A Casa de Íris escrita por Carol Azevedo


Capítulo 11
Capitulo 10 - Socializando





— Não acredito!
— O que houve Lanne? - Lanne lhe entregou o cartão.
— Será que se trata do mesmo Ernesto?
— Não sei John, não há apenas uma maria no mundo! Mas não reconhece a logo?
— Logo? Educandário São Pedro... Ah, não é a escola em que trabalha?
— Sim! Nossa, coincidência terrível, ele me ajudou e eu nunca mais o vi nunca falei nada, nem mesmo sei se agradeci.
— Não conhece o diretor da escola?
— Bem, conheço a coordenadora, Beth, foi quem me entrevistou. Sei que há alguém a frente, mas ele nunca aparece, diz-se que ele vai toda semana, mas nunca o vi.
— Bom, é hora de conhecê-lo, acho uma enorme coincidência seu patrão salvar-lhe de um incidente fora da escola em um horário tão avançado.
— Você é muito desconfiado John, acaso acha que o homem está me seguindo por ai?
— Não disse isso. Mas ligue para agradecer.
— Não vou ligar depois de tantos dias. Mas vou dar um jeito de encontra-lo na escola.
— Pois bem, não esqueça de me contar.
— Quando começou a ficar candinha John? - Lanne riu
— Só me preocupo com você minha cara.
— Sei disso.
— Acho melhor você ir para casa, esta começando a anoitecer, e não queremos que aquele incidente se repita. Eu a levo!
— Não precisa John, eu vou sozinha, o dia ainda esta claro... - John a encarou com os olhos apertados
— Sem discussões, vamos lá.
Lanne sorriu
— Ok,vamos la então.
— Mas vamos ver uma outra casa para você mas próxima do centro.
— O quê? Gosto da minha casa.
— Questão de segurança, você mora longe demais Lanne.
— Já falamos a respeito John, gosto de onde moro. Não há necessidade de mudança. O incidente por um acaso aconteceu a beira-mar, no Malibu, bem distante de minha casa.
— Tudo bem, mas não pense que essa discussão acabou.
John Levou Lanne até sua casa, e a deixou na porta.
 Ela resolveu tomar banho antes do jantar. Após o banho, Lanne sentou-se na cama, pegou seu celular para checar as mensagens. Uma era de John marcando outro encontro na próxima semana, e a outra de Lucas Chamando-lhe para um encontro com os professores da escola marcado de ultima hora, na pizzaria Caiçara, no Centro.
Ela resolveu ir, precisava pensar em outras coisas. Vasculhou o guarda-roupas a procura de algo apresentável e optou por um vestido curto godê preto, com um cinto rosa, uma sapatilha preta com a costura rosa pink, não produziu muito os cabelos, apenas os manteve soltos para o lado e saiu.
Chegando na pizzaria, logo viu uma mesa no centro do estabelecimento com 4 pessoas, Lucas, duas mulheres morenas e um homem com uma careca protuberante e óculos. Uma Professora de educação física Janice, a outra a Coordenadora Beth e o Professor de Ciências Martin.
— Oi pessoal! Desculpe a demora. - Disse Lanne sentando-se na cadeira ao lado da Coordenadora.
 - Já pedimos a Pizza Lanne, portuguesa, tudo bem? - Disse  Martin.
— Ela gosta! - Disse Lucas
— Sim Martin, ele está certo, eu gosto. Esta perfeito!
— Vamos tomar um cerveja? - Ofereceu a coordenadora.
— Não bebo, mas bebam vocês, eu vou de suco de laranja. - Lanne disse
Lucas pediu as cervejas e o Suco.
— Lanne você está melhor? - Perguntou Janice, Lanne a olhou com olhar de espanto, logo lembrou-se do que acontecera na escola e então olhou para Lucas como que o interrogando.
— É... Ela está bem sim Janice, só estava um pouco indisposta. - Lucas disse tentando contornar a situação.
— É sim Janice, sofri um atentado esses dias ainda estava atordoada.
— Nossa! Mas como foi?
— Não quero falar sobre isso, se me der licença, vou ao banheiro. - Lanne se levantou olhando para Lucas e enquanto andava seu olhar o seguiu.
Lanne entrou no corredor dos banheiros onde eram divididos por uma parede. "Devagar como sempre, não entendeu a deixa" Lanne sussurrou enquanto digitava uma mensagem no celular.
Lucas recebeu uma mensagem e pegou o celular para ler.
" Venha ao banheiro! "
Lucas pediu licença e seguiu ao banheiro, entrou no pequeno corredor que levava aos banheiros e viu Lanne parada um pouco antes dos banheiros
— O que há com você? Contou sobre aquele incidente a eles?
— Não contei nada, mas Janice a viu em pânico no corredor, quando chegamos aqui ela perguntou-me o que havia acontecido, eu disse apenas que você estava indisposta, parece que ela não acreditou.
— Não quero que ninguém saiba sobre a alucinação ok?
— Então admite que foi uma alucinação?
— Não estou admitindo nada, só não quero que pensem que sou louca como você está pensando agora!
— Não penso isso. Você acha que pode ler pensamentos!
— É o que vejo!
— Anda vendo coisas demais. - Lanne o olhou com espanto e raiva ao mesmo tempo.
— Sabe que não quis insinuar nada... Olhe... Enfim... Voltemos a mesa, vão estranhar nossa demora.
Lanne voltou a mesa primeiro, sentou-se e Lucas viria depois de alguns minutos para não dar na vista.
— Você esta bem querida? - perguntou Beth. Lanne resolveu aproveitar o momento para sondar Beth sobre as visitas do tal diretor geral.
— Estou sim Beth, obrigada pela preocupação, vou marcar uma consulta com um Psicólogo, talvez ajude.
— Sim querida, é uma ótima ideia.
— Consegui uma ótima psicóloga, porém é muito difícil conseguir uma consulta com ela, será que eu não conseguiria uma recomendação da escola?
— Sim, posso agilizar isso para você.
— Pois é, queria me consultar na semana que vem, precisa da assinatura do Diretor certo? Ele não aparece todos os dias não é?
— O diretor está todos os dias na escola Lanne, porém ele só vai na parte da manhã, É o primeiro a chegar inclusive.
— Sério? Nunca o vi! Ernesto certo?
— Não, Mauro! Ernesto é o dono da escola.
— Dono? - Lanne mostrou-se surpresa
— Sim, ele aparece na escola todas as terças e quintas, na parte da manhã. Como sabe o nome do dono da escola?
— Ah... Encontrei um cartão de visita perdido pela escola e continha o nome e o título de diretor geral.
— Ele só se apresenta assim para algumas pessoas, não dá para colocar em um cartão de visita 'Dono de escola' - Beth riu





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Casa de Íris" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.