Paradiso escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 3
Capítulo 3: O ídolo virou troféu


Notas iniciais do capítulo

*Sede do governo de Maldivas. Residência oficial do presidente.



— Não sei do que estão falando. Estão loucos a ponto de me confundirem com um morto.

— Então o que um americano, de quase sessenta anos, morando isolado, com seguranças, faz aqui? Se não é uma pessoa importante, por que está fugindo? Encontramos isto no restaurante — disse Velma, mostrando o dardo.

— Vamos lá, rei do pop, abre logo o jogo — disse Daphne.

Pressionado pelos detetives paranormais, o cantor revelou ser mesmo o cantor que morrera há nove anos.

Salsicha e Scooby foram ajudados por Velma. A moça acordou os dois.

— Não precisam ter medo dele. Ele está vivo.

— E quem disse que estamos com medo, Velma? É claro que ele está vivinho da Silva.

Michael, sem poder esconder o rosto, decidiu dizer tudo.

— Tudo começou quando os escândalos de pedofilia começaram em meados dos anos 90. Acumulei milhões em dívidas, e muitos queriam um pedaço do meu patrimônio. Depois que fui absolvido, as ameaças aumentaram. Até mesmo disseram que machucariam a minha família se eu não pagasse.

— Peraí. Você era rico. Como se endividou? — perguntou Fred.

— Eu tinha um grave problema de compulsividade. Tudo que eu via, comprava. Uma escultura de um milhão de dólares já comprei. Acumulei mais de trezentos milhões de dólares somente em dívidas. E de 2000 pra cá eu tava em decadência. Assim, um homem me deu a chance de pagar todas as minhas dívidas. O homem trabalhava para o governo. Em 2005 aceitei a proposta e levamos quatro anos para concretizar. Em troca, eu virei um informante da CIA.

— E sua família? — perguntou Daphne.

— Recentemente eles decobriram, mas o governo impede que eu os veja.

— Co-com licença, senhor Jackson. Meu amigo Salsicha quer saber se o senhor tem vitiligo mesmo ou foi só hagá?

Todos arregalaram os olhos com a pergunta inusitada do Scooby. O cantor ficou assustado com o cachorro falante, mas logo se recompôs.

— O que você acha? — ele abriu o botão da camisa e mostrou o peito com manchas. — Meu vitiligo foi tão forte que mais de 70% do meu corpo ficou branco. Pra não virar um dálmata, eu tive que ficar branco de uma vez por todas. Quer saber do nariz também? Isso eu não conto.

Velma ajudou o segurança que estava desmaiado do lado de fora. O quinteto pediu desculpas e revelou serem caçadores de mistérios. Zadayah explicou que havia os chamado justamente para desvendar o mistério de ter visto o rei do pop nas ilhas Maldivas.

— Cheguei em Maldivas ano passado. Tenho que mudar de lugar ano após ano. É a minha sina até morrer.

— Apesar de viver em lugares paradisíacos, não acho que seja uma vida para você. Ficar longe dos familiares e ainda sim virar espião do governo. Até quando acha que seu segredo continuará seguro? — disse Daphne.

Uma bomba de fumaça foi atirada para dentro da casa. Uma figura flutuante, com uma máscara de demônio, apareceu na porta.

— YAHHHHHH!!! MONSTROOO! — tanto Salsicha quanto Scooby correram, quebrando a parede.

— Hihihihi. Achei o meu tesouro. — com um tipo de arma, lançou uma rede sobre Michael.

O gás lacrimogênio impediu que os outros ajudassem o cantor. O demônio saiu voando com Michael.

— O que é isso? Quem é você?

— Calado. Vou ganhar uma grana preta revelando a sua identidade.

O demônio agarrou o famoso por trás e saíram voando para fora da ilha.

— Quem era aquele? — indagou Fred, tentando abrir o olho lacrimejado.

— Era a pessoa que estava atrás do senhor Jackson no restaurante. Não sei como ele nos achou. — respondeu o segurança.

Salsicha e Scooby quebraram várias paredes até se esconderem num pequeno barco de pesca. Um velhinho tentou tirá-los de dentro.

— Não, senhor. Vamos pegar o beco daqui o quanto antes. Toma dinheiro — disse Salsicha, jogando dez dólares ao pescador.

Ambos empurraram a canoa para o mar e saíram remando. O grupo ficou na praia chamando pela dupla, mas chegaram tarde demais.

— Preciso voltar para casa. Está ficando tarde e meu pai deve estar me procurando — disse Zadayah.

Sem a presença da dupla atrapalhada, a equipe liderada por Fred voltou para Male'. Todos ficaram tristes por perderem Michael de vista.

Enquanto isso no meio do mar, Scooby e Salsicha aproveitaram para fazer um lanche rápido. Pegaram o pacote de biscoitos de chocolate e repartirem. Estavam exaustos por navegarem à noite e sem um rumo definido.

— Salsicha — cutucou Scooby ao amigo que dormia.

— Já é noite, meu filho. Estou cansado.

— Olha aquilo. Olha!

Scooby praticamente levantou a cabeça do colega. Salsicha viu uma ilha bem maior e com um aeroporto pequeno. Scooby apontou para uma pessoa voadora.

— O monstro, Scooby. O monstro.

— Salsicha, por que a gente não fala com os outros?

— Boa ideia, amigo.

Salsicha pegou o seu celular e ligou para Fred. A ligação estava ruim e o sinal caía constantemente.

— Quem é? — perguntou Velma.

— Parece ser o Salsicha, mas a ligação está tão ruim que não consegue completar.

— Tem como rastrear o celular dele? Talvez agora dê certo.

Salsicha aproveitou para mandar uma mensagem de texto avisando sobre o demônio. Como o sinal da internet era deplorável, passaram-se dez minutos para o loiro receber.

— Vamos, precisamos ir.

— Que foi? Que houve? — perguntou Daphne.

— Acharam o demônio que levou Michael.

Zadayah pediu para os detetives esperarem até que o seu pai chegasse.

— Nenhum barco turístico vai levá-los para o sul. Só o meu pai que tem barco pesqueiro pode fazer isso.

...

Aeroporto abandonado Mebebe

Michael estava amarrado numa cadeira, com um saco pano preto na cabeça. Uma pessoa retirou o objeto, revelando ser o demônio.

— Quem diabos é você?

— A questão é: por que diabos você engana o mundo?

Uma mulher apareceu diante do cantor. Este a olhou com surpresa.

— Beth? Isso seria um baita clichê se não fosse vida real. Sério que você decidiu me trair?

— Sim.

— Mas eu te vi sendo atingida lá no restaurante?

— Ah sim. Você me viu sendo sedada? Aquele dardo não tinha o sedativo que foi usado nos guardas. Infelizmente o Patrick foi mais forte e conseguiu te levar para aquela casa. Mas o meu amiguinho teve que voltar para o restaurante para que eu podesse explicar o local secreto para urgências. Bom, aqueles pirralhos atrapalharam um pouco, mas até que foram úteis ao meu amigo demônio.

— O que quer me sequestrando?

— Vamos voltar para os Estados Unidos e contar ao mundo que naquele caixão de bronze há apenas tijolos.

Continua...



Notas finais do capítulo

Foto por Ibrahim Asad

Um estudo feito por ONG's diz que o país de Maldivas juntamente com outras ilhas serão varridas do mapa por causa do aumento do nível do oceano. Isso será ainda neste século.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Paradiso" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.