Dark Traces escrita por karollabele


Capítulo 29
Festa De Aniversario




Matt se afastou assim que viu a cena. Por algum motivo, ele nao queria mais ficar ali. Ele nao comunicou a ninguém, apenas se afastou e aproximou de uma janela e ficou olhando a rua. Ele ouviu passos de alguém se aproximando por trás dele.

— Parabéns, Matt.

Ele olhou para trás e viu Donavan olhando para ele. Matt o olhou por um momento e depois virou de costas para ele.

— Me deixe sozinho.

— Eu acho dificil.

— Eu nao vou falar duas vezes, Donavan.

— Eu só quero saber. Por que voce fez isso?

— Fez o que? - Perguntou Matt, olhando para ele surpreso

— Lisa. Voce se afastou dela. Por que?

— Eu nao me afastei. Ainda somos parceiros.

— É, mas no entanto voce nem chamou sua parceira para te acompanhar. Ao inves disso preferiu chamar uma estranha. Qual o nome dela mesmo?

— Susan. E ela é nossa nova recepcionista.

— Tanto faz. Onde voce a conheceu?

— Aqui mesmo. Tinha que entregar um relatório para Clarker.

— Por que voce foge tanto da Lisa? Do que tem medo?

— Voce nao sabe de nada.

— Sabe o que eu vejo? Um covarde.

Matt ficou surpreso, ele olhou para Donavan e depois abaixou a cabeça.

— Por que voce foge, Matt? Voce gosta dela, nao é?

— É claro que eu gosto. Ela é minha parceira de trabalho.

— Ah, qual é, eu nao falo desse jeito. Eu estou falando que voce realmente gosta dela.

— Voce nao sabe o que diz.

— Então por que nao me diz? Por que nao a chamou para o baile hoje?

— Depois do que fizemos.. Eu achei melhor nao.. Eu nao quero que aconteça o mesmo que aconteceu com a minha ultima parceira..

Donavan olhou para ele e depois balançou a cabeça.

— Eu torno a dizer: voce é um covarde. Mas aproveite a festa, agora Lisa está com o doutor engomadinho. Ele ganhou essa.

Donavan se virou de costas e saiu do local. Matt abaixou a cabeça, pensativo.

Enquanto isso, Lisa se afastou do rosto de Theodore e olhou para ele que a observava.

— Eu nao devia ter feito isso..

— Por que nao?

— Nao sei, nao sei se é certo..

— O que há de errado, Lisa? Voce nao fez nada de errado. Voce é uma mulher livre, e eu nao trabalho aqui se essa é sua preocupação.

Lisa olhou para o lado. Por um lado ela sabia que ele tinha razão, ela nao devia satisfações a ninguém, mas ela pensava em Matt.. Mesmo ela sabendo que ele tinha vindo com outra garota.. E que eles nao tinham nada, ela se sentia desconfortável. Theodore a observava e depois sorriu.

— Eu nao quero te forçar a nada, Lisa. Quero que voce se sinta a vontade. Mas saiba que eu gosto de voce.

— Acho que eu devo ir para casa.

— Quer que eu te leve?

— Não precisa. Eu vou sozinha.

— Como quiser.

Lisa se afastou dele e saiu do salão. Donavan observava Lisa de longe com um copo de champanhe na mão. Chyntia se aproximou dele. 

— O que voce acha disso? - Perguntou ela

— Me diga voce. - Disse ele, ainda olhando para porta

— É complicado. Eu vi que voce foi atrás de Matt.

— Está me seguindo? O que é isso? Antes era o Clarker e agora o seu interesse sou eu?

Chyntia revirou os olhos.

— Eu sou uma repórter, lembra? Meu trabalho é investigar. E eu sei porque voce foi atrás de Matt.

— Ah é mesmo?

— Só tenho a dizer que é dificil. Matt pode ser muito cabeça dura as vezes.

— As vezes parece que ele estragou tudo.

— Talvez nao. Vou falar com ele.

— Acho que nao vai adiantar. De qualquer modo, voce acertou em uma coisa: Matt é muito cabeça dura.

Donavan sorriu levemente para ela e se afastou. Chyntia olhou para o chão, pensativa.

Lisa chegou em casa e tirou os sapatos de salto de qualquer jeito os deixando pela sala perto da cadeira e se sentou. Ela colocou as mãos no rosto. O que ela tinha feito? E se alguém tivesse visto? E se Matt tivesse visto? O que ela iria dizer para ele? A relação deles já estava complicada desde que eles dormiram juntos, e agora mais isso. Lisa sentiu os olhos encherem de agua. Ela nao sabia o que tinha dado nela. Ela olhou para o chão.

Mas uma coisa Lisa nao podia negar, por um lado foi bom beijar o doutor Pitterson. Lisa balançou a cabeça e se encostou na cadeira.

Haviam se passado dias desde a festa no departamento e Lisa estava evitando Matt sempre que possível, ela mal tinha trocado duas palavras com ele durante toda semana, motivo que havia deixado Matt preocupado. Lisa chegava mais cedo, deixava os relatórios em cima da mesa de Matt e depois ia embora mais cedo. As vezes ela justificava sua ausência dizendo que estava trabalhando nos registros com Donavan. Mas, a verdade era que era dificil para Lisa encarar.. Era dificil para ela encarar Matt.

E também havia a nova recepcionista: Susan. Lisa sabia pouco sobre ela, só que ela era a garota loira que Matt tinha levado para a festa fazendo o coraçao de Lisa se partir. Eles pareciam muito íntimos juntos. Lisa também nao sabia como lidar com ela, e muito menos ver os dois juntos no escritório.

Ela estava se sentindo péssima, mas Donavan a acobertava todas as vezes. Nem mesmo Lisa entendia porque Donavan estava sendo legal com ela, mas ela se sentia grata por isso. Mas aquele nao era o momento para Lisa pensar sobre seu trabalho. Ela tinha outro pesadelo para enfrentar: Sua familia. Ela estava se forçando a ir em uma festa de aniversario onde a aniversariante nao estaria e ir em um lugar que ela nao era bem vinda. Lisa reuniu todas as suas forças para conseguir descer do carro aquela manha.

Tudo estava enfeitado. Havia mesas de madeira no gramado, balões pendurados em cordas finas, chapeuzinhos de aniversario, bolos, doces, e muita comida. Haviam algumas crianças ali com seus pais, mas nao sua irmã. Os vizinhos levavam seus filhos para a festa de sua familia porque certamente tinham pena deles, Lisa sabia disso. Quando Lisa andava pelo gramado, sua mãe ao vê-la sorriu.

— Lisa! - A mãe dela a abraçou

— Mãe. - Lisa retribuiu o abraço

— Eu estou tão feliz que voce veio!

— Eu nao perderia.

— Que bom que voce está aqui. Quer ver o que eu fiz para festa esse ano? Decorei o bolo de uma forma que sua irmã iria adorar.. 

— Claro, mãe..

Lisa se sentia desconfortável estando ali. A mãe dela se aproximou da mesa e depois voltou a olhar para ela.

— Soube que está em um caso importante. É verdade?

— É.. Ando tendo muito trabalho.

— Como está indo?

— Bem.. Eu acho..

— Pena que ela é tão imprestável que nao conseguiu até agora prender o culpado.

— Oi, pai. - Disse Lisa desconfortável

— Olá Lisa. Me diga, conseguiu avançar alguma coisa na sua investigaçao ou sua incompetência manteve as coisas ainda estagnadas? 

— Na verdade eu achei uma pista importante. Mas nao posso falar muito.

— Claro que voce nao pode falar muito. É porque voce nao achou nada. Voce nao conseguiu nem achar sua irmã quando ela se perdeu naquela floresta, como voce seria capaz de qualquer coisa? Sinceramente Lisa, ser policial nao é profissão para voce. Nao é para gente incompetente. Voce irá atrapalhar a corporação inteira.

— Querido, nao fale assim..

— Chega. - Disse Lisa, seria

Lisa se virou de costas. O pai dela a olhou.

— Mas é verdade, nao é? Se hoje nao há uma garota aqui para que realmente pudéssemos comemorar o aniversario. Devemos isso a voce. A culpa é sua.

Lisa fechou os olhos e sentiu as lagrimas vierem. Lisa apertou os punhos, mas nao disse nada, apenas se afastou. A mãe de Lisa se aproximou dela sutilmente.

— Querida, esqueci de te falar. Há um homem esperando por voce. Ele disse que voce o conhece. Ele está ali.

Lisa olhou para o lado e viu Matt ajudando encher os balões. Ele sorriu para ela com seus dentes brancos perfeitos. Lisa por alguma razão se sentiu aliviada em ve-lo. Lisa se aproximou dele.

— Matt? O que voce faz aqui?

— Voce está me evitando, lembra? Vim atrás de voce.

— Parece que nao funcionou muito bem. - Lisa riu levemente e se sentou no banco

 - Parece que não. Eu sei ser um cara insistente, Parker. - Matt se sentou ao lado dela

— Eu já te disse.. Ando ocupada..

— É, eu sei. Mas isso nao é totalmente verdade, nao é? Eu sei porque voce está me evitando.

— É mesmo? Por que?

— Thedore Pitterson. Eu vi voces dois juntos.

Lisa sentiu o rosto corar. Ela abaixou a cabeça.

— Olha, Matt..

— Eu quero dizer que está tudo bem.. Eu realmente nao me importo..

— Tem certeza? Então a garota da recepção..?

— Estamos saindo, mas mesmo que nao estivéssemos, eu nao tenho nada haver com sua vida, Parker. Eu nao gosto do Theodore, mas voce faz o que quiser. 

Lisa olhou para ele por um momento. Matt sorriu levemente para ela.

— Eu entendo..

— Mas há outra questão que eu gostaria de falar.. Voce quer que eu de um soco na cara do seu pai? - Perguntou Matt pegando na mão de Lisa

— O que?! Voce ficou maluco?

— Nao. Só acho inadmissível o que ele fez.

— Está tudo bem, Matt..

Lisa abaixou a cabeça. Matt a observou por um momento, abaixou a cabeça e depois voltou a olhar para ela.

— Quero te contar uma coisa.

— O que?

— Algo que eu nao contei a ninguém. O motivo por eu ter virado policial. Foi por causa do meu irmão. Eu tinha um irmão e assim como voce.. Bem, ele se machucou gravemente e depois.. Bem.. Eu sinto muita falta dele. O sonho dele era ser um policial, ele estava dando o melhor para isso. Eu escolhi essa profissão nao só por gostar, mas também é meu jeito de  realizar o sonho dele, de nós dois realizarmos o que queríamos quando garotos..

Lisa olhou para Matt surpresa. Matt olhou para baixo e depois voltou a olhar para ela.

— Eu sinto muito, Matt..

— Está tudo bem.. Mas eu quero que voce fique bem, ok? Nao deixe esse cara te dizer nada, voce é mais incrível que isso.

Matt afagou  o rosto de Lisa enquanto eles se olhavam. Matt se afastou.

— Eu tenho que ir.

— Ok. Obrigada por  ter vindo.

Matt sorriu e se afastou. Lisa ficou mais um pouco na festa até ir embora para a sua casa. Ela nao aguentava mais ficar ali. Quando ela chegou em casa havia um gravador na sua casa. Ela pegou o gravador e colocou para ouvir.

— Irmã.. Por favor.. Me ajude..

— Charlize!

Os olhos de Lisa se arregalaram de surpresa e depois se encheram de agua.

 

 

 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dark Traces" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.