Dark Traces escrita por karollabele


Capítulo 3
Entrevistas




 

 

 

 

Já era manha do outro dia e Lisa pegou uma garrafa de whisky e encheu o copo. Ela virou o copo todo e colocou o copo de volta no balcão. Ela apoiou as mãos sobre o balcão marrom escuro e sacudiu a cabeça. Como ela poderia ter feito aquilo? E logo com Matt? O que tinha de errado com ela?

Lisa estava se sentindo envergonhada. Matt provavelmente nao iria querer olhar na cara dela, ela havia estragado tudo. Droga, ela pensou. Se ela pudesse voltar ao tempo ela nunca teria tentado beijar Matt naquele bar. Ele devia estar odiando ela. Por mais que Lisa tentasse pensar em outra coisa, seus pensamentos sempre a levavam nisso.

A porta se abriu e Lisa se surpreendeu. Ela se surpreendeu mais ao ver Matt olhando para ela. Ele sorriu amigavelmente. Ela poderia estar tendo algum tipo de alucinação devido ao álcool?

— Que isso, Parker, está cedo para beber. - Brincou ele, fazendo careta de desaprovação

— Matt..? Mas como..? Como voce descobriu onde eu morava?

— Eu sou um ótimo detetive. Vamos, voce nao pode chegar atrasada, ou Clarker vai ter um ataque.

— Certo.. Deixa eu só pegar meu casaco.

— Está ali em cima da cadeira, Parker. - Ele apontou para o casaco cinza

— Obrigada Matt. Matt.. Eu sinto muito.

— Que isso, Parker. Eu fiquei muito preocupado com voce ontem. Voce estava bêbada, nao é nada demais. Releva isso.

— Obrigada por ter sido tão compreensivo.

— Parceiros são pra isso.

Lisa olhou nos olhos castanhos de Matt. Matt olhou para os olhos verdes brilhantes de Lisa.

— Vamos. Temos que começar com as entrevistas. Clarker está esperando por nós no departamento.

— Certo. Vamos lá.

Lisa vestiu o casaco. Matt abriu a porta para ela. Lisa e ele saíram da casa e foram em direção ao departamento.

Nao demorou muito até eles estacionarem o carro no estacionamento do departamento de homicídios. Matt olhou para ela.

— A proposito, para onde voce foi ontem a noite? Eu fui atrás de voce, mas nao a encontrei lá.

— Eu peguei um taxi que por coincidência estava por perto do bar. Voce foi atrás de mim? Por que? - Perguntou Lisa surpresa

— Porque eu fiquei preocupado com voce, Parker. Nao faça isso de novo.

Matt saiu do carro e Lisa sacudiu a cabeça saindo também.

Eles entraram no departamento de delegacia e Clarker olhou furiosamente para os dois.

— Até que enfim vocês chegaram! Estão pensando o que?!

— Estamos aqui agora. - Matt sorriu

— É, nós sabemos o que esses dois estavam fazendo. - Provocou um policial

— Depois da ultima, eu acho uma surpresa o Matt ter uma parceira mulher. - Disse outro

— Cale a boca vocês! - Exaltou Matt nervoso

Lisa olhou para os policiais rindo da cara de Matt. Ela sentiu seu rosto corar pelos comentários. Mas uma coisa ela pensou: Que outra era essa que eles estavam falando? Matt tinha ficado nervoso e nao era dele ficar nervoso. Alguma coisa tinha o incomodado. Lisa olhou para baixo pensativa.

— Chega!! Nao é hora para isso! Voltem ao trabalho seus idiotas! - Exaltou Clarker

— Certo, chefe.

— E vocês dois? O que vão fazer?

— Vamos investigar os amigos da vitima, chefe.

— Então o que ainda estão fazendo aqui? - Perguntou Clarker entre os dentes

— Estamos indo.

Matt se virou e saiu do departamento. Lisa o seguiu, mas de uma olhada rápida para os policiais que tinham provocado Matt. Ela descobriria aquele misterio? Matt estaria disposto a falar sobre isso com ela?

Nao demorou muito até chegarem na casa de Andy, uma das lideres de torcida e amiga de Mayra. Andy estava sentada no sofá com uma caixinha de lenços. Ela pegou o lenço e limpava no canto dos olhos com o seu choro histérico. Andy usava rabo de cavalo e tinha cabelos marrons. Ela respirou fundo, ainda entre lagrimas. Lisa estava sentada de frente para ela e Matt em pé ao lado de Lisa.

— Por favor, Andy, se acalme. Tente se concentrar na pergunta: Quando foi a ultima vez que viu Mayra Simons?

— Eu nao consigo nem me lembrar! Isso tudo que aconteceu foi tão triste! - Disse Andy chorando

— Voce quer que eu pegue um copo de agua para voce? - Perguntou Matt

— Voce é tão gentil policial. - Andy olhou Matt de cima a baixo

— Voce pode responder a pergunta, por favor? - Perguntou Lisa, um pouco irritada

 - Ah! Ah é mesmo! Mayra tinha saído da festa mais cedo!

— E a senhorita sabe pra onde ela foi?

— Acho que ela tinha me dito que ia estudar. Sabe como é.. Mayra estava estudando para ser nutricionista. Ela queria ajudar as garotas de torcida.. Nós vamos sentir muita falta dela. Ela que colocava as meninas na linha.. Apesar que eu acho que ela só foi embora mais cedo para evitar Chad.

— Chad? Por que ela iria querer visita-lo? - Lisa arqueou a sobrancelha com uma caneta na mão

— Ah, bom.. - Andy olhou para o lado

— Senhorita, qualquer informação é relevante para essa investigação. Nao nos esconda nada.

— Ah, está bem.. Mayra estava tendo um caso com Chad.

— Qual o problema? Eles são jovens, nao é?

— O problema é que Chad tem namorada. Uma das lideres de torcida. Ele estava traindo ela com Mayra.

Lisa ficou surpresa. Matt voltou com o copo de agua e entregou a Andy. Lisa já estava de pé.

— Nós terminamos por aqui. Muito obrigada.

Lisa saiu da casa e Matt a seguiu.

— O que foi?

— A vitima nao era tão boazinha assim. Ela estava traindo uma das amigas com Chad.

— Essa juventude está cada vez mais perdida.

Os dois entraram no carro. Matt arrancou com o carro desaparecendo da casa de Andy.

Um tempo depois, Matt estacionou o carro no estacionamento da universidade. Eles se dirigiram até o campo de treino dos atletas. Chad estava suando e desconsertado. Ele pegou uma garrafa de agua e bebeu ela inteira. Lisa se aproximou.

— Chad? Podemos falar com voce?

— Quem é?

— Somos a policia. Departamento de homicídios.

 - O que vocês querem? Nao veem que estou treinando? - Perguntou Chad áspero

— Voce sabe que uma amiga sua foi assassinada, nao sabe? - Continuou Lisa

— Nao era tão amiga assim. Agora me deixem em paz. Nao posso ajudar.

— É mesmo? Que curioso, afinal pelo o que sabemos vocês eram mais que amigos. Voce e Mayra estavam tendo um caso.- Matt sorriu para ele

Chad suspirou e olhou para os lados.

— Olhem, eu nao posso falar com vocês sobre isso aqui. Minha namorada.. Ela.. Ela nao pode saber disso. Foi o maior erro que eu já cometi na minha vida e eu me arrependo. Eu havia terminado tudo com a Mayra, ela nao ficou muito feliz.

— Por que ela nao ficou feliz? - Perguntou Matt

— Porque ela estava apaixonada por mim, obvio. 

— Muito bem, acho bom nos encontrar no bar da universidade depois do treino. Se nao quiser que sua namorada saiba.. Bem, voce sabe o que. - Matt sorriu ameaçadoramente para ele. Chad engoliu em seco

Matt e Lisa se afastaram. Lisa sussurrou para ele.

— Voce fez um bom trabalho. Estou impressionada.

— Sou incrível nao é?

Eles riram um pouco e se afastaram do local.

Uma hora depois, Matt e Lisa estavam sentados em uma mesa do bar da universidade tomando um copo de cerveja. Lisa riu um pouco enquanto Matt contava um dos seus casos. Eles ficaram sérios quando viram Chad se aproximando com sua mochila preta. Ele suspirou e sentou na mesa.

— Vejo que cumpriu o combinado. Muito bem. Agora nos conte tudo. - Pressionou Matt

— Minha namorada.. Eu nao a quero metida nisso..

— Por que nao quer sua namorada metida nisso?

— Porque ela é meia excêntrica.. Ela bem que poderia..

— Ela bem que poderia o que, Chad? Ter matado Mayra? - Perguntou Matt seriamente

— Nao! Longe disso..! Só se ela descobrisse.. Mas ela nao descobriu.. Eu acho..

— Como voce pode ter tanta certeza?

— Eu a conheço! Ta legal? Ela nunca faria uma coisa dessas. Fora que eu tinha dito a Mayra que tudo estava acabado entre nós.

— Sua namorada tem algum álibi? 

— Nao que eu saiba. Só que ela ficou em casa vendo um filme.. Sei lá..

— E o senhor, Chad? Tem um álibi?

— O que?! Agora eu sou suspeito?! - Exaltou ele

— Todos são suspeitos. - Matt sorriu

— Eu nao fiz nada, ta legal? Já disse tudo o que tinha para falar com vocês. E eu me encontrei com Mayra antes da festa nesse bar, é só perguntar para o barmen. E no dia do assassinato eu estava na festa. Qualquer coisa agora entrem em contato com meu advogado.

Chad se levantou e foi embora. Matt olhou para ela

— Acho melhor checarmos a historia dele para ver se bate. 

— É, voce tem razão. Matt.. Posso te perguntar uma coisa?

— O que?

— Por que os policiais ficaram te provocando daquele jeito hoje?

— Aquilo nao é nada, Parker. Vamos voltar ao trabalho. Vou falar com o barmen.

Matt se levantou e foi até o balcão. Lisa abaixou a cabeça pensativa. O que Matt estava escondendo? Ela olhou na direção de Matt por um momento enquanto ele falava com o barmen. Será que ela podia confiar nele? Lisa se levantou e saiu do bar caminhando até os dormitórios da faculdade.

Lisa entrou em um dormitório enquanto olhava pelo celular informações da namorada de Chad. Ela precisava checar essa historia, mas alguma coisa nela dizia que isso nao ia levar a lugar nenhum. Enquanto ela caminhava ela esbarrou em um homem alto de terno. Lisa cambaleou para trás e quando olhou para frente ela viu um homem alto, forte, de cabelos escuros e curtos, olhos negros usando óculos. Os papeis caíram das mãos dele. Lisa o ajudou a pegar os papeis.

— Me desculpe! Eu sinto muito.

— Nao há o que desculpar, senhorita. Eu que estava distraído. O que uma agente faz aqui? Está investigando?

— Como sabe que eu sou uma agente?

O homem apontou para o distintivo dela. Lisa corou.

— É mesmo. Me desculpe. Voce quem é?

— Me perdoe a estranheza. Sou Theodore Pitterson. Medico psiquiatra e professor de psiquiatria. - Ele sorriu e estendeu a mão para ela

— Oh, doutor Pitterson! Eu ouvi falar de vários livros que o senhor publicou. 

— Leu algum? Haha, é brincadeira. Eu lamento muito o episodio da estudante Mayra.. Toda a universidade está em luto pelo o que aconteceu. Se tiver algo que eu puder fazer para ajudar..

— Nao.. Mas o senhor pode me dizer como era a relação dela com a namorada de Chad?

— Bom, eu creio que normal. Elas eram amigas e lideres de torcida, nao é? Mayra sempre foi uma garota que gostava estar no centro das atenções, nao importando como fosse.. - Disse Theodore, ajeitando os óculos 

— Incluindo roubar o namorado da amiga.. 

— Ei, Parker! Por onde voce estava? Vamos, temos que ir.

— Claro. Foi um prazer, doutor.

— É Theodore. - Ele sorriu

— Theodore. - Ela sorriu também

Matt olhou para os dois e se virou de costas saindo do local. Lisa o seguiu. Theodore a observou.

Horas depois, já noite, em um quarto escuro, em uma cama metálica, uma mulher estava presa em amarras metálicas na cama. Ela gritava e gritava, seu corpo estava cheio de hematomas. Ela olhava assustada para o local, que havia vários equipamentos cirúrgicos e um tronco com algemas e amarras. O coraçao da mulher batia acelerado.

— Por favor! Alguém! Quem está ai?! Me ajude!

Um homem se aproximou dela, o rosto tampado pela escuridão do local. Ele segurava uma agulha na mão. A mulher ao ver a agulha começou a gritar e implorar para que a pessoa parasse, mas a pessoa nao parecia se importar. O homem segurou o braço dela ela com força, enquanto a mulher tentava se debater. Ele injetou a agulha no pescoço dela. A mulher desmaiou.

 

 

 

 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dark Traces" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.