Moonlight escrita por Angel Carol Platt Cullen


Capítulo 32
Capítulo 63


Notas iniciais do capítulo

foto do capítulo 63:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1439905812711364&set=a.172912399410718.29541.100000758776572&type=3&theater



— Depois que a festa acabou bem tarde, mais do que qualquer festa. Acho até mesmo que foi a mais longa, Edward me levou de volta para minha casa, mas eu não queria dormir e pedi para ver o que eles iriam fazer. Então ele me levou até onde eles tinham combinado de se encontrar com os transmorfos. Ali, Jasper iria orientar como eles deveriam proceder para enfrentar os recém-criados. Ele tinha experiência nisso devido ao seu tempo com os exércitos no sul.

‘Os vampiros novos são diferentes dos mais velhos, ao menos daqueles que são vegetarianos como nós, pois ainda possuem seu próprio sangue em seu corpo. Vampiros normalmente se alimentam de sangue humano e continuam fortes, mas no primeiro ano nessa nova vida são ainda mais fortes por causa disso e como nunca mais serão.

‘Após o treino, Jacob veio conversar comigo e com Edward e ele teve uma ideia que solucionou o problema de onde eu ficaria. E outro pensamento dele que foi visto por meu marido solucionou a questão de como eu chegaria até lá, uma vez que eu não poderia ir andando, pois meu cheiro deixaria um rastro para os recém-criados. Faríamos um rastro falso para os levar até a clareira onde eles pensariam que iriam me encontrar, mas eu não estaria ali. Era uma armadilha e deu certo.

‘Jacob iria me carregar até o acampamento onde eu e Edward ficaríamos. Eu consegui convencê-lo a ficar comigo e não lutar. Eu não suportaria ficar esperando por noticias. A preocupação iria me matar. Talvez eu tenha sido muito egoísta e isso também me deixava angustiada e muito mal. E se por minha causa algum deles se machucasse porque Edward não estava com eles? Eu não iria me perdoar se algo ruim acontecesse.’

— Oh, Bella, nós ficamos bem. Não precisava se alarmar – diz Esme.

— Mas o pior foi que sim alguém acabou se machucando afinal. Jacob foi defender Leah contra um dos recém-criados que havia se escondido e acabou machucado. O vampiro esmagou todos os ossos do seu lado direito.

Olho para o lado e observo bem Jacob:

— Mas ele está bem!

— Sim, eu estou, porque nos recuperamos rapidamente. Coisa de lobo – ele sorri orgulhoso de si.

— Verdade, os transmorfos se recuperam rápido demais tanto que depois eu tive que refazer todas as fraturas porque os ossos dele estavam se remendando da forma errada – diz Carlisle.

— Isso deve ter sido muito doloroso!

— Foi mesmo, não vou dizer que não. Mas eu sei que era necessário que o doutor refizesse as fraturas.

Jacob olha para Carlisle e os dois se comunicam sem palavras. Gratidão e reconhecimento de um lado e satisfação e abnegação de outro.

Bella prossegue:

— Porém Victoria percebeu que Edward não estava lutando com o restante da família dele e então deduziu que eu estaria junto com ele. Ela seguiu o rastro do cheiro dele, enquanto nós camuflamos o meu cheiro deixamos o perfume dele evidente. Foi um erro, deveríamos saber que Victoria era esperta o suficiente. Foi ingenuidade da nossa parte não pensar que ela poderia nos encontrar e foi isso que aconteceu. O objetivo dela era me encontrar e fazer Edward sofrer por ter matado James, me matando também.

‘A nossa armadilha deu certo apenas com os recém-criados que são mais instintivos e que não me conheciam para refletir sobre o meu paradeiro. Eles apenas seguiram o aroma e caíram exatamente onde queríamos. Eles se deixavam guiar pelos instintos enquanto que Victoria era mais racional, digamos, não totalmente, pois se fosse teria visto que não valia a pena vingar a morte de James e que acabaria morta também, mas ela quis assim, escolheu seu destino.

‘Ela não estava sozinha, claro, como nós imaginamos. Com ela estava um rapaz que eu reconheci dos retratos de pessoa desaparecida que meu pai, por ser o chefe de polícia da cidade, tinha ajudado os pais dele a espalhar. Ele havia desaparecido há quase um ano, mas os pais nunca desistiram de encontrá-lo e nem parecia que iriam parar algum dia. Mas infelizmente o filho deles tinha se tornado um vampiro mau e precisava ser destruído. Ele não iria voltar para casa nunca e seus pais jamais o veriam novamente.

‘Riley foi escolhido por Victoria apenas por conveniência porque ele havia nascido em Forks e conhecia muito bem a região. Ela estava com ele apenas para usá-lo, como James a havia usado quando estava com ela. Ele nunca a amou de verdade, ela era apenas útil para seus propósitos. Ele não sentia o mesmo que ela sentia por ele ao ponto de vir atrás de mim e se sacrificar por sua causa. Se fosse o contrário, duvido muito de que ele viria atrás de Edward para se vingar se tivessem matado Victoria.

‘O parceiro de Victoria na realidade era James a quem ela veio vingar a morte. Edward tentou alertá-lo, mas Victoria já tinha avisado Riley sobre os 'truques' mentais de meu marido. Mas não era truque, Edward estava avisando o rapaz, porque não queria matá-lo. Porém ele não acreditou. Se James não era tão importante quanto ela mentia para Riley, ela não precisaria vir se desforrar e poderia viver feliz para sempre com ele como ela dizia que fariam depois que ela me matasse...

— Bella desculpe interromper, mas você e Edward estavam sozinhos?

— Não, não estávamos a sós. Seth, um dos jovens Quileutes, que por ter apenas quinze anos na época foi preservado da batalha por ordem de Sam e ficou conosco enquanto Jacob veio lutar, estava lá também. Ele desempenhava uma função de elo entre Edward e o que acontecia na clareira. Mais uma ideia brilhante de Jacob.

— Disponha - diz ele. - você sabe disso.

— Como assim?

— Ele pode ouvir os pensamentos de todos os outros lobos quando está na forma não-humana. Não é um dom que apenas ele tem, mas uma característica que todos os membros da alcateia tem, que é a capacidade de ouvir a mente uns dos outros. Assim eles podem se comunicar, não apenas através de uivos e latidos. E, como Edward pode ouvir o pensamento das pessoas que estão ao seu redor, meu marido podia saber o que estava acontecendo com a família, se todos estavam bem.

'Isso foi bom para ele não ficar preocupado por tê-los deixado e ter ficado comigo. É claro que eu tentei pedir para Jacob ficar também, mas ele não quis...

— E eu iria perder uma batalha? – comenta Jacob. – Se bem que lá também houve uma luta boa. Mas deste confronto ninguém sabia, foi inesperado. Era mais garantido a batalha na clareira.

— Os recém-criados foram apenas distrações, não eram o ataque em si. Mas nós também nos dividimos, assim como eles e vencemos - diz Edward.

Minha mente girava com tanta informação. Sem dúvida essa noite vai ser extremamente importante para que eu apreenda todos os  novos conhecimentos sobre o mundo dos vampiros. Não que eu já não soubesse de muita coisa, mas há muito sobre os lobos principalmente que eu tenho que saber, pois eles podem nos matar e quando eu for uma vampira também tenho que me precaver. e muito sobre a historia da família em si que eu preciso saber, principalmente os últimos dois anos.

— Espera um pouco Bella. Edward pode ouvir os pensamentos dos animais?

Image 1

Meu irmão já estava sorrindo por ter lido a pergunta na minha mente antes que eu falasse e me responde:

— Não, eu não posso falar com os animais, Carol. Eu só podia ouvir Seth porque ele não é qualquer um, ele não é um lobo. Apenas os seres humanos possuem a capacidade de articular os pensamentos.

— Você já tentou ouvir o que algum bicho tem em mente apenas por curiosidade?

— Eu já tentei, sim. Mas não há o que ouvir e por isso meu dom é praticamente nulo com eles. Eles não pensam como as pessoas e apenas agem ou reagem instintivamente. E, se eu pudesse ler seus pensamentos digamos que seria desconfortável, pois os caçamos para nos alimentar. Seria parecido com o que acontecia quando Jasper não era vegetariano e atacava pessoas para sobreviver. Ele podia sentir tudo o que elas sentiam, toda a agonia ao saberem da própria morte iminente e inevitável.

— Alguns animais são mais sensíveis, afinal eles são seres sencientes assim como os humanos e eu ainda posso sentir o que eles sentem quando eu os mato – diz Jasper sombriamente. Ou ele disse normalmente, mas eu percebi de forma mais macabra. Eu tenho medo dele. Ele é o mais novo vegetariano da família. O mais vampiresco deles. – Mas eu consigo superar isso ao imaginar que se não fosse eu, seria qualquer outro predador. É a simples lei da natureza, o mais forte, o mais bem capacitado, vence. Os animais sabem disso melhor do que os seres humanos. E aceitam melhor também.

Será que Jasper está falando indiretamente comigo? Ele sentiu que eu tenho medo da morte? Mas todas as pessoas, quase todas tem medo de morrer, afinal não sabemos o que há do outro lado e nem se um outro lado. Ninguém jamais voltou para dizer. Ou voltou e nós não acreditamos que existe sim um outro lado? Ainda vivemos na dúvida. Nem os vampiros podemos dizer que foram para o outro lado. Penso que eles nem atravessaram, então não podem nos ajudar. A morte continua um mistério tanto para eles quanto para nós.

Dizem que os vampiros são mortos-vivos, mas eu não concordo. Se eles estivessem mortos eles não estariam aqui ainda. Eles nem completaram a passagem, a travessia da ponte para o outro mundo dos mortos. Nisso eles estão tão perdidos e não sabem mais do que nós humanos. Eles vivem mais do que nós humanos, mas é só isso. Não tem nenhuma garantia que há um outro lado.

Os vampiros não sabem tanto quando  nós também não sabemos. Alguns acreditam que há algo para eles, outros não; assim como algumas pessoas acreditam em vida após a morte e outras não. Para elas a morte é apenas um cair no nada. Há ainda aquelas que acreditam numa ressurreição algum tempo depois que 'dormirmos', que para os mortos será como nada, um piscar de olhos. Não importará quanto tempo estiveram no sepulcro acordarão como se apenas tivessem acabado de fechar os olhos.

— Edward – tento pensar claramente depois do que meu irmão mais velho disse. – a qual distância você pode ouvir a mente de alguém? Você não podia ouvir a mente da família sem ajuda de Seth?

— Não, eu não podia, pois era muito longe irmã. Eu só consigo ouvir a poucos quilômetros de distância.

De certa forma isso é bom, pois imagina se Edward pudesse ouvir todas as pessoas do mundo ao mesmo tempo, até quem fala em uma outra língua que ele nem entenderia? Seria enlouquecedor. Ainda bem que a distância limita. Seria como Deus ouvindo as orações de todas as pessoas de todos os países do mundo em todos os idiomas e dialetos. Verdadeiramente uma torre de babel.

— Vocês estavam muito longe então? – pergunto só para confirmar minha suspeita.

— Sim Carol – Bella responde, mas o marido não fica chateado com a intromissão. – Nosso acampamento era bem distante, muitas milhas longe de onde os outros estavam.

...XXX...





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Moonlight" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.