Além do Tempo escrita por Tha


Capítulo 21
Capítulo 20


Notas iniciais do capítulo

NÃO ABANDONEI A FIC que fique bem claro, esses últimos meses estão bem puxados para mim e não tive nenhum tempo para sentar a minha bunda na cadeira e fazer um capítulo, mas venho informar que a fic está na reta final e está na hora de pedirem seus feitiços preferidos, por favor.
Info: Agoureiro é uma ave meio tristonha que somente voa sob fortes chuvas, ele pia somente quando uma chuva está chegando e antigamente acreditavam que ele anunciava a morte.
Escutem a música por favor fazer aquele esqueminha de sempre se abrir o link, copiar ele e o colar em outra guia e vamos ao capítulo de hoje



Nos dias que se passaram o tempo começou a mudar, parecia que iria ter um furação que vinha de Seattle para Forks, os bruxos não gostavam nada disso. Isabella, Harry, Rony e Hermione receberam os aurores da MoM, alguns amigos que estavam por lá na américa e os irmãos de Rony vieram ajudar, o ministério da magia francês enviou Fleur Delacour para os representar no caso todos os ministérios mandaram representantes para dar apoio e suporte.

Os Cullen e os lobos ficaram impressionados vendo os bruxos todos juntos iguais, mas ao mesmo tempo tão diferentes, as varinhas uma diferente da outra. Hermione explicou que cada varinha tinha uma composição alguns tinham penas de fênix outras tinham dentes de dragão, etc.

No dia 29 de outubro os amigos de Carlisle chegaram, os primeiros foram os Denali, pois moravam no Alaska. Eles ficaram interessados nos bruxos e surpresos pela aparência de Bella ser igual a de Marie, Eleazar ficou mais interessado já que não conseguia ler nada dos pensamentos dela.

— Uma escudo – murmurou ele

— Escudo? – perguntou Alice

— Isabella é um escudo bem poderoso.

— Na verdade sou uma oclumente, não um escudo – Bella ficou um pouco envergonhada

— Oclumente? – perguntou Carlisle

— Uma pessoa oclumente é aquela que tem os seus pensamentos protegidos, ela oculta os pensamentos – explicou Harry pela amiga – Snap tentou me ajudar nisso quando era vivo, mas não dava as aulas de oclumencia era bem tensa.

— Imagino – comentou Rony levando um tapa de sua esposa

Os lobos começaram a aparecer aos montes por causa dos vampiros que chegavam Sam e Jacob se dividiram em duas matilhas para não superlotar uma só, os vampiros que chegavam falavam que os Volturi estavam caçando todos eles alegando exposição o que era totalmente ilógico.

— Então eles estavam ajudando a Delfi o tempo todo? – perguntou Hermione

— Eles deveriam estar enviando os vampiros nômades para lá apenas para morrerem – respondeu Jasper

— Ou servirem de enfeite ou mascotes – resmungou Rosalie

Esme se estremeceu, ela não gostava de violência, mas como aquilo ameaçava sua família e amigos essa medida deveria ser tomada.

Jasper ensinou a eles como se defender de recém-criados o que provavelmente iriam ter e os bruxos ensinaram a se proteger de feitiços, os lobos cheiraram todos eles para guardarem o cheiro e não confundirem na hora do confronto.

Seth se aproximou de Edward como um bom amigo lobo, Jacob se aproximou de Renesmee que aceitou a impressão do lobo. Draco e Bella ficavam conversando sobre coisas burocráticas ou falavam do passado para a morena o perdoar, Edward não gostava quando o loiro e a morena começavam a conversar aos sussurros, mas Isabella lhe contou um pouco sobre o que o Malfoy já fez no passado.

— Ele percebeu a besteira que estava fazendo no último instante, Rony e Harry não gostam nem um pouco de Draco, e Hermione tenta ser simpática – contou a morena – Harry começou a ficar tolerante por causa do filho do meio Alvo. O menino tem uma amizade forte com o Escórpio o filho único de Draco.

— Draco já foi casado? – perguntou Edward calmo

— Já, Astória era o nome dela, acabou morrendo por causa de uma doença. – Bella parou de andar – Entenda Draco é um bom pai para Escórpio, o menino ama o pai só que todos acham que ele irá repetir o que o pai fez no passado.

Edward se encostou em uma árvore, cruzou os braços e encarou a linda morena que estava na sua frente, ele percebeu que ela tinha a mania de morder os lábios quando estava nervosa ou pensativa.

— Acha que o menino irá repetir?

— Não, Escórpio é um bom menino, sabe que o pai já fez muita merda no passado e repudia essas atitudes.

— Vejo que tem um carinho especial por ele.

— Escórpio? Claro que tenho, para ele sou quase a sua tia já que bem... Eu era uma amiga de Astória, mas faz muito tempo que não o vejo. – Bella suspirou – Da última vez que o vi, ele estava concertando o que Alvo e ele fizeram no passado.

— Como assim?

— Eles estavam tentando ressuscitar Cedric por causa do sofrimento de Amos, mas mudavam o passado inteiro e Escórpio no final concertou tudo, trazendo tudo ao normal. – Resumiu a bruxa    

Os dois voltaram para a casa que se encontrava lotada tanto de bruxos como de vampiros e lobisomens, eles conversavam sobre suas crenças, culturas, política ou apenas contavam histórias cada um de seu jeito.

Quando chegou a noite os bruxos ficaram na casa de Bella, Harry, Rony e Hermione, os vampiros foram com os Cullen e os lobisomens foram para a reserva. Cada um deles tiveram uma noite agitada e tensa, pois não sabiam o que iriam enfrentar em Seattle.

No dia seguinte os bruxos receberam a noticia que a escola foi totalmente fortificada assim como o ministério da magia britânico, milhares de bruxos se ajuntaram para proteger o seu mundo de uma exposição.

— Meu ministério acaba de me mandar uma carta, eles já fortificaram tudo – comentou Paulo

— A escola também? – perguntou Fleur com o sotaque francês dando as caras

— A CasteloBruxo está totalmente segura – respondeu o homem – Alguns vampiros, lobisomens e híbridos foram para tanto para a escola quanto para o ministério.

— Certo, Gui ligue a TV por favor – pediu Hermione

Assim que ele ligou a televisão o jornal estava passando a previsão do tempo, mostrava que pelos próximos dias iria acontecer uma tempestade e a jornalista até brincou que esse seria um péssimo Halloween.

— Olhe só, se não é dia 31 de Outubro que iremos para Seattle e nesse dia é comemorado o Halloween – falou Rony irônico

— Dia das bruxas para logo em seguida ter o dia dos mortos – comentou Carmille do ministério italiano

— Datas irônicas – resmungou Draco ao lado de Isabella que concordou

Hermione repassou algumas recomendações para todos, enquanto ela falava, Bella se aproximou da janela e viu as nuvens ficando cada vez mais escuras e densas, logo um trovão foi ouvido ao longe interrompendo a conversa deles, no completo silencio uma ave piou.

— Isso foi um... – começou um homem de outro ministério a falar

Agoureiro— completou Bella sombria

Um raio apareceu caindo perto de uma árvore próxima a casa deles, Isabella se afastou da janela e se virou para todos.

— Fortifiquem as janelas de portas da casa inteira... A tempestade já chegou até nós – mandou a morena que foi obedecida por todos

31 de outubro de 2018, 05:00 horas da manhã, Quarta-Feira

A chuva caia impiedosamente lá fora, mesmo com a força da água todos se reuniram na casa bruxa que se expandiu para caber e acolher a todos, Hermione subiu em um banco para ficar mais alta, as pessoas presentes a olharam com olhares determinados e cheios de esperança.

A ministra olhava todos eles relembrando a guerra bruxa que participou era aqueles mesmos olhares dando o ar da graça novamente depois de tanto tempo, ela cruzou os dedos na frente de seu corpo e suspirou.

— Não vou fazer um grito de guerra e blá blá blá, mas peço a vocês que não sintam medo do que iriam enfrentar em Seattle, muitas pessoas inocentes morreram e está na hora de fazer eles pagarem - falou Hermione – Pela paz e ordem que será reinstaurada novamente não só aqui como no mundo todo, não vamos perder a esperança e a determinação... Seguiremos em frente, enfrentaremos os nossos medos e inseguranças para finalmente trazer a paz.

Enquanto ela falava alguns casais se entreolhavam e se aconchegavam um ao outro, os lobos davam tapinhas nas costas um do outro, alguns bruxos fizeram a mesma coisa passando confiança, Rony apertou a mão de Hermione, Harry olhou a foto de sua esposa e seus filhos, e passou o braço por cima do ombro de Isabella, a mesma deu um tapinha nas costas do amigo e olhou para cima vendo que Edward a encarava, ela sustentou o olhar sem o quebrar nem um segundo sequer.

Esse olhar se quebrou apenas com o grito dos outros em concordância, Hermione deu uma ordem final e os bruxos começaram a se organizar em fileiras.

— Vamos em frente – Falou a loira

Dois bruxos de encaminharam para a porta principal, apontaram as varinhas e lançaram o feitiço.

— Alohomora.

As portas se abriram e os bruxos começaram a sair na chuva, Isabella os seguiu passando pela porta recebendo a chuva, Renesmee saiu ao seu lado o cabelo ruivo começou a ficar molhado, os Cullen com os outros vampiros saíram logo atrás com os lobos aos seus encalços.

Carlisle se lembrava da noite em que foi transformado era a mesma formação, porem na sua época ela era composta apenas por humanos segurando estacas, cruzes e tochas, e procuravam algo que era impossível de se matar. O patriarca achava incrível como os lobos e bruxos se organizavam, ele viu Edward avançando e ficando ao lado de Isabella que nem sequer o olhou, Esme segurou a mão dele e apertou passando ainda mais confiança que iria dar certo.

Jacob avançou até ficar do lado de Nessie, ele viu o cabelo ruivo totalmente molhado da bruxa. O lobo sabia que morreria se ela não sobrevivesse, mas faria de tudo para que ela não fosse ferida.

Alguns juramentos eram falados ou sussurrados, poderiam ser o fim de uma esperança ou o nascimento de uma paz verdadeira.

Seattle, 07:00 horas

Delfi Bennett olhava a movimentação pela janela, o barulho dos trovões era intenso e alto assim como os gritos dos humanos na rua, ela deu um sorriso satisfeito orgulhosa de sua genialidade, alguns comensais da morte foragidos se reuniram a ela e a sua causa isso a fez ficar mais confiante, porem aqueles bruxinhos do bem-estavam atrapalhando tudo.

A mestre pegou um vaso e o lançou na parede quase acertando um de seus seguidores que abriu a porta.

— Senhora.

— O que quer? – perguntou ela irritada

O barulho do trovão sacudiu o prédio em que se encontravam, o bruxo olhou para o teto vendo o belo lustre balançado, engoliu em seco e desceu o olhar vendo sua líder o encarando irritada.

— As criaturas estão agitadas por conta do barulho, quando sairemos? – perguntou o homem fazendo a senhora Bennett sorrir

— Em algumas horas – respondeu ela se virando de costas para o seguidor – Os Volturi já chegaram?

— Sim, senhora

Ela alargou o sorriso idiotas pensou, fez um sinal para o homem se retirar, o barulho da porta se fechando foi ouvido deixando a mulher sozinha na enorme sala.

— A música está seguindo o seu curso, só falta os cantores começarem a cantar – sussurrou ela – Logo meus caros, logo teremos o que merecíamos.

Caminhou até a janela novamente, para escutar os gritos novamente e todo o barulho.

— Uma espécie limpa e sem nenhum estorvo de magia mal aplicada. – Bennett soltou uma risada que logo virou uma gargalhada.

Continua....



Notas finais do capítulo

E então gostaram? Espero que sim e tentarei postar outros capítulos mais tarde ok?
Comentários para o capítulo, perguntas ou críticas podem mandar elas são bem vindas
Bjs Bjs Tha



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Além do Tempo" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.