Os Guardiões do Tempo: Agentes da Ordem - Parte II escrita por R G Assis


Capítulo 13
Capítulo 11 - De dentro para fora




O frio da floresta à noite gelava até o osso, Melanie teve de elevar a própria temperatura para se manter aquecida, estava na escuridão total, era uma noite sem lua, perfeita para se esconder entre os galhos baixos, havia ignorado as recomendações de Merlin de se manter distante de Kaled, mesmo que sentisse sua presença, Melanie tinha de ver, por si mesma o estrago que fizera.

Já fazia semanas que vivia como uma sombra no castelo, sem ser vista, ouvida, sentida, se mantinha fora da visão de todos, por vezes seguia a si mesma, acompanhando pouco a pouco sua lenta evolução, recordando como havia sido em sua época quando descobriu o que podia fazer, quando incendiou pela primeira a sala de feitiços, queimando os braços e o cabelo, chegava a sentir a ardência novamente só de observar a jovem Melanie, lembrava-se também como foi segurar o punho de uma espada pela primeira vez, como se sentiu fraca e impotente.

Lembrou-se de Ben, como se tornaram amigos em pouco tempo, como sentia pela ausência de Arthur, um arrepio seguiu pela sua espinha sempre que pensava em Arthur, ainda sentia a escuridão crescer dentro de si sendo alimentada pelo medo, pelo ódio, pela perda... não podia perder o controle, voltando sua atenção novamente para o que tinha de fazer, se concentrou na energia que sentira mais cedo, pois quando não estava se vigiando mantinha sua atenção no exército saxão, Melanie e Merlin concordaram que Melanie deveria se revelar como Teresa somente no momento certo, de quando se lembrava que a conheceu, enquanto isso Melanie tentava se manter ocupada, mas estava cada vez mais impaciente.

Merlin a fez prometer que não o seguiria se sentisse sua presença, ele queria que Melanie seguisse o fluxo do tempo que conhecia, imaginava que assim em algum momento, Kaled teria de se revelar, pois se seu objetivo era apagar a antiga linha do tempo de Melanie ele já deveria a muito saber que havia falhado e Merlin apostava que ele somente estava lá para descobrir quem corrigira sua distorção, além disso, havia a preocupação de que ele ainda não absorvera os poderes de Mordred, Merlin ainda o sentia e eles teriam somente uma chance de talvez impedir que acontecesse, talvez pudessem corrigir tudo antes de Melanie...

O ar ao seu redor começou a ficar mais pesado, ele está aqui, decidida seguiu na direção da forte energia do caos que sentia, passo a passo caminhou na escuridão sem fazer um único som, seus pés pareciam sequer tocar o chão, seu corpo desviava quase que instintivamente dos galhos ao seu redor, a determinação a impulsionava a frente como um imã.

Viu a mesma concentração de tecidos negros ao qual vira da última vez, seguia em direção a uma encosta, não, era uma caverna, pode ver Melanie ao se aproximar mais, ele parou de repente, fazendo-a congelar no lugar ao perceber que estava perto demais, mãos pálidas saíram através da abertura da capa seguindo em direção ao capuz, Melanie prendeu a respiração, não sabia se estava preparada para ver o rosto dele.

"Você não devia estar aqui."

Assim que uma voz séria soou em seus ouvidos, sentiu seu corpo ser puxado para trás, como se houvesse sido sugado, no piscar de olhos, estava de volta à sala de feitiços.

"Merlin, eu estava tão perto de... eu poderia tentar detê-lo, ele estava distraído! Era nossa chance."

Melanie gritava em frustração, Merlin ainda estava com o olhar duro.

"Entenda, por favor, se acontecesse algo a você agora seria nosso fim, segundo o que você me contou na linha cronológica de onde viera você conheceu Teresa e ela foi importante para lhe ajudar a vencer. Se quebrarmos essa linha agora e se a Teresa não existir causaríamos um fissura tão grande que eu não poderia contê-la."

Merlin respirava fundo tentando se acalmar, sabia o porquê da ansiedade de Melanie, sentia a escuridão crescer dentro dela, temia o que poderia acontecer se ela deixasse ser vencida, mas o que poderia fazer agora era somente tentar guia-la da melhor forma possível.

"Sabe que com todas essas distorções, como é difícil manter essa realidade intacta para não afetar o futuro, sabe muito bem o quão fraco estou a cada dia, não poderei ajuda-la se for imprudente uma próxima vez."

"Mas, Merlin..."

Não tinha o que argumentar, Melanie sabia que Merlin estava certo, sabia da imprudência que fora ir dessa forma atrás de Kaled, mas para ela ainda era muito difícil acreditar que um de seus meninos havia perecido para o caos, que um de seus garotos podia tirar uma vida, tinha de vê-lo para poder acreditar, para confirmar que fora ela a culpada.

Merlin suavizou a expressão pousando uma mão em seu ombro.

"Eu sei criança o que esconde dentro de si, sei desde que a escolhi."

Melanie o encarou surpresa.

"Então por quê?"

"Por que a escolhi? Você ainda não sabe? Deixe-me explicar, você conhece quais são os dois tipos de discípulos?"

Melanie acenou negativamente.

"Muito bem, saiba que para mim existem dois, o primeiro é aquele que tem o talento e habilidades necessárias com um bom domínio e controle, o que muitos chamam de gênio."

"E o segundo?"

"O segundo, é quando existe alguém que possa vir a ser tão poderoso que deixá-lo a mercê de seus poderes e suas habilidades para lidar com isso sozinho é perigoso, então o mestre tem de treiná-lo e rezar para seguir o melhor caminho. Agora me diga, em qual desses você acha que se encaixa?"

Melanie ponderou, sabia muito bem em qual.

"Sim, você e Kaled são iguais, sei que você sempre temeu isso, quando o viu começar a ser corrompido pela primeira vez, você sentiu medo, medo de se tornar o mesmo que ele, de se perder para a escuridão que habitava o fundo de seu ser, mas na época, você tivera Arthur para ser sua ancora, seu ponto de apoio que pudesse sustenta-la quando você caísse."

Suas mãos tremiam, Melanie tentava se controlar, mas quanto mais Merlin falava, mais agonia, dor e culpa sentia.

"Melanie entenda, não importa o que de ruim exista dentro de você, todos nós temos um lado mal, o que nos define é se vamos permitir que esse lado nos controle ou não, você tem um coração empático, sempre ajudando a todos, sempre buscando ser o seu melhor para as pessoas que ama, essa é a diferença entre você e Kaled, infelizmente ele se deixou dominar, ele permitiu se perder."

Por fim não conseguiu mais se conter, caiu de joelhos agarrando a cabeça, gemia num choro surdo de desespero, depois de tudo agora podia entender Kaled, percebia como era difícil suportar e controlar a escuridão dentro de si, quando perdeu sua família percebeu o quão fácil seria perder o controle e destruir tudo, pois Melanie sempre soube como era poderosa, tendo uma das mais cobiçadas habilidades, a de distorcer o tempo e moldá-lo ao seu bel-prazer, a força do seu pensamento era extremamente forte como a de Kaled, com as mãos arrancava vários fios de cabelos, tentando em vão suprimir os gritos, abaixou-se até sentir sua testa encostar no chão, tentava conter a escuridão que ameaçava sair, gritava e gemia batendo a cabeça contra o chão, Merlin se agachou ao seu lado acariciando seu cabelo.

Se era somente isso que poderia fazer por Melanie, consola-la, estar ao seu lado, ele o faria, pois Melanie deveria sozinha conseguir suprimir a raiva, o ódio, o rancor que ativavam o poder que existe dentro de si, era por esse motivo que sempre fora contida, sem demonstrar muitos sentimentos, introvertida e cautelosa, Melanie sempre teve que controlar o seu poder, mesmo quando não sabia de sua existência, somente sabia que algo dentro de si crescia a cada decepção, a cada tormenta, nunca antes esteve tão perto de perder o controle, principalmente agora que estava sem Arthur.

Merlin lamentou faze-la sofrer dessa forma, doía vê-la assim, entretanto sabia que era melhor ela perder o controle agora quando ele ainda poderia ajudá-la a se conter do que se guardasse tudo e explodisse em uma hora inadequada. Os gritos cessavam, os gemidos estavam mais suaves, Melanie estava se acalmando, ela ficaria bem, Merlin tinha de acreditar nisso.

***

"Agora confia nela?"

Arthur não sabia se estava mais irritado por Ben tão rapidamente mudar sua posição a respeito de Melanie ou se se irritava pelo fato dele ser a pessoa que estava passando mais tempo com ela.

"Não é questão de confiar, é que antes eu não sabia o que sei agora."

"E o que você sabe?"

"Sei que ela tem sentimentos por você, sentimentos verdadeiros, desde que os convidados chegaram e você passa os dias com diversas damas que o cortejam, Melanie está infeliz e sei que você também, não tente me enganar."

Nem se tentasse esconder de seu rosto a expressão irritada Arthur conseguiria, as últimas semanas foram exaustivas, além da preocupação de que não queria uma noiva agora, sentia que não queria ninguém, ninguém além de Melanie, se surpreendeu com o pensamento, sempre fora alguém contido, mas agora sentia seu coração acelerar, seu corpo ferver, seria possível que no final Ben estivesse certo. Algo lhe dizia que sim.

Suspirando, seguiu Ben, que já vira que não conseguiria chegar a lugar algum com aquela discussão, para fora de seu quarto, tinham um baile a comparecer.

"Somente cuide dela esta noite, certo?"

Ben assentiu, mesmo que ainda parecesse aborrecido, Arthur tentou desviar os pensamentos, dizendo para si mesmo o quão estranho era ver Ben limpo, conseguiu rir com o pensamento, infelizmente o sorriso logo morreu ao se lembrar o porquê de ter de ir àquele baile.

O que eu vou fazer?

***

Podia sentir a exaustão da noite mal dormida, Melanie sentia o corpo doer de dentro para fora, como se seu corpo fosse uma cela e algo tentou sair dela, sem sucesso, e somente a machucara com a tentativa.

"Quanto tempo dormi, já está amanhecendo?"

"Na verdade, já está anoitecendo. Você dormiu o dia todo."

Merlin se aproximou com uma bandeja.

"Tome, precisa comer algo, ainda está fraca."

Assentiu, pegando um copo com um liquido fervente e um pedaço de pão. Olhou para Merlin curiosa.

"Essas vestes..."

"Sim, hoje é o baile, se lembra?"

A única lembrança que tinha daquele baile, além da ameaça de Correl, era a decepção de ver Arthur com outra mulher, sorriu ao lembrar do marido explicando para ela que fora pego de surpresa, que nunca desejou um beijo de Lady Catelyn. Parou no meio de um movimento quando ia tomar um gole de chá, um pensamento lhe ocorreu, Correl estaria no baile e na época buscara pelo seu livro, Melanie não havia se lembrado disso antes, sempre pensara que o livro era para Mordred, mas agora que sabia sobre Kaled, deveria ser ele que mandou Correl buscar o livro, o que significava que teria uma boa chance de Kaled estar por perto.

O que não sabia era o porquê de ele querer tanto o livro agora, pensou que o motivo de roubar o livro da primeira vez, como lhe contou Merlin, era somente fazer Melanie não ir para Camelot e não desenvolver seu poder, mas agora, não entendia porque ele ainda o queria.

"Merlin, acabei de pensar em algo."

***

Não foi fácil, mas Melanie conseguiu convencer Merlin a deixa-la ir ao baile vigiar Correl, as pressas conseguiram lhe encontrar um vestido que pudesse usar, pois em meio uma multidão não seria necessário ocultar sua presença, ela conseguiria se misturar e assim guardar um pouco de energia, já que tinha de gasta-la mantendo a aparência de Teresa.

Merlin seguiu na frente, tinha de estar lá antes dos convidados ao lado do rei, já Melanie ficou na sala de feitiços para se vestir, ainda se lembrava de quando Doris a ajudara na primeira vez, tinha saudades da antiga amiga.

Seguiu pelo corredor em direção aos aposentos do cavaleiro traidor, Melanie o vigiaria de perto.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Guardiões do Tempo: Agentes da Ordem - Parte II" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.