Zohar escrita por AnneFanfic


Capítulo 36
Dando o primeiro passo




Eu sabia que aquilo era bom demais para ser verdade, mas uma parte de mim torcia para que desse certo e eu pudesse ouvir a voz dele mais uma vez.

 

 

 

Aquilo que Sarah tinha dito tinha demorado um pouco para fazer sentido para Zohar e não entendo o que exatamente ela estava falando, pediu uma explicação.

—Aquele dia que eu trouxe você pra cá eu voltei de carro e o teu príncipe ficou aqui, lembra?

—Claro que lembro.- Zohar confirmou, olhando para o leve sorriso que se formava nos lábios da amiga.

—Então!- Sarah se ajeitou na cama, de modo que ambas ficassem de frente uma para a outra. -No caminho de volta um cara se dizendo “amigo do cara que levou a noiva pra ong” ligou para o meu celular...- ela deixou a frase morrer, embora sorrisse e olhasse para Zohar na expectativa de que ela entendesse o que tinha em mente. O que não demorou muito para acontecer.

Sarah viu o semblante de Zohar pouco a pouco se iluminar com o pensamento que surgia.

 -Isso quer dizer que...- dessa vez Zohar deixou a frase morrer, não acreditando naquela possibilidade.

—Que o número dele ficou registrado no meu celular!- Sarah exclamou sem esperar que a amiga completasse a frase, agarrando ela pelos braços e rindo. –Amiga! Se o amigo do seu príncipe ligou do celular dele, é só a gente ligar de volta e você consegue falar com teu príncipe mais uma vez!

Zohar ficou paralisada diante daquela informação, olhando para Sarah com os olhos bem abertos.

—Sarah, isso... Não... Isso é bom demais para ser verdade.- ela balançou a cabeça levemente, por um momento deixando a animação se esvair.

—Não, não, não. Não desanima antes de tentar! Você tem noção do que tá’ acontecendo aqui, Zohar? Eu tô’ mais animada que você! Oi?

Sarah não conseguia entender a reação da amiga. Assim que aquele lampejo de ideia surgiu em sua mente imaginou que ela iria pular de felicidade e não que teria a reação que estava tendo. Sem esperar uma resposta, Sarah pegou o celular e foi direto para o registro de ligações telefônicas.

—Meu celular grava até seis meses de ligações feitas, perdidas e recebidas.— ela disse a última palavra olhando para Zohar com um sorriso de canto. –E convenhamos, não faz muito tempo que ele esteve aqui, certo?  Faz quanto tempo? Dois, três meses?

—Por aí.- respondeu Zohar, ajeitando-se na cama para ficar mais próxima do celular. –Foi em março.

—Ótimo. É só chegar até o mês de março...- ela foi passando o dedo na tela do celular até a lista chegar ao mês desejado. –E procurar por um número de fora.

Nesse momento Sarah prestou atenção em todos os números que tinham ligado para ela durante aquele mês. Zohar apenas observava o movimento na tela do celular, também procurando por um número diferente dos demais. E diante de tudo aquilo ela não sabia o que exatamente estava sentindo. Uma parte estava extremamente ansiosa e animada com a possibilidade de poder ouvir a voz dele outra vez, mas outra parte, a parte de si mesma que ainda lutava contra a esperança de qualquer coisa boa que parecia poder acontecer, dizia com convicção que aquilo não chegaria a lugar algum. Enquanto abrigava aquela luta interna, Sarah encontrou um número com o código de outro país e ergueu o celular para o alto.

—Eu achei!- ela olhou orgulhosa para Zohar, que naquele momento estava estarrecida. –Sinceramente, amiga...- Sarah gargalhou. –Eu acho que sou seu anjo da guarda disfarçado de mulher. Não é possível.- ela clicou em cima do número e o salvou nos contatos para ter certeza de que não o perderia enquanto continuava a falar:  –Você, sua mãe e agora seu príncipe...

Zohar olhou para Sarah, sabendo que depois iria querer saber os detalhes daquela parte da história que ela desconhecia, e sentiu uma gratidão tão forte que foi obrigada a segurar o rosto dela e dar um beijo estralado em suas bochechas.

—Eu te amo, Sarah!- ela abriu o sorriso e balançou a cabeça para os lados, como se ainda não conseguisse acreditar no que estava acontecendo.

Sarah sorriu e foi até a lista de contatos para procurar pelo nomeado “amigo do príncipe”. Ela checou mais uma vez o número e só para ter certeza de que aquele número era o número que de alguma forma colocaria Zohar novamente em contato com Taehyung, ela procurou no google o código do país em questão.

—É isso mesmo. +82- ela sorriu abertamente. -É assim que começa esse bendito número coreano. Agora, vamos ligar?- ela esperou a confirmação de Zohar, que imediatamente afirmou com a cabeça, sorrindo de orelha a orelha.

—Não, espera!- ela de repente ergueu a mão para impedir Sarah de iniciar a ligação. -Temos que ver o fuso horário! São quantas horas de diferença entre Londres e a Coreia do Sul?

—Não faço ideia, mas entre Londres e Las Vegas...- Sarah lançou um olhar significativo para Zohar, lembrando-a de que eles estavam nos Estados Unidos e não na Ásia. –São umas oito horas de diferença. Aqui agora são sete e pouco da noite então lá deve ser...- ela fez os cálculos com os dedos. –Onze e pouco... Perto do meio dia. O que é ótimo! Se tivermos sorte eles estão almoçando juntos e você consegue falar com teu príncipe ainda hoje. Agora!- Sarah disse, iniciando por fim a ligação para desespero de Zohar.

—Não, não, não.- ela agitou as mãos. –Como assim, eu não estou preparada pra falar com ele assim... do nada.

Sarah riu.

—Não seja boba, Zoh.- disse ela, com o celular próximo ao ouvido. –Apenas dê os parabéns pela premiação de ontem.- deu de ombros, sorrindo de canto. -Está chamando.

—Sarah...!- Zohar segurou o braço dela, por um momento entrando em desespero. –Espera...

—Deixa comigo, linda.

Sarah se desvencilhou de Zohar, se levantou e ficou andando de um lado para o outro perto da porta enquanto esperava. E enquanto isso Zohar lutava para conseguir respirar direito de tão nervosa que estava. Como sabia que Sarah não ia voltar atrás, apenas cruzou as pernas e agarrou um travesseiro enquanto mentalmente ensaiava alguma coisa para falar.

—Alô?

Zohar ergueu a cabeça e olhou na direção de Sarah com os olhos arregalados. Seu coração batia forte no peito, disparando uma descarga de adrenalina que a fazia sentir um arrepio pelo corpo, ao passo que suas mãos começavam a tremer. O que ela iria falar pra ele, assim, do nada, se ele de fato estivesse por perto e atendesse a ligação?

—Aqui é a Sarah. Você não deve se lembrar de mim, mas...- ela fez uma breve pausa enquanto ouvia. –Você é o...

Sarah olhou para Zohar e mexeu a boca sem emitir som algum, pedindo pelo nome do amigo de Taehyung. Ela fez um gesto ligeiro com a mão para que ela falasse o nome dele rápido, mas Zohar por um momento ficou perdida. Não conseguia raciocinar direito.

—Nam... Namjin?- ela olhou para Sarah, balançando a cabeça, apavorada, não conseguindo lembrar do nome dele. –Namjoon!

—Namjoon, certo?- Sarah voltou a falar ao telefone e esperou a confirmação do outro lado da linha. –Então, Namjoon, eu sou aquela moça pra quem você ligou lá em março, perguntando se o teu amigo estava comigo no carro, voltando da ong, lembra? Nós fomos deixar a Zohar, aquela noiva que o teu amigo ajudou a fugir do casamento árabe na ong e... Alô? Alô?!- Sarah afastou o celular do ouvido e olhou para ele por um momento, em seguida olhando boquiaberta para Zohar. –Ele desligou na minha cara!

Zohar encarou Sarah por alguns segundos, tentando processar o que tinha acabado de acontecer, e fez um leve movimento com as sobrancelhas.

—Ele desligou na minha cara!- Sarah repetiu, deixando o braço cair ao lado do corpo. -De novo!! Daquela vez ele também fez isso. Que ridículo! Ele não tem educação, não?!

Ao entender o que tinha acontecido, Zohar relaxou os músculos que a faziam se sentar ereta na cama, e soltou a respiração que parecia estar presa durante todo aquele tempo.

—Deixa pra lá.

Sarah mordeu o lábio inferior, ainda insatisfeita com o que tinha acontecido, e olhou para a amiga que estava nitidamente desapontada. Elas ficaram se olhando por alguns segundos, como se de alguma forma uma pudesse conhecer os pensamentos da outra, e por fim deu de ombros.

—Eu vou tentar ligar de novo mais tarde.- disse com convicção, mas ao perceber que Zohar não tinha feito nenhum comentário, ela foi se sentar perto da amiga. –Não fica assim, Zoh.- ela disse, com animação na voz, tentando esconder a própria insatisfação que tinha mostrando segundos antes, mas que ainda estava ali. –Era ele, disso eu tenho certeza.

E ao ouvir aquilo Zohar deu um meio sorriso.

—Eles deviam estar em alguma reunião ou sei lá o que...- Sarah deu de ombros e rolou os olhos. –Afinal, gente famosa é assim não é? E eles estão em Las Vegas.- riu. –Mais tarde eu ligo de novo e...

—Eu acho que...- Zohar fez uma pausa antes de continuar, pensando bem nas palavras que ia dizer. –É melhor deixar ele ligar de volta.- deu de ombros. –Se ele quiser.

Sarah olhou dentro dos olhos da amiga, por uma fração de segundos invejando-os por serem tão azuis, e suspirou.

—Zohar...- ela começou a falar em um tom um pouco mais ríspido, mas parou e fechou os olhos momentaneamente, suspirando pesadamente antes de  voltar a olhar para ela. –Essa sua mania de desistência me irrita, sabia?!

Zohar levantou levemente as sobrancelhas, surpresa em ouvir aquilo.

—Não é isso... É que...- tentou buscar uma explicação plausível. –Ele nunca ligou, Sarah. E sua mãe deu o número daqui pra ele...

—E daí se ele nunca ligou?!

—Se ele nunca ligou é porque ele nunca teve interesse em saber como eu estou ou coisa do tipo. Sei lá...- ela deu de ombros. –Eu não quero incomodar...

Sarah passou a mão no rosto, irritando-se diante daquilo.

—Ele pode ter... sei lá. Talvez ele tenha perdido o número, por isso nunca ligou.

—Mesmo assim. Se ele desligou na sua cara é porque...

—Porque ele é um idiota!- Sarah completou, ainda revoltada com aquilo. –Nada mais que isso. Cara! Da outra vez ele fez a mesma coisa!- ela deu uma risada incrédula, e passou o braço em volta de Zohar. –Amiga, não esquenta. Tira essa ideia de desistir da cabeça, porque eu não vou. Eu vou infernizar ele até ele atender esse celular nem que seja só pra dizer que não quer falar com a gente e se despedir corretamente antes de desligar. Tá’ legal?

Zohar olhou dentro dos olhos de Sarah e sentiu seus olhos lacrimejarem. Sentia-se emocionada e ao mesmo tempo imensamente agradecida por tê-la como amiga.

—Tá’ legal?- Sarah repetiu, arregalando os olhos e aproximando-se ainda mais de Zohar, fazendo-a se afastar e rir com aquilo.

—Tá’ legal.

 

 



Notas finais do capítulo

AAAAAAAAAAAAH!
Tão pertooooo!! Como assim?!?! O que foi isso?!
Que ligação mais estranha! Que? *pensando*

hahahahahaha




Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Zohar" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.