With a Little Help From My Friends escrita por Mariana Mendonça


Capítulo 7
Capítulo 7 - Aquele Com Um Quase Beijo.





 

            

Acordo com o barulho da TV.

 Como eu  não queria assistir "Ocean´s Eleven" e ele não queria assistir "My Sassy Girl", acabamos assistindo vários episódios de "Friends". Olho para o lado e vejo Cam deitado de Bruços, dormindo profundamente. Estranho pensar que é apenas o segundo dia do ano, mais estranho ainda que é a segunda vez que acordo e dou de cara com ele.

— Cam, acorda - dou uma mexidinha de leve em seu ombro, mas ele apenas muda de posição - Cameron! - ele abre os olhos lentamente e sorri pra mim, me pego sorrindo de volta.

— Você tem mania de olhar os caras que dormem com você ou é só comigo? - diz ele com a voz rouca, pego o travesseiro mais próximo e jogo em sua direção.

— Acredite ou não, você é o primeiro garoto que dorme aqui - coloco um mecha do meu acabelo atrás da orelha.

— Me sinto honrado - ele dá um meio sorriso e se senta na beirada da cama - Onde você quer tomar café da manhã?

— Hm... aqui? - olho para ele meio desconfiada, não entendendo muito bem o que ele quis dizer.

— Eu tava pensando na Lee cafe, eu sei que você ama as panquecas de lá - ele começa a se espreguiçar - A gente liga pro Henry - diz ele, já pegando o celular - Será que Erick e Thereza já voltaram do acampamento?

— Hm... Cam, eu to de castigo - ele para de digitar e olha para mim.

—  Anne, eu passei à noite aqui - bufa - Esse castigo não te impediu ontem, para de ser resmungona e vai trocar de roupa, vamos passar na casa do Henry.

 

Elaboro um plano em menos 5 minutos. Enquanto Cam me espera no carro, desço as escadas e sigo em direção a cozinha, sinto o cheiro de bacon e ovos,tento não deixar transparecer a sensação de eferverscência que começa a tomar conta de mim.

— Bom dia, querida - mamãe está sentada folheando o jornal,Alec está preparando o café. - Acordou cedo hoje...

— Bem, dormi muito cedo ontem - tento esconder o sorrisinho e dou um beijo no topo da sua cabeça.

— O café da manhã tá quase pronto - avisa Alec, limpando a gordura das mãos no avental.

— Na verdade, não tô com muita fome hoje - abro a geladeira e pego uma maçã, me encosto na bancada tentando parecer casual. Alec olha pra mim desconfiado.

— Tentando seguir às dietas da mamãe? - dou uma mordida na maçã.

— Só tentando ser mais saudável - soltoum suspiro mais alto do que planejava - Acho que vou assistir ...tv...hm...tchau - viro de costas vou andando da forma mais "não-tenho-nada-pra-fazer-mas-também-não-quero-ficar-aqui-com-vocês" que posso. Subo as escadas pulando os primeiros dois degraus e quando chego no corredor que leva ao meu quarto,tento não fazer barulho, seria péssimo se os outros dois acordassem e decidissem conversar. Quando entro, jogo a maçã na cama e me certifico de fechar à porta do quarto, olho para janela e respiro fundo.

 

 

 Caminhamos em direção à nossa mesa habitual, aquela que fica do lado da janela e de frente para os pôsters vintage.Sempre gostei do Lee cafe não só por causa dos pôsters, que eram bem legais e os quais  eu amava encarar quando era mais nova, e não só porque eles tinham a melhor panqueca de toda Deadwood, mas o fato de eles não possuírem ar-condicionado,era com certeza a cereja em cima do bolo, veja... não é que eu seja uma pessoa contra ar-condicionados, mas eu não entendo porque usa-los em uma cidade que está em constante frio eterno. Lee entendia isso e deixava o velho e bom ventilador fazer seu trabalho.

— Foi o pior encontro do universo! - olho para Cam e ergo uma sobrancelha, ele reprime um sorriso, assim como eu - Ele chegou atrasado, vocês acreditam? - Henry se empertiga todo e continua - Fiquei esperando por horas, sentado sozinho com a maior cara de trouxa, sabe pra quê ?! - olho para Cam que ele está com o queixo apoiado nas mãos - Pra porra nenhuma, ele passou a noite i-n-t-e-i-r-a  falando de um tal de Lucivando - ele cruza os braços e faz um bico - Eu tenho cara de quem quer saber quem é Lucivando ? - nego em silêncio, tentando não rir, avisto Mel pela minha visão periférica.

— Mel! - levanto alguns centímetros da cadeira e aceno para ela.Os olhos dela fitam Cam por um instante e ela caminha relutante em nossa direção.

— Já sabem o que vão querer? - ela tira um bloquinho de papel do bolso do seu avental, percebo que ela ignora Cameron sutilmente.

— Número 3, mas sem os ovos, por favor - observo ela anotar meu pedido, de uma forma extremamente rápida.

— Vou querer só um yogurt, florzinha - Henry da um sorrisinho, seus olhos alternando de Mel para Cam.

— E você? - ela consegue por hostilidade em uma pergunta tão curta mas Cam parece não notar.

—Número 2 - Cam oferece o cardápio à Mel, que o pega de uma forma um tanto quanto agressiva. Observamos ela ir embora.

— Ela vai cuspir no seu suco - afirma Henry enquanto olha suas unhas.

— Cala a boca - Cam joga um pouquinho de sal nele.

— Não tenho culpa se você é um total cafajeste - diz Henry, limpando o sal de sua roupa. Cameron ri, mas não fala nada em sua defesa - Devia ter pelo menos ligado pra menina.

Enquanto aguardamos a comida ficar pronta, falamos sobre à noite anterior, Henry menciona outros detalhes sobre seu encontro, Cam e eu contamos a história por trás do bandage da moranguinho que se encontra em meu rosto,rimos disso por alguns estantes.. mas quando percebemos Henry quieto demais, nos calamos.

— Sinto falta do Oliver -ele evita nos olhar. Oliver é o ex-namorado de Henry, eles namoram por um pouco mais de 1 ano.Terminaram na véspera do ano novo e mesmo querendo saber o que havia acontecido, não queria ser indelicada e Henry não parecia muito afim de falar naquela hora...

— Hm... o que aconteceu ? - pergunto.

— Nada de mais, sabe... - ele suspira - Já não tava dando mais certo ... quando um casal briga mais do que faz amor, quer dizer que tem alguma coisa errada - ele apoia a cabeça em uma mão e me dirigi um sorriso triste - Ele tava me traindo a algum tempo...

— Sinto muito - Cam e eu falamos em uníssono

— Tudo bem - Henry da de ombros - Vida que segue.

— Um número 2 sem ovos - diz um menina, enquanto coloca os pedidos em cima da mesa - Um yorgut e um número 3 - Mais alguma coisa?

 - Não - digo um pouco mais contente do que estava antes, o cheiro de Bacon inundando todo o ar em nossa volta.

— Vai ficar só encarando ou vai comer ? - pergunta Henry, apontando com uma colher para Cam.

— Sabe- ele cheira o suco e depois afasta o prato, cheio de torradas e ovos para longe de si - Acho melhor não...

— Duvido muito que ela tenha feito alguma coisa com a sua comida - digo, o olhando pegar um pouco de bacon do meu prato.

— Isso porque você sempre acredita que as pessoas são melhores do quê eles realmente são -diz Cam.

—Isso não... - sou interrompida pelos risinhos de Henry, olho para ele.

— Se você olhar para atrás irá ver o senhor Rey e seus amiguinhos - fico tensa, e me encolho involuntariamente na cadeira.

— Ele tá olhando pra cá? - não consigo evitar deixar escapar um tom de urgência em minha voz.

— Tá sim - Henry continua a comer calmamente o seu yorgut.

— Acha que eu devo ir falar com ele? - pergunto, esperando que a resposta seja "não".

— Sim - diz Henry.

— Não - diz Cam.

— Cameron, ela enfiou a mão na calça do boy! - escondo meu rosto com as mãos - Pelo menos um "Oi" ou talvez um "desculpe pelo assédio"

— Ela não fez isso - Cam olha pra mim, esperando confirmação.

— É, eu não fiz isso, quer dizer... se eu fiz eu não lembro.

— Esse é o lema oficial dos alcoólatras, bebê.

— Você não vai querer mais o bacon? - pergunta Cam já pegando os dois últimos, me arrisco a olha disfarçadamente para trás e meu rosto todo pega fogo, pois ele já estava olhando, me afundo mais ainda na cadeira.

— Você tem 7 segundos para se recompor, porque acho que ele está vindo pra cá - olho para Henry que se ajeita na cadeira como se estivesse prestes a ver a melhor comédia do ano.- 1..2..3..4..5

— Oi - ouço a voz de Rey vindo do meu lado direito, mas não consigo olhar.

— Opa, foram só 5 - Rey olha para Henry, confuso, esse faz um gesto com a mão - Nevermind.

—Okay...hm - Rey limpa a garganta - Anne, posso falar com você lá fora?

— Comigo? - nunca cheguei tão perto de surtar - Ah! claro ! por que não? vamos! - sigo Rey até o lado de fora. Ficamos nos encarando por alguns segundos até que decido quebrar o gelo.

— Rey, eu sei que você deve tá querendo falar sobre aquele dia e sério, eu sinto muito, eu realmente não sei o que estava pensando - olho para ele, que sorri, encarando o chão.

— Tudo bem - ele chuta uma pedrinha para longe e se aproxima de mim - Não é como se eu nunca tivesse pensado em você desse jeito - ele pega uma mexa do meu cabelo que está solta e a coloca atrás de minha orelha, e quando ele começa a se inclinar em minha direção, recuo involuntariamente. - Algum problema? eu pensei que você também tava afim ...

— Olha Rey... eu - o que é que eu to fazendo ? eu sempre quis isso ... essa é minha chance! mas não consigo falar, minhas mãos começam a suar e meus olhos disparam, olhando para todos os lados, menos para ele.Beija ele, beija, beija, beija, é só dá um passo a frente - Eu... Rey.. - recuo mais uma vez e bato a cabeça na pilastra. - Droga!

— Você tá bem? - ele faz menção em dar um passo em minha direção, mas para na meio do ato deixando os braços penderem ao lado do corpo - Quer saber? tanto faz, eu  já entendi, desculpa... então é isso.. é.. espero que suas férias sejam.. boas? - ele coça a nuca, me olha esperando que eu diga algo (e eu queria dizer várias coisas) depois quando percebe que não vou falar nada, se vira e sai... me deixando sozinha no estacionamento do Lee Cafe.



Notas finais do capítulo

Olá ♥ bem, eu não gosto muito de escrever sobre características físicas dos personagens (prefiro me aprofundar em suas personalidades), pois sempre que estou lendo um livro acabo ignorando como o autor os descreve e imagino eles da forma que eu quero.E espero que você fiquem livres para fazer o mesmo com os meus personagens, mas quero dizer que é assim que imagino o Cam: Harry Styles.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "With a Little Help From My Friends" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.