Além do Tempo escrita por Tha


Capítulo 8
Capítulo 7


Notas iniciais do capítulo

Sem entrar em detalhes, mas arranjei um emprego e a criatividade foi dar uma voltinha e só volta em dias aleatórios então...
Well sem mais explicações, vamos para o capítulo e boa leitura :)



A patrulha não foi como eles esperavam, os bruxos não conseguiram rastrear nada nem uma essência de magia, foram até o limite passando pelo rio que corria separando as terras.

— Bella tenta novamente – pediu Hermione

— Canis Futum – conjurou a morena

Da ponta da varinha apareceu um cachorro que pulou e caiu correndo, os quatro saíram correndo atrás do animal que estava farejando o ar e a terra atrás de algum cheiro duvidoso até que ele parou de repente e começou a latir.

— Achamos – comentou Harry

Bella fez um aceno com a varinha depois de fazer um carinho no cachorro e ele desapareceu como se fosse fumaça, todos prepararam as varinhas e avançaram lentamente até que tamparam os narizes ao encontrarem um corpo de uma pessoa já em decomposição.

— Lumos – conjurou Harry e na ponta de sua varinha se iluminou para clarear um pouco o ambiente já iluminado pela lua

— Por Merlin – falou Rony ficando enjoado

Hermione se agachou, pegou um galho que estava próximo e mexeu nos restos de roupa que tinha em volta do corpo.

— Era um homem e parecia que ele segurava algo na mão – Hermione apontou para a mão direita – Uma varinha talvez

— Não sei, mas é plausível – concordou Bella - Talvez devêssemos vir aqui de manhã para ver melhor.

— Bella tem razão – concordou Rony

— E quando ela não tem razão Rony? – perguntou Hermione em tom de brincadeira

O ruivo fez uma careta e bufou, a loira checou mais um pouco o corpo e se levantou virando de costas, mas travou quando viu um lobo enorme se aproximando rapidamente deles.

— Pessoal – ela apontou para frente

Os três seguiram o dedo dela e arregalaram os olhos, Bella apontou a varinha rapidamente conjurando um feitiço em seguida.

— Impedimenta!

Uma luz azul clara saiu da varinha atingindo o lobo que paralisou no lugar

— Vamos dar o fora daqui – Harry começou a correr na direção em que vieram e os outro o seguiram

— Bella o que você fez? – perguntou Hermione quando chegaram na casa e travaram a porta com o feitiço coloportus

— Apenas paralisei o lobo temporariamente, daqui a pouco ele volta ao normal. – respondeu dando de ombros

— Vocês viram o tamanho daquele lobo? – Rony balançou a cabeça aturdido

— Espero que você não tenha pesadelos essa noite, não quero acordar com os seus gritos – pediu Harry

Hermione e Bella seguraram as risadas vendo a cara de indignação do ruivo e todos subiram para tomar um banho e capotar na cama. Na manhã seguinte Harry e Rony foram até o local para checar o corpo antes de iriem para escola.

— Escreve aí – Pediu Rony – Homem,1,78 de altura talvez, loiro, a pele provavelmente era pálida, as roupas eram de grife...

— Viu a etiqueta ou foi por extinto? – perguntou o moreno prendendo uma risada

O Weasley semicerrou os olhos para o amigo e voltou a análise.

— Continuando... A mão direita fechada como se estivesse segurando algo – Ele pegou um graveto parecido com uma varinha e colocou no espaço vazio – Ok, confirmado que era uma varinha.

— Quem mataria um bruxo? – questionou Harry parando de escrever

Rony deu de ombros, olhou o corpo de cima a baixo e um detalhe lhe chamou atenção. O ruivo tomando cuidado tirou um folheto das roupas esburacadas, ele se levantou, andou até o amigo e abriu o panfleto.

— ‘’ Pela nova ordem, vingue nossos antepassados para o bem do nosso futuro’’ – leu o ruivo

— Esse não é o lema daquelas pessoas que estão falando sobre o ‘’mundo místico’’?

— Verdade, melhor levarmos para as meninas que já devem ter acordado.

Os dois deram mais uma olhada no local, não encontrando mais nada, frustrados eles voltaram para casa encontrando as meninas já devidamente vestidas para a escola trouxa.

— Encontraram alguma coisa? – perguntou Bella antes de tomar um gole de seu chá quente

— Encontramos um panfleto – revelou Rony entregando o mesmo para a esposa   

Hermione o pegou, abrindo em seguida com muito cuidado, ela leu o que estava escrito e o passou para a amiga.

— Achei ridícula essa imagem de uma mulher amarrada em um tronco de árvore no meio de uma fogueira – comentou a morena sentindo um arrepio – Mas esse é o lema daqueles trouxas que passaram na tv esses dias.

— Um fato a ser apontado é que esse papel não está nem um pouco envelhecido, como deveria estar... – apontou Hermione

— Está dizendo que ele foi colocado lá? – perguntou Harry parando de passar geleia no pão

— Provavelmente.

— Mas quem colocaria isso, sendo que estamos tomando cuidado e agindo de forma silenciosa? – Isabella arregalou os olhos para dar ênfase a questão

— Não sei, mas que isso está me irritando ah se está – Rony cruzou os braços irritado

— Bem vamos pensar em alguma coisa mais tarde, agora temos que ir para a escola – comunicou a loira olhando para a amiga que estava colocando a xícara na mesa – Está tudo bem para você?

— Claro – respondeu ela dando um sorriso tranquilizador

— Então vamos.

Os quatro se levantaram, pegaram as suas coisas e foram para o carro.

Enquanto isso na casa dos Cullen

— Edward já está na hora – chamou Alice aparecendo na porta de seu quarto

— Claro já estou indo – Edward se virou para a irmã dando um pequeno sorriso

Espero que você esteja melhor pensou a vidente se retirando

O telepata se limitou a dar um leve suspiro, a memoria de sua Marie ainda estava fresca em sua mente, mas ele prometeu que aquela garota não iria atrapalhar o que ele e sua família construíram como o passar dos anos.

Edward pare de se lamentar e vamos logo pediu Rosalie impaciente em sua cabeça

Edward revirou os olhos e saiu de seu quarto indo ao encontro de seus irmãos, como sempre se dirigiram para o seu carro que era o ‘’menos chamativo’’ indo para a horas de tortura segundo o mesmo.

Como era de costume, o ruivo parou o carro na vaga de sempre, eles saíram do Volvo e observaram o ‘’ambiente’’, os humanos olharam para o Edward curiosos tudo pelo ocorrido no refeitório.

Eles ainda não chegaram pensou Emmett

Espero que o Edward não de outra cena Rosalie o olhou de soslaio apenas para verificar que ele não iria fazer aquilo

Daqui a alguns segundos eles chegaram Informou Alice tocando no braço do irmão lhe dando apoio

Jasper lançou uma onda calma para o ruivo que relaxou de imediato, como Alice previu os novatos chegaram e com eles estava ‘’Ela’’, o carro parou na vaga de frente para a família. De lá saíram Hermione, Harry, Rony e finalmente...

— Lá está ela – falou Alice vendo a morena sorrir para o ruivo que estava do seu lado

Os Cullen viram a garota olhar para frente e o sorriso se apagou de seu rosto, ela falou algo para os outros que olharam também e logo andaram para dentro da escola, mas a morena olhou para Edward e por uma fração de segundo viram uma tristeza passar pelo seu rosto.

— Qual é o nome dela? – Perguntou Rosalie

— Isabella Swan, mas prefere ser chamada de Bella – respondeu Jasper

— Só um atento, me sentei atrás dela um dia desses e consegui ver o seu segundo nome – começou Emmett cauteloso e hesitante

— Fale logo – pediu Edward

— Eh... Bem... O segundo nome dela é... Marie... Isabella Marie Swan       

— Oh! – exclamou Alice um pouco surpresa

— Vai ser mais complicado que eu imaginava – murmurou Edward para si mesmo

Eles ficaram em silencio, ouvindo o sinal bater para o inicio das aulas, cada um seguiu para sua respectiva sala, mas em cada pensamento humano o rosto de Isabella aparecia para a tortura interna de Edward que ‘’infelizmente’’ soube o segundo nome da garota.

As aulas se passaram lentamente e arrastadas, até que bateu o sinal do intervalo que também se passou com algumas trocas de olhares tanto pelo lado da bruxa quando pelo lado do vampiro, mas para a infelicidade dos fofoqueiros de plantão não houve nada chocante vindo dos dois.

O barulhento sinal bateu novamente e os jovens adolescentes começaram a se dispersar assim como os Cullen, Edward entrou na sala de biologia, andou até o seu lugar se sentando e percebeu os olhares estranhos dos humanos para a cadeira vazia ao seu lado.

— Ela vai sentar ao lado dele – sussurrou uma garota para a outra o que fez o telepata ficar confuso, mas ele olhou para frente congelando ao vê-la entrar na sala

Bella prendeu a respiração ao vê-lo sentado na cadeira que estava vazia da outra vez merda pensou ela, mas soltou o ar que estava preso, andou até a sua cadeira e se sentou totalmente tensa, se pegasse uma tesoura dava para cortar a tensão que se instalou entre os dois.

Calma Edward, não é ela, não é ela o vampiro começou a mentalizar um mantra se afastando da garota até o máximo que a mesa permitia, Vamos lá respire e se acalme.

Ele se permitiu respirar o que foi um erro tremendo, o cheiro do sangue dela o arrebatou como um taser que adormece os músculos de uma pessoa, mas no caso dele acordou um lado de seu ser que estava adormecido por séculos... O monstro como ele mesmo o chama.

Já Bella colocou a sua mochila em seu colo a segurando firmemente preparada para qualquer coisa, ela olhou para o seu vizinho encontrando um olhar hostil vindo dele, desviou o olhar segurando as lágrimas raivosas que tentavam sair.

Edward percebeu que sua vizinha estava irritada, mas não pode conter a hostilidade de aparecer, por causa dela que ele estava se sentindo assim, com raiva, medo, sede, curioso e inseguro. Matar o professor rapidamente, depois os alunos e por fim matá-la sem poder dar a chance de gritar ou pedir ajuda pensava o monstro preparado para atacar, ele agarrou a ponta da mesa sentindo ela virar pó através de seus dedos.

Em contrapartida o telepata via o rosto do monstro de olhos vermelhos virar o rosto de Carlisle, seu pai, aquele olhar cheio de carinho, paciência e calma fazia o ruivo lutar consigo mesmo. Ele ouviu o barulho da cadeira se movendo para longe e a garota soltar um suspiro.

A tensão se manteve durante a aula inteira e quando o sinal bateu Edward saiu imediatamente da sala, andando a passos largos até a saída para respirar ar puro.

— Puta que pariu – sussurrou ao se encostar na parede feita de tijolos, ele fechou os olhos se concentrando em respirar

Isabella o viu sair da sala, com raiva socou seu caderno, estojo e livro na mochila e saiu da sala ainda lutando contra as teimosas lágrimas que faziam o favor de aparecer quando estava com raiva, Hermione a esperava lá fora para irem a aula de literatura.

— Bella, está tudo bem? – perguntou a loira atenta  

— Claro, por que não estaria? – devolveu ela de forma irônica

— É você não está bem.

— Vamos logo, por favor – Bella esfregou suas têmporas se sentindo cansada

A loira deu de ombros sabendo que a amiga não iria falar nada. Depois de duas aulas de literatura, as duas se encontraram com os meninos após o último sinal bater para irem embora, para a felicidade do trio de ouro Bella estava totalmente normal.

— É eles já foram embora – Rony apontou para a vaga vazia

— Graças a Merlin, se eu ficasse mais um pouco na mesma sala que aquele ser topetudo com toda a certeza lançaria um feitiço – murmurou Bella erguendo as mãos em agradecimento.

Os três olharam para a bruxa a estranhando, mas deram de ombro e foram para casa.

Continua...     



Notas finais do capítulo

E então gostaram? Espero que sim e provavelmente saia mais um capítulo um pouco mais tarde.
Comentários para o capítulo, perguntas ou críticas podem mandar elas são bem vindas.
Bjs Bjs Tha



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Além do Tempo" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.