O Garoto da Porta ao Lado escrita por G a b i


Capítulo 12
Contando a verdade ao garoto da porta ao lado


Notas iniciais do capítulo

Chegay~~
Agora vai, gente! Isso é tudo o que tenho a dizer hauahua
Espero que gostem. Boa leitura!



"Então... você só vai ficar aí parado?" 

"O que você espera que eu faça, hyung?

  

Era por volta das 7 horas da noite quando Taehyung bateu na porta do apartamento 302. 

— Você veio. — Yoongi abriu em breve sorriso ao abrir a porta, dando passagem para o mais novo adentrar o apartamento. 

Taehyung tirou os calçados e os deixou ao lado da porta, largando sua mochila e a pasta com o notebook sobre o pequeno sofá. 

— Você disse que queria conversar, então... 

— Obrigado por vir. — O loiro passou a mão direita na nuca e bagunçou os cabelos, atitude que demonstrava seu nervosismo. 

Taehyung fitava Yoongi dos pés à cabeça.  

Estava claro que o loiro saíra do banho há pouco tempo; os cabelos úmidos, a franja caindo sobre sua testa e o cheiro doce de sabonete...  

Yoongi vestia apenas uma calça preta de moletom e camiseta branca de mangas compridas. Sua pele parecia ainda mais pálida e lisa do que o normal, e Taehyung poderia jurar que seu coração estava batendo mais rápido, porque, céus, Yoongi estava tão bonito e cheiroso... 

— Hyung, você não está com frio? — Foi a primeira coisa que veio à mente de Taehyung. 

Yoongi riu. 

— Eu liguei o aquecedor. 

— Ah... Deve ser por isso que está tão quente aqui. — Riu também, tirando o casaco que vestia e o deixando sobre o sofá. 

Yoongi observou as coisas de Taehyung, o cenho franzido. 

— Você não ia passar apenas uma noite, não é?  

— O quê? 

— Você não ia precisar de tudo isso se fosse dormir apenas uma noite no apartamento do Jin hyung. — Afirmou. 

— É que... — Taehyung riu, um pouco sem graça. Não sabia o que dizer. 

— Você ia embora daqui. — Yoongi voltou a afirmar. — E sem nem me dizer isso. Por quê?  

Taehyung abaixou a cabeça, encarando os próprios pés, não sabia por onde começar. 

— Taehyung...  

— Eu... É que... 

Batidas na porta foram ouvidas.  

Yoongi suspirou. 

— Já vai.  

Taehyung sentou-se sobre o sofá. 

— Ahjussi? — Yoongi foi pego de surpresa ao abrir a porta. Queria fechá-la na cara do síndico, mas seria uma completa falta de respeito. 

— Taehyung-ssi, ele está? — O homem foi adentrando o apartamento sem ter sido convidado.  

Yoongi tinha os olhos arregalados. Taehyung franziu o cenho em estranheza, mas levantou do sofá e fez uma reverência, cumprimentando o síndico do prédio. 

— O porteiro me informou que o viu subindo há alguns minutos. É realmente difícil encontrá-lo fora de casa, não é? 

Taehyung riu, assentindo. 

— Meu trabalho me faz ficar trancado no apartamento. Mas... o ahjussi tem algo de importante pra falar comigo? 

Yoongi parecia estar prestes a chorar, o que fez Taehyung ficar ainda mais confuso. 

— O seu apartamento! Queria saber se ficou bom. Consegui fazer ficar pronto quase uma semana antes do tempo previsto. — O homem sorriu, orgulhoso. — Aprovou os consertos? 

— Eu... não sei do que o ahjussi está falando? — Taehyung lançou um olhar pedindo socorro a Yoongi, que desviou o olhar rapidamente. 

O síndico encarou o loiro que ainda estava parado perto da porta. 

— Você não contou a ele que o apartamento já está pronto? 

— Eu esqueci. — Yoongi deu de ombros. 

— Esqueceu? Já faz seis dias que lhe entreguei as chaves e pedi que as entregasse ao dono, senhor Min. 

— Seis dias? — Taehyung arregalou os olhos. 

— Eu esqueci. Vou entregar hoje, ok? 

O síndico olhou de Taehyung para Yoongi, de Yoongi para Taehyung, e riu. 

— Tudo bem. Eu já entendi. — Suspirou. — Vocês acabaram gostando muito de morar um com o outro, mas, eu fiz o meu melhor para que consertassem o apartamento ao lado antes do prazo. Por isso, Taehyung-ssi, pegue suas chaves com o senhor Min e mude-se de volta para o 301 o mais rápido possível. 

Taehyung abriu e fechou a boca. Não sabia o que falar, então apenas assentiu. 

— Agora estou indo. — O síndico passou por Yoongi e deu mais uma risada antes de deixar o apartamento. 

Yoongi fechou a porta e escorou as costas sobre ela, soltando um longo suspiro. 

— Por que fez isso? — Taehyung questionou, chegando perto do loiro e ficando de frente para ele. 

— Eu... — Yoongi mordeu o lábio inferior, hesitante. — Eles sempre vinham consertar as coisas pela manhã e você nunca via nada porque sempre dorme até a hora do almoço... 

— Porque fico acordado a madrugada toda trabalhando no meu jogo. — Taehyung ficou na defensiva. 

— Eu sei. Não estava te repreendendo. — Se permitiu abrir um breve sorriso. — Faz seis dias. Eu estava saindo pra ir até a gravadora ainda de manhã e... o síndico queria falar com você. Eu disse que você 'tava dormindo. Ele me entregou as chaves do apartamento e pediu pra que eu desse o recado de que estava tudo pronto e você já podia voltar a morar lá. 

— E você vem esquecendo de dar o recado por seis dias seguidos, hyung?  

— Eu... não esqueci. — Yoongi admitiu. O tom de voz baixo, mas não baixo o suficiente para que Taehyung não pudesse ouvir. 

— Então por que não me contou que meu apartamento já estava consertado, hyung? — Taehyung arqueou uma sobrancelha. 

— Porque eu não queria que você fosse embora. Satisfeito? — Alterou o tom de voz, mas não estava de fato irritado, era nervosismo. — Não queria que deixasse de morar comigo. Eu me acostumei com a sua presença, Taehyung. Eu... gosto de você. 

O mais novo arregalou os olhos, surpreso. 

— Hyung... O que você disse? 

— Eu disse que gosto de você, droga! — Yoongi empurrou o garoto pra trás, o fazendo aumentar o espaço entre os dois. 

Taehyung riu. Ele simplesmente riu. 

Yoongi franziu o cenho, irritado. 

— O que é tão engraçado? 

— Eu ia embora porque pensei que me odiasse. 

— Quê? 

— Eu ouvi você e o Namjoon hyung falando sobre me mandar embora do seu apartamento e pensei que era porque você me odiava, hyung. — Voltou a rir. 

— E por que eu odiaria você? — Yoongi franziu o cenho, confuso. 

— Bom, alguns dias atrás eu disse que gostava de você... Pensei que tivesse odiado isso. E depois eu fiquei doente e mesmo assim você cuidou de mim. Pensei que estava sentindo pena. Eu fiquei irritado, por isso quis ir embora antes que você falasse qualquer coisa. — Foi sincero. 

— Eu... — Yoongi abriu a fechou a boca duas vezes, não sabia o que dizer. Ele suspirou. — Você é estranho. Suas atitudes são estranhas. Eu não tinha certeza do que aquele seu "gostar" significava. Você me confundiu, seu idiota. 

Taehyung riu. 

— Eu fiz tudo isso?  

— Fez. E quando disse que gostava de mim, naquela noite de neve, o que você realmente queria dizer? 

Taehyung respirou fundo. Seokjin tinha razão, ele precisava ser sincero. Se não fosse, isso só afetaria negativamente sua relação com Yoongi. 

— Eu gosto de você, hyung. Desde o primeiro dia que nos vimos naquela sacada. Insisti em comer com você porque eu estava atraído por você. Você é lindo e... o som que vinha do seu piano... — O mais novo sorriu, envergonhado. — Não sei de fato como ou quando começou. Talvez eu tenha descoberto naquela vez no karaokê quando o vi fazer rap, ou quando jogamos o game do pepero... Eu quis beijar você, hyung. De verdade. E eu ainda quero. Eu... estou apaixonado por você, Yoongi hyung. 

— Wow. — O loiro riu. — Isso foi... 

— Estranho? — Perguntou com um olhar preocupado. 

Yoongi rapidamente negou com a cabeça. 

— Não. Claro que não! Sabe, você me irritava a maior parte do tempo, mas agora eu me acostumei com tudo. Eu... gosto de tudo. Não sei como explicar, mas aconteceu. Eu não contei sobre o seu apartamento porque não queria que fosse embora. Eu gosto de você aqui, da gente morando juntos. Eu me apaixonei por você, Taehyungie. — Yoongi finalmente confessou. 

O mais novo encarou os próprios pés, dando um pequeno sorriso. 

Min Yoongi correspondia sim aos seus sentimentos. 

— Então... você só vai ficar aí parado? — Yoongi questionou, visto que Taehyung não falou nada. 

O mais novo riu e deu dois passos em direção ao loiro, que voltara a apoiar suas costas sobre a porta. 

— E o que você espera que eu faça, hyung? — Taehyung chegou bem pertinho do loiro, o nariz quase roçando ao dele e a mão direita apoiada na porta, bem ao lado da cabeça de Yoongi. 

O loiro suspirou, e com as mãos um pouco trêmulas agarrou a barra do moletom que Taehyung usava. 

— Você não disse que queria me beijar de verdade? — Yoongi se inclinou, os lábios próximos à orelha esquerda do garoto. 

Taehyung sorriu, passando a língua pelos lábios para umedecê-los. Então, tratou de empurrar Yoongi contra a porta, juntando seus lábios aos dele em um beijo talvez até um pouco agressivo. 

As mãos do loiro desceram para a cintura de Taehyung, a envolvendo, apertando e o trazendo para ainda mais perto de si.  

O mais novo segurou Yoongi pela nuca e aprofundou ainda mais o beijo, deslizando sua língua para dentro da boca do mais velho enquanto sua mão livre acariciava as costas dele. 

Yoongi murmurou algo entre o beijo, algo que Taehyung não entendeu pois fora mais uma espécie de gemido. O mais novo sorriu entre o beijo e passou a acariciar a bochecha esquerda de Yoongi, que agarrou Taehyung ainda mais forte pela cintura e fez questão de usar sua língua lamber o lábio inferior do garoto, logo depois deixando uma leve mordida ali para então, relutante e um pouco sem ar, quebrar o beijo, encarando os olhos escuros do garoto a sua frente com um sorriso tímido em seu rosto. 

— Você não vai querer as chaves do seu apartamento hoje, não é? — Yoongi riu. 

Taehyung o puxou pela cintura e o abraçou apertado. 

— Eu posso deixar para abrir a porta ao lado amanhã, hyung. — Riu, passando seu nariz pelo pescoço de Yoongi e sentindo-se inebriado pelo cheiro do mais velho. 

— Então você vai ficar? — Yoongi murmurou, o rosto escondido no peito de Taehyung, as mãos em volta da cintura dele. 

— Eu... posso dormir com você hoje de novo? — O mais novo segurou Yoongi pelos braços, o afastando um pouco para que pudesse encarar o rosto do loiro. 

— O que você acha? — Yoongi sorriu, mostrando as gengivas.  

Taehyung sentiu seu coração acelerar. Min Yoongi tinha o sorriso mais lindo do mundo. Ele era adorável demais. 

— Acho que sim? — Taehyung fingiu estar em dúvida. 

— Achou certo. Muito certo. — Yoongi afirmou. 

E isso foi o suficiente para que Taehyung puxasse Yoongi pela cintura e juntasse seus lábios novamente, iniciando outro beijo enquanto conduzia o mais velho até a cama. 

Eles dormiriam juntos mais uma vez, e agora o significado da palavra "dormir" era outro. Aquele que todos queriam desde o início.



Notas finais do capítulo

Eu ouvi um aleluia? HAUAHUAHUAH
*Gente, a fanfic 'tá acabando... Teremos apenas mais 3 capítulos pela frente.

Então, se você leu até aqui, desde já muito obrigada pelo seu interesse e pela sua paciência.
E, por favor, se notarem algum erro de digitação ou qualquer outro erro, eu gostaria muito que avisassem para que eu possa consertar.
Então, que tal deixar um comentário dizendo o que achou desse capítulo? Eu ficaria ainda mais agradecida!
Até logo õ/

Xoxo,
G a b i.
(28/04/2018)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Garoto da Porta ao Lado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.