Diário de Guerra escrita por Princesa Winchester


Capítulo 17
Capítulo 17 - Um pouco de paz


Notas iniciais do capítulo

Olá meus queridos, estou quase terminando de responder vocês (AMÉM NÓS TODOS), e também estou quase terminando de colocar todas as fic's em dia (É PRA APLAUDIR DE PÉ IGREJA!)
Pois bem, momento que a galera tava loka feat morta para ver...encontro dos pombinhos :3

Palavra de hoje: EXCRUCIAR.
Boa Leitura!



 

17 de Outubro, Rússia, 1942.

Minha principal missão naqueles sete dias seria não excruciar minha família com os problemas da guerra. Não era segredo para ninguém que os nazistas continuavam sua disseminação de ódio, e aquilo, sem sombra de dúvidas, atormentava os sonhos de qualquer cidadão de bem.

Naquele mesmo dia, depois de abraçar meus familiares e contar de forma amena tudo o que eu vivi nos últimos dias, fui de encontro a Nádia. Queria vê-la, abraçá-la, tocá-la e beijá-la. Queria saber sobre o nosso filho e reafirmar meus votos para com ela. Queria me casar antes que eu fosse convocado novamente, não podia deixar com que ela fosse taxada como uma vadia por estar grávida e solteira. A criança tinha um pai e Nádia teria um marido.

Bati na porta de sua casa e quando a vi ali, com os olhos inchados e o rosto triste, minha reação foi somente tomá-la em meus braços e lhe abraçar fortemente. Seu corpo frágil se encheu de energia e logo ela devolveu o abraço de forma carinhosa.

—Você está mesmo aqui? Não estou sonhando? – Seus olhos se encheram de lágrimas. – Você não me deixou!

—Jamais deixaria... – E naquele momento iniciamos um beijo.



Notas finais do capítulo

Uma pequena pausa no caos para o Niko...mas não se enganem, muita coisa vai rolar pra ele...o chumbo vai vim grosso!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Diário de Guerra" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.