Full Moon escrita por The Mrs Padackles


Capítulo 1
Capítulo único


Notas iniciais do capítulo

ADAPTADA de um trexo do livro Lua Nova!!!!!!!!



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/74029/chapter/1

- Eu não gosto de ter que estar aqui.

Essa doeu. Eu estremeci e os olhos dele se apertaram.

- Então eu lamento que você tivesse que vir - eu murmurei. - Porque você não me diz o que você precisa pra que aí você possa ir embora?

- Eu só tenho que te perguntar algumas coisas. Não vai demorar muito. Nós temos que voltar para o funeral.

- Ok. Então acabe logo com isso - eu provavelmente estava exagerando no antagonismo, mas eu não queria que ele visse o quanto isso estava doendo. Eu sabia que não estava sendo justa. Afinal, eu havia escolhido a sugadora de sangue a ele na noite passada.

Eu havia machucado ele primeiro.

Ele respirou fundo, e de repente seus dedos tremendo estavam parados. O rosto dele se suavizou e se transformou numa máscara de serenidade.

- Um dos Cullen está ficando aqui com você - ele declarou.

- Sim. Alice Cullen.

Ele balançou a cabeça pensativo.

- Por quanto tempo ela vai ficar?

- Até quando ela quiser ficar. - A beligerância ainda estava no meu tom. - É um convite em aberto.

- Será que você acha que podia... por favor... Explicar pra ela sobre aquela outra, Victória?

Eu fiquei pálida.

- Eu contei pra ela. - Ele balançou a cabeça.

- Você já deve saber que nós só podemos vigiar as nossas terras com um Cullen aqui. Você só vai estar a salvo em La Push. Eu não posso mais te proteger aqui.

- Ok - eu disse com uma voz pequena.

Nessa hora ele desviou o olhar, pra fora pelas janelas. Ele não continuou.

- Isso é tudo?

Ele continuou com os olhos no vidro enquanto respondeu.

- Só mais uma coisa.

Eu esperei, mas ele não continuou.

 - Sim - eu finalmente incitei.

- O resto deles também vai voltar agora? - ele perguntou numa voz gelada, quieta. Isso me lembrou do jeito calmo de Sam. Jacob estava ficando mais parecido com Sam... Eu me perguntei por que isso me incomodava tanto.

Agora eu não falei. Ele olhou de volta pro meu rosto com olhos provadores.

- Bem? - ele perguntou. Ele lutou pra conciliar a tensão atrás da sua expressão serena.

- Não - eu disse finalmente. Mal humorada. - Eles não vão voltar.

A expressão dele não mudou.

- Tudo bem. Isso é tudo.

Eu olhei pra ele, minha irritação cintilando.

- Bem, pode correr agora. Pode ir dizer pra Sam que os monstros assustadores não vão vir pegar vocês.

- Tudo bem - ele repetiu ainda calmo.

Isso parecia ser tudo. Jacob caminhou rapidamente saindo da cozinha.

Eu esperei pra ouvir a porta da frente, mas eu não ouvi nada. Eu podia ouvir o tique taque do relógio na parede, e fiquei mais uma vez impressionada de ver o quanto ele havia ficado silencioso.

Que desastre. Como é que eu posso ter alienado ele tão completamente num espaço tão curto de tempo?

Será que ele ia me perdoar quando Alice fosse embora? E se ele não perdoasse?

Eu me joguei no balcão e coloquei o rosto nas mãos. Como é que eu tinha bagunçado tudo desse jeito? Mas o que eu podia ter feito diferente? Mesmo olhando para a situação, eu não vejo uma saída melhor, em nenhum dos caminhos da situação.

- Bella...? - Jacob perguntou com uma voz perturbada.

Eu tirei o meu rosto das mãos pra ver Jacob hesitante na porta da cozinha; ele não havia ido embora como eu pensei.

Foi só quando eu vi as gotas claras pingando em minhas mãos que eu percebi que estava chorando.

A expressão calma de Jacob havia desaparecido; o rosto dele estava ansioso e incerto. Ele caminhou silenciosamente de volta e ficou na minha frente, abaixando a cabeça pra que seus olhos ficassem na mesma altura dos meus.

- Eu fiz de novo, não fiz?

- Fez o que? - eu perguntei com minha voz falhando.

- Quebrei minha promessa. Desculpe.

- Tudo bem - eu murmurei. - Fui eu quem começou dessa vez.

O rosto dele se torceu. - Eu sabia como você se sentia em relação a eles. Isso não devia ter me pego de surpresa desse jeito.

Eu podia ver a repulsa nos olhos dele. Eu queria explicar como realmente era Alice, pra defender ela do julgamento que ele fazia, mas alguma coisa me avisou que essa não era a hora.

Então eu só disse – Desculpa - de novo.

- Não vamos nos preocupar com isso, tá bom? Ela só está visitando, certo? Ela vai embora, e as coisas vão voltar ao normal.

- Será que eu não posso ser amiga dos dois ao mesmo tempo? - eu perguntei, minha voz não escondia a dor que eu sentia.

Ele balançou a cabeça lentamente.

- Não, eu não acho que pode.

Eu respirei e olhei para os pés grandes dele.

 - Mas você vai esperar, certo? Você ainda vai ser meu amigo, mesmo que eu ame Alice também?

Eu não olhei pra cima, com medo de ver o que ele pensaria sobre essa última parte. Ele levou um minuto pra responder, então eu provavelmente estava certa por não olhar.

- É, eu sempre vou ser seu amigo - ele disse mal humorado. - Não importa o que você ame.

- Promete?

- Prometo.

Eu senti os braços dele ao meu redor, e eu me inclinei para o peito dele, ainda inalando.

- Isso é uma droga.

- É - então ele cheirou o meu cabelo e disse, - Eca.

- O que? - eu quis saber. Eu olhei pra cima pra ver que o nariz dele estava torcido de novo.

- Porque que todo mundo fica fazendo isso? Eu não cheiro mal! - Ele sorriu um pouquinho.

- Cheira sim, você cheira como eles. Eca. Muito doce, doentemente doce. E... Gelada. Queima meu nariz.

- Mesmo? - Isso era estranho. Alice tinha um cheiro inacreditavelmente maravilhoso. Pra um humano, pelo menos. - Mas, porque Alice achou que eu estava cheirando mal também? Isso levou o sorriso dele embora.

 - Eu também não cheire muito bem pra ela.

- Huh.

- Bem, vocês dois cheiram bem pra mim - eu descansei a minha cabeça nele de novo. Eu ia sentir terrivelmente a falta dele quando ele saísse pela porta. Eu era uma péssima pessoa, por um lado, eu queria que Alice ficasse pra sempre. Eu ia morrer, metaforicamente, quando ela fosse embora. Mas como era que eu podia ficar sem ver Jake por qualquer espaço de tempo? Que bagunça, eu pensei de novo.

- Eu vou sentir sua falta - Jacob cochichou, ecoando os meus pensamentos. - A cada minuto. Eu espero que ela vá embora logo.

- Isso realmente não precisa ser desse jeito, Jake. Ele suspirou.

- Precisa sim. Bella. Você... ama ela. Então é melhor eu não chegar nem perto dela. Eu não tenho certeza de que sou controlado o suficiente pra lidar com isso. Sam ficaria louco se eu quebrasse o acordo, e - a voz dele ficou sarcástica - você provavelmente não ia gostar muito de mim se eu matasse a sua amiga.

Eu me apartei dele quando ele disse isso, mas ele me apertou mais forte, se recusando a me deixar escapar. - Não há necessidade de esconder a verdade. As coisas são do jeito que são, Bells.

- Eu não gosto do jeito que elas são.

Jacob me soltou com um braço pra que ele pudesse usar a mão pra levantar o meu queixo pra me fazer olhar pra ele.

- É. Era mais fácil quando nós dois éramos humanos, não era?

Eu suspirei.

Nós olhamos um pra o outro por um longo momento. A mão dele queimava na minha pele.

No meu rosto, eu sabia que não havia nada além de uma tristeza saudosa, eu não queria ter que dizer adeus agora, não importava por quão pouco tempo fosse. No início o rosto dele refletia o meu, mas depois, quando nenhum de nós desviou o olhar, a expressão dele mudou.

Ele me soltou, usando a outra mão pra alisar a minha bochecha com as pontas dos dedos, trilhando com eles até a minha mandíbula. Eu podia sentir os dedos dele tremendo, dessa vez não era com raiva.

Ele pressionou a palma na minha bochecha, pra que assim o meu rosto ficasse preso entre suas mãos que pegavam fogo.

- Bella - ele sussurrou.

Eu estava congelada.

Não! Eu ainda não havia tomado essa decisão. Eu não sabia se poderia fazer isso, e agora eu estava sem tempo pra pensar nisso. Mas eu seria uma boba se eu pensasse que rejeitá-lo não teria nenhuma conseqüência.

Eu encarei ele de volta. Ele não era o meu Jacob, mas ele podia ser. O rosto dele era familiar e amado. De muitas maneiras verdadeiras, eu amava ele. Ele era meu conforto, meu porto seguro.

Agora mesmo, eu podia escolher que ele pertenceria a mim.

Alice estava de volta por um momento, mas isso não mudava nada. O amor verdadeiro estava perdido pra sempre. O príncipe nunca mais ia voltar pra me beijar e me acordar do meu sono encantado. Eu não era uma princesa, afinal. Então qual era o protocolo dos contos de fadas contra outros beijos? Eles eram de uma espécie mundana que não quebravam nenhum feitiço?

Talvez isso fosse fácil - como segurar a mão dele ou sentir os braços dele ao meu redor.

Talvez fosse uma sensação boa. Talvez eu não me sentisse como uma traidora. Além do mais, quem eu estava traindo, afinal? Só eu mesma.

 

Mantendo os olhos dele nos meus, Jacob começou a inclinar seu rosto na direção de meu. E eu estava absolutamente indecisa.

O toque estridente do telefone fez a gente pular, mas isso não quebrou a concentração dele.

Ele tirou a mão dele que estava em baixo do meu queixo e alcançou pra pegar o aparelho, mas ele ainda segurava o meu rosto seguramente com uma das mãos em minha bochecha. Os olhos escuros dele não libertaram os meus. Eu estava confusa demais pra reagir, mesmo pra tomar vantagem da distração. Mas um baque de realidade me atingiu.
          - Deixe que eu atendo, a casa é minha lembra? – eu falei e tomei o telefone da mão de Jake, ele ainda me olhava com a mesma intensidade, sua mão ainda queimava meu rosto.
        - Alô? – silêncio - Alô? – eu repeti diante o silêncio do outro lado da linha.
        - Bella? Isabella Swan? – a voz me pegou totalmente de surpresa e eu tremi.
        - Sim, sou eu Edward. – nessa hora Jake se afastou de mim, mas eu o contive e segurei a sua mão, elas tremiam. Dessa vez de raiva.
       - Bella, você está bem então? – Edward me disse com um tom gutural e cansado. Ele não parecia muito bem.
- Sim, estou ótima. – eu falei e dei um passo em direção a Jake. Alisei seu rosto e lhe lancei um sorriso fraco. A expressão dele não mudou.
- Deseja alguma coisa especial Edward? – nessa hora Jake se contraiu e eu olhei para a porta da cozinha, Alice havia voltado. Eu não tinha nada a perder mesmo.
- Deixe-me falar com ele Bella.
- Alice quer falar com você. – pausa - Bom, Tchau. – eu falei rápido, e entregando o telefone a Alice.

Esperei pela dor, mas não vinha. Olhei minha mão na de Jake e sorri. Não tinha mesmo nada a perder, Edward não me quer, não me ama certo? Culpa é um sentimento forte e doloroso. E é exatamente o que ele sente.

- Sim, ela estava com Jacob Black. – Alice murmura ao telefone – Depois eu te conto... Não, eles não... – ela no olhos de esguelha - Eu não sei na verdade. Ok, depois eu falo com ela. – isso foi quase um rosnado – Você está bem? – A voz de Alice era preocupada, cheguei mais perto de Jake – Sim, desculpe. Tchau.

Alice nos olhou e sorriu fraco. Jake agora estava me abraçando, fiquei um pouco envergonhada com isso, mas continuei na minha posição.
- Rosalie disse a Edward a minha visão. Desculpe por isso.

- Não precisa se desculpar Alice, é só um pouco de culpa, então não se desculpe. – eu disse me soltando um pouco de Jake, eu estava forte o suficiente para poder discutir sobre Edward. Mas isso não iria acontecer. Eu tomei minha decisão.

- Bella... eu acho que você entendeu mau meu irmão, ele só...
- Só a abandonou! – Jake disse em um tom forte, apertei minha mão na dele. Ele se acalmou de novo.
- Não se meta cachorro! – Jake me soltou, com um rosnado ele avançou um passo em direção a Alice, ela se inclinou pra frente e rosnou. Meus ouvidos doeram com o barulho.
- Parem já os dois, Jake se acalme, Alice por favor. – eu falei me pondo no meio dos dois.
- Bells, você não pode ficar com os dois. – Jacob disse.
- Bella, é melhor eu ir embora. – Alice se pronunciou, isso doeu, não queria que ela fosse, não estava preparada pra outra despedida.
- Alice, você não precisa ir.
- Na verdade... eu preciso sim. Desculpe Bella. Vou te mandar emails, vamos manter contato. Eu volto. Eu juro que volto. Mas eu preciso ir. – eu a abracei tentando matar a saudade que eu já sentia.
- Jura mesmo que volta?
- Juro Bella. Agora preciso ir. Até mais Bella, Jacob. – Alice saiu do meu campo de visão como um borrão.

Agora parecia que tudo estava de volta ao normal. Parecia que agora sim tudo poderia ser como devia ser. O príncipe não voltaria. Romeu bebe o veneno levando assim a morte de sua a amada também. Edward bebeu o veneno e ele levou com ele a Bella, mas deixou a Bells, versão remendada de mim.  

Me contrai já sentindo saudades de Alice. Jake estava ao meu lado, calado.  Me virei para poder ficar de frente com ele desabei. Ele me cercou com seus braços e escondi meu rosto eu seu pescoço. Eu ia sentir falta de Alice, eu sinto falta dos Cullen. Eu preciso chorar, preciso me libertar de Edward por completo.
 - Bells, você está bem? – depois de um momento ele me perguntou alisando meu cabelo.
- Agora eu estou. – eu olhei pra cima e encontrei seus olhos negros, encontrei a mesma intensidade de antes do telefonema. Não tinha nada a perder, a não ser essa oportunidade de me refazer. Começar do zero.

- Jake... – não foi preciso dizer nada. Jacob estava com seus lábios selado aos meus.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

E ai... Gostaram? Bem.. uma OneShort que eu realmente gostei de escrever ....
Reviews ???