Zohar escrita por AnneFanfic


Capítulo 34
Quando a mágoa é maior




Feridas profundas não curam com beijinhos de mãe.

 

 

Observando o silêncio que de repente reinou na mesa, Suzan olhou de uma para a outra e se levantou cuidadosamente.

—Bem, acho que vocês têm muito para conversar...

Zohar atentou para o cuidado que ela teve ao tirar a xícara da mesa e colocar dentro da pia antes de sair da cozinha, e quando voltou a olhar para sua mãe viu que ela a observava. Zohar olhou para baixo e mordeu o lábio inferior. Ponderou consigo mesma sobre o que sentia e descobriu que no fundo não se sentia envergonhada pelo que tinha acontecido. Sentia-se triste consigo mesma por saber que iria, muito provavelmente, decepcionar sua mãe.

—Vamos caminhar?

Levantando a cabeça, Zohar olhou para Aisha e franziu as sobrancelhas.

—Mas vai chover...

E sem dar uma resposta imediata, Aisha deu um meio sorriso e se levantou.

—Se chover, nos molhamos.- ela deu de ombros e começou a retirar as coisas da mesa com rapidez. –Você pode buscar meu véu? Acho que está na gaveta.

Zohar olhou para o celular de Sarah sobre a mesa e soltou o ar dos pulmões. Teria que esperar ainda mais para ver o vídeo.

Ela foi até o quarto colocar seu hijab e buscar o de sua mãe e quando voltou, Aisha já estava perto da porta de entrada da casa. Estava usando apenas uma sapatilha e com aquilo Zohar teve a certeza de que a caminhada não seria longa.

Assim que colocaram os pés para fora da casa, Zohar olhou para o céu e duvidou de que conseguiriam voltar antes que a chuva caísse. Podia estar engana, mas jurava que era chuva que estava caindo nas montanhas ao longe e não demoraria a chegaria até ali.

—Por que temos que caminhar, mãe? Vai chover daqui a pouco.

 -Você é de açúcar?- Aisha brincou, olhando para a filha com um sorriso brincalhão no rosto.

Zohar, vendo aquele sorriso, entendeu o que estava acontecendo. Ela estava tentando deixar Zohar mais tranquila pra falar sem sentir toda a tensão que estava sentindo minutos atrás, assim como fazia quando era criança. Estava usando a mesma técnica que usava para fazer ela e seu irmão falarem a verdade quando faziam alguma coisa errada, mas sentiam medo ou vergonha de falar. Aquela seria uma boa técnica se a situação fosse outra. Zohar sabia que toda aquela descontração sumiria assim que começasse a falar.

Zohar soltou um suspiro e começou a caminhar, deixando alguns passos de distância entre ela e sua mãe, que ia à frente. Esperou caminharem alguns metros para fora do portão e finalmente falou:

—Ele me viu sem o véu.

Como previu, Aisha parou no meio do caminho e se virou, olhando diretamente em seus olhos por alguns segundos. Pela expressão que ela fez, achou que ela não tinha ficado tão irritada ou brava quanto achou que ficaria. Mas claro, podia estar enganada. No fim Aisha apenas se virou e continuou a caminhar sem falar nada, mas Zohar sabia que aquele silencio já dizia tudo.

Após andar alguns metros em silêncio, Aisha finalmente falou.

—Quando?

Zohar estava a dois passos atrás, por isso deu uma corrida para alcança-la e caminhar lado a lado.

—No dia seguinte.- respondeu, olhando para o fim da rua à frente. Mas como Aisha não falou nada, continuou: -Ele dormiu aqui e foi embora no dia seguinte.

Aisha virou a cabeça para olhar para a filha por alguns segundos e então voltou a olhar para frente.

—Por isso ele adiou o voo?

E dessa vez foi Zohar que virou o rosto para olhar para mãe. Estava surpresa que ela ainda se lembrasse daquele detalhe.

 -Sim...

—E foi nesse dia seguinte que era pra ele estar no avião que ele te viu sem o hijab?

—Sim, mas foi sem querer.- Zohar começou a se explicar rapidamente. -Eu estava no quarto cortando o cabelo e quando eu vi ele entrou e...

—Ele entrou no teu quarto?- Aisha interrompeu.  

Zohar hesitou por um segundo em responder aquela pergunta, já que sua mãe olhava diretamente dentro dos seus olhos, carregando uma expressão de incredulidade e indignação.

 -Não precisa nem responder.- Aisha disse, voltando a olhar pra frente e acelerando o passo.

—Mãe...- Zohar se apressou para acompanha-la.

—Isso é tudo ou tem mais?

Zohar abriu a boca, mas logo em seguida fechou. Aisha percebeu aquilo e parou de caminhar para se virar e encarar Zohar de frente.

—O que foi?

—É que você vai ficar muito chateada comigo...

Aisha ponderou naquelas palavras por alguns segundos e depois arregalou os olhos.

—Vocês se beijaram?

Zohar arregalou os olhos.

—Claro que não!- ela não acreditou que sua mãe pudesse pensar uma coisa daquelas, mas então se lembrou de que o que aconteceu depois seria visto por ela como uma coisa igual ou pior que aquilo.

Ela olhou dentro dos olhos de Aisha e mordeu o lábio inferior. Não conseguia dizer aquilo olhando para ela.

—Eu deixei ele cortar meus cabelos.- ela falou olhando para o chão, com a voz tão baixa que por um momento achou que sua mãe não tivesse escutado.

—Isso é sério Zohar?!

Ela ergueu os olhos minimamente e viu que sua mãe estava furiosa.

—Como foi que você deixou uma coisa dessas acontecer?!

—Eu... Eu não sei explicar... Ele apareceu e me viu sem o véu... E eu fiquei nervosa e deixei a tesoura cair... E ele pegou e... E perguntou se ele podia cortar meu cabelo e eu disse que... sim.

—Por que?!

—Eu não sei...- ela deu de ombros. –Parecia que a gente se conhecia há muito tempo e... Sei lá... Eu só me dei conta mesmo do que tinha acontecido bem depois...

Aisha abaixou a cabeça e riu.

—Por que você está rindo...?

—Eu estou rindo de nervosa!- respondeu, voltando erguer a cabeça. -Não consigo acreditar num absurdo desses!

E ao ouvir aquilo Zohar sentiu uma pontada de mágoa apertar seu peito. Ela não falou nada, apenas abaixou a cabeça, lutando para segurar as lágrimas que começavam a querer sair.

—Isso foi tudo?- Aisha perguntou, e Zohar notou um tom ácido em sua voz.

—Não. Antes de ir embora ele me deu um abraço e um beijo na minha testa, e eu tirei o meu hijab e dei de presente pra ele.- Zohar respondeu simplesmente, e logo ela sentiu um tapa atingir seu rosto.

A dor instantânea que sentiu a fez levar a mão ao rosto e olhar para a mãe. Dessa vez as lágrimas que já estavam prestes a cair rolaram por seu rosto sem restrição.

—O que você tinha na cabeça pra permitir tudo isso?!- Aisha questionou indignada, encarando Zohar nos olhos.

Zohar olhou para o rosto de sua mãe, sentindo uma vontade enorme de chorar e gritar ao mesmo tempo, e não se conteve.

—Gratidão!- Zohar gritou, tirando a mão do rosto e revelando a área avermelhada na bochecha enquanto as lágrimas escorriam. –Porque ele foi o único nessa história toda que fez alguma coisa por vontade própria sem esperar nada em troca! Quantas vezes eu pedi pra não casar, mãe? Hein?! Quantas vezes eu disse pra você que eu não queria casar? Ele foi o único que de alguma forma conseguiu enxergar isso e fez de tudo pra me tirar de lá. E ele nem me conhecia!- Zohar cuspiu todas aquelas palavras em meio às lágrimas e a raiva que sentia. -Ele nunca tinha me visto na vida e nem se importou em arrumar problemas com sabe-se lá quem que estava com ele, só pra me ajudar a sair daquele inferno!

—E você acha mesmo que ele não quis se aproveitar de você? Cortando seu cabelo, te abraçando...? Você é idiota?- Aisha retrucou de volta.

—Não! A única que quis se aproveitar de mim foi você, que me obrigou a casar por causa de dinheiro!- Zohar disse com veemência, passando a mão no rosto com força para secar as lágrimas e correndo de volta para casa.

Ela ignorou todas as vezes que Aisha a chamou, dizendo para voltar, e correu para o quarto assim que chegou em casa. Ela subiu as escadas rapidamente, passando por Suzan sem falar nada e trancou a porta do quarto antes de se jogar na cama. Zohar afundou o rosto no travesseiro e chorou tanto quanto o desgosto e a mágoa que sentia permitiram. Só ali, enquanto chorava, que ela percebeu como lá no fundo ela ainda guardava mágoa da mãe por conta de tudo o que tinha acontecido. E reconhecer isso e perceber a profundidade daquela cicatriz a fez chorar ainda mais.



Notas finais do capítulo

Tá' doendo em mim isso tudo. T_T
Tadinha...

P.S.: Próximo capítulo sai ainda essa semana. Amanhã talvez.xD
Beijos e comentem se sentirem vontade, é claro. Amo saber o que vocês estão achando da fic. ^_^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Zohar" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.