Dark Traces escrita por karollabele


Capítulo 7
Entrevista Familiar




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Matt olhava para Lisa decepcionado. Lisa olhou para Donavan e depois para Matt sem saber o que dizer ou fazer. Donavan sorriu.

— O que foi, Matt? Nao queria que ela descobrisse a verdade? Nao queria que ela descobrisse que voce é um assassino?

Os olhos de Matt se arregalaram.

— Cala a boca! - Exaltou ele

— Mas é verdade, nao é? Ela morreu por sua culpa. Voce nunca foi profissional, Matt. Nunca agiu como um policial deve ser. Voce se envolve com essas agentes femininas que cismam em virar policial e depois reclama que nós te chamamos de assassino. 

— Agora já chega! Eu vou calar a sua boca!

Matt avançou para cima de Donavan o deferindo um soco. Donavan o empurrou e os dois começaram a brigar. Enquanto os gritos inúteis de Lisa tentavam apartar a briga sem sucesso. Algumas pessoas do bar pararam para ver a cena. Lisa pegou a arma e apontou para o chão e atirou. Os dois pararam na mesma hora.

— Está maluca?! Quer atirar na gente? - Perguntou Donavan

— Eu só quero para essa briga.

— Nao foi culpa minha. Ele que começou. - Donavan se justificou, em pé, limpando a roupa

Matt balançou a cabeça e virou para sair do local.

— Matt, espere. Eu vou com voce.

— Eu nao quero falar com voce agora.

Matt olhou para ela com um olhar raivoso e depois saiu. Lisa abaixou a cabeça. Chyntia que tinha chegado no local, olhou para a direção onde Matt tinha ido e depois para Lisa.

Lisa tentou seguir Matt que já estava perto do carro. Chyntia a impediu.

— Espere. Nao faça isso.

— Por que nao?! Eu preciso falar com ele!

— Confie em mim. Quando Matt está assim, de um tempo para ele esfriar a cabeça. Conversar com ele agora nao irá resultar em nada. Por que ao invés disso, voce nao me conta o que aconteceu?

— O Donavan queria contar o segredo do Matt, eu nao queria.. E ai.. Ele veio atrás de mim e contou assim mesmo e o Matt ouviu. - Disse Lisa com a mão na cabeça

— Donavan, ele nunca foi confiável.

— Eu sei..

Lisa olhou para baixo enquanto Chyntia a observava.

— Não foi culpa sua.

— Como é? - Lisa piscou, olhando para ela

— Eu observei vocês dois. Eu vi que Donavan estava pressionando voce, e pelo visto voce evitou. Donavan é o tipo de cara que faz o jogo sujo. Eu vim atrás de vocês para tentar impedir seja lá o que ele estava armando, mas pelo visto eu cheguei tarde demais.

— Obrigada Chyntia..

— Eu recomendo que voce volte para a delegacia agora.

— Obrigada Chyntia, voce é muito legal.

Chyntia sorriu para ela e colocou uma mão no ombro dela.

— Voce também é muito legal.

Lisa sorriu também e correu para o departamento de homicídios.

Nao demorou muito até que Lisa chegasse no departamento de homicídios, ela viu os policiais conversando, nada demais. Ela caminhou para falar com um deles até que viu na parede um cartaz para um concurso de melhor policial. Lisa pegou o papel da parede e o amassou. Depois abriu o envelope e viu que ele só tinha papeis em branco. Lisa atirou a bola amassada na lixeira.

— Aquele Donavan, ele me paga.

Ela olhou furiosamente para o lado.

Na manha seguinte, Lisa estava atordoada com tudo o que tinha acontecido. Matt nao queria falar com ela e ela nao queria ser insistente. Ela ouviu um barulho de buzina no lado de fora da casa. Ele nao quis nem entrar? Lisa suspirou e pegou o café no copo descartável e saiu da casa.

Ela entrou no carro e olhou para Matt que estava olhando para frente.

— Bom dia, Matt.

Ele nao respondeu.

— Vamos para a casa de Becky hoje?

Silencio mortal. Lisa começou a ficar irritada. O jeito de Matt estava insuportável. Ela olhou para ele e disparou:

— Voce pode até nao gostar de mim, mas trabalhamos juntos e temos um caso para resolver. Então pode ficar calado se quiser, eu nao ligo. Apenas dirija até a casa de Becky e faça seu trabalho direito.

Matt piscou, olhando para ela incrédulo. Lisa se encostou no banco e nao disse mais nada. Apenas olhando para frente.

Nao demorou muito até que eles chegassem a casa de Becky, um prédio antigo e marrom. Matt saiu do carro e passou a mão no cabelo olhando para a estrutura do prédio. Um vento balançou os cabelos dele. Lisa saiu do carro e foi direto para o portão de Becky. Ela bateu a porta até uma mulher mais velha e um homem atenderem a porta.

— Olá. Departamento de homicídios. Sou a agente Lisa Parker. Quero falar sobre o assassinato da Becky.

— Oh, agentes nós esperávamos vocês. Queiram entrar.

Lisa e Matt entraram na casa. Havia moveis antigos, a mobilha era de maioria marrom, com um tapete largo vermelho decorado na sala. Lisa e Matt se sentaram diante a mulher e o homem.

— Eu sinto muito pelo assassinato da sua filha, por isso eu preciso da sua ajuda para que possamos pegar o assassino.

— Eu nao sei como ajudar..

— Me diga, Becky tinha algum inimigo? Alguém que poderia querer fazer mal a ela? 

— Não! Nunca! Becky sempre foi muito receptiva e amigável. Nao há motivos para alguém querer fazer mal a nossa Becky.

— Como era o relacionamento dela com os colegas de trabalho?

— Era bom, eu acho.. Becky era meio introspectiva.

Matt se levantou do sofá e começou a olhar os moveis da casa, analisando todos os detalhes.

— Entendo, e como era a carga horaria dela?

— Bom, ela ia para a biblioteca por volta das 9 da manha e saia por volta das 20 horas mais ou menos. Becky era muito comprometida com o que fazia. Sinceramente agente, nao vejo motivo para alguém querer fazer mal a Becky, esse crime nao tem nenhuma explicação!

— Como era o relacionamento com os familiares?

— Nosso lar nunca teve problema algum! A policia nao consegue fazer seu trabalho e acha que isso é por causa do lar?! - Perguntou o homem, irritado

— São só perguntas padrão, senhores.  Havia algum lugar que sua filha frequentava?

— Nossa filha nao era de sair.. Ela gostava de ficar em casa, lendo um livro ou algo assim..

— Acho que isso é tudo. Obrigada senhores.

Lisa se levantou e Matt a seguiu. 

— Uma garota que adora festas e super popular, junto com uma mulher introspectiva que nao saia de casa.. Becky era o oposto de Mayra.. Qual a ligação aqui? - Perguntou Matt

— Ah, agora voce quer falar comigo? - Perguntou Lisa acusatoriamente, olhando para Matt

— Ue, estou só fazendo meu trabalho. - Ele deu de ombros

— Não! Voce está sendo idiota sem motivos! Seja lá o que aconteceu no seu passado, nao pode me culpar por isso!

— Lisa..

Lisa se virou e saiu do local. Matt ficou olhando para onde ela tinha ido.

Um tempo depois, Donavan estava caminhando na rua, ele sentiu alguém o empurrando. Ele se assustou. Lisa apontou a arma para ele.

— O que é isso, Parker?! Ficou maluca?!

— Que ideia idiota foi aquela de armar para mim e para o Matt?!

— Ah, aquilo.. Entao voce descobriu?

— Eu abri o envelope que voce me deu. Só tinha papeis brancos. Voce provavelmente achou o rastreador da policia para me achar então decidi usar o mesmo truque com voce e aqui estamos.

— Ao menos o que eu contei era verdade. Nao está feliz por ter descoberto quem seu parceiro realmente é? 

— Isso devia ser escolha do Matt! Nao sua!!

— Sabe o que eu acho, Parker? Voce está caidinha pelo Matt. E é por causa disso que voce perder.

— O que? 

— Isso. - Donavan conseguiu imobilizar a arma dela

Donavan a empurrou. Lisa caiu em sacos de lixo que estavam no local. Ele fechou o punho pronto para socar Lisa, até que Matt veio pela lateral e segurou.

— Voce está louco, Donavan?! O que é isso aqui?!

— Ah, quem tinha que aparecer..  Então voce recebeu minha mensagem onde a Lisa diz que queria saber tudo sobre voce e veio aqui ver se ela está pegando mais alguma informação?

— O que?! Eu nunca mandei mensagem alguma. 

— Não importa. Voce já perdeu Matt.

— Eu sei porque ele fez tudo isso. Ele está concorrendo para ser o melhor policial eleito. - Disse Lisa se levantando

— Parece que quem perdeu foi voce. - Matt sorriu para ele

— Isso ainda nao acabou! Voce é um merda assassino Matt, e essa garota nao vai durar muito.

— Ah, a proposito..

Matt se aproximou de Donavan e deu um soco na cara dele. Donavan colocou a mão no rosto.

— O que é isso?!

— Isso foi pelo o que fez com Lisa. Agora pode correr para o Clarker se voce quiser, cagão.

Matt pegou a arma de Lisa e entregou para ela. Os dois começaram a caminhar enquanto Donan os observava.

Matt parou um pouco e olhou para Lisa que olhou para ele.

— Voce está bem?

— Eu estou, Matt. Nao precisa se preocupar.

— Que bom. Fico feliz.

— Matt.. Por que voce ficou daquele jeito? Por que nao quis me contar?

— Eu fiquei com medo do que iria pensar sobre mim depois de tudo.

Os rostos dos dois estavam próximos enquanto eles se encaravam.

 

 

 

 

 

 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dark Traces" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.