O Garoto da Porta ao Lado escrita por G a b i


Capítulo 9
Com ciúmes do garoto da porta ao lado


Notas iniciais do capítulo

Chegay~~

Gente, só para frisar: isso aqui é uma ficção, universo alternativo. E eu não tenho absolutamente NADA contra o nosso Hobi sunshine. E pra ser sincera, foi muito difícil para mim escrever algumas partes desse capítulo. Vocês vão entender melhor do que eu estou falando conforme forem lendo.

Enfim, espero que gostem. Boa leitura!



"Então, hyung, eu... posso dormir com você hoje de novo?" 

"O que você acha?" 

  

O mais recente trabalho que Yoongi arranjara estava fazendo com que ele passasse cada vez menos tempo em seu apartamento; ou seja, Taehyung ficava praticamente o dia todo sozinho no apartamento 302, trabalhando na programação do jogo que estava desenvolvendo para uma empresa. 

Com Yoongi produzindo mais no estúdio da gravadora que o contratara — em parceria com Kim Namjoon —, o loiro não tinha mais tempo para cozinhar para si e Taehyung, e quando chegava em casa um pouco mais cedo, estava cansado demais ou simplesmente com preguiça para cozinhar. 

Sendo assim, os garotos passaram a comer quase todos os dias no restaurante em que Seokjin trabalhava. O mais velho fazia os pedidos em seu nome, usava o desconto para funcionários e depois Yoongi e Taehyung acertavam a conta com o amigo. Uma forma que encontraram de não irem à falência por terem de comer fora praticamente todos os dias. 

O que Yoongi não esperava para uma sexta-feira à noite — na qual estava mais cansado do que o normal —, era ter que aturar uma festa de ensino médio que estava acontecendo no restaurante. O barulho que aquelas crianças faziam era quase ensurdecedor; e Yoongi não sabia como um restaurante ainda podia aceitar reservas para comemorações daquele tipo. 

Mesmo que Jin — por um milagre divino — tivesse conseguido encontrar uma mesa em um canto um pouco mais afastado, Yoongi ainda conseguia ouvir toda a baderna que aquelas crianças faziam e isso o deixava ainda mais exausto. 

— Hyung! — Taehyung finalmente chegou, puxando uma cadeira e sentando-se de frente para o loiro. — Como foi seu dia hoje? Está cansado? Muita fome? Eu passei, dobrei e guardei todas as nossas roupas hoje antes de vir pra cá. — O mais novo sorriu. 

Yoongi devolveu o sorriso. Depois de tudo, era bom ver que  Taehyung se preocupava consigo. 

— Cansado, com fome e louco pra chegar em casa. — Suspirou. — E obrigado pelas roupas. Seu dia, como foi? 

— Normal. A não ser pelos meus olhos que estão ardendo. Muito tempo olhando para uma tela de computador, você sabe.  

Yoongi assentiu. 

— Você não veio a pé, veio? 

— Não, hyung, hoje eu peguei um ônibus. — Riu. 

— Acho bom, não quero ter que lidar com você doente só porque pegou frio por aí.  

— Não se preocupe, não vou ficar doente. O que vamos comer? — Questionou. 

— Pedi caldo de carne com batatas cozidas. Já devem estar trazendo. 

*** 

Quando a comida chegou, junto com ela também chegou um pedido de Jin. Um favor. 

— Ele é um dos meus melhores amigos. Já me deu muitos conselhos sobre meu relacionamento com o Namjoon e eu tinha prometido jantar com ele esta noite, mas... 

— Teve que fazer hora extra e agora não pode dar atenção a ele? — Yoongi tentou adivinhar. 

— Exato. — Jin suspirou, um pouco triste. 

— E o que a gente pode fazer pra te ajudar, hyung? — Taehyung perguntou. 

— Bom, ele já chegou e eu não quero ter que colocá-lo em uma mesa perto das crianças barulhentas do ensino médio. Será que... posso trazê-lo para sentar com vocês? 

— Por mim tudo bem. — Taehyung sorriu. — Como ele se chama? 

— Jung Hoseok. Mais velho que você, mais novo que o Yoongi. Ele é professor em uma academia de dança. 

— Só traz o garoto logo, hyung. — Yoongi murmurou enquanto sugava o caldo da sua sopa. 

*** 

Para Min Yoongi, o tal Jung Hoseok era tão — ou até mais — barulhento do que as crianças do ensino médio. E ele se arrependeu imensamente de ter aceitado o garoto em sua mesa. 

O tal Hoseok conseguia ser mais escandaloso do que Taehyung. Ria super alto, falava sem parar e bebia demais para alguém tão novo. Yoongi tinha certeza de que se Hoseok tomasse mais uma garrafa de soju, não conseguiria levantar da cadeira e andar com as próprias pernas. E pior do que isso, só Taehyung, que era só sorrisos para o tal professor de dança como se o conhecesse há anos. 

O Kim ria de todas as piadas que Hoseok contava e também parecia estar super envolvido nos assuntos sobre dança. Yoongi teve ainda mais certeza de que Taehyung era aquele tipo de pessoa que podia falar sobre qualquer assunto, com qualquer pessoa. Ele era a pessoa mais simpática e sociável do Universo. Yoongi detestou isso. Detestou que Taehyung tivesse se dado tão bem com Hoseok e detestou ainda mais estar tão de fora das interações porque simplesmente não sabia como interagir. 

Não aguentando mais ser ignorado e mexer no celular fingindo que estava tudo bem, o loiro levantou da mesa dizendo que iria ao banheiro.  

Taehyung e Hoseok apenas assentiram. 

Yoongi trombou com Jin — que segurava uma bandeja vazia — no meio do caminho. 

— Yah! Pra onde vai com tanta pressa? — Jin franziu o cenho, mas acabou rindo. 

— Pra casa. Te envio uma mensagem depois. — E assim Yoongi simplesmente saiu do restaurante, deixando um Seokjin completamente confuso. 

*** 

— Taehyung... — Hoseok riu — Eu acho que bebi mais do que deveria. — Soluçou. — 'Tá tudo meio que girando. 

O Kim arregalou os olhos, preocupado. O que ele faria agora? E por que já haviam se passado vinte minutos e Yoongi ainda não voltara do banheiro? 

Como se justamente para responder às suas perguntas, Jin apareceu segurando uma bandeja e equilibrando quatro taças de vinho em cima dela. 

— Tudo bem por aqui? — Questionou. 

— Cadê o Yoongi hyung? — Taehyung respondeu com outra pergunta. 

— Ele foi pra casa. Não me pergunte o motivo, porque eu também não sei. 

— Jin hyung... — Hoseok murmurou, levantando a cabeça da mesa. — 'Tá tudo girando e eu sinto que se for levantar, vou cair. 

Jin lançou um olhar preocupado para Taehyung. O mais novo queria chorar. 

— Tae, será que você pode me fazer mais um favor e colocar essa criatura bêbada em um táxi? 

*** 

Não era fácil andar pelas ruas à noite amparando um garoto bêbado. Muito menos andar pelas ruas amparando um garoto bêbado enquanto flocos de neve caiam sobre suas cabeças. Mas mesmo assim, Taehyung fez isso. Porque ele era a melhor pessoa do mundo, e porque Jung Hoseok simplesmente precisava de sua ajuda. 

Andaram quase três quadras até finalmente chegarem na praça que havia atrás do prédio no qual Taehyung e Yoongi moravam. Ali era o único lugar no qual Taehyung tinha certeza de que sempre havia um táxi a disposição naquele horário. 

— Finalmente. — O Kim desabafou, fumaça saindo de sua boca por causa do frio.  

— Frio... — Hoseok murmurou, ainda sendo amparado por Taehyung. 

O mais novo abriu a porta do táxi, fez uma breve reverência ao motorista e entregou a ele o mesmo papel com o endereço de Hoseok que Seokjin lhe entregara no restaurante. 

— O ahjussi vai levá-lo pra casa em segurança, Hobi hyung. — Taehyung informou. 

— Eu sinto muito, TaeTae. — Hoseok deu um sorriso fraco, logo depois abraçando o garoto. — E muito obrigado. 

Taehyung devolveu o abraço. Ele achou que o mais velho precisava disso naquele momento. 

*** 

Yoongi estava na sacada que ficava na parte de trás do apartamento. A mesma sacada que costumava dividir com Taehyung antes do apartamento ao lado pegar fogo. O Kim usava a sacada para observar as estrelas com seu telescópio, enquanto Yoongi apenas ficava ali para pegar um ar e fumar um cigarro. 

O loiro não esperava ver a cena que viu na praça àquela noite. 

Yoongi apertou os olhos para ter certeza de que estava vendo direito. 

Estava nevando, e Kim Taehyung estava abraçando um garoto. Estava abraçando Jung Hoseok, o colocando dentro de um táxi e acenando em despedida. 

Yoongi apagou o cigarro e voltou para dentro do apartamento, batendo a porta de trás com força. O loiro sentia algo estranho em seu peito; ao mesmo tempo que queria que Taehyung chegasse em casa logo e parasse de pegar frio, também estava irritado com o mais novo por saber que ele estava pegando frio porque estava em uma praça àquela hora da noite abraçando outro. 

*** 

Levou quase dez minutos para que Taehyung fizesse a volta no prédio, pegasse o elevador rumo ao terceiro andar, passasse pelo seu próprio apartamento e desse duas batidinhas na porta ao lado. 

Yoongi abriu a porta do apartamento para Taehyung entrar. 

— Aonde estava que demorou tanto? — Perguntou fingindo que já não sabia a resposta. Queria saber o que o mais novo diria. 

— Eu... fiquei esperando o restaurante fechar e fui até o ponto de ônibus com o Jin hyung. — Mentiu. Não queria que Yoongi soubesse que ele estava com Hoseok, com medo de que o loiro pensasse que ele se interessara pelo garoto. 

— Hm... — Yoongi murmurou, andando em direção a sua cama e deitando-se novamente. 

— E você, hyung? Por que foi embora sem nem me avisar e me deixou lá sozinho? — Questionou enquanto tirava as roupas e colocava seu pijama. 

Yoongi cobriu a cabeça com o edredom branco e macio. 

— Estava com dor de cabeça e cansado. — Mentiu também. Não podia deixar Taehyung saber que fora embora porque não aguentava mais o mais novo sendo só sorrisos para um garoto que acabara de conhecer. 

— Podia ter me avisado e eu viria para casa junto com você. — Taehyung deu um sorriso fraco, que Yoongi não percebeu porque estava com a cabeça coberta pelo edredom. 

— Apaga a luz quando acabar de se trocar. — Foi tudo o que o loiro disse. 

Taehyung suspirou e andou até a cama de Yoongi. Sentou na beirada do colchão e descobriu a cabeça do loiro delicadamente. 

— Me deixa dormir, Taehyung. — Yoongi protestou, emburrado. 

— Hyung, eu fiz algo de errado? 

— Não. 

— Tem certeza? 

— Tenho. Agora apaga a luz e me deixa dormir. 

Taehyung assentiu, ainda que não estivesse totalmente convencido de que estava tudo bem. Ele levantou da cama para ir apagar a luz, mas parou no meio do caminho. 

— Sabe, está nevando desde que saí do restaurante. Eu senti frio e meus pés ainda estão congelando... 

— Ninguém mandou demorar tanto pra voltar. — Yoongi retrucou, irritado. — Deveria saber que precisa ficar aquecido se não quiser ficar doente. 

Taehyung assentiu; sabia que Yoongi tinha razão. No entanto, não tivera outra escolha. Hoseok precisava mesmo de sua ajuda. 

— Então, hyung, eu... posso dormir com você hoje de novo? — Finalmente perguntou. 

— O que você acha? 

— Que sim? — Taehyung sorriu para Yoongi. 

— Achou errado. Muito errado. 

— Mas 'tá tão frio... — O mais novo choramingou. — E você mesmo disse que eu precisava me manter aquecido pra não ficar doente... 

— Pensasse nisso antes de ficar até tarde da noite abraçando um garoto que mal conhece numa praça, debaixo da neve. — Yoongi finalmente desabafou. — Quer ficar aquecido? Então por que não liga para aquele tal Hoseok e pede pra dormir na cama dele? 

Taehyung arregalou os olhos, a boca aberta. 

— Como você...? 

— Eu vi tudo da sacada, ok? E não sei por que você mentiu, mas quero deixar claro que eu odeio mentiras. 

Taehyung finalmente saiu do estado de choque em que se encontrava e riu. Ele simplesmente riu.  

— Agora eu entendi tudo. 

— Entendeu? Entendeu o quê? 

— Era ciúmes. O tempo todo foi ciúmes. Ainda é. Você 'tá com ciúmes de mim com o amigo do Jin hyung! — Taehyung saiu correndo, apagou a luz do apartamento e ligou o abajur. 

— Não seja ridículo, Taehyung. — Yoongi revirou os olhos. 

Taehyung voltou a rir e se jogou sobre a cama ao lado do mais velho. 

— Pensei que odiasse mentiras... Então por que está mentindo, hyung? — Chegou bem pertinho do loiro, cobrindo os dois com o edredom branco e macio. 

— Sai. Já disse que se você quer se aquecer, é pra ligar para o Hoseok e pedir pra dormir na cama dele. — Yoongi empurrou o mais novo para o lado, irritado. 

— Eu não quero dormir na cama dele. — Taehyung afirmou. 

— Ah, é? — Yoongi arqueou uma sobrancelha, em dúvida. — E por que não? 

— Porque é de você que eu gosto, hyung. E é com você, na sua cama, que eu quero dormir. — Taehyung sorriu e simplesmente abraçou Yoongi pela cintura, se agarrando a ele e fechando os olhos. 

O loiro não conseguiu formular qualquer frase; seu coração parecia que saltaria para fora de seu peito a qualquer instante depois do que Taehyung revelara. Yoongi não conseguiu afastá-lo. 

— Vamos esquentar um ao outro, hyung. 

Yoongi suspirou, derrotado, percebendo que não tinha como vencer Kim Taehyung, muito menos lutar contra o que sentia pelo garoto. 



Notas finais do capítulo

Oi, oi :)
Se você leu até aqui, desde já muito obrigada pelo seu interesse e pela sua paciência.
E, por favor, se notarem algum erro de digitação ou qualquer outro erro, eu gostaria muito que avisassem para que eu possa consertar.
Então, que tal deixar um comentário dizendo o que achou desse capítulo? Eu ficaria ainda mais agradecida!
Até logo õ/

Xoxo,
G a b i.
(15/04/2018)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Garoto da Porta ao Lado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.