After Time escrita por SkyTemplaria


Capítulo 2
Capítulo 2




CAPÍTULO II

 

Sakura observou o brilho no olhar do casal, seu peito se aqueceu, era bom ver a felicidade no olhar dos amigos, mesmo que uma parte egoísta sua, lá no fundo, a fizesse sentir uma certa inveja. A rosada abriu um sorriso que foi retribuído, acenou e se afastou, como havia previsto, os sintomas que tanto preocupava o amigo loiro, não passava de sintomas corriqueiros de uma gravidez, Hinata estava bem.

 

Já era noite e as ruas de Kanoha estavam movimentadas, as noites, desde o fim da guerra, haviam ganho uma animação especial, afinal, estar vivo era um motivo de comemoração, graças a isso, os ninjas e civis começaram a aproveitar ao máximo desse privilégio. Por um momento permitiu-se imaginar-se junto àqueles tantos outros ao seu redor, bebendo, dançando e rindo alto, parecia bom e de certa forma certo, mas estava cansada e não tinha tanto ânimo para uma noitada.

 

O cheiro de tempero lhe atraiu, seu estômago protestou e de súbito lhe veio à mente sua última refeição, essa ao que parecia ter sido há uma vida, estava faminta. Uma parada breve não parecia uma má ideia, observou a barraca de ramen logo a frente, não era surpresa a encontrar um tanto quanto lotada, logo tratou de seguir ruma a mesma. Passou um pouco espremida entre os corpos e mesas postas em frente, um bom sinal de que o negócio estava acrescer, quando enfim alcançou o balcão, o tio do ramen sorriu em recepção, Sakura acenou e logo a jovem filha do administrador do lugar lhe veio atender, não passou de um breve diálogo, feito o pedido, a moça se afastou e Sakura se ajeitou melhor ao banco alto.

 

— Sakura?- Um chamado lhe atraiu a atenção, ao se virar não pode esconder a surpresa ao se deparar com Sasuke.

 

— Sasuke?!- Proferiu surpresa.- O que faz aqui?

 

— O mesmo que você, creio.- O moreno lhe revelou um leve sorriso, logo sentando no banco ao seu lado.

 

Um momento de silêncio se seguiu, era sempre assim entre eles, Sakura não sabia o que falar, não se sentia tão íntima de Sasuke, não daquele Sasuke, assim como o mesmo não parecia se importar com o silêncio, por isso este persistia.

 

— Fui visitar Naruto e Hinata hoje…

 

— Hm…- O moreno emite aquele único som, mas a rosada sabe que ele a está escutando.

 

Novamente silêncio, Sakura reprimi um suspiro e por fim opta por se manter calada, Sasuke não parecia desconfortável com isso, então ela também não ficaria.

 

Alguns minutos depois, ambos foram servidos, comeram em silêncio e Sasuke foi o primeiro a se despedir, pouco depois Sakura também seguiu seu caminho. Enquanto andava seus pensamentos se voltavam para Sasuke, aquele era mais um dos motivos para notar que sua paixão por ele ter sido superada, era algo bom, eles não eram compatíveis em nada, Sakura nunca ficaria confortável estando em meio a tantas pessoas e não conversando com alguém. Ela gostava de conversa, gostava de sorrir e de criar laços.    

 

Cerca de dez minutos depois a rosada pode avistar a fachada de sua casa, com a mesma pintura e acabamento, desde que se lembrava. Parou por um momento e observou o céu estrelado, aquela era outra coisa que tinha aprendido a admirar, os mínimos momentos, poder admirar a beleza de um crepúsculo a uma ouvorada. Um movimento em meio às sombras ao lado de sua residência lhe atraiu a atenção, seus instintos como shinobi falaram por ela, rapidamente Sakura focou sua visão, puxou uma kunai e esperou por algo mais.  

 

Um homem vestido de negro se esgueirou pelas sombras, parecia nervoso, enquanto olhava de um lado para o outro continuamente e por fim parou quando a viu, ele deu um salto e logo disparou em uma corrida. Não era preciso pensar muito para que ela tivesse certeza de que havia algo muito errado ali, aquele comportamento e aquela fuga sem motivos aparentes era mais que o suficiente para condená-lo culpado por algo, então a rosada correu, no encalço do homem estranho.

 

O homem não seguiu rumo as ruas movimentadas, pelo contrário, preferiu as ruas escuras e esquecidas, saltou por muros e telhados, se distanciando cada vez mais da multidão, ele seguia para a floresta. Algo no íntimo da rosada lhe alertou, podia ser uma armadilha, uma emboscada, eram inúmeras as possibilidades, porém, isso não serviu para detê-la, não podia simplesmente permitir que um suspeito como aquele lhe escapasse, era melhor se arriscar naquele momento que sofrer com algo pior futuramente.

 

Na floresta a escuridão ocultava o suspeito quase que por completo, o que a ajudava para que pudesse continuar a perseguição, era apenas o contorno do mesmo, banhado pela luminosidade da lua cheia e estrelas. Apressou o passo, o que quase a fez ser acertada pela kunai lançada, a escuridão atrapalhava sua visão, conseguiu desviar por muito pouco, graças ao brilho da lâmina revelado no último instante, o que a fez se desequilibrar um pouco para conseguir desviar.

 

Aquele momento de distração lhe custou, o suspeito lhe fugiu a vista, Sakura parou, usando de seus sentidos ao máximo, deixando a kunai que levava em mãos de lado e preparando seus punhos para um de seus poderosos socos se necessário. Esperou e esperou, segundos pareciam horas quando a adrenalina ainda lhe percorria as veias. Em meia a escuridão ela viu um rápido piscar, pensou estar a ver coisas, contudo o mesmo piscar se repetiu uma vez e mais outra, para enfim se estabilizar em uma luz colorida.

 

A rosada procurou deixar qualquer pensamento de lado, ela avançou, logo que se aproximou visualizou o homem de preto junto a fonte daquela luz multicolorida, uma pequena lanterna envolvida por selos em uma escrita que lhe era desconhecida. O homem não pareceu notá-la, até que a mesma lançou uma de suas kunais, como ele fizera antes, a arma atravessou sua pele e se manteve presa a seu braço direito, ele rapidamente se voltou para ela, o rosto e cabelos ocultos por uma máscara que apenas revelava os olhos dourados.  

 

O estranho grunhiu como um animal, então avançou em sua direção, Sakura se esquivou dele com certa facilidade, franzindo as sobrancelhas confusa. Ou aquele homem não era um ninja bem treinado, ou estava bastante alterado, pois seus golpes se revelavam fáceis, eram lentos e desprovidos de grande habilidade. Ela estava certa de que podia imobilizá-lo rapidamente, e o faria se a luz multicolorida não houvesse de súbito se intensificado, se viu involuntariamente cobrindo os olhos, eram tanto luz, que temia ter perdido sua visão naquele momento.   

 

Tentou se acalmar e usar seus outros sentidos, ainda havia um inimigo ao alcance, se ela não fosse hábil em virar aquela situação a seu favor, podia ser que ele o fizesse, o que nem de longe parecia ser uma boa possibilidade. Antes que pudesse agir, entretanto, algo pareceu envolvê-la, como um polvo a sua presa, com inúmeros tentáculos, que lhe restringia os movimentos e apertava.

 

Sakura tentou inutilmente manipular seu chakra, para desenvolver a força necessária que pudesse romper fosse o que fosse que lhe restringia. Assustada se deu conta de que estava mais que enrascada, seu chakra não lhe respondia, ela não conseguia sentir seu fluxo, ele ainda estava lá, mas era inútil, estava tão imobilizado quanto ela própria.

 

Um som estridente se iniciou, o ar se moveu feroz a sua volta, fazendo seu cabelo curto de debater indomável, o ar lhe foi puxado dos pulmões e ela engasgou, era como se estivesse a afogar-se. O desespero foi inevitável e quanto mais se debatia, mais sentia-se cansada e distante, a escuridão em sua mente se aproximou, a sobrepor-se, a sua consciência. Sakura estava perdida.    









Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "After Time" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.