O Garoto da Porta ao Lado escrita por G a b i


Capítulo 8
Dormindo com o garoto da porta ao lado


Notas iniciais do capítulo

Oi~
Esse é o oitavo capítulo da fanfic, o que significa que chegamos na metade da história. Algumas coisas começam a mudar a partir de agora.
Espero que gostem! Boa leitura.



"O que a gente faz agora?" 

"Você tem que chegar mais perto e passar o seu braço em volta da minha cintura." 

  

Yoongi saíra cedo pela manhã para ir até o estúdio de uma gravadora para qual ele e Namjoon estavam prestando alguns serviços; e por isso Taehyung passou o dia todo sozinho no apartamento 302, trabalhando na programação do novo jogo que estava desenvolvendo. 

Já era quase onze horas da noite quando o garoto sentiu seu estômago implorar por comida. Taehyung retirou os fones de ouvido e desligou o computador. Passara o dia todo trabalhando, estava exausto e agora nem rámen ele podia comer, já que Yoongi não estava ali para cozinhar, e Taehyung era péssimo na cozinha. Além do mais, o dono do apartamento 302, vulgo Min Yoongi, fizera Taehyung jurar nunca tentar cozinhar; não queria correr o risco de que seu apartamento também pegasse fogo. 

O Kim se jogou sobre o pequeno sofá, se espreguiçando e passando a mão por cima da barriga. E quando seu celular vibrou e o nome "Sweet Hyung" apareceu no visor, o garoto só faltou cair do sofá. 

A mensagem que Yoongi enviara dizia para que Taehyung fosse para o restaurante no qual Seokjin trabalhava, para que jantassem juntos. 

*** 

— Eu não acredito que você veio a pé nesse frio! — Yoongi repreendeu o mais novo. 

— O apartamento é perto, eu estou com fome e queria chegar rápido. Mas pensando bem, agora estou ainda mais cansado, já que vim correndo. — Taehyung riu baixo, escorando a cabeça no ombro de Yoongi. 

O loiro, por incrível que pareça, não protestou. Também estava cansado demais para isso. 

— Eu pedi sopa de galinha pra nós. Já deve estar chegando. — Yoongi avisou. — Namjoon foi ao banheiro e o expediente do Jin hyung está quase acabando. Eles falaram que têm algo pra nos contar. 

— Uhum. — Taehyung murmurou, se aconchegando ainda mais no ombro do loiro e fechando os olhos. 

Yoongi não conseguiu evitar sorrir, às vezes Taehyung parecia uma criancinha que precisava de cuidados. 

*** 

— Então, nós vimos vocês no cinema e resolvemos fazer igual. — Jin riu. 

— O quê? Vocês também estavam lá? — Taehyung arregalou os olhos, surpreso. 

Namjoon assentiu. 

— É... Sobre aquilo... — Yoongi começou. 

— Não precisa explicar. — Jin o interrompeu. 

— É. Nós já entendemos que vocês não querem falar sobre isso. Tudo bem. — Namjoon sorriu. 

— Mas então... O que é que os hyungs têm pra contar? — Taehyung questionou, curioso. 

Jin e Namjoon se entreolharam, sorrindo. 

— Você começa, hyung. 

Jin assentiu. 

— Depois da sessão de cinema naquele dia, eu... convidei o Namjoon pra ir comer rámen na minha casa e... 

— AI. MEU. DEUS! — Taehyung berrou. 

— Sem escândalos. — Yoongi o chutou por debaixo da mesa. — Tem mais gente no restaurante. 

Namjoon riu: 

— E eu aceitei comer o rámen e... 

— Agora estamos namorando. É isso. — Jin finalmente contou. 

— Ai. Meu. Deus. — Taehyung repetiu a frase, dessa vez mais baixo e olhando para Yoongi. — Essa é a melhor notícia na Terra! Parabéns, hyungs. Vocês são lindos! — Taehyung abriu o sorriso mais sincero. 

Yoongi revirou os olhos. 

— Pensei que já fossem casados faz tempo. — Ele deu um breve sorriso. — Parabéns. 

— Então... tudo bem? — Jin questionou. 

— Vocês não estão com nojo por... Vocês sabem, nós dois somos homens e... — Namjoon não terminou a frase. 

— Eu também gosto de homens. — Taehyung se pronunciou, fazendo Yoongi se engasgar com o refrigerante. — E gosto de mulheres, de idosos, de crianças, de animais, plantas. Qualquer ser vivo. O que importa é o amor. Tanto faz qual for o tipo. — Taehyung sorriu. 

Yoongi tossiu mais algumas vezes até se recompor de vez. 

Namjoon e Seokjin apenas riam da situação. 

— Mas e você, Yoongi? — Jin perguntou. — Tudo bem? Você não nos odeia ou algo assim, né?  

— Não seja ridículo, hyung. Claro que eu não odeio vocês. Pelo contrário, admiro vocês por terem assumido o namoro. 

Taehyung balançou a cabeça, concordando.  

— Então tudo certo. — Namjoon sorriu. 

— Obrigado, vocês dois. — Jin agradeceu. 

— Não há de quê, hyung. — Taehyung sorriu. 

— Então, eu vou lá fora pegar um ar. 'Tá muito quente aqui dentro e não tem um lugar onde eu possa fumar. Já volto. — Yoongi avisou. 

*** 

— Como eu já imaginava, você está gostando mesmo do Taehyung. 

Yoongi quase teve um ataque do coração quando ouviu a voz de Namjoon. O mais novo seguira o loiro para fora do restaurante a fim de poderem conversar a sós. 

Yoongi desistiu de acender o cigarro, o guardando no bolso junto com o isqueiro. 

— Você me assustou.  

— E você não negou a minha afirmação, hyung. — Namjoon riu. — Se gosta mesmo dele, não deveria ficar fingindo o contrário. Digo por experiência própria. Não demore tanto, hyung. 

— Eu... — Yoongi balançou a cabeça em negação. — É complicado. — Suspirou. 

— Não é. — Namjoon riu. — Taehyung gosta de você. Confirmei isso naquele dia no karaokê. Ele estava praticamente babando ao ver você fazendo rap, hyung. Era um olhar apaixonado, tenho certeza. 

— Ok. Eu realmente não quero falar sobre isso. Vamos entrar? Estou com frio. 

*** 

— E eu não sei o que aconteceu comigo, mas eu fiquei mais nervoso do que quando fiquei cara a cara como o Bogum hyung. Nossos rostos estavam tão perto... E eu senti muita vontade de acabar com aquele pepero logo, então eu apenas o segurei pelos ombros e... — Taehyung suspirou. — Eu acho que queria ter beijado o Yoongi hyung de verdade...? 

Jin sorriu docemente e segurou a mão de Taehyung por cima da mesa, apertando levemente em uma forma de demonstrar seu apoio. 

— Se gosta mesmo dele, deixe ele saber disso, TaeTae. Não fique escondendo os seus sentimentos, isso só será ruim para a relação de vocês dois. 

— Eu tenho medo que ele me odeie, hyung. — Taehyung confessou baixinho.  

Jin riu. 

— Ele não vai. Confie em mim, é impossível alguém odiar você, Taehyungie. 

*** 

— Então, estou indo pra casa. — Yoongi se pronunciou. — Tô cansado demais e louco pra me deitar e dormir. Você vem, Taehyung? 

— Sim, hyung. Vamos juntos. — O mais novo sorriu para Jin e Namjoon. — Boa noite, hyungs.  

— Boa noite. E peguem um ônibus, já está muito tarde e frio para voltarem a pé. — Jin aconselhou. 

Yoongi assentiu enquanto esperava Taehyung se levantar da cadeira em que estava sentado. 

Namjoon voltou a sentar-se ao lado de Seokjin. 

— Ainda vamos ficar mais um pouco e comer a sobremesa, certo? — Namjoon perguntou ao namorado, que concordou. — A gente paga toda a conta quando formos embora. A próxima é com vocês. — O garoto dos cabelos acinzentados informou. — Boa noite e vão com cuidado. 

Taehyung fez um sinal de "ok" para os amigos e Yoongi acenou para eles; então deixaram o restaurante juntos. 

*** 

O caminho até o ponto de ônibus perto do restaurante foi feito em silêncio. Taehyung e Yoongi cansados demais e com frio para trocarem qualquer palavra.  

No entanto, o silêncio foi quebrado quando notaram a cena que acontecia no ponto de ônibus do outro lado da rua. 

— Hyung, eu acho que são aqueles dois garotos do karaokê? 

Yoongi apertou os olhos para enxergar melhor. 

Jungkook tirara seu cachecol para então colocá-lo no pescoço de Jimin. Ele tomou as mãos do menor nas suas e assoprou por alguns segundos, na tentativa de aquecê-las um pouco. 

— São eles. — Yoongi afirmou. 

— Que fofos. — Taehyung comentou, colocando as mãos nos bolsos do casaco. 

Jungkook, do outro lado da rua, soltara as mãos de Jimin e agora abria seu sobretudo preto. Jimin se aproximou, sorrindo, e envolveu seus braços na cintura dele, se enfiando dentro do casaco junto ao mais alto, que logo tratou de fechar o sobretudo o máximo possível com os dois ali dentro. 

Yoongi e Taehyung assistiram em silêncio o momento em que Jimin ficou na ponta dos pés e depositou um selinho nos lábios de Jungkook, que sorriu e beijou a testa do mais baixo. 

— Eu soube que rolava algo entre eles no momento em que o tal Jimin saiu do nada de baixo daquele balcão. — Yoongi riu. 

— Eles parecem gostar muito um do outro. — Taehyung sorriu.  

— Acho que sim. — O loiro concordou. 

— Olha, o nosso ônibus, hyung! 

*** 

Bastou Taehyung e Yoongi embarcarem no ônibus para que a chuva começasse. 

O mais novo tinha a cabeça escorada sobre o vidro e acompanhava as gotinhas de chuva com os dedos, brincando como se fosse uma criança de cinco anos. 

Yoongi, mais uma vez naquela noite, não conseguiu evitar um sorriso ao encarar o garoto sentado no banco ao lado do seu. 

— Vê se não vai dormir... Mais dez minutos e já temos de descer. — Yoongi avisou. 

— Você me chama quando chegar nosso ponto. — Taehyung olhou para Yoongi, sorriu e escorou sua cabeça no ombro dele. 

O loiro não reclamou. 

*** 

O ponto de ônibus no qual tinham de descer ficava a uma quadra de distância do prédio onde moravam. A chuva aumentara de intensidade, assim como o frio. 

Taehyung e Yoongi estavam parados embaixo da cobertura que havia no ponto no qual desceram. 

— Aish! Precisava essa chuva aumentar justo agora? — Yoongi reclamou. 

— E é perigoso ficar aqui a essa hora da noite esperando a chuva passar... — Taehyung murmurou. 

— É. — Yoongi concordou.  

— E está tão frio que a gente provavelmente congelaria. 

— O que a gente faz agora?  

Taehyung se posicionou na frente de Yoongi e colocou o capuz do casaco nele, amarrando. 

Yoongi franziu o cenho, confuso, mas não falou nada. Ele observou o garoto tirar seu próprio sobretudo preto e se colocar ao seu lado. 

— Você tem que chegar mais perto e passar o seu braço em volta da minha cintura. — Taehyung explicou, puxando o loiro para mais perto de si. — Eu vou cobrir nossas cabeças com o sobretudo e a gente vai ter que correr. — Ele sorriu. 

Por incrível que pareça, Min Yoongi não protestou. Prontamente passou seu braço esquerdo em volta da cintura de Taehyung e colou seu corpo ao dele. 

O mais novo ergueu o sobretudo sobre suas cabeças. 

— Hyung, no três a gente corre. 

*** 

— Hyung... — Taehyung murmurou, se atirando sobre o sofá enquanto Yoongi trancava a porta do apartamento. — Você vai me chamar de porco se eu disser que não quero tomar banho agora e só colocar o pijama e dormir? 

O loiro riu. 

— Tudo bem, porque eu também só quero fazer o mesmo. 

— Eu vou pegar o meu colchão e... — Taehyung não completou a frase, ele quis chorar quando percebeu que esquecera a janela do apartamento aberta. 

— Eu não acredito, Taehyung! — Yoongi massageou as têmporas. Estava exausto. 

— O colchão... Ele 'tá todo molhado, hyung.  

— Por que você não o recolheu do chão e deixou enrolado num canto como sempre faz? E por que saiu e deixou a janela aberta? Francamente, parece uma criança que não pode ficar sozinha em casa! — Repreendeu o mais novo enquanto ele mesmo ia fechar e trancar a janela devidamente. 

— Onde eu vou dormir agora? — Um bico se formou nos lábios do garoto. 

Yoongi suspirou, derrotado. 

— Na minha cama. Comigo. — Disse por fim. 

— Sério? — Os olhos de Taehyung brilharam. — Sério mesmo, hyung? 

Yoongi revirou os olhos. 

— Só hoje. Só porque nós dois estamos exaustos. E só porque 'tá muito frio pra que eu deixe você dormir no chão duro e gelado. 

Taehyung correu até Yoongi e simplesmente o beijou na bochecha esquerda sem aviso prévio, logo depois o esmagando em um abraço. 

— Hyung, você é o melhor. O meu hyung favorito. — Foi o que o mais novo disse, ainda agarrado em Yoongi. 

— Ok, ok. Agora você já pode me soltar. — O loiro murmurou.  

Taehyung não conseguiu ver, mas Yoongi dera aquele sorriso que mostrava suas gengivas. 

Dormindo juntos, eles passariam menos frio, afinal. 



Notas finais do capítulo

Oi, de novo :)
Se você leu até aqui, desde já muito obrigada pelo seu interesse e pela sua paciência.
E, por favor, se notarem algum erro de digitação ou qualquer outro erro, eu gostaria muito que avisassem para que eu possa consertar.
Então, que tal deixar um comentário dizendo o que achou desse capítulo? Eu ficaria ainda mais agradecida!
Até logo. Agora estou indo, finalmente, assistir ao EP.4 do Burn The Stage õ/

Xoxo,
G a b i.
(11/04/2018)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Garoto da Porta ao Lado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.