Além do Tempo escrita por Tha


Capítulo 19
Capítulo 18


Notas iniciais do capítulo

Nos vemos nas notas finais :)
Espero que gostem e boa leitura ♥



Na manhã seguinte os três saíram para uma pequena vistoria, o que viram era Seattle ainda mais bagunçada, as pessoas gritavam que tinham perdido seus amigos, parentes ou parceiros para uma coisa assustadora, mas se fossem pressionados pelas autoridades eles diziam o contrário deixando ‘’claro’’ para a policia que eles tinham ficado loucos.

Edward, Bella e Jacob sabiam que eles não estavam loucos, mas não poderiam fazer nada, para o alivio momentâneo deles a comida e a água não acabaram o que era uma das preocupações do trio. Eles passavam o relatório para os outros em Forks assim que acabara a semana.

Hermione tinha ido para New York para ver se encontrava algum sinal de alguém que trabalhou na Macusa. O que ela encontrou foi o grandioso prédio do ministério em ruinas, o enorme relógio que sinalizava se os no-maj sabiam de sua existência havia caído rudemente no meio da escada que interligava nas outras, papéis com varias informações jogados no chão pisoteados, pedaços de varinhas jogadas em vários cantos e bandeiras rasgadas.

Ela continuava avançando cuidadosamente, controlando a sua respiração e qualquer tipo de barulho, mas mesmo com todo esse cuidado a loira se sentia incomodada como se alguém tivesse a vigiando constantemente. Hermione parou e olhou para todos os cantos, continuou a andar sempre vigilante, ela desceu as escadas indo para os escritórios.

Encontrou o chão repleto de papéis, canetas, moveis quebrados, vidros e todas as portas estavam abertas dando um ar sinistro ao local, em algumas paredes tinha gotas de sangue já secas.

— Por Merlin - sussurrou ela quando entrou em uma das salas e se deparou com frases escritas com sangue - Quem faria uma coisa dessas?

— Eu me faço a mesma pergunta - respondeu uma voz feminina atrás de Hermione

A bruxa sacou a varia rapidamente e a apontou para a mulher que levantou as mãos.

— Quem é você? - perguntou Hermione autoritária

— Renesmee Brandon, uma das poucas pessoas que sobreviveram ao ataque a Macusa - se apresentou a ruiva - E você?

— Você trabalhava para a Macusa?

— Sim, era uma das aurores daqui, mas a senhorita não respondeu a minha pergunta.

— Sou Hermione Granger

— Sério? Graças a Merlin, estávamos tentando enviar mensagens ao seu ministério, mas nossas corujas nunca voltavam.

— Não recebemos nenhuma carta vinda de New York, mas me conte como foi o ataque.

Renesmee contou tudo que sabia sobre o ataque e quantos sobreviveram, a ruiva aceitou ajudar Hermione na defesa do ministério britânico.

Nesse meio tempo em Forks, Harry e Rony receberam a carta resposta do ministério francês, eles estavam começando a se proteger e avisaram os outros ministérios do mundo todo. O jornal Profeta Diário começou a escrever sobre a movimentação de todos os ministérios para se defender de um possível ataque e exposição.

— Não encontramos nenhum sinal estranho nas rondas pelas fronteiras - Sam cruzou os braços tentando não parecer frustrado - E os outros?

— Edward, Bella e Jacob voltam na semana que vem para Forks assim como Hermione - respondeu Harry

— Quando eles voltarem vamos nos reunir novamente e decidimos o que iremos fazer, tudo que tememos é uma exposição e um ataque. - Completou Rony

— Ei, Rony tem uma carta para você - Emmett jogou a carta para o ruivo que a pegou, abrindo em seguida

— Merda, é uma mensagem do Gui - o ruivo fez uma careta - Fleur vem para cá nos ajudar em nome do ministério francês

— Pelo menos conhecemos Fleur - Harry deu de ombros e voltou a conversar com os outros

Seattle, 08:00 am, segunda-feira

— Iremos para o sul, temos que ver se tem algo para lá - falou Bella

Edward e Jacob concordaram, assim que estavam prontos foram para o sul de Seattle, o lobo começou a perceber que o vampiro estava um pouco mais próximo da bruxa o que causou uma certa estranheza nele, mas nada que ligasse muito.

O trio andou até uma parte que estranhamente ficou deserta, o ar ficou mais pesado, e o frio começou a ficar mais intenso, Isabella sentia todos os pelos de seus braços se arrepiarem.

— Esperem - pediu Edward - Ouvi alguma coisa.

Eles ficaram quietos, e prestaram a atenção em toda a sua volta, foi quando viram um corpo rolando para fora de um beco totalmente sem vida. Bella pegou a varinha rapidamente, Edward segurou um rosnado e Jacob começou a sentir um tremor nas mãos que se espalhou pelo seu corpo. Do beco apareceram três pessoas que pararam e os olharam.

— Vampiros - murmurou Edward

Assim que ele acabou de falar os três vampiros rosnaram e deram um passo para frente, mas pararam quando viram mais duas pessoas se aproximarem.

— Ora, ora, ora - falou uma mulher que deu um sorriso sarcástico - Gostaria tanto de conversar com vocês, pena que iram morrer agora

Os dois bruxos sacaram as varinhas, os vampiros atacaram o trio. Jacob virou um lobo na hora exata e atacou o vampiro rapidamente, Edward começou a se defender do segundo e o atacar, já Bella lançou um feitiço rápido de petrificação no terceiro vampiro, lançando os outros nos dois bruxos que se defendiam.

— Estupefaça! - conjurou Bella lançando o feitiço no homem que foi atingido e caiu no chão desacordado

— Immobilus - lançou a mulher

— Protego

O feitiço ricocheteou na proteção e atingiu outro vampiro que apareceu o paralisando também.

— CRUCIO! - a mulher apontou a varinha para Jacob que caiu no chão imediatamente chorando de dor

— Não, filha da puta, desgraçada - falou Bella - Furnunculus

—Protego - falou a mulher repelindo o feitiço - AVADA KEDAVRA

— EXPELLIARMUS! - Gritou Isabella

Os dois feitiços se encontraram causando um choque tremendo entre eles, Edward acabou com os últimos e se virou para Jacob, já as bruxas colocavam intensidade nos dois feitiços.

— Bella - chamou Edward ajudando Jacob que ainda ‘’gemia’’ de dor em forma de lobo

— SAIAM DAQUI! - Berrou ela rangendo os dentes

— Nós não vamos sair daqui sem você - retrucou Edward recebendo o apoio de Jacob

— Grrrr! - rosnou a morena e intensificou o feitiço ganhando a disputa

A mulher foi atingida a desarmando, ela tentou correr para pegar a varinha, mas...

— Confringo - Isabella conjurou

O feitiço de cor alaranjada saiu de sua varinha e atingiu a mulher a fazendo explodir. Tudo ficou quieto, Jacob parou de chorar aguentando a dor, Isabella correu até os dois se agachando ao lado do lobo.

— Finite Incantatem.

O lobo parou de se contorcer, e os poucos Jacob foi mudando até ficar na forma humana novamente, a morena não ligou para a nudez do rapaz.

— Vocês estão bem? - perguntou ela os olhando

— Sim - respondeu Jacob se levantando e correu para se trocar, voltando totalmente vestido

Edward observou Isabella que mordia o lábio inferior com a testa franzida, ele resistiu ao ato de tirar aquele lábio de seus dentes com a maior delicadeza.

— Temos que avançar, não sabemos o que vamos enfrentar, mas espero que saiamos vivos. - falou Bella olhando para frente

Eles continuaram a avançar e o ar começou a ficar cada vez mais gelado fazendo até fumaça por causa da respiração, Jacob as vezes gemia por causa dos resquícios de magia, Edward estava totalmente atento em todos os cantos e mentes, e Bella segurava fortemente a varinha.

— Esse ar está muito gelado – comentou Jacob se abraçando

— Vamos seguir em frente, não podemos voltar – Bella engoliu em seco rezando para que estivesse errada e olhou para cima vendo o céu totalmente tomado pelas nuvens acinzentadas.

Isabella continuou a avançar sendo seguida pelos dois.

— É o cemitério de Seattle – falou Edward vendo o local a sua frente completamente dominado pela neblina

O enorme cemitério Lake View tinha várias lapides muito bem cuidadas, algumas tinham estatuas de anjos ou formas bíblicas, cruzes, etc.

Logo na entrada o portão de ferro estava entre aberto, os três se entreolharam e entraram no local silenciosamente, Bella detestava cemitérios não gostava do ar mórbido que o local exalava.

— Por que viemos para cá? – perguntou Jake

— Tem medo de mortos vivos? – provocou Edward

— Não, estou falando com um então... – respondeu o lobo azedamente

Edward ia retrucar, mas se calou ao escutar uma espécie de chiado, ele não acreditava em assombração, mas congelou ao ver um fantasma flutuando pelas lapides, Jacob quase desmaiou quando viu a forma fantasmagórica, Bella revirou os olhos não se assustando.

— Não acredito que vocês estão com medo do fantasma do Bruce Lee – resmungou Isabella

— Tá brincando que aquele fan-fan-fan-fan – Jacob ficava repetindo a mesma coisa até que Edward lhe deu um tapa nas costas para parar o ‘’disco riscado’’ – Fantasma é Bruce Lee.

Jacob olhou irritado para Edward que deu de ombros resmungando um ‘’só queria ajudar’’, a bruxa revirou os olhos novamente e confirmou que aquele era o fantasma do Bruce Lee.

— Bella, fantasmas fazem chiado? – perguntou Edward vendo mais alguns vagando por lá tranquilamente

— Não, eles falam, mas não fazem chiados – respondeu a bruxa franzindo as sobrancelhas – Por que?

— É que eu escutei um chiado.

— São os seus ouvidos que estão dando problema – disse Jacob irônico e ganhou um rosnado irritado como resposta

— Isabella? – chamou um fantasma se aproximando – Ah, é você mesmo

Bella se virou para o fantasma e sorriu.

— Abraão, como vai?

— Estou bem para um fantasma, fazendo as mesmas coisas isso é tão entediante – se lamentou o fantasma – Oh quem são esses cavalheiros?

— Esses são Jacob Black e Edward Cullen, meninos esse é Abraão Potter.

— Po- Potter? – gaguejou o lobo

— Caralho Jacob está difícil sair as palavras hoje – resmungou o vampiro

— Isso não é dá sua conta seu sanguessuga

— Meninos não vão brigar, pelo amor de Merlin, mas sim Potter. Harry é um descendente meio distante de Abraão. – Isabella sussurrou um ‘’ignore eles’’ para Abraão – Mas então o que fizemos para receber a sua ilustre aparição?

— Vocês tem que sair daqui o mais rápido possível, eles estão montando algo macabro senhorita, não gosto disso – Abraão olhou para os lados

A bruxa abriu a boca para perguntar, mas se calou ao ouvir um chiado, Edward e Jacob pararam de se ‘’bicar’’ ao ouvirem também, Abraão olhou apreensivo para o lado e parou ao lado de Isabella.

Dá neblina saiu mais um chiado, quando a neblina se abriu apareceu uma forma cadavérica se arrastando no chão, ela se levantou completamente torta, sua pele era pálida quase translucida, haviam vários buracos nela, as roupas rasgadas, o cabelo fino e ralo e seus olhos totalmente pretos e sem brilho algum.

Os quatro recuaram, Edward pela primeira vez sentiu medo, Jacob tremia agindo como uma criança de sua idade, Isabella sentia os arrepios aparecerem e segurou fortemente na varinha.

— Isso é o que? – perguntou Edward engolindo em seco

— Inferius – responderam Bella e Abraão juntos

— O que é Inferius?

— São parecidos com zumbis, no caso eles são revividos por um bruxo das trevas poderoso e seguem somente o que seu ‘’criador’’ manda – respondeu Abraão

O inferius começou a andar em direção a eles, Bella apontou a varinha pronta para lançar um feitiço de fogo, mas abaixou ao ver a neblina se afastando e mais inferius aparecerem correndo na direção deles.

— CORRAM! – berrou a bruxa saindo correndo

Abraão voltou para o seu tumulo, Edward e Jacob correram atrás de Isabella, a morena olhou para trás vendo um monte de inferius correndo atrás deles.

— Não parem – mandou a bruxa correndo mais rápido vendo o portão - Carpe Retractum

Uma luz roxa envolveu a mesma a levando rapidamente até o portão, Jacob se transformou em lobo para correr mais rápido ficando lado a lado com Edward, os dois passaram pelo portão e Isabella trancou o mesmo com feitiço. Os inferius se chocaram com a grade e esticavam os braços para agarra-los, eles foram para trás rapidamente  

— Temos que voltar para Forks agora – declarou Bella             

Continua...



Notas finais do capítulo

E então gostaram? Espero que sim e desculpe pela vasta demora. A explicação sobre Inferius vai ser dada no próximo capítulo ok?
Comentários para o capítulo, dúvidas ou críticas podem mandar elas são bem vindas
Bjs Bjs Tha



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Além do Tempo" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.