Os Guardiões do Tempo: Agentes da Ordem - Parte II escrita por R G Assis


Capítulo 11
Capítulo 9 - Seguindo a linha




A conversa com Merlin ainda se estendeu por horas, a cabeça de Melanie latejava tentando digerir as informações, mesmo Merlin não querendo admitir quando lhe confessou o que fizera, Mel sabia que a culpa era sua, sentia o peso finalmente cair sobre seu corpo, havia guardado o segredo durante tanto tempo, o ignorando como se assim fosse apagar seu pecado, mas agora que confessara a Merlin, sentia a culpa total da decisão desesperada e impensada.

Com as distorções no tempo causadas por Kaled e com o seu último salto que viera a perceber que teve sorte de não ir parar em outro tempo, Melanie e Merlin concordaram que não era uma boa ideia fazer viagens no tempo, pois poderiam perder o controle e parar no limbo, o que significava que estavam à mercê do tempo, que teriam de seguir a linha cronológica até o final e isso era o que mais temiam.

Também conversaram sobre os motivos e objetivos de Kaled, Merlin tinha uma boa ideia do que poderia ser ainda mais por saber da influência de Mordred sobre Kaled e Melanie concordava, sentia que tinha razão, também suspeitavam de que fora ele quem alterou o passado para existir essa terceira realidade da qual Melanie escapou, pois distorções eram causadas por alterações na linha do tempo, provavelmente, Kaled não esperava que Melanie também tivesse tido a coragem de realizar o feitiço imutável. Além das que suspeitavam, as únicas informações que se dispunham eram as lembranças de Melanie quando jovem, quando conheceu Teresa então pode compartilhar o que lembrava com Merlin e juntos tentavam montar esse quebra cabeças de lembranças.

***

Olhava para as plantas ao redor lembrando-se de quando, com sua mãe, plantou várias delas naquelas grandes vasos, seus pensamentos então foram invadidos novamente por ela, Arthur desde que vira Melanie naquele dia no rio não conseguia impedir a imagem de seus olhos multicoloridos invadirem sua mente.

Ainda não tinha certeza do que sentia, para Arthur nunca fora fácil se apaixonar, não como fora para Dom e Ben, para Arthur ainda era difícil entender como poderia amar alguém de uma forma tão intensa, não achava que poderia amar mais que sua família, mais do que amou a mãe.

Aquela tristeza ainda estava lá, no recôndito de seu coração, escondida há muito tempo e que sempre surgia quando estava sozinho naquele jardim, suspirou, a muito já se acostumara com aquela dor de uma forma que não o machucava mais, não como antes.

Ao sair ainda conseguiu sorrir ao se lembrar das expressões frustradas de Melanie por não conseguir lembrar-se dos nomes e propriedades das ervas, gostava de quando franzia o cenho juntando as sobrancelhas.

"Talvez...quem sabe?"

Acabou dizendo em voz alta enquanto saia pela porta do jardim.

***

Aquela noite Merlin insistira para que tentasse descansar, Melanie acabou dormindo em sua cama, estava exausta tentando assimilar tudo que discutiram no dia anterior, descobrir sobre Kaled a deixou doente, a dor que sentira por não conseguir salvá-lo de si mesmo somente foi menor que a dor de saber que havia falhado em salvar sua família da primeira vez, sentia-se culpada pela família que não existia nessa linha temporal, sentia-se culpada por não sentir nada nem se lembrar da primeira criança, pois fora uma realidade diferente com uma Melanie diferente, respirou com calma ao acordar, tentava acalmar seu coração e não se sentir culpada, pois agora nessa realidade faria de tudo para salvar a família.

Notou que a manhã ainda não chegara, estava escuro não via-se raios de sol entrando pelas frestas das paredes, viu Merlin descansando em uma cadeira, sorriu levantando para acordá-lo.

"Merlin, acorde. Tenho que sair."

Sacodiu seus ombros devagar.

"Merlin, Melanie logo chegará."

Abriu os olhos devagar.

"Já amanheceu?"

"Não, está amanhecendo, logo Melanie estará aqui para sua aula."

Esticando as costas ao se levantar, Merlin esfregou os olhos tentando espantar o sono percebendo a expressão decidida de Melanie.

"Para onde pretende ir? Não sabemos o que aconteceu nesse meio tempo antes de você conhecer Teresa, sabe que não pode deixar Kaled descobrir que está aqui e já tem de gastar muita energia ocultando a si mesma dele. Estou preocupado Melanie, não gostaria que andasse às cegas por Camelot, mas também não creio que descobriremos algo se você ficar escondida, sendo assim, peço que tome muito cuidado criança, essa será nossa última chance."

Mel pela primeira vez desde que chegara sorriu como sorria sempre, antes de ter sua vida destruída.

"Criança, olhe para mim Merlin, a muito deixei de ser uma criança."

"Não para mim."

Beijou sua testa como o pai faria.

"Sempre..."

Uma expressão séria caiu sobre seu rosto, de uma forma que Melanie nunca presenciara.

"Nós daremos um jeito, sabe que pode ser possível que possamos alterar aquele momento..."

"Não. Por favor, por enquanto não vamos pensar nisso, temos de ir com calma, deixar o tempo correr seu fluxo e tentar descobrir se estamos certos a respeito das intenções de Kaled."

"Mas Melanie..."

"Merlin, não, por favor, preciso ser forte por eles, não perderei tempo me preocupando com meu destino, afinal 'nada está escrito em pedra', certo?"

Sorriu acalmando seu velho mestre, mas por dentro sentia a escuridão se espalhar pelo seu corpo a corroendo. O abraçou se despedindo, por enquanto, depois seguiu para a porta tentando se decidir o que era melhor fazer, vigiar a si mesma ou os saxões, que estavam sob influência de Mordred e Kaled, por enquanto, pois até onde Merlin conseguira ver da linha do tempo e até onde conseguira descobrir sobre Kaled tinha certeza que o motivo dele ser tão poderoso fora que subjugou Mordred absorvendo seu poder para si.

Com a capa novamente sobre os ombros, escondeu o rosto sob o capuz enquanto caminhava pelos corredores sombrios do antigo castelo com toda a responsabilidade que jogara em cima de si mesma, pensava amargamente serrando os dentes.

Como humanos eram tão arrogantes a ponto de acharem que tem o controle de tudo?

Maldição Melanie! O que você foi fazer...





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Guardiões do Tempo: Agentes da Ordem - Parte II" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.