Jungle Guards School - INTERATIVA escrita por Giovanna


Capítulo 12
Radioactive


Notas iniciais do capítulo

Mais uma vez eu tinha que estar dormindo porque vou ter aula de reposição, mas eu estou aqui pra soltar essa bomba de informação no capítulo pra vocês.
Ficaram tristes com a morte do Stephen Hawking? Eu fiquei.
Mas sabe o que eu mais fiquei? Extremamente ansiosa e feliz com o novo trailer de Avengers: Infinity War! ♥ Está demaaaaaais!
Até lá embaixo.



[Colégio, refeitório, quinta-feira, 11: 47 AM]

— Alguém avisa a Maxine que ninguém mais aguenta a fofoca do Chai e do Derek. – Pietro reclamou enrolando o jornal da escola na mão.

— Ela só está comentando os fatos. – Lucian deu de ombros enquanto comia seu almoço.

— Ela é uma jornalista, não devia ficar difamando os alunos pelo jornal também. – Aurora discordou.

— Concordando ou não, esse é o trabalho dela. – Heather comentou baixo, parecia meio distante aquela semana. – Ela conta a verdade.

— Está tudo bem, Heather? – Natalia baixou o livro que lia e olhou para a ruiva.

— Acho que estou doente. – Ela respondeu tentando moldar seu melhor sorriso, sem sucesso.

— Você até que estava espirrando hoje de manhã. – Aurora concordou pensativa. – Espero que não me deixe doente também.

— Não que isso te atrapalhe. – Ikky Ezra riu. – Até doente você não para.

Aurora revirou os olhos comendo, porque receber um comentário desse do menino que adorava estar em movimento devia significar algo, Pietro pensava.

— O que você está lendo, Naty? – Pietro perguntou.

— Um livro. – Ela respondeu e Ikky não conteve o riso. – Eu não quis ser grossa.

— Tudo bem. – Pietro suspirou medindo sua pressão. – e você James? Não deu uma palavra desde que pegou o jornal.

— É a Katastrophy de novo. – James mordia a bochecha chateado. – Elas atacaram uma outra empresa.

— Ah, eu vi essa noticia. – Pietro concordou. – Meu pai está louco por isso.

Todos prenderam o ar por um instante. Pietro nunca havia falado do pai antes, o que agora abria a chance dos amigos poderem perguntar sobre ele. A família Nivans era um mistério para a maioria.

— Seu pai faz algo ilegal? – Aurora perguntou ponderada.

— Bom, meu pai é... meu pai. – Pietro bufou. – Obvio que algo não deve estar certo naquela empresa.

Ninguém se atreveu a perguntar mais nada, a tensão e tristeza na voz do gorila denunciavam que algo realmente mal havia acontecido entre os dois e nenhum dos outros integrantes da mesa ficaria a vontade de tentar descobrir algo tão livremente, ainda mais por ser a primeira vez a cita-lo.

 Pietro podia sentir o clima estranho rondando os amigos, em 3 anos ele nunca havia citado o pai até o momento. Era de se esperar que eles tivessem reações parecidas, já que deviam pensar que Leonard Nivans havia morrido, o que não diferia muito da imagem que Pietro havia criado para si.

Para ele o pai estava morto.

Então com um abrir majestoso de portas, a atenção de todos foi chamada. Pietro olhou a jovem que havia entrado de cima a baixo e quando chegou em seu rosto, sentiu sua espinha congelar e seu rosto arder. Era ela.

“O que ela faz aqui?” Pensou.

— Penélope? – James perguntou surpreso.

— James! – A morena que havia enganado Pietro na balada se aproximou da mesa. – Não achei que o encontraria tão rápido, primo.

— Primo? – Heather foi a primeira a se manifestar enquanto o burburinho sobre a nova aluna passava como uma avalanche pelo refeitório.

— De onde você vem? – Ikky perguntou tentando ser simpático.

— Sou do Brasil, gatinho. – Ela piscou para ele e olhou os amigos da mesa, parando seu olhar no ruivo de óculos e sorrindo sordidamente, mas logo seu olhar pousou sobre uma castanha ao seu lado. – Ora, ora, ora, se não és Aurora.

— Você a conhece? – Natalia perguntou baixo para Aurora.

Ela engoliu em seco.

— Weeber não contou a vocês? – Penélope sorriu doce. – Ela é minha ex-namorada.

[Colégio, corredor dos armários, 14:53 PM]

Derek havia ouvido sobre a novidade, uma morena que aparentemente havia entrado no meio do ano agora. O que era estranho, já que os alunos sempre começavam no inicio do ano, mas o mais estranho ainda era o fato dela ser a ex-namorada de Aurora.

Praticamente ninguém sabia dessa – agora – novidade. Aurora tinha orientação sexual igual ao namorado de Derek, igual a Jocelyn e James. Por mais que Jocelyn tivesse se aberto a si mesma muito mais tarde do que os outros, precisou de 1 ano de namoro com Pietro para perceber isso.

Mas Derek não dava a mínima para a nova aluna, ele na verdade agradecia sua chegada. Pelo menos agora ele já não era mais o alvo da atenção no restante da semana.

Derek estava cansado daquilo, do quão mesquinho seus “amigos” dos times podiam ser e quão ignorante o restante das meninas da escola conseguiam se esforçar para ser. O relacionamento era somente dele e de Somchai, não havia porque eles quererem se meter com o pretexto de que estavam o protegendo.

O castanho passou as mãos pelo topete enquanto virava a esquina para chegar ao seu armário, precisava guardar seu material para as aulas práticas. Porém mal colocou os olhos na porta do seu armário e viu o aglomerado de pessoas ali em volta.

— Mas que porra é essa? – Derek se exaltou ao ver a colagem de cervos e um desenho mal feito de Somchai sendo fodido por James enquanto o Tailandês dava “chifres” de presente a um Derek mal desenhado também.

— Derek, não liga pra eles. – Somchai que estava à frente do armário recebendo olhares de reprovação e risadas do desenho tentava manter a calma para não acabar perdendo o pouco de controle que tinha.

Porém Derek já havia perdido o controle. Ele estava cansado de tudo aquilo, aquela semana havia sido torturante e ele já não aguentaria mais aquilo, precisava ser realista consigo mesmo e só via uma saída para isso, a que menos gostava: violência.

Ele não precisou de muito esforço para impedir as mãos pequenas de Somchai de pararem o soco que atingiu Jason, um dos responsáveis pelo desenho. Logo a briga estava formada, Somchai tentava fazer Derek ouvi-lo, mas ele sabia ser frio quando desejava.

Afastou Somchai dali com um braço enquanto se sentava sobre Jason e estraçalhava seu rosto a base de socos. O bando de Jason, composto por Tony e mais alguns meninos tentou parar Derek, mas ninguém podia contra o crocodilo em forma adulta.

— Derek! – Somchai gritou uma ultima vez, antes que Derek levasse Jason para a outra vida.

Ele parou por um segundo para retomar o fôlego e foi tempo suficiente para que Somchai picasse o namorado, o corpo de Derek ficou rígido e ele caiu no chão. Antes que o bando de Jason pudesse fazer algo, o diretor chegou correndo e tomou as rédeas da situação.

[Colégio, Ala J, sala de jogos, 19:23 PM]

— Vocês ouviram sobre a briga do Derek com o Jason? – Maxine parecia regozijar de satisfação.

— Finalmente ele tomou uma atitude. – Claire comentou entediada de ponta cabeça em um dos sofás da sala de jogos, enquanto acertava seus dardos no alvo.

— Violência não é o caminho. – Kenai se pronunciou.

— Não é como se você tivesse muito direito de dizer isso não é, Hulk? – Claire soltou um meio sorriso ao ver Kenai embaraçado com o comentário.

— Claire está certa. – Max concordou. – Você tem sérios problemas de raiva, Kenai.

— Se estivesse naquele corredor, teria esmagado a cabeça do Jason. – Jocelyn concordou enquanto afinava seu violão preferido da sala.

— Mas o foco agora não é nem mesmo a briga. – Max os lembrou. – É a tal Penélope, prima do James e ex-namorada da Aurora.

— Nisso eu estou interessada. – Claire se levantou ficando mais perto das outras duas. – Carne fresca.

— Com certeza ela é seu tipo. – Jocelyn concordou revirando os olhos. – Ela é uma versão menos gostosa de mim.

— Você não pode rotular as meninas que eu gosto, sabia? – Claire sorriu de escárnio para Jocelyn que a olhou de soslaio do mesmo modo.

— Vocês já perceberam que as únicas meninas do nosso grupo, gostam de meninas? – Max comentou risonha. – e os únicos meninos, gostam de meninos.

— Você curte as duas praias, então joga para os dois times. – Jocelyn corrigiu.

— O importante, é que Penélope gosta de meninas.- Claire as cortou como se não houvesse mais ninguém ali, além de si mesma. – e Penélope foi a única namorada de Aurora, eu com certeza tenho mais um bom mistério em mãos.

— Ao trabalho, Sherlock. – Kenai bateu continência para Claire do espelho.

— Nesse caso, Max seria sua Watson. – Jocelyn completou. – Ela é dona do jornal da escola mesmo.

Maxine sorriu animada com a ideia, fazia tempos que desejava participar de alguma atividade com a colega de quarto, mas Claire não estava interessada em fingir que Maxine tivesse importância para ela nesse momento. Ela tinha o segredo de Heather e o mistério de Penélope nas mãos, só precisava escolher com qual brincar primeiro.

Por um instante, o celular de todos vibraram. Jocelyn foi a primeira a largar o violão e pegar o celular, para logo colocar a mão sobre a boca e olhar preocupada para Claire.

— Clar? – Jocelyn chamou a atenção da moça que lia os diversos tweets postados. – Isso é verdade?

Maxine observou Claire levantar a cabeça e tremer de raiva. Ela parecia disposta a resolver seu problema.

— Quem quer que tenha feito isso, me paga. – Ela esbravejou antes de sair.

— E no fim, o Burn Book ataca novamente.

[Colégio, quarto 33, 21:21 PM]

— O que você está fazendo aqui, Claire? – Aurora se assustou quando a crocodilo entrou com toda a força no quarto fazendo as janelas balançarem.

— Onde está a Heather? – Claire parecia tremer de raiva.

— No banheiro, ela está doente. – Aurora explicou sem humor. – Você pode sair agora?

Claire parecia matutar sobre algo importante por algum momento. Como uma grande decisão, algo que pudesse dar muito errado ou muito certo em suas habilidosas mãos.

— Diga a Heather para tirar o artigo do ar ou eu conto para a escola inteira o quão vadia ela é que agora está grávida e nem mesmo deve saber quem é o pai. – Claire jogou as palavras em Aurora que tentava processar tudo aquilo e saiu dali, com destino a sua outra opção de dono do Burn Book.

Aurora não conseguia raciocinar, aquilo era real? O que Claire queria dizer? E como por instinto ela correu a sua cadeira e digitou seu login do twitter para receber uma página inteira de tweets sobre Claire e sua aparentemente família disfuncional.

“A farsa de Claire Meyer” era o título do artigo, o que exemplificava todo o assunto retratado. O quanto Claire fingia ser uma pessoa livre e descolada, quando na realidade ela era um passarinho preso na gaiola.

E por mais que Aurora não entendesse, os tweets em resposta logo vinham. O veneno que um dia Claire Meyer jogou nas pessoas se voltou contra ela. Todos só precisavam de um motivo para inferniza-la e agora tinham. Mas será que Heather havia feito aquilo?

No mesmo instante a ruiva saiu do banheiro com seu pijama e toalha no cabelo, pretendia continuar estudando assim como Aurora fazia a instantes antes.

— Quem estava gritando? – ela perguntou.

— Heather, você está grávida? – Aurora perguntou sem rodeio.

O choque estampado no rosto de Heather confirmou tudo.



Notas finais do capítulo

Conheçam Maxine, a menina fofinha da foto ♥
O que acharam das bombas dessa capítulo? As coisas estão esquentando hihihi

Gente, só queria compartilhar a minha felicidade com vocês, eu consegui vender o meu talãozinho de rifas! Como é o ultimo ano, as rifas ajudam para abaixar o preço do convite da formatura, fiquei muito feliz que consegui vender todo o meu bloquinho, agora só falta receber a grana kkkkk
Seria muito mais fácil se eu pudesse vender pra vocês kkkk Vocês tem muito mais cara de quem comprariam, porque vocês são pessoas legais. Por isso eu amo vocês ♥

Beijinhos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Jungle Guards School - INTERATIVA" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.