Circus escrita por MaryDiAngelo, Semideusadorock


Capítulo 9
Ato VIII - Pó Vermelho


Notas iniciais do capítulo

Olar amorinhas e cerejinhas ♥
Saindo mais um capítulo fresquinho desse espetáculo!

Good Reagind ^-^



Em mais um espetáculo, lá estavam Bianca e Nico di Angelo, sentados tentando manter a farsa do transe enquanto Leo rodeava a morena, esbarrando em Nico algumas vezes e quase o derrubando do banco.

— Ela é tão cheirosa! — o lobisomem tinha os olhos brilhando e aproveitou do comentário para colocar o rosto na curva do pescoço da menina e puxar o ar de maneira generosa, com direito a barulho e suspiro depois. — Ela é perfeita!

— Você me assusta as vezes, Leo — Thalia comentou, bocejando cansada, estando sentada dois degraus acima tentando evitar ser acertada pelo melhor amigo.

— Ela me beijou ontem — o lobo comentou, batendo com o dedo indicador no nariz de Bianca, sorrindo animado. — Duas vezes.

— Eu sei, Leo, eu estava lá! — a morena revirou os olhos e viu Annabeth se sentar ao seu lado.

— Ele tá assim o dia inteiro, enquanto você alimentava os grifos e unicórnios ele estava enchendo o saco da Reyna falando sobre o beijo — Anne comentou, sendo sua vez de revirar os olhos — deu uma certa peninha! — comentou baixo para Thalia, afinal as duas sabiam do crush da kitsune no Valdez.

— Nós vamos nos casar um dia — ele anunciou animado — aí ela vai virar lobisomem igual a mim e teremos três ninhadas — declarou o futuro de sua família ali mesmo.

— Não tem espaço para três ninhadas, Leo! — Thalia repreendeu — Imagina se cada um de seus irmãos decide ter três ninhadas de filhotes, sendo que a cada ninhada nasce de vinte a trinta lobisomens? Não tem espaço!

— Mas e nosso sonho de família feliz? Por que eu podia ter três ninhadas com você e não posso com ela? — o Valdez não gostou de ser repreendido.

— Leo, eu não sou lobisomem, três ninhadas não iam me fazer parir noventa lobos por minha vagina — a Djinn contrapôs — quando concordei em três ninhadas, foram três bebês, não NOVENTA!

— Falando em lobos, hoje é dia de procurar pulga... — Leo comentou, sabendo que eles teriam que levar todos os seus irmãos para o banheiro, afinal eles não sabiam cuidar deles mesmos sozinhos.

E pontuando a frase, uma vampira passou pelas cortinas, mas não o pano não teve tempo de tocar ao chão fechando completamente antes de uma onda de lobinhos surgir, enquanto Hefesto gritava para os Trolls bloqueassem a saída.

Bianca e Nico contavam fácil 400 lobos correndo de um lado para o outro de modo desesperado, a maioria querendo rolar na lama depois de um belo banho, mas um em específico iluminou os olhos castanhos ao ver seu irmão e, desajeitado, começou a subir a arquibancada.

— Ajuda seu irmão, ele vai cair! — Thalia bateu no braço de Leo que arregalou os olhos quando o pequeno pulou e caiu no vão, sumindo de vista. — LEONIDAS!

O Valdez correu, pegando o irmão pelas patinhas traseiras, o fazendo se contorcer para tentar se arrumar. O lobinho tinha os pelos brancos sujos de lama e o focinho era de um castanho puxado para o ruivo.

Ele pulou do colo de Leo, incomodado, voltando a subir a arquibancada e parando no colo de Bianca, já que o cheiro de seu irmão estava empreguinado ali, tombando a cabecinha de lado ao notar que não era o seu irmão.

— Ué? Tu pula do meu colo e depois vai me procurar, seu doido! — Leo questionou para o filhote de dois aninhos.

Lobisomens nasciam como lobos e só se transformavam em humanos quando atingiam em médias dois anos e meio e três, até hoje a ninhada mais velha, tirando a de Leo, não tinha assumido a forma humana.

O lobinho colocou as patinhas nos ombros de Bia, lambendo o rosto da garota, que teve que se forçar a não virar o rosto e impedir que fosse babada na boca. E, de repente, seu nariz foi mordido.

— SOLTA! — Leo gritou desesperado, segurando o irmão e apertando a lateral de sua boca para que soltasse o nariz da humana.

O lobinho, assim que soltou a contragosto, espirrou.

E virou um bebê.

— IH! Tu é fêmea! — o Valdez se assustou vendo a bebê de cabeça para baixo.

O lobisomem mais velho a segurava apenas pela perna esquerda, ela tinha os cabelos cacheados ruivos soltos e os olhos castanhos arregalados, ela olhava a sua mão assustada e começou a balança-la como que para elas saírem de si, o rosto, principalmente perto do nariz era repleto de sardas ruivas e a pele era com certeza a mais branca da família.

O choro escapou de seus lábios o que a assustou mais ainda quando notou que não era uma ganido como deveria ser. E Leo, que entrou em desespero, soltou o bebê em puro reflexo, que foi segurado no último minuto por Thalia. A pequena loba se encolheu, virando um lobinho novamente e, quando estava no chão, saiu correndo chorando pedindo colo da mãe.

— É, e ainda quer ter três ninhadas — a Grace negou em reprovação, vendo que o melhor amigo tinha os braços encolhidos com o susto.

— Leo... — Annabeth chamou a atenção para si, o tom calmo, mas os olhos cinzas mostrando que tinha acontecido algo muito ruim. — Sua irmã...lobisomem...acabou de morder uma humana.

Todos olharam para a marquinha vermelha no nariz de Bianca, arregalando os olhos.

— Fudeu, fudeu, fudeu! — ele levou as mãos para os cabelos, começando a andar de um lado para o outro no degrau que gemeu abaixo de seus pés em protesto de tanto movimento.

Um lobo do tamanho de um touro com a pelagem ruiva apareceu na cortina, uivando alto e forte, tão intenso que até Leo recebeu o efeito do poder, se transformando ali mesmo e nocauteando algumas pessoas da plateia. Os lobinhos fujões começaram a entrar para a cortina os rabinhos entre as pernas, um por um em filinha indiana. Demorou um tempo considerável.

— Filha! — uma mulher loira apareceu de detrás da cortina, o corpo esbelto vestia roupas simples, nada comparado a de um circo.

Thalia levantou o olhar, se apressando em se levantar e pular do degrau que estava mesmo, parando em pé a frente de sua mãe, Beryl Grace, que passou a mão nos cabelos da menina sorrindo simpática.

— Tire o Leo daqui, isso pode feri-lo — pediu calma, vendo a menina assentir e assobiar para o ex namorado, tirando uma bolinha do bolso da saia e balançando no ar.

O lobo alaranjado pulou e foi correndo atrás da Thalia cortina adentro. E com isso, Beryl jogou um pó vermelho e, em uma simples palavra, Nico e Bianca foram puxados para a ilusão.



Notas finais do capítulo

YAY! Chegamos ao final de mais um capítulo! :3
O que vocês acharam? O que querem que aconteça? Alguma teoria? Nós gostamos de ouvir teorias!

Grupo no facebook da Semideusadorock: https://www.facebook.com/groups/semideusadorockfanfic/?ref=bookmarks

Até o próximo o/
Beijos de Escuridão ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Circus" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.