O Mentor escrita por MaahHeim


Capítulo 1
Prólogo




 

Para mim, no mundo existem três tipos de pessoas: Os gênios, os esforçados e os estúpidos.

Os gênios são os que simplesmente já nascem com uma facilidade incrível para aprender qualquer tipo de coisa. Você lhes ensina quanto é 2 + 2 e repentinamente eles já sabem quanto é cinco mil dividido por oitenta e quatro, que, a propósito, é 59,5238095238095.

Os esforçados são antigos estúpidos, mas que se esforçam para chegar próximo ao nível de um gênio – sim, próximo, pois gênios não podem ser superados, eles são escolhidos para trazer a sabedoria ao mundo – e, às vezes, chegam perto disso.

Os estúpidos são pessoas que não sabem de nada. Não aprendem com facilidade, e mesmo sabendo disso, não se importam e preferem viver sem saber de nada. Continuamente usam a frase: “A ignorância é uma bênção”.

Obviamente, eu, Hyuuga Neji, nasci como gênio. Ainda que não esteja na família principal de meu clã, sou inteligente, rápido, forte: Sou o melhor.

Isso é uma ironia do destino, claro, já que quem se tornará a líder dos Hyuuga será Hinata, minha prima, que é uma esforçada com tendência a desistir e se tornar uma estúpida.

Ela consegue desmaiar por ver um garoto, apenas porque alguma parte também estúpida de seu cérebro diz que ela está apaixonada por ele.

O amor é outra coisa estúpida – ridiculamente estúpida. Mais que os próprios estúpidos.

Ironia do destino ou não, na mesma tarde em que refletia sobre o assunto, encostado na familiar árvore onde eu treinava com kunais, Hinata aproximou-se com sua expressão de esforçada inútil.

— Neji-niisan... – Murmurou. – Você poderia me fazer um favor?

Apenas a encarei, fitando-a morder seus lábios róseos em nervosismo. Tão ingênua. Se eu não fosse quem era, provavelmente estaria sendo seduzido naquele momento.

— Ahn... – Ela percebeu que eu não iria responder. – Você poderia... Me treinar?

Permiti-me piscar, estranhando ela me pedir aquilo. Hinata não costumava falar comigo. Parecia um cachorrinho assustado, fugindo do clã sempre que podia e mantendo-se o mais distante possível de mim.

— Poderia? – Ela repetiu, colocando centenas de fios negros que brotavam de sua cabeça – oh, esqueci de deixar meu vocabulário mais fácil de ser compreendido. Quis dizer cabelo — atrás de sua orelha.

Pensei por alguns milésimos de segundo. Era só dizer não. Dizer não e continuar com a rotina de sempre, sendo um gênio. Treinar, ir para uma missão, acabar com oponentes esforçados e/ou estúpidos, ir para o clã, dormir, fazer tudo de novo.

— Sim. – Respondi.

— Sério? – Ela sorriu, encostando as duas mãos como se estivesse prestes a bater palmas. – Obrigada, nii-san!

— Esteja aqui antes de o sol nascer.

Ela confirmou com a cabeça e virou-se, andando na direção que levava ao clã Hyuuga.

— Um gênio treinando uma esforçada... – Murmurei enquanto me levantava. – Talvez isso seja divertido. 



Notas finais do capítulo

Olá! Apesar de eu ter escrito essa fic em 2012 (Uau, faz tempo...), ela continua sendo uma das minhas favoritas. Por causa disso resolvi trazê-la para esta novíssima plataforma da qual estou utilizando. A história é contada em três partes, e este é o prólogo. Espero que gostem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Mentor" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.