I Can't Live Without You escrita por LilyMPHyuuga


Capítulo 1
I Can't Live Without Your Love


Notas iniciais do capítulo

Oi, gente! Tudo bom com vocês? *-*
Chegando com uma nova fanfic NaruHina, presente de Amigo Secreto de um grupo no WhatsApp. =D
Minha amiga secreta, Lisyane... fiz esta historinha de coração! Espero que goste! ♥
Espero que todos gostem. xD
Agradecimentos especiais a UzuKitsune, que fez mais uma capa divosa pra mim! Obrigada, sua linda! *-* =*

Fanfic também postada no Spirit.
Boa leitura! ♥

Obs. 1: trechos em itálico são pensamentos ou trechos da música "I Can't Live Without Your Love", do Dan Torres.
Obs. 2: o título da fic significa "Eu não posso viver sem você", e o título do capítulo significa "Eu não posso viver sem seu amor", trechos da música citada acima.



Assoprou as mãos fechadas, esfregando uma na outra em busca de calor.

Naruto estava atrasado, confirmou ao olhar novamente para o relógio.

Será que confundira o dia? Ou a hora? O Uzumaki tinha marcado o encontro para o dia que voltasse de missão, pois garantiu que chegaria pela manhã, bem cedinho, dando tempo para algumas horas de descanso e um passeio com a namorada ao meio-dia.

E já eram doze e trinta.

Soltou um suspiro, certa de que Naruto não a deixaria esperando tanto tempo de propósito e que ela confundira o dia marcado, talvez saudosa demais. Agasalhou melhor o casaco e se virou para voltar para casa. Já tinha andado uns bons metros quando ouviu a voz escandalosa que tanto gostava. Olhou para trás, abrindo um enorme sorriso para receber o rapaz que corria em sua direção.

— Hinata! — Ele parou a sua frente, colocando as mãos sobre os joelhos e tentando regular a respiração. – Desculpe! Estou atrasado!

— Está mesmo! — Ela esperou que o garoto a olhasse, receoso, e riu. — Está tudo bem, Naruto-kun. O importante é que veio.

Aliviado pela brincadeira, o loiro sorriu também, a abraçando em seguida.

— Senti sua falta, Hinata! — Os dois se apertaram no contato. — Você está gelada! — Ele reclamou, mas demorou a soltá-la. — Vamos para um lugar quente.

Aceitou a mão que o ninja oferecia e o acompanhou até o Ichiraku, só então notando que ele ainda estava com a roupa de missão.

— Você chegou só agora? — perguntou preocupada. — Poderíamos sair outro dia, Naruto-kun. Você precisa descansar.

— Mais tarde. Eu queria muito te ver! — Sorriu abertamente. — Kakashi-sensei nos prendeu até agora, porque achou uma boa ideia nos atender enquanto tratava de outros assuntos ao mesmo tempo. — Revirou os olhos, fazendo-a rir. — Briguei com ele agora há pouco, entreguei o relatório da missão e vim te ver. Desculpe pelo atraso.

— Já disse que está tudo bem — garantiu. — Vamos fazer logo o pedido, para que você possa descansar pela tarde.

Almoçaram e conversaram sobre suas missões dos últimos dias, com Naruto claramente chateado com o ex-professor. Hinata também falou sobre sua última missão, ficando um pouco envergonhada com a completa atenção do namorado.

— E-Eu posso acompanhá-lo até em casa, Naruto-kun? — A moça resistiu ao impulso de bater os indicadores, receosa. Ele a olhou confuso.

— Mas não fica bem, Hinata. É o homem que leva a namorada em casa, não o contrário.

— É que a sua casa é mais perto — respondeu de imediato, desviando o olhar e sentindo que corava. — E como não sabemos das próximas missões, eu gostaria de passar mais alguns minutos com você. Se... Se você não se importar, é claro.

Naruto mostrou todos os dentes, segurando o rosto da garota e roubando-lhe um beijo.

— Com uma condição. — Ela confirmou levemente com a cabeça antes de escutar a proposta. Ele riu. — Que você passe a tarde comigo.

— Hã? M-Mas a tarde...? — Ela engoliu em seco e respirou fundo. — Mas você precisa descansar, Naruto-kun.

Era uma desculpa tola, ambos sabiam. Não seria a primeira vez que Hinata ficaria algumas horas no apartamento do loiro, conversando e namorando um pouco depois de alguma missão, mas ela sempre “travava” quando o rapaz se empolgava com os beijos, sentindo-se acanhada demais para continuar.

E, mesmo sabendo que era bobagem, ficava preocupada com o que Naruto poderia pensar dela se permitisse certas coisas...

— Já estarei descansando em casa, Hinata. Não pretendo dormir pela tarde, se é isso que a incomoda. Podemos assistir alguma coisa na televisão nova — propôs, empolgado com o aparelho que adquirira há poucas semanas — ou preparar alguns doces... o que acha?

Naruto sabia seu ponto fraco e não teve pena de usá-lo:

— Comprei uns rolinhos de canela há dois dias. — Coçou as bochechas, fingindo inocência. — Estavam de promoção no supermercado e acabei pegando por impulso. Agora não sei o que fazer com eles.

A chuunin segurou a mão dele e o arrastou para o bairro vizinho. Naruto riu por todo o caminho.

 


Fechou os olhos, deliciando-se com o doce e ignorando o filme de ação. Naruto divertia-se com ambos, contando que deveria ter comprado dangos também, para que Hinata não comesse sozinha. Ela concordou, rindo e acrescentando que provaria dos dangos também.

A moça levantou para deixar seu prato na pia, tropeçando na mochila do ninja, jogada ali ao lado do sofá desde que chegaram. Roupas e armas foram parar no chão e ela se abaixou para arrumar, desculpando-se.

Naruto, que ouviu quando ela se bateu, correu para acudi-la, abaixando-se também.

— Você está bem, Hinata?

— Estou. Desculpe pela bagunça!

— Está tudo bem — falou enquanto jogava os pertences de volta para a mochila. Hinata notou que ele sorriu ao vê-la dobrar as roupas caídas antes de colocar dentro do objeto novamente. — Não precisa fazer isso. Algumas estão sujas — disse sem graça.

— Eu baguncei, eu arrumo — falou simples, dando de ombros.

No entanto, arregalou os olhos ao encontrar um farrapo avermelhado, quase do tamanho de sua palma, no fim da bagunça. Segurou o tecido devagar. Havia se esquecido do quanto era macio...

— Você ainda tem isso? — perguntou baixinho, sem coragem para olhá-lo.

— É claro! — Ele pareceu surpreso com a pergunta. — Foi você quem me deu!

— M-Mas... é só um trapo — repetiu as mesmas palavras de quando ele pedira o pedaço de pano, ainda na Lua. — O que você pode fazer com isso?

— Nada de útil, é claro. — Ela o olhou, corando ao se deparar com um semblante alegre. — Mas gosto de levá-lo para onde vou. É como se ele me desse forças para fazer meu trabalho o melhor e mais rápido possível... assim eu volto logo para você.

Naruto não deu tempo da vergonha dela tomar conta. Chegou mais perto e a abraçou, no chão mesmo, meio desajeitado.

— Você é importante para mim, Hina. — Ela o apertou mais quando ouviu o apelido. Adorava quando o namorado a chamava assim, com tanto carinho. — Amo tudo que vem de você. — Ele a afastou um pouco para olhá-la, sem desfazer o abraço. — Inclusive um pano rasgado. — Sorriram apaixonados, encostando suas testas. — Ele me lembra que isso, nós dois, é real... Que não estou sonhando e que tenho mesmo você só para mim.

Ela o beijou, emocionada, distribuindo beijos pelo rosto dele e voltando a agarrá-lo pelo pescoço.

— Você também é muito importante para mim, Naruto-kun! — Ela se separou, olhando-o decidida. — E é por isso que eu vou fazer outro cachecol para você!

— O quê? — Naruto riu.

— Eu estava em dúvida sobre o que lhe dar no Festival Rinne, na semana que vem. Queria te dar um presente especial, principalmente porque também comemoraremos um ano de namoro. — Ela sorriu, cruzando as mãos sobre o peito, com a certeza de que seus olhos brilhavam com a ideia. — Vou te dar um cachecol novo! Assim você pode jogar fora esse...

— Nem pensar! — Ele tomou o farrapo de suas mãos, enciumado e fazendo bico. — Eu aceito o cachecol novo, mas você não vai jogar fora o meu primeiro presente vindo de você.

Foi a vez da Hyuuga rir.

— É uma lembrança de quando ficamos juntos, Hina... — O loiro olhava encantado para a lã vermelha em suas mãos. — É importante.

Hinata colocou suas mãos sobre as dele, também segurando o que um dia fora um enorme cachecol. Olhou-o docemente.

— Está bem, você pode ficar com esse. Mas vou lhe dar outro, mais quente, mais fofo e mais útil.

Naruto sorriu abertamente, confirmando com a cabeça.

 


Horas mais tarde, enquanto caminhava apressadamente até o clã Hyuuga, Hinata pensava que devia ter feito um novo cachecol há tempos! A confirmação do namoro depois que voltaram da Lua e mais as novas missões a impediram de lembrar que nunca terminara o presente ou sua declaração.

Claro que, sempre que podia, falava para Naruto que o amava, mas aquela declaração, que treinara por dias em frente ao espelho, que contava há quanto tempo o admirava e que deveria ser dita no Festival Rinne... essa ficara esquecida em sua mente.

“Não importa” concluiu. “Farei um novo cachecol e colocarei todos os meus sentimentos nele, os antigos e novos! Naruto-kun saberá de tudo!”.

Parou em frente ao portão do clã, mas não entrou. Voltou para o centro da vila, optando por comprar mais lã vermelha.

 

~*~

 

As mãos nos bolsos e os passos lentos não mostravam seu nervosismo. O sorriso bobo que brincava em seus lábios não demonstrava o quanto seu órgão cardíaco batia acelerado, tamanha sua ansiedade.

“Finalmente” ele pensou.

Era apenas mais um dia do Festival Rinne para os habitantes de Konoha, mas para Naruto e Hinata, aquela noite era mais do que especial.

Um ano de namoro...

Passara tão rápido! E, ao mesmo tempo, tão lento quando não estavam juntos!

Foi pensando nisso que escolhera bem seu presente. Mostraria à Hinata o quanto gostava dela e dos momentos que passavam juntos.

Seria uma prova de amor.

Tanto quanto o cachecol dela era para si.


“Don’t be afraid if I'll go crazy for you
(Não fique com medo se eu ficar louco por você)
Don’t be surprised if I fall at your feet (Não fique surpresa se eu cair aos seus pés)

 

Chegou ao ponto de encontro e não a avistou. Soltou outro de seus nervosos sorrisos, coçando a parte de trás da cabeça.

“Está tudo bem, deve ter acontecido alguma coisa”. Ele respirou fundo. “Não entre em pânico agora, Uzumaki Naruto!”.

Hinata não era de se atrasar, porém, sempre chegando mais cedo. Olhou para o relógio e constatou que ainda chegou cinco minutos depois do horário combinado. Seus passos lentos o atrasaram e nem assim a morena aparecera!

Teria ela desistido do encontro? Balançou a cabeça em negação rapidamente, ignorando o medo tolo.

Deveria ir até o clã Hyuuga e perguntar sobre a namorada? Negou também, chegando à conclusão de que estava fantasiando demais.

— Logo ela aparece — falou baixinho.

Dito e feito. Virou para o lado meio minuto depois e lá vinha sua doce namorada, correndo afoita e com um sorriso enorme no rosto. Foi impossível não sorrir junto.

— Você está atrasada, senhorita Hyuuga — brincou.

— Eu sei. — Ela parou na sua frente, respirando fundo e entregando-lhe um pacote colorido. — Peço desculpas. Terminei agora a pouco. Espero que goste.

Naruto sentiu as mãos tremerem por um instante ao segurarem seu presente. Sorriu meio bobo e abriu o embrulho com cuidado, prezando até o trabalho que a moça teve em dobrar o papel.

— Não está tão grande quanto o anterior, mas é de coração. — As mãos postas sobre o coração sempre a deixavam encantadora aos olhos do loiro. Ele puxou o tecido, quase rindo ao notar que era sim quase tão grande quanto os primeiros. — Coloquei todos os meus sentimentos por você no cachecol, Naruto-kun! Quero que se lembre, sempre que usá-lo, o quanto eu amo você!

Como se ainda fosse possível, seu coração bateu ainda mais depressa ao encarar os olhos perolados, firmes em sua direção. Hinata não gaguejara, corara ou desviara o olhar, confessando seu amor sem medo ou vergonha, como queria ter feito no ano anterior...

Orgulho, admiração, carinho... e amor. Sentiu tudo ao mesmo tempo!

Antes que perdesse o ar com a intensidade de seu olhar, Naruto a abraçou rapidamente, quase a sufocando, com a esperança de que se a apertasse bem, talvez seu coração não esmagasse tanto seu tórax... Hinata sempre tinha o poder de acalmá-lo, afinal.

— Céus, Hina! Eu também amo você! Demais!

Ouviu o sorrisinho dela em seu peito, sentindo-a apertá-lo também. Demoraram-se no abraço tanto para fugir do frio quanto para amenizar a saudade – mesmo que tenham se visto no dia anterior – que sempre os acompanhava.

Era chegada a hora. Não havia mais porque adiar.

— Não vai me perguntar onde está seu presente?

Hinata levantou o rosto, sorridente, mas não saiu do abraço.

— Perguntei-me sobre isso hoje, confesso. — Riram. — Mas não faço questão de presentes, Naruto-kun, você sabe disso. Sabe que, para mim, o mais importante é estar com você.

— Sim, eu sei... para mim também é.

Primeiro ela fez um biquinho quando ele desfez o contato.

Depois ela franziu o cenho quando o rapaz se ajoelhou.

E, por fim, arregalou os olhos quando ele tirou uma caixinha do bolso e abriu para que ela visse seu conteúdo.


“When I look into your eyes
(Quando eu olho dentro dos seus olhos)
I can see me and you (Posso ver você e eu)
Remember this time that will last until the end (Lembre-se deste momento que vai durar até o fim)
When I find you in my dreams (Quando eu encontrar você nos meus sonhos)
I just won’t let you go (Eu apenas não quero que você vá)

 

— Hinata... você se lembra das palavras que eu lhe disse há exatamente um ano?

Os olhos brancos marejaram, emocionados. Ela confirmou levemente com a cabeça.

— Ainda sinto o mesmo, Hina... talvez até mais! Ainda quero passar todos os meus dias com você, até o dia em que eu morrer. Quero aproveitar cada segundo contigo... conversando, te olhando cozinhar, comendo lámen contigo, rindo de suas caretas enquanto come rolinhos de canela... — Ela pôs as mãos sobre a boca, cobrindo o lindo sorriso que o Uzumaki ansiava ver. — A verdade é que eu não aguento mais passar um dia inteiro longe de ti! Não posso e nem quero mais viver longe de você... do seu amor! Então, por favor, Hina, aceite se casar comigo!

Ela mal o esperou terminar o discurso que praticara por horas! Jogou-se sobre ele, derrubando-o na neve. A jovem levantou o rosto banhado em lágrimas, essas também caindo sobre o rosto dele.

— É claro que eu aceito, Naruto-kun! Eu também quero passar o resto da minha vida com você!

O beijo que ela roubou voltou a acelerar o já ansioso coração de Naruto.  


“I’ll hold you in my heart
(Vou guardar você no meu coração)
I can’t live without you (Eu não posso viver sem você)
I can’t live without your love (Eu não posso viver sem o seu amor)

 



Notas finais do capítulo

Então... é isso. ^^'
Espero que tenham gostado. xD Qualquer erro, por favor, me avisem, para eu poder consertar. =)

Lisy, amiga secreta, você gostou? Dá de ler? ^^" Eu fui atrás das suas fics, para conhecer um pouco do seu gosto. Espero ter acertado um pouco, rsrs. ^^"

A todos que leram até aqui, meu muito obrigada! ♥
Até uma próxima vez! =* ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Can't Live Without You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.