(HIATUS) Um lugar para chamar de lar escrita por TsukinoFih


Capítulo 8
Que comecem os jogos!


Notas iniciais do capítulo

E, aí, como vocês estão?

Como prometido, consegui postar todos os capítulos que já estão prontos essa semana, equiparando com a quantidade que já postei no Spirit!

Estamos próximo de um dos ápices da fanfic.

Cara, pode não parecer, mas estou ansiosa para terminar de desenvolvê-la logo. Mas o tempo tá curto.

Gomen!

Ah, estava ouvindo algumas músicas da minha adolescência e tive um insight para uma songfic. Já está prontinha, com 10 capítulos, posto em breve por aqui :)

Espero que gostem!



Engoliu seco. Precisaria manter os nervos nos lugares devidos, caso contrário tudo daria errado. Amanozako-sama havia sido incisiva em todas as orientações. Ou ela seguia todas as instruções ipisis litteris ou a coisa poderia ficar feia para o seu lado. "E quem é que quer arranjar problemas com a encarnação de uma divindade?" — pensou.

Sabia pouco sobre Amanozako, a quem ser aliara, mas sabia que ela - ou "essa coisa" - era sua única saída para conquistar os seus objetivos. 

— Está na hora de fazer minha pesquisa e colher todos os ingredientes necessários. Ainda é tarde, o sol está a pino no céu, deixarei aquela parte para o fim da noiteÉ hora do show! - disse com um semblante distorcido, revelando uma personalidade quase demoníaca.

Seu primeiro alvo seriam shinobis experientes, já que haviam lutado na Guerra, eram amigos deles. Tudo que tinha conseguido levantar é que um era abobalhado e não se continha muito perto de uma linda mulher. - Essa parte deve ser fácil, muito fácil para mim! Só preciso de charme – Amino realmente era uma jovem muito bonita, mas sempre abusava em suas constatações.

Era uma menina ainda, com 16 anos. Mas suas características físicas eram impressionantemente de uma mulher já formada. Nos seus 1,65 cm de altura, tinha pernas torneadas, um corpo esbelto, bem delineado e curvilíneo - com peitos, quadris e bunda medianos. Os cabelos eram de um castanho-mel e os olhos pareciam duas jades brutas. Eram de um verde de dar inveja em Haruno Sakura. Tinha uma voz doce e suave, que contrastavam com os olhos avassaladores, que sempre pareciam famintos. Tinha um ar sensual e experiente. O que ninguém sabia era o que era guardado por baixo de tudo aquilo. Amino tinha entrado na Academia Ninja de Konoha tarde, com um único objetivo.

Quanto ao outro alvo, Amino sabia que era tão reservado que, segundo as más línguas, tinha um ar sombrio. Era deveras observador e muito astuto, informaram-na. - Com esse deverei ter cautela! Mas, não devo ter grandes problemas.

Em conversa consigo mesma, a moça estava falando, claro, dos dois companheiros de Hyuuga Hinata, com quem formara o antigo Time 8, Inuzuka Kiba e Aburame Shino. Sabia muito bem que a líder deles, Yuuhi Kurenai estava fora de campo há alguns anos por causa da filha Mirai, fruto de seu relacionamento com Sarutobi Asuma, falecido filho do também já morto, Sandaime Sarutobi Hiruzen.

Seguiu até o campo de treinamento, sabia que encontraria os dois ali. Aproximou-se sem ser notada e observava os dois, que conversavam justamente sobre o passado de seu time. Nada mais conveniente para a jovem. 

— Ah, nem consigo acreditar que Hinata finalmente se acertou com aquele cabeça oca do Naruto. Só aquele projeto de Hokage para não perceber por tantos anos o óbvio do óbvio. Não pode ser que ele realmente acreditava que todos aqueles desmaios e a vermelhidão que Hinata tinha na presença dele era um mal súbito ou doença!

— "Essa menina é realmente patética.." - pensou Amino, ao descobrir sobre a timidez da Hyuuga quando mais jovem na presença do Naruto.

— Kiba, isso não é algo que você deveria dizer. Isso porque já se passaram tantos os anos e a única pessoa que realmente te dá alguma moral, continua sendo o Akamaru. Isso significa que o Naruto mais uma vez se saiu melhor do que você - disse um Shino seco e irônico como o habitual.

— Lá vem você com aquelas piadinhas sem graça de sempre! Como se não ficasse apenas com os seus insetos. Aff.. - suspirou - mas, você é um pé no saco, como diria o Shikamaru. 

— AuAu - Akamaru de certa forma riu daquilo, o cachorro de pelos brancos já estava acostumado com a constante troca de farpas entre os dois.

— Bom, o que importa é que nos reuniremos mais tarde para lembrarmos os velhos tempos de Time 8. Realmente a Kurenai-sensei faz falta. Será legal visitar a Mirai com vocês dois. - Shino disse animado da sua maneira.

— Até quando está animado você mantém essa cara, cara!? - revirou os olhos - Sim, será bem bacana! Podemos manter o horário de 20h? 

— Sim. Devemos nos encontrar na frente do Clã Hyuuga para fazer companhia a Hinata. Isso porque não é bom deixar uma donzela como ela andando sozinha por aí! - Shino finalizou, se despedindo do colega.

— Vamos, Akamaru!

Amino estava radiante. Pensou que teria que atuar e fazer algum charme para conseguir as informações que necessitava. Mas, a que tinha conseguido até aquele momento era mais que suficiente para seu plano ter alguma chance em dar certo.

—--

No restante daquela tarde, Amino sumiu. Não falou com suas amigas e não treinou. Não andou mais por Konoha. Nada mais fez do que esperar por aquela noite. Em casa, arrumou sua bolsa ninja. Todas as ferramentas foram rigorosamente conferidas e organizadamente arrumadas. Sabia que teria que demonstrar tudo que aprendera até ali para que seguisse, futuramente, um caminho ninja.

Sentou-se na cama com algumas folhas em mãos. Passou os olhos naqueles papéis, revisitando o que precisaria coletar para o seu plano. Em seguida, empunhou um lápis e começou a rabiscar.

— Preciso de uma estratégia ou estarei em apuros - Foi até a mochila e pegou um documento que havia conseguido desde que deixou a gruta de Amanozako. - Se alguém de Konoha, ao menos, desconfiar que eu esteja de posse disso, estarei realmente com problemas. E dos grandes! - estremeceu.

Mas naquela altura do campeonato, na cabeça da garota, as atitudes mais drásticas eram realmente necessárias. Sabe aquela história dos fins justificarem os meios? Pois é, ela era a personificação dessa máxima, neste exato momento. E foi isso que a fez invadir um dos prédios próximos a cúpula do Hokage, altamente vigiados e roubar documentos proibidos: dois mapas, um sobre todas as estradas, ruas, túneis e passagens secretas de Konoha, e outro de um lugar específico que era o novo alvo da jovem. 

Analisou minuciosamente aquelas linhas desenhadas por 1h30 e, ao fim, depois de ligar todos os pontos que queria, abriu e fechou a boca seguidamente. Estava pasma. Olhou para o nada e para os mapas por uma dúzia de vezes, até conseguir falar:

— PUTA MERDA! Quem imaginava que havia um túnel que saia direto aonde eu mais adoraria estar? Se eu não sou uma menina de sorte? Eu sou a MAIS SORTUDA DESSE MUNDO! Amanozako, por deus, eu nem cumpri minha parte do trato e você já está ajudando? - riu, satisfeita!

Traçou sua rota, foi ao banheiro, tomou um banho para relaxar. As próximas horas que se aproximavam prometiam ser de adrenalina pura. Se arrumou e quando o relógio marcava 19h, seguiu para o ponto inicial de sua rota. 

—--

Chegou a um lugar aparentemente abandonado. Estava deveras difícil de respirar naquele lugar. Pegou o mapa na sua bolsa a fim de encontrar o ponto exato. Concentrou um pouco de chakra em suas mãos e deu o melhor soco que poderia dar bem no centro da parede de concreto. Ficou boquiaberta quando o seus pulsos: um túnel.

Pegou um pedaço de madeira e fez uma tocha e começou a caminhar lentamente. Pelos seus cálculos, demoraria 25 minutos para chegar ao seu destino. Em sua mente, Amino repassava todo o plano e tentava respirar com tranquilidade. "Não vá ficar nervosa, precisa se preparar para seu jutso. Eles jamais vão imaginar que sou imune a eles! haahaahaa", pensou.

No tempo planejado, a aprendiz de kuinochi chegou ao seu destino. E sorriu satisfeita. "Que comecem os jogos!"

— Fuuton: Mesai no Jutsu! (Estilo vento: jutsu da camuflagem) _ disse, fazendo os selos: cavalo-rato-cobra-cabra e colocando a mão no ar.

Amino mirou onde queria: uma espécie de passagem de água pequena. Passou por ali. Ficou chocada com o que viu: "Rá, tirei a sorte grande mesmo! Entrei justamente na toca do coelho: HYUUGA HINATA!", pensou para si mesmo enquanto a observava tomar banho tranquilamente. "Definitivamente, não dá para entender o que Naruto-senpai viu nessa garota! Com a exceção dos seios, não há nenhum atrativo. Aliás, nem isso, grandes demais, desproporcionais demais! A gravidade irá acabar com eles em breve, mas eles não serão mais úteis, 'Hinata-chan'" _, pensou em deboche. - Naruto estará muito ocupado brincando com os meus, rá! - ergueu uma sobrancelha!

Subitamente, Hinata foi acometida por um calafrio. "Que estranho, que sensação é essa de ser observada?" _ falou para si mesmo a de cabelos azulados. - "Será que.....? Não. Não pode ser!" _ tentou se convencer. - "Mas preciso conferir. Byakugan!".

Com seu jutsu, a Hyuuga examinou o banheiro e não conseguiu ver nada. Então, concentrou o seu chakra, tentaria identificar alguma intenção e alguma presença. Nada. Amino possuía um tipo especial de chakra, que a fazia uma especialista em camuflagens. Podia não só se misturar com qualquer elemento da natureza, como possuía uma forma especial de esconder seu chakra. É como pudesse realmente se tornar um com qualquer coisa. Isso fazia com que seu henge no jutsu também fosse especial, mas ela ainda estava treinando essa técnica. Ou seja, suas habilidades a faziam ser, literalmente, uma peste.

Mas o sexto sentido de Hinata a alertava de que algo estava errado, fora do lugar. E ele não costumava falhar. Não demorou a terminar o banho para se arrumar. Seguiu para o quarto apreensiva, ainda com a sensação de estar sendo observada. Foi seguida por quem ela menos imaginava que pudesse estar ali.

Amino, sob seu jutsu, observava cada centímetro do quarto de Hinata. Aproveitou a janela aberta e teve uma ideia maldosa: com seu estilo vento, invocou uma ventania que entrou avassaladora pela janela desorganizando várias coisas do quarto da sua rival. E foi nessa ventania que Hinata teve certeza de que alguma coisa estava fora do eixo. Caminhou lentamente até a mesa de cabeceira e abaixou-se, o coração falhou três batidas ao ver o porta-retrato com a foto sua e de Naruto, ainda com os uniformes da missão da lua caído. Ao pegar, era visível a rachadura que passava entre os dois.

— Naruto-kun, será possível que....... - sussurrou com o pressentimento que teve.



Notas finais do capítulo

Sim, eu adoro quando vocês ficam um gostinho de quero mais!

Vocês desculpam a autora?

Ah, eu inventei o jutso da Amino. Pesquisei alguns nomes em japa, devo começar o meu curso de língua japonesa em breve e tô nas nuvens com isso! ^^

Um beijo grande!! E obrigada a todos que têm favoritado a fic. Comentem também o que estão achando, assim posso fazer melhorias nos próximos capítulos ;)

Fico realmente grata e feliz! ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "(HIATUS) Um lugar para chamar de lar" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.