Uma sereia de verdade! Sempre pensei que estivessem extintas! — então virou-se para Naruto, feliz como se tivesse ganhado o presente de natal antecipado — Ela é uma sereia!

Naruto respondeu com um sorrisão maior.

— Pois é, cuidado pra não cair no encanto da sereia.

O alerta fez Kiba olhar com mais atenção para Ino.

— Você hipnotiza as pessoas pra comer elas? É cantando? Sua cauda vira perna pra sair do mar? Eu assisti um filme da Disney que era assim. Pensei que sereias fossem belíssimas, mas você até que é normal.

A empolgação do garoto divertiu os demais. Ino também estava achando engraçado, até a última frase. A conclusão de Kiba varreu-lhe o bom humor.

— Falou o rei da beleza. Cara de cachorro.

— Desculpa, não quis ofender — ele deu de ombros — Você não respondeu minhas perguntas!

Ino suspirou tentando ter um pouco de paciência.

— Minha cauda não vira pernas, não sei o que é “Disney”, posso usar minha canção para te fazer dormir, mas não para hipnotizar. Herdei mais da parte sobrenatural do que da humana, mas tenho sangue mortal correndo nas veias. Sereias não estão extintas, mas são raras. E mestiças como eu são mais raras ainda.

— Que foda — Kiba disse com simplicidade. Não podia negar que conheceu criaturas esplêndidas ali. Ser um shifter parecia lugar comum perto dos demais.

— Eu já ouvi a Ino cantar, do jeito normal. Foi lindo e eu não dormi — Hinata revelou.

— Sim, ter sangue humano me ajuda a controlar certos poderes que minha mãe nunca conseguiu.

— Então você não sai daí dessa lagoa? Mas ela não é pequena? Pensei que sereias vivessem no mar… — a curiosidade de Kiba parecia infinita.

— Eu vivia no mar, até o Colecionador me trazer pra cá. Sereias são adaptáveis, seja na água doce ou salgada, a gente vive bem. E esse lago está preso no paradoxo espacial. Parece um lago pequeno, mas ele é bem grande, tem todo um sistema vivo aqui dentro. Não é desagradável, apesar de não ser a liberdade real.

— Não se preocupe. Eu vou fazer o Colecionador libertar todo mundo! Dou minha palavra!

Kiba afirmou com toda a certeza que poderia ter. Ino apenas sorriu, assim como Hinata, ambas tocadas pela esperança contida naquelas palavras. Naruto acertou um soquinho no ombro do garoto.

— E eu vou ajudá-lo! Mas agora acho melhor a gente voltar. Já anoiteceu e eu to um bagaço. Amanhã a gente podia fazer um lual, o que acham?

— Parece ótimo, Naruto-kun.

— Boa ideia, cara de raposa.

— E daí você conhece o Sasuke. Só falta ele agora.

— Tudo bem — Kiba concordou, subitamente se dando conta de que estava exausto. A adrenalina das descobertas o manteve o dia todo e agora vinha cobrar seu preço. O corpo pediu um pouco de descanso.

Ele aceitaria, por hora, se recolher a casinha feita para ele, naquele lugar irreal.



Notas finais do capítulo

Pronto meu povo, mais um da "coleção" apresentado. Agora só falta mais um...

E esse um será polemico.

Kiba, bb, me perdooa. Eu te amo muito xD Mas amo mais te zoar...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Colecionador" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.