O Jogo do Desafio Duplo - Anna & Leo escrita por Leonardo Alexandre, Hastings


Capítulo 2
One do Leo - Seus Olhos


Notas iniciais do capítulo

Título: Seus Olhos
Mínimo – Máximo de Palavras: 1000 - 2450
Música: Two Ghosts - Harry Styles
Tema: Amor nas pequenas coisas.
Personagens (1 - 4): Melissa Brandão, Tiago Martins,
Helena de Oliveira, João Pedro Costa.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/746432/chapter/2

Abrir os olhos em uma manhã de segunda-feira definitivamente não era o que Helena mais gostava de fazer, principalmente quando um barulho gostoso de chuva embalava seu sono, como naquele momento. Porém, seu sacrifício valeu muito a pena depois de colocar o óculos, que estava na escrivaninha ao lado da cama, pegar o celular e abrir o whatsapp, vendo notificações de seus contatos favoritos: “Ti’souro ♥” e “Mel’neném ♥”.

“Bom dia, Príncipa!!! Tenho péssimas notícias. O sol ligou e disse que quer de volta o brilho que vc roubou todo pra si.” A mensagem de Tiago lhe causou a primeira risada do dia.

“Rosas são azuis. Violetas são vermelhas. Me desculpa, sua beleza é tão grande que bagunçou minha cabeça. Bom dia, minha amora.” E Melissa conseguiu prolongar ainda mais seu riso, fazendo até com que ela esquecesse que havia acordado de mau-humor menos de dois minutos antes.

Saber que iria vê-los era sempre um ótimo incentivo para sair da cama, tomar banho e se arrumar para ir ao colégio.

— Ora, me parece que um passarinho verde cantou na sua janela essa manhã. — A senhora Oliveira brincou ao ver a filha surgir pela porta da cozinha já uniformizada e com um sorrisinho de canto que não lhe saia do rosto.

— Que expressão de velho, dona Marilena. — Helena riu enquanto se sentava à mesa para tomar o café da manhã, ainda falando com Melissa e Tiago por whatsapp. — Mas se for pra respondeu, eu diria que o tal do passarinho tá fazendo plantão na minha janela faz quase um ano e meio.

— Confesso que essa história ainda me deixa meio nervosa, mas você tá tão feliz que nem tem como não acalmar esse meu coraçãozinho de mãe. — A mulher de seus quarenta e tantos anos esticou a mão por cima da mesa para segurar a da filha.

— A canceriana já começa o dia sentimental, né? — Constatou a mais nova em tom de diversão, balançando a cabeça em negativo. — Também te amo, mainha. Agora vamos comer logo antes que a gente perca a hora.

— Oxi, pode falar mais nada.

— Bom dia, minha rainha. E bom dia, minha princesa. — Heitor, o pai de Helena, falou bem alto ao entrar na cozinha arrumando a gravata.

— Bom dia, meu rei. — As duas responderam ao mesmo tempo, fazendo uma pequena reverência, sem se levantar.

Depois disso, a conversa seguiu por um rumo bem banal e ameno até o fim da primeira refeição do dia e, em seguida, no carro durante o caminho para a escola de Helena, que foi a primeira a descer, como sempre.

O sorriso que ela tinha no rosto ao se despedir de seus pais com um aceno aumentou ainda mais ao se virar e encontrar Melissa e Tiago lado a lado perto do grande portão de ferro, com expressões felizes por vê-la também.

Ambos abriram os braços ao mesmo tempo, ao que ela correu, abraçando-os.

— Bom dia, meu Princeso. — Helena cumprimentou primeiro Tiago com um beijo, em seguida fez o mesmo com Melissa. — Bom dia, Mel’Neném.

— Bom dia, Príncipa.

— Bom dia, Amora.

Responderam simultaneamente antes de puxá-la para dentro da escola, cada um com um braço passado ao redor das costas dela. E como sempre ficaram colados assim desde o início do namoro, sem vergonha nenhuma de demonstrar todo seu amor e carinho, todos já estavam acostumados e não havia mais encheção de seco, nem mesmo olhares tortos, era apenas mais um dia normal.

Ainda tinham alguns minutos para conversar antes do sinal para o primeiro tempo soar pelos corredores, então começaram a decidir que filme assistiriam juntos na casa de Melissa mais tarde.

(...)

As aulas não foram tão maçantes e em menos de duas horas estaria de novo com seus dois amores, por isso Melissa estava de bom humor enquanto caminhava de volta para casa.

Porém, ao virar a esquina e ver seu vizinho com um ar suspeito de confiança parado de braços cruzados e apoiado com as costas em seu portão como se estivesse esperando-a, o sorriso escorregou até sumir de seu rosto bonito.

— Oi, JP. — Cumprimentou-o sem ânimo. — Precisa de algo?

— Não. — O garoto desencostou do portão e tentou disfarçar sua empolgação de um jeito bem falho. — Na verdade, eu só queria te contar uma coisa. Vai ser bem chato de ouvir, mas é melhor saber do que ficar se iludindo...

— Eu tenho um trabalho pra fazer. Será que você não pode pular pro final? — Melissa o interrompeu tentando não parecer grossa.

— Então... Eu fui no shopping anteontem e acabei vendo o tal do Iago, seu namorado...

— Tiago.

— Sim. Eu vi ele todo de chameguinho com outra garota. — Dava para ver o brilho de triunfo nos olhos de João por achar que tinha como fazer sua nova paixonite voltar à solteirice.

— Ah, mas que absurdo! Vou tirar essa história a limpo agora. — Melissa fingiu estar indignada, tirando o celular no bolso de trás da calça jeans azul e desbloqueando a tela, porém suavizou a expressão como se lembrasse de algo. — Ah, espera aí. A guria com quem você viu o Ti era uma baixinha com o cabelo cor de chocolate cheio de cachos definidos e volumosos, coxas grossas e a pele em um lindo tom de canela?

— Bom... Eu não usaria exatamente essas palavras, mas... Sim. — Foi tão prazeroso ver a expressão do garoto desanimar que era quase impossível disfarçar. — Você já... Já conhece?

— Ah, eu conheço sim, não se preocupe. — Respondeu sorrindo. — Era só a Helena. A namorada dele.

— Namorada dele? Então a outra, na verdade, é você? — João voltou a ficar animado, dessa vez tinha até ar de malícia em sua fala.

— Sou a outra namorada do Tiago. — Melissa revelou cruzando os braços. — E minha namorada Helena lida muito bem com isso.

— Caramba. — Ele sussurrou olhando-a de cima a baixo como um predador. — Então é, tipo, putaria liberada entre vocês?

— Não, João Pedro. — Retorquiu com nojo. — Isso significa que nós três amamos um ao outro e decidimos não fazer disso um tabu. Agora se puder sair da minha frente pra que eu possa entrar em casa, te agradeço muito.

João abriu e fechou a boca pelo menos três vezes sem conseguir pensar em nada para dizer, por fim deixou a garota passar, mas antes que ela passasse pela porta, gritou através da grade do portão. — Se abrir vaga, me avisa pra eu mandar minha ficha.

— Tchau, JP. — Melissa respondeu, revirando os olhos.

Depois desse acontecimento, as horas se seguiram bem normais até sua namorada chegar, lhe trazendo uma barra de chocolate Laka de Óreo (seu doce favorito), e em seguida, seu namorado com uma latinha de Pringles de Queijo (seu salgado favorito). Como sempre, eles se esforçavam para ser uns amores.

E por saber disso, toda vez que recebia visita dos dois, fazia questão de fazer a comida preferida de ambos: batata frita e bacon para Tiago e bolinhos de banana Helena. Mas, na verdade, os três sempre acabavam dividindo tudo e assistindo filme.

E não foi diferente naquela tarde enquanto se divertiam com Emma Stone como Olive Penderghast em A Mentira, e trocavam beijos e carinhos.

(...)

Tiago era o único que ia embora de ônibus e mesmo assim, suas namoradas estavam ali ao seu lado na parada, apenas para conversar mais um pouco e aproveitar ao máximo sua companhia.

— O dia hoje foi tão massa que eu até me esqueci de comentar sobre a música que o Harry Styles lançou: Two Ghosts. — Ele disse empolgado. — Cara... Que voz.

— Pois num é? — Helena respondeu no mesmo tom. — Nem parece que a gente tá de fato ouvindo alguém cantar, é como se tivesse um monte de fadinhas ou anjos pequenininhos massageando nossos tímpanos.

— Sim! E que letra! Harry Styles por si só já é um Hino.

Tiago sabia que aquele entusiasmo todo na voz de Melissa era atuação, pois diferente dele e Helena, ela não era tão fã da One Direction e seus ex-integrantes, mas entrava no clima quando o assunto entrava em pauta por amar ver seus dois amores tão contentes.

Porém, o tópico não durou muito, pois em poucos minutos o garoto já podia ver seu ônibus se aproximando.

— Tá vindo. — Murmurou apontado para trás das duas. — Tchau, Príncipa. Tchau, My Dark Angel.

— Tchau, Princeso.

— Tchau, My Boo.

 Responderam simultaneamente, beijando-o uma de cada vez logo em seguida.

— Amanhã eu vou vencer você e mandar mensagem pra ela primeiro. — Melissa sorriu e piscou para ele.

— Mas não vai mesmo. — Tiago riu e balançou a cabeça.

— Não importa quem mandar antes, eu vou amar as duas seus bobões. — Helena cessou o assunto dando um selinho em cada um. — E você, mocinho. Não vai furar amanhã. É pra aparecer na minha casa às três em ponto.

— Podexar, mamãe.

Tiago precisava de ajuda em redação, pois era péssimo em humanas. E por mais que não gostasse de estudar essa matéria, admirava muito o fato de sua namorada estudar o assunto só para ensiná-lo, já que estava no terceiro ano e ela no segundo.

Antes que o garoto entrasse no ônibus, houve tempo para mais uma troca intensa de olhares. E assim como podia ver nos olhos delas, Tiago sabia que elas podiam ver o amor em seus olhos. Todas as pequenas coisas que faziam um pelo outro os faziam sentir isso.

E nesses momentos, os três tinha certeza que todas as dificuldades valiam a pena.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!




Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Jogo do Desafio Duplo - Anna & Leo" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.