Fanfiction escrita por Missy Saxon


Capítulo 2
O Mistério da Sra Saxon


Notas iniciais do capítulo

Eu andei a semana sem conseguir criar, e ainda to meio ruim de criação, por isso saiu esse capítulo. E eu acho incrível como eu consigo enrolar tanto num capítulo kkkkkk
Escolhi Almeria pq gosto de lá, eu acho rsrs

Boa leitura!



Missy estava deitada no chão da Tardis enquanto o Doutor e a Bill discutiam o assunto.

— Temos que achar essa tal, Sra Saxon que está brincando com a nossa realidade. – Diz o Doutor.

— E como faremos isso? – Bill pergunta.

— Vamos tentar rastrea-la pela história que ela escreveu. – O Doutor responde. – Bill, me dê seu celular.

Bill entrega seu celular ao Doutor que vai direto para o console da Tardis e conecta o celular a Tardis.

— Acha que isso vai funcionar? – Bill questiona.

— Eu espero que sim. – O Doutor lhe responde.

— E quanto a Missy? O que faremos? Vamos deixa-la aqui desmaiada?

— Ela só está em choque ainda. A notícia foi muito forte pra ela. Ela já vai acordar.

— Em choque? Senhores do Tempo ficam em choque?

— Com o que está acontecendo a ela... Digamos que sim.

— Isso é interessante.

— Estamos na Tardis. – Missy começa a pronunciar enquanto acorda lentamente. – Porque estamos na Tardis, Doutor?

— Você não lembra? Os anjos invadiram o cofre. – Bill tenta fazer com que ela se lembre.

— E vem a fase da negação. – O Doutor diz baixo. – Tão dramática.

— Eu pensei que tinha sido só um pesadelo... – Ela começa a dizer se lamentando do que se lembrava. – Então ainda está ocorrendo...? – Ela se levanta do chão e vai até o Doutor. – Isso é tudo culpa sua, Doutor! – Ela diz muito nervosa.

— Minha culpa? Não sou eu quem está brincando com a realidade! – Ele tenta se livrar da culpa que lhe foi imposta.

— Mas tudo começou com aquele dia! Você sabe muito bem quem é que está por trás disso. Você a viu!

— Você acha que é a Moça da comida japonesa? – Ele pergunta, achando meio absurdo o que ela havia dito.

— E quem mais seria? Foi aí que tudo começou. Se não fosse pelo que houve aquele dia, nada disso estaria ocorrendo!

— DR, e sem pipoca pra acompanhar... – Bill diz se divertindo com a discussão entre o Doutor e a Missy.

— Mas você também permitiu tudo aquilo, Missy. – O Doutor se justifica.

— Tá muito boa a conversa, mas afinal, quem é essa Sra Saxon?

— O Doutor a viu e ela disse algo a ele, mas ele não deu ouvidos. – Missy diz.

— Você a viu, Doutor? Então sabe onde ela está! Já sabemos onde ir. – Bill diz.

— Mas o problema é se não era apenas um disfarce para atrair o Doutor. – Missy diz.

— Exatamente! – Ele concorda.

— Mas o que houve nesse dia, exatamente. – Bill pergunta com muita curiosidade sobre o dia, em que supostamente tudo havia tido início.

— Está bem, eu vou explicar tudo... – Diz o Doutor.

~Duas semanas atrás... ~

O Doutor havia saído da universidade para comprar algo que comer e havia deixado o cofre aos cuidados de Nardole.

O Doutor tinha ido a um restaurante de comida japonesa, e no balcão uma moça o atendeu. Ela tinha pele morena e cabelos cacheados presos a um rabo de cavalo.

— Olá, Doutor! Já tenho o seu pedido pronto. – Ela havia dito.

— Mas eu não pedi nada, ainda. – O Doutor responde achando estranho o que ela havia dito.

 

— Mas eu sei o que você e sua amiga vão querer.

— Como sabe...? – Ele não teve tempo perguntar pois ela já tinha a resposta.

— Eu tenho o conhecimento de tudo, Doutor, principalmente sobre você e sua amiga. Está tudo nos livros. E aliás, está aqui o seu pedido. – Ela entregou a ele uma sacola com duas marmitex - Aposto que ela vai gostar. Fica por conta da casa. – Então ela entra para a cozinha do restaurante.

O Doutor volta para a universidade intrigado com tudo aquilo, mas achou ser irrelevante.

No cofre conversando com a Missy enquanto eles comiam, ele conta todo o ocorrido a ela....

~Hoje~

— Chega de flashback, né? – Diz a Missy. – O que houve depois disso não é relevante.

— Posso até imaginar... – Bill diz sorrindo. – Tem fanfics a respeito.

— Definitivamente, você tem que parar de ler essas coisas. – Diz o Doutor.

— Conseguiu encontrar o sinal da história, Doutor? – A Bill pergunta.

— Sim. Vem da... Espanha. Mais precisamente, Almeria.

— Então ela é espanhola?! – Bill pergunta afirmando ao mesmo tempo – Eu jurava que ela era britânica.

— Ela consegue controlar a realidade, obviamente nem humana é! – Missy diz como se fosse óbvio.

— Então o que ela é? – Bill pergunta novamente.

— Teremos de descobrir. – O Doutor fala.

— Na história fala sobre um museo em Almeria. – Bill começa a dizer. – Acho que você iria gostar. Se chama Museo de la Guitarra. A tal Sra Saxon menciona ele assim de relance, diz que os anjos estavam lá esperando por você e a Missy.

— Então não iremos para lá. Missy nesse estado tem que ficar longe de perigos.

— De novo isso? – Missy diz sem vontade. – Bem, então eu ficarei aqui te esperando. – Ela sobe as escadas da Tardis e se senta na poltrona que tinha ali.

— Ótimo! – O Doutor diz enquanto digitava as coordenadas no painel.

A Tardis alerta uma nova mensagem.

"Estou te esperando no museo. A essa altura você já sabe onde estou, sua nova amiga é inteligente e já deve ter decifrado a história. Traga a Missy com você. Não vou permitir ser enganada."

A expressão do Doutor muda, em seu rosto se via preocupação.

— O que foi, Doutor? O que tinha na mensagem? – Bill pergunta curiosa.

— Ela... Quer a Missy. – Ele revela.

— Diga a ela que pela gravidez eu passei mal e não pude ir. Mande lembranças. – Missy fala.

— Ela quer você, Missy. Não tenho escolha, ela controla tudo.

— E você quer me sacrificar? Eu sou sua amiga! Diga a ela que não estou afim.

— E se for uma armadilha? – Bill indaga.

— É claro que é uma armadilha! – Missy diz como se fosse óbvio. – Estou grávida por causa dela, por algum motivo ela quer isso. Mas quer saber, eu quero saber quem é essa sujeita que quer brincar comigo.

— Missy, será perigoso. Se os anjos te pegarem... O universo estaria perdido. – Ele fala preocupado.

— Que escolha temos? Agora vamos logo antes que eu mude de ideia.

— Está bem.

A Tardis  pousa em Almeria, dentro do museo. Os três saem para fora.

— Missy, muito cuidado, podem ter anjos por aqui. – O Doutor diz tentando proteger sua amiga.

— Eu sei me cuidar, Doutor. Você deveria se preocupar com a... – Antes dela terminar de falar, eles ouvem uma voz vinda de um alto falante.

"— Em fim chegaram! Demoraram tanto... Estou esperando a duas semanas. Um prazer te ver de novo, Missy."

— Quem é você? – Missy investiga.

"— Você sabe quem eu sou, Missy. Não me diga que já esqueceu!? Então até você lembrar, vocês terão que lidar com meus bebês."

As luzes do museo começam a piscar e os anjos começam a aparecer.

— Agora sim estamos perdidos. – A Bill fala.

— Melhor começar a se lembrar, Missy, tem um universo em jogojogo. – O Doutor alerta.

Continua...



Notas finais do capítulo

Me deixaram curiosa sobre o que a Sue de Green Wing (personagem de Michelle Gomez) faz pra tentar engravidar, (daquele médico até eu ia tentar engravidar kkkkkkk) aí assistindo essa serie fiquei pensando em como matar o bebê da Missy (pq eu não consigo colocar um bebê numa fic sem matar ele, minha mãe dizia isso) mas acho que me a peguei ao Bebezinho, e não sei mais o que fazer com ele. Bem logo vou descobrir.
Digam o que acham ♥♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Fanfiction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.