O Garoto da Porta ao Lado escrita por G a b i


Capítulo 13
Despedindo-se do garoto da porta ao lado


Notas iniciais do capítulo

Oi~
Quem assistiu ao episódio 7 do Burn The Stage hoje? Teve Taehyung dando comida na boca do Yoongi e eu posso ou não ter dado um berro fhudzisfguid
Surtos à parte, espero que gostem do capítulo de hoje. Boa leitura!



"Como se diz não é nada disso que você 'tá pensando em inglês?" 

"Não faço ideia. Mas... é exatamente o que ele pensou, hyung." 

  

Taehyung acordou com o toque do alarme que vinha do celular de Yoongi. O garoto franziu o cenho e tateou o criado-mudo, desativando o despertador.  

Já era outro dia, 9 horas da manhã. Yoongi não estava mais na cama e Taehyung sentiu-se meio decepcionado; seria melhor ter acordado com o loiro em seus braços. 

— Como você consegue? — Era a voz de Yoongi, ele estava saindo do banheiro. 

Taehyung bocejou e coçou os olhos para logo depois sentar-se sobre a cama. 

— O que eu consigo? — Riu, passando a mão direita pelos cabelos. 

— Ser assim tão bonito mesmo quando acorda. — Yoongi sorriu. 

— Eu sou? — Taehyung voltou a rir, deitando-se na cama novamente e abraçando o travesseiro que pertencia a Yoongi. 

— Você quer me fazer repetir, mas eu não vou. — Agora foi a vez de Yoongi rir enquanto andava até a geladeira. 

— Hyung... Você vai pra gravadora? — Taehyung questionou, ainda agarrado ao travesseiro. 

Yoongi pegou uma caixinha de leite de morango e fechou a geladeira. 

— Infelizmente, tenho que ir. — Resmungou, sacudindo a caixinha e andando em direção a Taehyung. 

— E aonde você guardou as chaves do meu apartamento? — O mais novo rolou na cama, largando o travesseiro e sentando-se novamente. 

Yoongi estendeu a caixinha de leite de morango e Taehyung a pegou. 

— Desculpa não ter tempo para fazer um café da manhã decente. — Yoongi lamentou, fazendo cafuné nos cabelos de Taehyung. — As suas chaves estão na gaveta do criado-mudo. 

— Tudo bem. — Taehyung deu um meio sorriso enquanto desembrulhava o canudinho da bebida. 

— Você pode tomar banho aqui, se quiser. Eu realmente não me importo. — Yoongi parou o cafuné e depositou um beijo no topo da cabeça de Taehyung. 

— Ok. Bom trabalho então, hyung. Depois que eu tomar banho, vou recolher as minhas coisas e levar para o meu apartamento. 

Yoongi assentiu, dando um meio sorriso enquanto pegava seu celular e colocava no bolso interno do casaco. 

— Tenho que ir. — Avisou. 

Taehyung encarou o loiro enquanto bebia seu leite de morango. 

— Tchau, hyung. Se cuida. 

*** 

Taehyung suspirou antes de enfiar a chave na fechadura do apartamento 301. Estava, enfim, de volta ao lar. No entanto, já sentia falta de viver sob o mesmo teto que Min Yoongi. Está certo que o loiro vivia no apartamento ao lado — com apenas uma parede muito fina de distância entre os dois —, mas Taehyung não conseguiu evitar a saudade da cama de casal do loiro quando colocara o seu próprio colchão de volta sobre a sua cama de solteiro. 

Depois de quase um mês inteiro sendo consertado por causa de um curto-circuito que causara um incêndio, agora o apartamento de Taehyung estava em perfeitas condições para se viver. Entretanto, não era como se o garoto estivesse totalmente feliz. Algo estava faltando ali. Ou melhor, alguém

*** 

Taehyung guardou todas as suas coisas em seus devidos lugares e arrumou todo o apartamento, o deixando impecável e brilhando. 

Quando terminou de fazer tudo o que precisava, notou que já estava quase na hora do almoço, logo resolvendo andar até o restaurante em que Seokjin trabalhava. Ele precisava comer e contar as novidades ao amigo, afinal. 

*** 

Taehyung não deu sorte de encontrar Yoongi no restaurante como pensara que poderia encontrar, e isso fez o garoto se perguntar aonde o mais velho poderia estar almoçando, ou se já estava de volta em casa. 

Taehyung almoçou sozinho e contou rapidamente a Jin sobre sua noite com Yoongi. Obviamente não dera todos os detalhes, mas Jin ficou feliz em saber que os dois amigos finalmente tinham admitido seus sentimentos um para o outro. 

Quando chegou de volta ao prédio em que morava, Taehyung quase abriu a porta do apartamento 302. Ele riu de si mesmo. Velhos hábitos eram difíceis de mudar. 

Deu alguns passos para trás e adentrou seu próprio apartamento. Estava tudo silencioso, bem como o corredor. Não havia som vindo do piano, o que indicava que Yoongi ainda não voltara da gravadora. 

Taehyung suspirou e largou suas chaves sobre o balcão da pia. 

Não era a hora que ele costumava trabalhar no jogo em que estava produzindo, preferia fazer isso mais à noite, ou durante a madrugada; no entanto, estava tão inquieto e entediado, que resolveu ligar o computador e forçar a si mesmo a trabalhar. 

*** 

O tempo pareceu voar. Quando Taehyung se deu conta, já havia escurecido e ele sentiu seu estômago implorando por comida. 

Desligou o computador e vestiu seu sobretudo de inverno. Não havia comida em casa, ele precisava comprar pelo menos rámen na loja de conveniência. 

*** 

Yoongi chegou em casa por volta das 8 horas da noite. Fora um longo dia de trabalho na gravadora. 

Estranhou quando adentrou o apartamento. Tudo escuro, silencioso, sem as coisas de Taehyung. Sem Taehyung... 

Achou ainda mais estranho ao notar que o apartamento ao lado também estava completamente silencioso. Será que Taehyung saíra? Para onde? 

Yoongi suspirou em um misto de decepção e cansaço, tirou o casaco que vestia e optou por outro mais grosso e comprido, já que decidira ir até a sacada pegar um ar e espairecer. 

*** 

— Hyung? — Taehyung chamou. 

Yoongi olhou para o mais novo que acabara de chegar na sacada e não conseguiu evitar um sorriso. 

— Eu? — Ele riu, botando as mãos dentro do bolso do casaco e se aproximando do mais novo. 

— Já jantou? Como foi o trabalho? Estamos vestindo o mesmo casaco, não vai entrar e querer colocar outro? — Taehyung fez uma pergunta atrás da outra propositalmente, rindo em seguida. 

— Jantei com o Namjoon no restaurante que fica perto da gravadora. Não conte isso ao Jin hyung. — Riu. — O trabalho foi meio estressante e... por que eu colocaria outro casaco? — Franziu o cenho, confuso. 

— Não lembra da primeira vez em que nos falamos aqui? Eu sorri pra você quando vi que a gente 'tava vestindo o mesmo casaco, você deu meia-volta, adentrou o apartamento e voltou vestindo outro. Pensei que até se mudaria por causa de um casaco igual. Eu teria ficado decepcionado. — Taehyung riu. 

— Ah... — Yoongi riu, encarando os próprios pés. Ele lembrava, é claro. — Sabe, o garoto da porta ao lado era bonito demais. E o sorriso que ele me deu pode ou não ter me deixado meio sem fôlego. — Confessou. — Fiquei com medo de que ele fosse iniciar uma conversa dizendo que nossos casacos da Puma eram iguais e eu ficasse parecendo um idiota sem saber o que dizer. Ou então que gaguejasse diante da beleza dele. 

Taehyung riu. 

— Bom, não adiantou você mudar o casaco. O garoto da porta ao lado convidou você para comer com ele logo de cara.  

— E eu fiquei apavorado. Por isso neguei tantas vezes. Sério, a sua beleza ainda me assusta, Taehyung. — Yoongi riu. 

— Hyung, para com isso, você também é lindo. — O mais novo sorriu. — E cheiroso. Você é muito cheiroso, hyung.  

Yoongi sentiu seu rosto esquentar. Ele mudou o peso do corpo de um pé para o outro e encarou o céu. 

Taehyung se aproximou, seu braço esquerdo roçando no braço direito do loiro. 

— Hyung... — O mais novo chamou, também encarava o céu escuro. — Um dia desses você... pode tocar piano pra mim? 

Yoongi rapidamente virou a cabeça para o lado, encarando os olhos escuros do garoto a sua frente. Fora pego de surpresa. Seu coração acelerou e ele tirou as mãos de dentro dos bolsos do casaco; estavam suadas. 

— Eu... Um dia desses, quem sabe.  

Taehyung estranhou um pouco a reação de Yoongi, mas resolveu deixar para lá, assentindo com um pequeno sorriso. 

— Bom, eu vou entrar agora. — Taehyung avisou. — Deixei a água fervendo para fazer rámen. 

Yoongi arregalou os olhos, incrédulo. 

Taehyung riu enquanto andava até a porta do apartamento. Ele colocou a mão na maçaneta e abriu a porta. 

— Taehyung. — Yoongi o chamou. O garoto virou-se para ele. — Esse é o meu apartamento. 

O mais novo fechou a porta e olhou para o número gravado nela. 302. 

— Ah, eu 'tava abrindo a porta pra você, hyung. Entre, tome um banho quente e relaxe. Você teve um dia estressante no trabalho, precisa descansar. — Taehyung disfarçou. 

Yoongi não conseguiu segurar o riso. Passou por Taehyung e bagunçou seus cabelos levemente. 

— Boa noite. — O loiro sorriu. 

— Boa noite, hyung. — Taehyung devolveu o sorriso e fechou a porta para o mais velho. 

— Aish, como eu sou idiota! — Murmurou consigo mesmo. — Acho que velhos hábitos são realmente difíceis de mudar. — Taehyung passou a mão direita pelos cabelos enquanto abria a porta do seu próprio apartamento. 

*** 

Banho, Yoongi, Aveda Rosemary Mint... 

Taehyung arregalou os olhos e largou o mouse do computador. O shampoo de Yoongi! Ele usara todo o shampoo do loiro pela manhã durante o banho e esquecera de comprar outro. 

— Eu disse para ele tomar um banho quente e relaxar... Mas não tem shampoo... — Taehyung quis chorar. — Ele vai querer me matar. — Afirmou pra si mesmo. 

Flores puras e essência de plantas. Aveda. Rosemary Mint. Será que uma simples loja de conveniência venderia esse shampoo? Taehyung tinha quase certeza de que a resposta era não. Mesmo assim, voltou a vestir o casaco e deixar o apartamento às pressas. Ele tinha um shampoo para comprar. 

*** 

— Taehyung? — Yoongi estranhou ao abrir a porta do apartamento.  

O mais novo tinha uma sacola preta na mão direita e balançava o corpo nervosamente para frente e para trás. 

— Hyung! — Sorriu meio sem graça. — Eu... 

— Você...? — Yoongi riu, a mão ainda na maçaneta e observando Taehyung que ainda estava no corredor. 

— Usei todo o seu shampoo hoje pela manhã e esqueci de comprar outro. — Confessou. — Eu lembrei disso só agora e... a loja de conveniência não vende nenhum Aveda Rosemary Mint. Me desculpa? Olha, eu trouxe esse outro, tem cheirinho de menta também. — Taehyung sorriu nervosamente. 

Yoongi riu e pegou a sacola das mãos do garoto. 

— Você decorou o tipo de shampoo que eu uso e a marca dele?  

— É que tem um cheirinho tão bom... Cheirinho de Yoongi hyung.  

Yoongi riu alto, incrédulo. 

— Eu não sei se você é tolo ou um anjo. Na dúvida, direi que é os dois. 

Taehyung franziu o cenho, confuso. 

— O quê? 

— O shampoo pode até ter acabado, mas eu tenho um estoque dele no armário do banheiro. Eu compro online. — Yoongi riu. 

Taehyung suspirou, aliviado. 

Yoongi levantou um pouco a sacola que segurava. 

— Mas obrigado por se preocupar. — Sorriu sincero. 

— Não foi nada. — Taehyung sorriu de volta. 

— Então... Eu ainda não tomei banho. Você, por acaso, gostaria de entrar? 

— Isso é um convite pra tomarmos banho juntos, hyung?  

Yoongi sentiu seu rosto esquentar. Ele realmente não queria que a frase tivesse soado naquele sentido! 

Taehyung riu. 

Eles ouviram alguém pigarrear no corredor.  

O vizinho americano do 303. 

Taehyung e Yoongi se encararam, os olhos arregalados. 

O vizinho olhou de um garoto para o outro e fez um sinal para que eles fizessem silêncio. Logo depois riu. 

Yoongi queria cavar um buraco no chão e se esconder. 

— Como se diz não é nada disso que você 'tá pensando em inglês? 

— Não faço ideia. — Taehyung riu, vendo o vizinho adentrar o apartamento e fechar a porta. — Mas... é exatamente o que ele pensou, hyung. 

Yoongi arregalou os olhos. 

— Claro que não! Não foi um convite para você tomar banho comigo! — Disse, exasperado. — Mas espera... Ele entende coreano? 

Taehyung gargalhou. 

— Pelo visto sim. Ele entende.  

Yoongi bateu com a mão na testa, frustrado. 

— Todo mundo sempre pega a gente em situações estranhas e interpreta tudo errado... 

— É... Mas agora é real, não é, hyung? Nós não estamos mesmo em um relacionamento amoroso? Quero dizer, depois do que aconteceu ontem à noite... — Taehyung deu passo à frente, chegando mais perto do loiro.  

Yoongi apertou mais a sacola que segurava em sua mão, demonstrando certo nervosismo. 

— Eu... 

Taehyung sorriu. 

— Tudo bem, não precisa responder agora, hyung. — Taehyung se curvou um pouco e depositou um selinho nos lábios do mais velho. — Boa noite e até amanhã. — Ele acenou e voltou para dentro do seu apartamento. 

Yoongi ficou parado com a sacola na mão. Piscou algumas vezes seguidas, atônito. 

Relacionamento? Foi essa mesmo a palavra que Taehyung usara? E por que parecia que seu coração estava prestes a pular para fora de seu peito? 

— Boa noite, Taehyungie. Durma bem. — Murmurou para si mesmo com um sorriso no rosto. 

Assim, Yoongi fechou a porta do próprio apartamento, escorando-se na mesma e soltando um longo suspiro.  

Kim Taehyung era mesmo um anjo. 



Notas finais do capítulo

Atenção: às vezes (quase sempre) eu não consigo evitar e acabo deixando meus sentimentos pelo Taehyung falarem mais alto durante a escrita *risos*
E será que o Yoongi ainda usa o shampoo Aveda Rosemary Mint? Se alguém sabe outra marca que ele também usa, me conte aqui nos comentários, por favor (eu tenho dessas de procurar pelas coisas que os meninos usam na vida real hauahau).

Então, se você leu até aqui, desde já muito obrigada pelo seu interesse e pela sua paciência. E, por favor, se notarem algum erro de digitação ou qualquer outro erro, eu gostaria muito que avisassem para que eu possa consertar.
E que tal deixar um comentário dizendo o que achou desse capítulo? Eu ficaria ainda mais agradecida!
Até logo õ/

Xoxo, 
G a b i. 
(02/05/2018)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Garoto da Porta ao Lado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.