Os Guardiões do Tempo: Agentes da Ordem - Parte II escrita por R G Assis


Capítulo 10
Capítulo 8 - Confissões




Caminhou pelos corredores até o lugar certo, pelo menos achou que era o lugar certo, pois ninguém estava lá, Merlin resmungou:

"Ora essa, será que estou ficando velho e esquecendo das coisas?"

Olhou ao redor vendo que não, ele estava no lugar certo.

"Bem, ela deve estar atrasada."

Aguardou pacientemente, até sentir, sentir aquela leve pressão do ar mudar e uma distorção no espaço a frente aparecer, oh sim ele tinha acertado o local, ela já estava chegando.

***

O choque a fez pensar rápido, Melanie sabia que agora deveria procurar por Merlin não conseguiria mais sozinha, respirou fundo, sem ter total controle de para onde ou quando iria, somente queria se afastar dali se afastar da sensação, sumir na escuridão assim como Mordred fizera antes e assim o fez.

A sensação de desorientação e a falta de pensamentos conexos decorridos do salto temporal foram acolhidos com prazer, Melanie pareceu se sentir bem pela primeira vez em muito tempo, o que infelizmente não durou, logo sentia seu corpo pesar e seus sentidos voltarem como se emergissem de dentro da água, de repente estava em um corredor de pedra, parecia enfim ter retornado ao castelo...

"Eu estava a sua espera."

Somente notou Merlin a suas costas quando ouviu sua voz suave, virou-se resignada, a lágrima a muito já havia secado, seus olhos eram firmes e determinados quando falou.

"Precisamos conversar."

"Eu sei criança, eu sei."

Disse em uma voz cansada, juntos seguiram em direção a, que para Melanie, era a antiga sala de feitiços.

***

O chá estava quente como sempre, a fumaça subia lentamente aquecendo sua face, quando chegaram Merlin nem Melanie disseram nenhuma palavra, Melanie com a velhice havia adquirido mais paciência, repuxou a boca reprovando a forma como pensou em si mesma, agora que estava sozinha, sem Arthur, parecia se sentir ainda mais velha. Merlin a tirou de seus devaneios assim que sentou à sua frente com sua xicara.

"Você quer começar?"

Ofereceu Merlin calmamente.

"Tudo bem. Certo, primeiro me diga quanto tempo eu saltei."

Merlin sorriu internamente com a percepção aguçada de Melanie.

"Seis dias, hoje é terça à noite, você acabou de ter sua primeira aula de cura."

Um olhar nostálgico cruzou a face de Melanie, mas logo morreu assumindo novamente a expressão séria.

"Bem, acho que não perdi muita coisa nesses dias, não é?"

Tentou sorrir, continuando sem hesitar.

"Quando cheguei fui direto ao castelo, mas tive de perder algumas horas descansando, estava exausta... havia me lembrado de Correl e de como traíra a coroa, pensei que seria um bom lugar para descobrir algo significativo, quando cheguei a seus aposentos, vi um velho sair de lá da mesma forma que me lembrava, pois eu estive lá antes.

Resolvi então seguir o velho, e... bem... ele foi até o acampamento saxão na floresta, mas antes, antes eu vi Mordred chegar, eu senti sua presença da mesma forma que senti a muito tempo atrás, quando o enfrentei pela primeira vez..."

"Tem certeza de que era ele?"

Merlin a interrompeu, Melanie achou a pergunta estranha, mas é claro que era Mordred, quem mais seria?

"Sim, eu tenho certeza, senti o mesmo que sempre sentia em sua presença."

Um sorriso fraco, algo como um arrependimento.

"Melanie, você nunca conheceu Mordred."

Pela segunda vez o choque a deixou desorientada.

***

Merlin temeu pela chegada daquele momento como somente homens fracos de espírito, temiam a morte. Se arrependeu assim que pronunciou as palavras.

"Melanie, você nunca conheceu Mordred."

Seus olhos se arregalaram de surpresa, Melanie não compreendia o que Merlin estava lhe dizendo, por outro lado Merlin não queria lhe contar, não queria vê-la sofrer como sofrera nas outras vezes.

"Tenho muito que lhe contar, o que peço nesse momento é que somente escute, sei que talvez não tenha o direito de pedir seu silêncio pelo que estou prestes a dizer, mas mesmo assim ainda o peço."

Se recuperando do choque inicial, Melanie assentiu.

"Muito bem, comecemos assim, eu já lhe expliquei que sou um guardião e representante da ordem, um dos muitos escolhidos ao decorrer dos séculos, sabes que Merlin é um título adotado por nós, somos os escolhidos do círculo merliniano ao qual, você também pertence e carrega o título."

Um pequeno sorriso fraco veio de Melanie, Merlin se lembrava muito bem de quando contou a ela pela primeira vez, dizendo que Melanie poderia um dia ser o próximo Merlin quando ele se fosse, na época Melanie riu achando engraçado e dizendo que ele era único e que nunca poderia assumir seu lugar.

"Sabe que um dos nossos deveres é corrigir a linha temporal, evitar catástrofes planejadas pelos agentes do caos, tentando ao máximo equilibrar a balança, pois infelizmente, nem sempre podemos impedir suas terríveis ações.

Melanie, quando a conheci na livraria, senti a força de seu espírito, sabia que era você quem eu deveria ensinar, lembro de que fiquei tão feliz que me distrai de meus deveres."

Os sorrisos que apareceram pelas boas lembranças sumiram assim que Merlin parecia chegar a algo importante.

"Quando a conheci e a escolhi, tinha duas opções a seguir, a primeira: eu a levaria à Camelot, pois é meu local de origem, onde sou mais forte e onde poderia lhe ensinar muito melhor e com mais calma, pois na época não existia a ameaça de Mordred, eu mesmo o havia neutralizado definitivamente, então não havia motivo algum para lhe levar ao passado. A segunda opção: eu a ensinaria em sua própria época da melhor forma que eu pudesse fazer.

Em minha arrogância de achar que estava certo sobre você e que não havia necessidade de te tirar de seu lar e de seu família, eu escolhi a segunda opção."

Uma pausa para Melanie absorver suas palavras, não disse nada, mesmo que sua expressão quase gritasse que não compreendia, que Merlin estava louco, pois suas lembranças eram de quando viera a Camelot. Resgatando as memórias de um tempo a muito esquecido, Merlin continuou.

"Assim que escolhi a segunda opção eu fiz o livro ir até você, lembra do feitiço que lhe trouxe a Camelot? Bem, a primeira versão deste feitiço a trouxe de volta a livraria, onde eu lhe expliquei com entusiasmo tudo sobre magia, mas por não haver necessidade não praticávamos como devíamos, pois não havia nenhuma ameaça, você ficou fraca sem um motivo para usar sua magia, infelizmente, por pura imprudência de achar que havia escolhido certo, não verifiquei os efeitos de minha escolha na linha temporal e isso gerou um 'efeito borboleta', você que é apaixonada por ficção cientifica já deve estar entendendo onde quero chegar... pois bem, os efeitos foram catastróficos no final dessa linha temporal, onde naquela realidade você se casou com seu amigo, Will..."

Merlin parou assim que viu uma expressão de horror em seu rosto, Melanie respirava fundo tentando se conter, sem conseguir se acalmar totalmente, pediu que Merlin continuasse.

"Vocês tiveram um filho, mas você era infeliz ao lado dele, não demorou para se separarem e você criar a criança sozinha, sei o que deve estar pensando, essa não é a mesma realidade da qual você acabou de escapar, não, não é, peço que espere mais um pouco, você vai entender no final. Enfim, seu filho cresceu como seu aprendiz, pois a magia da ordem deve ser passada adiante através das gerações e junto com seu filho você teve outro aprendiz..."

"Kaled."

Foi sua única interrupção, Merlin sentia que Melanie já começava a entender.

"Sim, Kaled. Nós vimos um potencial imensurável naquele jovem e como eu, você o ensinou, peço que não se culpe pelo que lhe ensinou, sei que foi uma mentora admirável, mas infelizmente, você não tinha experiência e por isso não conseguiu lidar com os acontecimentos futuros. Anos mais tarde quando os meninos já eram adolescentes, eu notei certos traços preocupantes em Kaled e quando conversei com você sobre isso, você me confidenciou sentir o mesmo e me perguntou se fizera a escolha certa, na época eu lhe tranquilizei dizendo que poderíamos estar nos equivocando, o que infelizmente, não era o caso.

Com o decorrer do tempo, a escuridão crescia em Kaled e você se sentia culpada, pois ambos eram iguais, você sempre me dizia que se via em Kaled, que ele representava sua parte um tanto desordeira, você o amava como amava seu filho."

Lagrimas encheram os olhos dispares de Melanie, ela as segurou sem permitir que percorressem seu rosto, Merlin se repreendeu mentalmente por mencionar seu amor por seus filhos e aprendiz perdidos.

"Perdoe-me, sei que é difícil para você, pois os ama, acredite não gostaria de ser eu a lhe dizer o que estou prestes a contar, mas é necessário. Como via que não poderia mais conter aquela escuridão, você tomou a decisão de não mais ensinar Kaled, ele não seria mais seu aprendiz, tentou lhe explicar os motivos queria fazê-lo compreender, já Kaled, que escondera o tempo todo seus poderes e a influência do caos, se tornou de uma forma distorcida mais poderoso que você, que o subestimava. Assim Kaled a atingiu da forma que sabia que mais a machucaria, ele matou seu filho."

Enfim as lágrimas caíram, mesmo assim seu rosto parecia congelado, impassível, Melanie não parecia mais estar em seu próprio corpo.

"Sofrendo pela dor da perda, você não pode detê-lo, era fraca e impotente e assim Kaled guiado pelo caos a derrotou, tudo isso, sua derrota, os poderes de Kaled, convergiram em um futuro destruído e consumido pelo caos, quando vi o que tinha feito, descobri que cometera um erro ao decidir ensiná-la em seu próprio tempo, então sem hesitar voltei ao passado e mudei essa parte, decidi leva-la a Camelot e quando fui até o futuro para verificar se fizera a escolha certa, o que encontrei foi ainda pior, o futuro iminente de destruição ainda existia e Kaled, estava ainda mais poderoso.

Em desespero, voltei para Camelot para pensar, isso tudo aconteceu no seu primeiro dia aqui, quando voltei, senti a presença forte de Mordred, mas como poderia ser possível?! Sabia que somente um feiticeiro muito poderoso do caos poderia trazê-lo de volta a 'vida', mas infelizmente eu conhecia o candidato perfeito.

Mesmo Kaled sendo poderoso e se dispondo da ajuda de Mordred, consegui vigia-lo de longe e descobrir que poderia voltar no tempo quantas vezes quisesse que de nada adiantaria, pois o meu velho irmão inconsequente lhe ensinara um dos feitiços mais poderosos e perigosos. O feitiço imutável."

Um arrepio percorreu a coluna de Melanie.

"Sim, o mesmo feitiço a qual também estamos presos, um feitiço que nos permite sermos sempre nós mesmos e ter nossas lembranças mesmo que a linha temporal seja alterada, bem, devo dizer que o feitiço é um dos motivos de você ter se lembrado e estar aqui agora. Apesar de não ser o único motivo. Pelo menos acredito que não seja, não... não consigo mais ver o fluxo de tempo com clareza, Kaled parece estar interferindo de alguma forma. Ele criou muitas distorções que estão me afetando."

"Merlin, está querendo dizer que nunca lutei contra Mordred, que tudo que fiz antes não adiantou de nada, quero dizer, a verdadeira luta aconteceu entre nós agora, mas... como? Você não se lembra? Isso não aconteceu antes? Pois me lembro de conhecer Teresa, uma feiticeira que tem a mesma aparência que tenho agora, e ela me ajudar, me ensinar, ela se apresentou como sua aprendiza... quer dizer que você sabe o que fazer agora?"

Seu olhar era desamparado, Melanie deixou seus ombros caírem ao compreender.

"Você não pode ver... então, quer dizer que isto está acontecendo pela primeira vez, essa é a primeira vez que voltei no tempo, a primeira vez... agora entendo, estamos presos em um paradoxo. Por isso você não pode me dizer muita coisa na livraria."

Merlin assentia.

"Sim, como disse, as distorções me afetam, não posso mais ver o futuro, não posso mais viajar no tempo, nem me lembrar dos acontecimentos que já vivi no futuro, você sabe como funciona minha mente, não existe presente, sempre estou vagando entre passado e futuro, mas dessa vez não posso ver, tudo que estamos vivendo agora, é como se fosse a primeira vez, entende, tudo aconteceu ao mesmo tempo, se você se lembra de conhecer essa Teresa a qual fala e acha que ela é sua versão do futuro, então... sim, é exatamente isso que aconteceu, tudo ao mesmo tempo, sendo assim não posso prever."

Merlin refletiu por um instante.

"Tem certeza desse papel, como pode saber realmente que você é Teresa?"

"Apenas sei Merlin, além disso, mais cedo quando disse que estava no acampamento saxão, pensei em me infiltrar entre eles e... um nome surgiu em minha mente, o de Teresa."

Sua voz soava melancólica. Merlin estava frustrado por não saber o motivo, sentia-se cego uma vez que não podia mais se transportar pelo tempo, via como era difícil não saber o que fazer a seguir, nunca se sentiu tão humano.

"Pelo que parece, não é um bom sinal, estou certo?"

Melanie assentiu.

"Está, tem algo que deve saber sobre Teresa..."

Melanie respirava fundo, seus punhos estavam serrados, agora Merlin estava preocupado de verdade.

"E também, tem algo que deve saber sobre Kaled, acho que sei exatamente quando é o ponto da história que deve ser alterado, Merlin, a culpa nunca foi sua, por isso você não conseguiu mudar o futuro, o erro sempre foi meu, o tempo todo."





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Guardiões do Tempo: Agentes da Ordem - Parte II" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.