Dark Traces escrita por karollabele


Capítulo 39
A Prisão




Matt nao podia acreditar no que ele via diante dos seus olhos. Seu próprio irmão que ele pensou estar morto estava ali bem na sua frente e o pior: ele era o assassino. O corpo de Matt ficou branco e ele ficou sem ar. Aquilo não podia ser verdade, nao podia. Matt se afastou, tentando inutilmente respirar. Lisa nao entendeu a sua apreensão e olhou para ele.

— Matt? O que foi? Voce o conhece?

— Conheço. Ele é meu irmão.  - Disse Matt, seco

Lisa arregalou os olhos enquanto Matt olhava atordoado para o seu irmao que estava desmaiado.

Um tempo depois, Andrew estava amarrado em uma cadeira por cordas. Ele abriu os olhos e viu Matt e Lisa olhando para ele. O rosto de Matt era de pura decepção. Andrew mostrou uma expressão confusa.

— Matt..? O que?

— Andrew.. Como voce pode?!

Matt tentou partir para cima do irmão, mas foi impedido por Lisa. Nao havia mais nenhuma reação para ele que nao fosse revolta ao ver seu irmão virar um bandido. Andrew tentou se mexer e viu que estava preso. Ele olhou para as cordas que estavam  no corpo e depois voltou a olhar para Matt.

— Me prender assim nao é ilegal?

— Não me venha dizendo o que é ilegal! Voce nao tem direito nenhum de falar isso! - Exaltou Matt

— Matt.. Meu irmãozinho..

— Nunca mais me chame assim, voce é um monstro, Andrew. 

— Então voce sabe?

Matt apertou os olhos ao ouvir aquilo. Era a pior coisa que ele poderia ouvir de seu irmão. Era a confirmação de que ele realmente estava ali, e que ele realmente fez o que havia feito. Aquilo era um pesadelo, devia ser um pesadelo, mas estava se mostrando real. Matt abriu os olhos e olhou para ele.

— Eu sei de tudo, Andrew. Eu sei o que voce fez com aquelas vitimas.. O que deu em voce? Como voce se tornou.. O que se tornou?

— Ninguém começa mal, Matt.. As vezes tentamos seguir a estrada certa, mas algumas coisas acontecem no meio do caminho.

— Nada justifica! - Exaltou Matt

— Talvez nao. Mas voce sempre foi novo para entender. Voce nao pode entender pelo o que eu passei.

— E dai voce começou a matar mulheres?!

— Eu fiz o que eu tinha que fazer. - Disse Andrew, em um tom seco

— Eu nao consigo nem falar com voce..

Matt passou a mão na boca e se afastou. Lisa se aproximou dele.

— Voce sabe que tem o direito de permanecer calado porque tudo poderá e será usado contra voce no tribunal, nao é? - Perguntou Lisa seria

— Olá bonitinha. - Andrew sorriu

— O senhor entendeu?

— Entendi. Eu sei disso tudo. Eu já fui um policial antes. Na verdade, eu trabalhava na area de aviação militar. 

— E depois se tornou um serial killer! Um monstro! Voce nao pensa na mamãe?! Como pode fazer uma coisa dessas com a nossa familia?!

— Talvez eu a mate também. - Andrew sorriu sarcástico 

— Eu vou te pegar! Eu vou te matar!!!

Matt sacou sua arma e partiu para cima de Andrew, mas foi impedido por Donavan que tinha chegado no local rapidamente. Matt tentou se soltar, inutilmente.

— Me deixa ir, Donavan! Estou falando serio!

— Não vou deixar voce fazer nenhuma bobagem. Lisa, leve ele para fora. Eu assumo daqui.

Lisa levou Matt para fora da casa. Matt respirava profundamente. Ele olhou para Lisa que o olhava preocupada. Ele sentiu os olhos se encherem de lagrimas e começou a chorar colocando as mãos no rosto. O mundo de Matt estava desabando bem ali. Lisa correu até ele e o abraçou. Matt retribuiu.

— Eu sinto muito, Matt.. Eu sinto tanto..

— Eu nao.. Eu nao acredito que isso esteja acontecendo comigo..

— Voce nao merece nada disso, Matt. Mas voce nao tem culpa pelas decisões que seu irmão tomou..

— Nós eramos tão unidos quando crianças.. Como eu fui deixar isso acontecer? Como ele se tornou tão diferente de mim? Ele era um homem bom antes! Eu tinha tanto orgulho dele, eu o via como um verdadeiro herói.. Tudo o que eu fiz, cada decisão que eu tomei foi em prol do nosso objetivo juntos.. Meu irmao havia morrido em um acidente aéreo.. Esse homem que se apresentou na minha frente.. Eu nao reconheço..

— Matt..

— Eu.. Nao vou suportar Lisa..

— Voce vai. Eu vou estar aqui com voce.

— Obrigado. Eu nao sei o que eu faria sem voce.

Lisa olhou nos olhos de Matt que a olhavam tristemente. Donavan abriu a porta e olhou para eles.

— Os ânimos estao calmos ai?

— Acho que está tudo sob controle.

— Ótimo. Nós temos que leva-lo para o departamento, ele será preso e interrogado.

— Isso é um pesadelo.. Nao está acontecendo.. - Lamentou Matt, olhando para cima

— Coragem. Aguenta firme, Matt. - Encorajou Donavan

— Acho dificil, mas vou usar toda a força que eu tenho.

Matt entrou na casa e algemou seu próprio irmao, Andrew, que o olhava com curiosidade.

— Então voce virou policial do departamento de homicídios? Estou orgulhoso de voce.

— Cale a boca. Nunca mais me dirija a palavra na vida.

— Nao seja dramático, Matt.

— Dramático? Por que nao conversamos sobre os crimes que voce cometeu? As vidas que voce tirou? Mas tudo bem, conversará sobre isso no departamento, atrás das grades.

— Que tocante. - Disse Andrew sarcástico

— Cale a boca, eu já disse. Agora vamos. Voce já causou problemas demais. Mas ao menos nos livramos de voce.

— Será que se livraram mesmo? - Perguntou Andrew debochado

Matt pegou Andrew pelo braço e o levou com violência até o carro. Lisa e Donavan se entreolharam tristemente e depois seguiram Matt.

Não demorou muito até a noticia do serial killer ter sido capturado se espalhar. Mas o pior eram as manchetes dos jornais com títulos como "O herói e o irmão bandido", "Irmão serial killer" que Matt tinha que ler. Mas o pior de tudo mesmo era saber que a pessoa que ele mais admirou no mundo havia o decepcionado tanto e havia causado aquele mal para tanta gente. 

Clarker deu uma coletiva de imprensa para acalmar os ânimos da população que estava exaltada. Matt sentia vergonha a todo momento por ter o seu nome vinculado ao serial killer. Para ele aquilo nao era verdade, ele nao tinha mais noção do que era verdade ou nao. Para ele sua vida inteira tinha sido uma mentira, mas ele fortemente pegou seu irmão e o levou até a cela o prendendo. Matt o olhou friamente nos olhos e saiu do local.

Donavan e Lisa acompanhavam a coletiva de imprensa, mas Donavan balançava a perna inquieto. Lisa percebeu isso  e olhou para ele.

— O que foi, Donavan?

— É que.. Voce vai achar bobagem.

— Fala logo.

— Eu sinto que tem algo estranho nisso..

— Nao acho bobagem. Eu sinto que isso ainda nao acabou.

Donavan olhou para ela. Lisa olhava para o palanque seriamente.

 

 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dark Traces" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.