O Garoto da Porta ao Lado escrita por G a b i


Capítulo 10
O quão quente está o corpo do garoto da porta ao lado


Notas iniciais do capítulo

Oi~
Eu não vou comentar nada agora porque tô com medo de entregar o capítulo inteiro hauahau
Só... espero que gostem!
Boa leitura :)



 "O que está fazendo?" 

"Está muito quente, eu não aguento mais." 

  

Era quase hora do almoço quando Yoongi saiu do banheiro e encontrou Taehyung rolando na cama para colocar seu celular sobre o criado mudo. 

O mais novo espirrou, coçou os olhos e se encolheu sobre a cama de Yoongi. 

O loiro franziu o cenho em estranheza e se aproximou do garoto. 

— O que houve? — Questionou. 

— Segundo o que eu acabei de pesquisar no Naver, peguei um resfriado. — Taehyung respondeu e fugou.  

— Você sabe por que isso aconteceu, não é? Há três dias você foi idiota o bastante pra ficar na rua deixando a neve cair sobre essa sua cabeça oca. — Yoongi repreendeu o garoto. 

Taehyung deu um riso fraco seguido de mais um espirro. Logo depois o garoto tossiu. 

— 'Tá frio, hyung... — Murmurou, se encolhendo ainda mais. 

Yoongi levou a mão direita sobre a testa de Taehyung. 

— Está quente. Vamos para o hospital.  

— Hospital não, hyung... — Choramingou. 

Yoongi revirou os olhos e cobriu o mais novo até o pescoço com outro edredom, logo sentindo o celular vibrar em seu bolso. 

Taehyung fungou mais uma vez enquanto observava atentamente Yoongi ler a mensagem que recebera. 

O mais velho franziu o cenho, bufando e guardando o celular no bolso. Pegou seu casaco mais grosso para encarar o inverno e o vestiu. 

— Mas talvez um mingau... — Taehyung tentou, mas Yoongi já estava com a mão na maçaneta, batendo a porta do apartamento com força enquanto saía. 

*** 

Desde que Yoongi saíra, a única coisa que Taehyung colocou no estômago fora um copo d'água. 

Já era quase seis horas da tarde e era a primeira vez que Taehyung levantara da cama. Isso só porque o garoto precisou muito usar o banheiro. E foi justamente assim, enquanto fechava a porta do cômodo, que ouviu vozes no corredor e percebeu que era Yoongi chegando acompanhado de alguém. 

Taehyung sentia seu corpo pesado, quente e um cansaço tomando conta de si. Mesmo assim, correu como pôde até a cama de Yoongi. Deitou-se, cobrindo até a cabeça com o edredom e fingiu estar dormindo. 

*** 

A porta do apartamento foi aberta e Taehyung ouviu Yoongi oferecer cerveja a alguém. 

— Hoje ficarei só na água, hyung.  

A voz era de Namjoon. 

— Sabe, eu já tô de saco cheio daquele pessoal da gravadora. — Yoongi desabafou.  

Taehyung continuava coberto pelo edredom. 

— Eu também. — Namjoon admitiu. — Os arquivos estavam todos lá. Eles nunca conseguem encontrar nada... 

— Sinceramente, era mais fácil quando eu trabalhava sozinho aqui em casa. Ou quando a gente trabalhava juntos sem ninguém enchendo a nossa paciência. 

Taehyung ouviu Namjoon rir. E ele tinha certeza que o garoto dos cabelos acinzentados acabara de beber sua água, já que o barulho do copo sendo colocado dentro da pia foi bem audível. 

— Nosso contrato com a gravadora é curto, hyung. Depois que acabar, podemos dizer a eles que procurem novos produtores. 

— Eu mesmo direi. — Yoongi riu. 

— Mas... e o Taehyung? Ele saiu? — Namjoon questionou, notando o apartamento silencioso. 

Yoongi arregalou os olhos. Devido ao estresse na gravadora, esquecera completamente de dar atenção ao mais novo. 

O loiro correu até a cama se sentindo péssimo por ter deixado Taehyung sozinho a tarde toda quando o mesmo estava doente. 

— Taehyung... — Yoongi chamou. 

Namjoon franziu o cenho e se aproximou também. 

— Ele 'tá embaixo desses edredons? — Riu. — Por quê? 

— Ele 'tá doente. Pegou um resfriado. — Yoongi explicou, voltando a chamar o mais novo. — Taehyung... — Ele cutucou as cobertas. 

O garoto não respondeu. Ainda estava chateado por ter sido ignorado a tarde toda. 

— Acho que ele 'tá dormindo profundamente, hyung. — Namjoon comentou. 

— É. — Yoongi suspirou. 

— Talvez não seja um bom dia pra contar a ele sobre aquilo... Você não vai contar hoje, vai? — Namjoon tinha o tom de voz preocupado. 

Taehyung franziu o cenho debaixo das cobertas. Contar o quê? 

— O que você acha que eu sou, Kim Namjoon? Algum tipo de monstro? Claro que não vou dizer que ele tem que sair hoje. O garoto está doente e mal sabe se cuidar sozinho. Não posso simplesmente dizer "você já pode ir embora do meu apartamento hoje." 

Taehyung sentiu seus olhos lacrimejando e não era por causa do resfriado. 

Yoongi planejava mandá-lo embora? Por quê? Por ele ter praticamente se declarado para o loiro três dias atrás? Será que Taehyung entendera tudo errado? Será que Yoongi apenas o deixara dormir em sua cama por três dias seguidos por... pena? Não era possível que Taehyung tivesse interpretado tudo errado, era? Min Yoongi nunca correspondera aos seus sentimentos e agora estava prestes a expulsá-lo de seu apartamento por isso? 

O mais novo segurou as lágrimas e cerrou os punhos por debaixo das cobertas. Naquele momento, a raiva por ser aquele do qual Min Yoongi sentia pena era maior do que a sua tristeza. 

Taehyung desejou que pudesse voltar logo para seu apartamento no 301. 

— E você vai contar quando, hyung? — Taehyung ouviu Namjoon perguntar. 

— Eu... ainda não sei. — Yoongi riu baixo. 

— Bom, uma hora você terá que contar. — Taehyung ouviu Namjoon rir também e isso o irritou ainda mais. — Enfim, estou descendo. Ainda tenho que passar em casa antes de encontrar com Jin hyung. 

— Ah, eu vou descer com você também. Lembrei que preciso comprar algo na loja de conveniência. 

— E o que seria esse algo? — Namjoon riu. 

— É... — Yoongi hesitou por um momento. — Cigarros. Preciso comprar cigarros. Os meus acabaram hoje depois do almoço e eu não tive tempo de comprar. 

***  

Foi só escutar a porta do apartamento ser fechada para que Taehyung se descobrisse, jogando os edredons de Yoongi para o lado. Secou as lágrimas e levantou da cama. 

Quando o garoto se abaixou para pegar seu colchão, sentiu uma leve tontura; no entanto, ignorou o mal-estar que sentia. Fez sua cama no chão e deitou ali, cobrindo-se com apenas um lençol, encolhido e suando frio. 

*** 

Yoongi estranhou quando abriu a porta do apartamento e viu Taehyung dormindo no chão, mas resolveu que o mais importante no momento era preparar o mingau que comprara na loja de conveniência. Depois ele acordaria o mais novo, o alimentaria, daria um remédio e saberia o que exatamente estava acontecendo. 

*** 

Quinze minutos depois, o mingau estava pronto e servido em uma tigela, esfriando sobre a mesa. 

Yoongi se abaixou ao lado do colchão no qual Taehyung estava deitado. 

— Taehyung... — Chamou, o sacudindo levemente. 

O garoto não respondeu. 

— Taehyung... — Yoongi voltou a sacudi-lo de leve. 

— Me deixa em paz. — O mais novo empurrou a mão de Yoongi.  

O loiro franziu o cenho, confuso. 

— Taehyung! — Puxou o lençol com força, descobrindo o mais novo. — O que diabos 'tá acontecendo com você? 

Taehyung não respondeu, apenas encarava Yoongi em silêncio. 

— Você 'tá suando... — O loiro o encarou, preocupado. — Deixa eu ver... 

— Sai. — Taehyung protestou, mas mesmo assim Yoongi levara sua mão a testa do garoto. 

— Aish, você 'tá queimando em febre! — Yoongi xingou, levantando do chão e correndo até o banheiro. 

*** 

Taehyung se debateu e quis tirar a toalha molhada que Yoongi colocara sobre sua testa a fim de ajudar a baixar sua febre. No entanto, o loiro foi mais forte para fazer com que a toalha molhada permanecesse onde deveria. 

Taehyung tossia sem parar e parecia não ter mais forças pra nada. 

Yoongi suspirou, molhou outra toalha na bacia que estava a seu lado no chão e a torceu. Logo depois, começou a desabotoar a camisa do pijama que o mais novo vestia. 

— O que está fazendo? —  Taehyung arregalou os olhos, empurrando Yoongi. 

O loiro bufou e subiu em cima da cintura do garoto, uma perna de cada lado do seu corpo. 

Taehyung se debateu novamente e Yoongi segurou seus pulsos sobre o colchão. 

— Está muito quente, eu não aguento mais. — Respirou fundo. —  Preciso fazer alguma coisa antes que você desmaie por causa dessa febre. 

Taehyung engoliu o choro. 

— O quão quente está? — Perguntou, um pouco mais calmo. 

Yoongi soltou os pulsos do garoto, mas ainda permanecia sobre sua cintura. Terminou de desabotoar a camisa de Taehyung e a abriu, colocando a toalha úmida sobre seu peito. 

— Quente. Você está muito quente. — Foi o que Yoongi disse. 

E bem nesse momento a porta do apartamento foi aberta, assustando os garotos. 

— Eu... — Namjoon olhava para os próprios pés. — Ouvi dizer que esses adesivos gelados ajudam contra a febre. Eu tinha no carro e... vou deixá-los em cima da mesa. Podem continuar com o que quer que estivessem fazendo. E desculpa atrapalhar! 

E assim, tão rápido quanto chegou, Kim Namjoon foi embora, batendo a porta do apartamento. 

— Será... que você pode sair de cima de mim agora? — Taehyung murmurou. 

Yoongi pareceu ter finalmente descongelado.  

— Desculpa. —  O loiro saiu de cima de Taehyung e sentou ao lado dele, no chão.  

Yoongi retirou a toalha da testa do mais novo, molhou novamente dentro da bacia com água fria e voltou a colocar sobre a testa do garoto. 

— Ele sempre nos pega em situações estranhas e interpreta tudo errado... 

— É... — Taehyung murmurou, fechando os olhos. 

— Olha, desculpa ter saído daquele jeito mais cedo e... desculpa ter deixado você sozinho a tarde toda. Eu tive problemas na gravadora.  

— Tudo bem, você não tem a obrigação de cuidar de mim. — Taehyung falou sem abrir os olhos. 

Yoongi assentiu. Tinha algo de estranho acontecendo com Taehyung, e ele tinha certeza de que o garoto não estava assim apenas por causa do resfriado. 

— Eu fui na loja de conveniência e... trouxe o mingau que você queria comer antes. — Revelou. — Eu já fiz e está esfriando em cima da mesa. Você ainda vai querer? — Perguntou, um pouco receoso. 

— Você vai me dar? — Taehyung fungou, enfim abrindo os olhos e encarando Yoongi. 

— Eu posso? — O loiro sorriu de canto. 

Taehyung queria recusar, ele ainda estava magoado com Yoongi e ainda queria saber o porquê de o mais velho estar agindo como agia quando estava prestes a mandá-lo embora de seu apartamento. Mas claro que o sorrisinho culpado de Min Yoongi fez o coração de Taehyung vacilar e não conseguir recusar ser alimentado na boca pelo garoto por quem se apaixonara. 

— Tudo bem, então. —  Taehyung sorriu fraco e Yoongi rapidamente levantou para ir pegar o mingau. 

Não podia dar qualquer remédio ao garoto sem alimentá-lo antes. Yoongi tinha certeza de que Taehyung não comera nada o dia todo; e não queria que o garoto também tivesse uma dor de estômago. 



Notas finais do capítulo

Gente, eu sofri escrevendo várias partes desse capítulo. Sou muito sensível quando o assunto é Kim Taehyung.
Mas só digo uma coisa: não tirem conclusões precipitadas igual o Tae fez.
E o Yoongi foi fofo nesse finalzinho, né!? Se isso deixou vocês confusos que nem o Tae, aguardem os próximos capítulos hehe

Então, se você leu até aqui, desde já muito obrigada pelo seu interesse e pela sua paciência.
E, por favor, se notarem algum erro de digitação ou qualquer outro erro, eu gostaria muito que avisassem para que eu possa consertar.
Então, que tal deixar um comentário dizendo o que achou desse capítulo? Eu ficaria ainda mais agradecida!
Até logo õ/

Xoxo,
G a b i.
(20/04/2018)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Garoto da Porta ao Lado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.