Zohar escrita por AnneFanfic


Capítulo 33
Perguntas, perguntas...




Quando acordei, não imaginei que meu dia começaria tão bem. Só tinha dúvidas se ele terminaria da mesma forma que tinha começado...

 

Zohar coçou os olhos e quando os abriu viu que estava diante de uma porta. Do outro lado ela conseguia ouvir gritos estridentes de garotas que pareciam aumentar cada vez mais. Ela olhou para a maçaneta, na dúvida se abria ou não, e pelo canto do olho viu alguém se aproximar. Ela virou o rosto para ver quem era e sorriu ao reconhecer Sarah.

—Tu ainda tá’ aqui?!- Sarah perguntou, indignada.

Zohar não entendeu aquilo. E sem esperar por qualquer atitude de Zohar, Sarah segurou a mão dela e abriu a porta. Milhares de garotas se aglomeravam em volta de um palco e gritavam enlouquecidamente. Zohar tentou ir para a direção oposta, mas Sarah a puxou de volta.

—É por aqui!- disse ela apontando na direção do palco.

Elas caminharam por entre a multidão, pedindo licença e vez ou outra tendo que recorrer à ignorância para passar pelas pessoas, até que chegaram ao palco. Não havia ninguém ali em cima e Zohar não conseguia entender o motivo de estar naquele lugar abarrotado de gente estranha.

—Ele já tá’ vindo, tá?- Sarah disse, abrindo o sorriso e empurrando a amiga para frente de si, deixando-a bem na frente do palco, de maneira que podia ficar atrás dela e impedir que alguém tentasse roubar o lugar com empurrões.

Zohar olhou para Sarah por cima do ombro, perguntando quem exatamente estaria vindo, mas não conseguiu ouvir a própria voz devido aos gritos ensurdecedores que aumentaram por algum motivo. Quando olhou para o palco, viu um grupo de rapazes bem vestidos falarem em um idioma estranho. E a cada sentença mais e mais as garotas em volta gritavam.

E então, quando eles se espalharam pelo palco, Zohar viu Taehyung. Seu coração deu um pulo no peito e por um momento sentiu suas pernas bambearem. Ele estava segurando um microfone e caminhava para sua posição no palco. Ela segurou a respiração ao vê-lo se aproximar e ficar bem à sua frente, mesmo que até então ele ainda não a tivesse visto, e ficou olhando para ele sem acreditar. Ele se agachou, ajeitou a barra da calça sobre o sapato e ergueu os olhos, olhando exatamente em sua direção.

Zohar sentiu como se uma descarga elétrica percorresse seu corpo em milésimos de segundos, fazendo seu coração bater em ritmo acima do normal, ao ver que ele nem desviava o olhar. Ela abaixou os olhos por um momento, inspirou profundamente e voltou a olhar para ele. E ali estava ele olhando diretamente e intensamente em sua direção. Estava tão perto que achava que se ficasse na ponta dos pés e esticasse os braços conseguiria tocá-lo com a ponta dos dedos. E quando ela menos esperou ele deu um sorriso de canto e movimentou os lábios lentamente para que ela pudesse entender:

—Oi, Zohar...

Ela abriu o sorriso sentindo uma alegria tão grande dentro do peito que foi obrigada a se virar e falar com Sarah. Mas quando se virou ela não estava ali. Só sentiu algo fazer cócegas em suas costelas.

 

Ela se movimentou e ao ouvir que alguma coisa tinha caído no chão ao seu lado, abriu os olhos lentamente e viu que estava deitada na cama. Tinha sido um sonho. E ao perceber, e conseguir lembrar de todos os detalhes, que tinha sonhado pela primeira vez com Taehyung, ela olhou para o teto e sorriu. Tinha sido só um sonho, mas sentiu um sentimento de felicidade tão bom dentro do peito, que por um momento se perguntou se era aquilo que as pessoas sentiam quando estavam apaixonadas.

Ela se sentou na cama, achando engraçado aquilo que estava sentindo, e olhou para o chão. Viu que o que tinha caído na verdade era o celular de Sarah, que estava ao seu lado a noite toda. Ela se inclinou para pegá-lo, cuidando para não se desequilibrar e cair, e quando apertou o botão lateral, viu que eram oito horas da manhã. E viu mais uma vez, para seu total aborrecimento, que para qualquer outra operação que quisesse fazer teria que digitar uma senha.

Ela se sentou novamente na cama e ficou olhando para o celular por alguns segundos, não entendendo como que Sarah não tinha se dado conta que ela não sabia a senha e que não conseguiria ver o vídeo –se é que ela tinha mandado- até que ela ligasse e passasse a senha do celular. Ela largou o celular sobre a cama, soltando um longo suspiro e saiu da cama.

Após fazer sua higiene pessoal, foi até a janela e abriu as cortinas. O dia estava nublado, dando indícios de que iria chover. Ela olhou para a paisagem à sua frente e em seguida direcionou sua atenção às nuvens, imaginando onde ele estaria numa hora daquelas. Em cima de um palco? Sabia que tinha sonhado com aquilo por causa do que Sarah tinha falado, mas aquilo era mesmo verdade? Ele não tinha falado nada sobre cantar ou qualquer coisa do tipo quando esteve com ela...

Zohar se virou e olhou para o celular que estava em cima da cama desarrumada. Não ia conseguir se concentrar em outra coisa enquanto não resolvesse aquilo, por isso decidiu arriscar uma tentativa.  Ela pegou o celular e desceu as escadas rapidamente, procurando por Suzan. Ela era a única que poderia saber a senha.

Quando chegou à porta da cozinha, Zohar viu ela e sua mãe tomando café. Por um momento ela hesitou, olhando de uma para a outra, mas por fim se virou para Suzan.

—Bom dia.- ela abriu o sorriso e deu uma pausa para não parecer muito apressada . –Você por acaso sabe a senha do celular da Sarah?

—Bom dia, querida. Sei sim, você quer?

—Sim, por favor.- respondeu. E achando que tinha que dar uma explicação por querer mexer no celular de Sarah, emendou: –É que ela ligou ontem dizendo que ia enviar um vídeo pr’o celular dela pra eu ver, mas ela não passou a senha.

Suzan pensou por um momento, tentando ter certeza que lembrava da senha, e passou para Zohar. Ela agradeceu, dizendo que não estava com fome, e se virou para voltar para o quarto.

—Não pense em não tomar café da manhã por causa desse vídeo, Zohar.- Aisha falou, fazendo Zohar parar no meio do caminho e se virar. –Esperasse a noite toda, não foi?

Zohar bufou e se sentou à mesa, pegando a xícara e despejando chá dentro dela.

—Ela enviou um vídeo, foi?- Suzan perguntou curiosa. –Ela já te avisou previamente o conteúdo desse vídeo?

 Aisha olhou seriamente para ela e depois para Zohar, que riu.

—Avisou sim. Por isso quero ver.

Houve um silêncio momentâneo na cozinha, que foi quebrado por Aisha.

—Por falar nisso, também quero ver esse vídeo.

Zohar, que estava com a xícara já à boca, quase cuspiu o líquido. Suzan riu e mãe e filha olharam para ela.

—Não se preocupe Aisha, Sarah não enviaria nenhum vídeo indecente pra Zohar. Certo?- ela perguntou, virando-se para Zohar e dando uma piscada.

Zohar forçou um sorriso, não entendendo o significado daquela piscadela, e olhou para a mãe pelo canto do olho.

—É claro que não.- confirmou, voltando a olhar para Suzan.

—Até porque...- Suzan esticou o braço para pegar uma fatia de pão. –Você não seria boba de falar que ela enviou um vídeo se soubesse que ele era indecente, certo?

—É claro!- disse ela, arregalando os olhos e balançando a cabeça logo em seguida. –Não... Espera.- ela ficou confusa com aquilo e quando ouviu a risada das duas, que brincavam com ela, rolou os olhos e voltou a tomar o café.

No fim, acabou rindo também.

—Dessa vez você me pegou, Suzan!- olhou para ela, sorrindo com a brincadeira.

—E bem pega, né? Ai de você se eu souber que você anda vendo vídeos indecentes por aí.- Aisha falou, tomando mais um pouco de chá e olhando para Zohar com um olhar brincalhão.

Zohar rolou os olhos e fingiu que aquilo não era com ela.

—Mas o que eu disse é sério.- Aisha falou mais uma vez, atraindo a atenção de Zohar. –Eu quero ver o vídeo. Se não for pedir demais, é claro.- ela deu de ombros.

Zohar observou ela passar geleia de morango na fatia de pão e depois olhou para Suzan, que estava visivelmente curiosa para saber do que elas estavam falando embora não se pronunciasse.

—É um vídeo do Taehyung.- disse simplesmente, já que ela sabia sobre ele. –Sarah viu ele, ou alguém parecido com ele, passando na TV e filmou para eu ver se é ele ou não.

Suzan olhou para Zohar não entendendo de quem ela estava falando.

—Aquele moço que me tirou do casamento... Lembra?

E não demorou muito para que ela lembrasse.

—Ah, Sim! Ele! Sim eu lembro! Como eu poderia me esquecer dele, ele foi tão simpático, tão querido...

—Você chegou a conhecer ele?

Zohar ouviu sua mãe perguntar. E quando olhou pra ela se lembrou que não tinha contado que ele tinha vindo até ali.

—Sim, quando ele veio trazer Zohar. Um amor de pessoa...- Suzan respondeu.

—Achei que você tinha vindo pra cá com a Sarah.- Aisha desviou o olhar para Zohar.

—E vim! Ele que insistiu em vir junto...- Zohar deu de ombros, enfiando um pedaço grande de pão na boca para se esquivar de responder qualquer outra pergunta.

—E por que você não me disse isso?

Zohar deu de ombros.

—Isso importa?- respondeu de boca cheia.

—Bem, achei que ele fosse importante pra você.

Zohar encarou Aisha por alguns segundos.

—Desculpa, querida. Falei algo que não devia?- Suzan se pronunciou.

Zohar olhou para Suzan e balançou a cabeça rapidamente.

—Claro que não.

—E por que isso seria algo que não devia ser dito?- Aisha questionou olhando de uma para a outra.

—Não, não é isso...- Suzan disse, olhando para Aisha e em seguida para Zohar, fazendo uma cara de lamento como pedido de desculpas pelo rumo que aquilo tinha ido.

Zohar deu um meio sorriso e balançou a cabeça. Quando olhou para sua mãe, viu que ela olhava atentamente. Zohar abaixou os olhos para a xícara à sua frente, tentando pensar no que faria a seguir.

—Tem alguma coisa que eu não posso saber?- Aisha perguntou.

E quando Zohar olhou para ela novamente, viu que ela estava olhando e perguntando aquilo para Suzan. Ela sentiu um aperto no peito e foi obrigada tirar Suzan daquela história.

—Mãe... A Suzan não tem nada a ver com isso...

Aisha levantou as palmas das mãos para cima.

—Isso o que? 

Zohar ficou olhando para ela sem saber o que responder. Estava tão perdida, tentando encontrar uma resposta que encerrassem todas as perguntas, que não conseguiu falar nada.

—Zohar, você por acaso está escondendo alguma coisa?- Aisha perguntou. —Desde que eu cheguei eu tenho a sensação de que você tá' escondendo alguma coisa de mim. O que é, hein?

Zohar sabia que o tom de voz dela fazia a pergunta soar mais como uma preocupação materna do que uma interrogação policial, mas simplesmente não conseguia fazer nada sair de sua boca. Se dissesse que não, estaria na cara que estava mentindo. E se confirmasse, mesmo que dissesse que não era nada, sabia que ela ia tentar tirar informações de Suzan outra hora. No fim das contas aquilo ia se transformar numa bola de neve, na qual teria que lidar mais tarde.

Por fim, Zohar tomou um grande gole de chá e se recostou no encosto da cadeira. Talvez fosse melhor contar tudo o que tinha acontecido enquanto ele esteve ali com ela de uma vez e livrar Suzan dos questionamentos de Aisha. Afinal, Suzan sabia de praticamente tudo e sabia que aos olhos da mãe isso a tornaria uma cumplice, ainda mais agora que estava claro que elas estavam escondendo alguma coisa. Zohar só tinha que tentar ganhar tempo até conseguir aceitar a ideia de que talvez receberia uma surra por ter deixado um homem estranho chegar tão perto a ponto de cortar seus cabelos.



Notas finais do capítulo

Eu seeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei, eu seeei que sumi! Mais de dois meses! Foi mais do que eu disse que seria, eu sei. Me perdoem. >—<'

1) Aquele sonho dela foi inspirado em um sonho que eu tive com o Tae esses dias. Mudei algumas coisas pra se encaixar na fic, mas aquela parte do sentimento de felicidade que fez ela se questionar se era aquilo que as pessoas apaixonadas sentiam, geeente.. eu senti isso.
Foi tão estranho e ao mesmo tempo tão bom! Porque era um sentimento de felicidade que brotava de dentro do peito, sabe? Não era só aquela coisa de fã. Pq não sei vocês, mas eu vejo as fotos dele, principalmente as sorrindo, e me derreto toda. Mas dessa vez foi uma coisa genuinamente genuina. O_O
Fiquei o dia inteeeeiro sentindo isso (detalhe:nunca me apaixonei, então... Fiquei um dia inteiro apaixonada pelo Tae?)
Fiquei pensando se era isso que as pessoa sentiam e pensando "meu Deus, eu quero me apaixonar por alguém!" e resolvi colocar isso na fic pra eternizar esse momento ♥_♥
Infelizmente o sentimento se foi quando acordei no outro dia (chorando rios T__T), mas NUNCA vou me esquecer disso... até que eu me apaixone por alguém.

(to colocando isso aqui nas notas pra eternizar esse momento também. ♥)

Nossa... *abismada*
Me digam, vocês já se apaixonaram?

hahah
A pergunta da pessoa...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Zohar" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.