Laços Perigosos escrita por MariaClara


Capítulo 11
Capítulo 11


Notas iniciais do capítulo

Oi, tudo bom?
Espero que sim!
Estou aqui de novo e faz menos de cinco minutos que postei o anterior




Quando cheguei em casa meus pais estavam na sala conversando.

— Oi mãe, oi pai - Falei começando a subir as escadas.

— Espera aí mocinha - Disse minha mãe.

— Hum?

— O que é isso? - Apontou pra meu uniforme da torcida.

— Meu uniforme de líder de torcida, mas agora tenho que subir porque eu e Natalie vamos fazer compras e eu preciso me arrumar.

— Vai sem dinheiro? - Perguntou meu pai.

— Esqueci desse detalhe - Falei dando meia-volta.

— Aqui - Disse me entregando o cartão de crédito dele.

— Quanto posso?

— O quanto você quiser, eu e sua mãe ficamos muito felizes em ver você fazendo amigas.

— Obrigado - Falei correndo para o meu quarto.

Quando cheguei lá me lembrei que meu celular ainda estava na casa da Natalie. Me arrumei e quando cheguei lá fora me deparei com James, eu havia esquecido que ela não dirigia, mas logo fui perguntando.

— Achei que fôssemos só nós duas... - Falei decepcionada.

— Você se importa se ele for? - Perguntou Natalie.

Apenas fiz que sim com a cabeça e entrei no carro, o silêncio estava começando a ficar constrangedor até que finalmente paramos em frente á uma loja em que ela havia mandado estacionar.

Quando entramos Natalie teve vários surtos com as roupas que via, aparentemente iríamos ficar ali por muito tempo.

Três horas depois...

Quando finalmente saímos daquele lugar já eram sete e meia, eu havia comprado apenas um vestido verde e um salto preto, não era o que eu costumava usar mas estava precisando de algo novo. Natalie ao contrário de mim tinha seis sacolas recheadas nas mãos, e James havia cochilado no sofá que tinha na loja. 

Depois de guardar tudo no porta-malas do carro entramos e planejávamos ir pra casa, quando passamos em frente a uma boate nova na cidade e Natalie insistiu para que déssemos uma passada só pra ver como era, mas claro que ela iria querer aproveitar a noite ali dentro.

Andamos em direção á entrada quando um segurança nos barrou.

— Vocês têm mais de 18? - Perguntou o homem que mais parecia uma montanha de músculos. Eu e James nos entreolhamos, eu nunca havia ido a uma festa dessas e provavelmente nunca iria, afinal vou ter 17 para sempre.

— Não temos, mas você não precisa falar pra ninguém - Disse Natalie fazendo cara de cachorrinho que caiu da mudança.

— Então não podem entrar! - Disse o homem, eu apenas revirei os olhos e lhe entreguei trezentos dólares a qual ele olhou com um ar de dúvida.

— Todo mundo faz coisas erradas, aceite sei que pra entrar custa só vinte por pessoa - Falei lhe estendendo, ele finalmente havia aceitado e nos dado espaço para passar.

— Você foi incrível - Disse Natalie gritando devido á música alta.

— Obrigada - Falei continuando a andar, lá dentro notei que o lugar tinha uma pegada meio retrô e que tudo parecia vindo diretamente dos anos 60, haviam sofás e poltronas vermelho escuro nos cantos e uma pista de dança lotada de gente bêbada.

Natalie saiu correndo pra dançar antes que fôssemos embora, deixando nós dois pra trás.

— Vamos procurar algum lugar pra sentar - Falou James pela primeira vez desde que saímos.

Depois de muito procurar devido ao lugar estar muito cheio achamos um espaço no canto, mas que dava pra ver tudo. Não sei quanto tempo ficamos ali parados esperando a Natalie pra ir embora, mas ela não tinha aparecido desde que chegamos.

— Eu vou pegar uma bebida você quer? - Perguntou James.

— Pode ser...

Então ele foi em direção ao bar que era próximo de onde estávamos, ele fez os pedidos ao barman que foi logo preparando. Depois de uns três minutos ele já estava voltando com dois copos com um líquido que não reconheci.

 - Aqui está - Disse me entregando um dos copos.

— Obrigado - Falei pra depois virar o líquido com tudo que passou queimando, era alcoólico.

— Calma - Falou rindo ao ver minha cara de desespero, estava muito ruim.

Ficamos parados por mais um tempão e nada da Natalie aparecer, eu já estava ficando preocupada.

— Eu vou procurá-la - Disse James indo em direção á pista de dança.

Me permiti soltar a respiração quando ele se foi, eu nem sabia que havia prendido. Após alguns minutos começou uma movimentação estranha e até uma rodinha foi formada, achando muito estranho fui até lá, quando consegui me encaixar ali no meio pra enxergar o que estava acontecendo vi James socando um garoto, deveria estar muito forte porque o menino não tinha reação apenas gritava de dor enquanto um monte de gente ficava berrando "briga, briga, briga" Ele já estava levantando o punho para dar outro soco no garoto quando segurei sua mão.

— O que você está fazendo? - Perguntei.

— Eu vou acabar com esse idiota - Gritou James.

— Vamos embora! - Falei tentando puxá-lo, mas ele nem se moveu, desvencilhou seu braço e começou a bater no garoto, que agora eu havia percebido que era Simon, com ainda mais força. Eu entrei na frente quando ele iria dar mais um golpe e sua mão parou a centímetros do meu rosto, ele recuou lentamente, pegou Natalie pelo braço e saiu arrastando ela pra fora, eu fui atrás depois de um tempo já que tinha ficado pra ajudar Simon, ele me contou que estava apenas conversando com Natalie quando James chegou e começou a bater nele. Minutos depois dois garotos da nossa classe chegaram e disseram que iriam levá-lo para o hospital.

No estacionamento os dois discutiam sem parar, ela dizia que ele era totalmente maluco e ele dizia como ela era irresponsável e inconsequente por "dar corda" pro Simon. 

— Acho que vou pegar um táxi, vocês precisam conversar a sós - Falei me virando pra ir embora.

— Espera, você veio com a gente e vai voltar com a gente - Falou James abrindo a porta da frente do carro, esperei Natalie entrar mas quando ela foi fazer isso James a barrou. 

— Você vai atrás - Disse apontando para a sobrinha.

Ela apenas revirou os olhos e entrou na parte de trás, fiquei encarando a porta aberta até que ele pegou me deu um empurrão leve nas costas insinuando que eu deveria entrar, assim que me sentei ele fechou a porta e deu a volta no carro se sentado e indo em direção á minha casa.

Quando chegamos eu já estava saindo com minhas compras em mãos quando ele me parou e me estendeu meu celular, apenas agradeci e entrei em casa largando minhas coisas pelo caminho. Assim que adentrei meu quarto liguei meu celular até que encontrei um número novo na minha agenda "James".

 



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado!
Comentem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Laços Perigosos" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.