With a Little Help From My Friends escrita por Mariana Mendonça


Capítulo 31
Capítulo 31 - Aquele com Verdade e Consequência parte 1


Notas iniciais do capítulo

Um capítulo para Madu Lima, já que ela disse que adora tretas ♥




                       

Fico apreensiva a medida que percebo o nível dos desafios, quase desejo voltar atrás, seguir o conselho de Cameron e ficar quieta no meu canto os observando jogar, mas agora que entrei não posso sair e também não quero dar o gostinho da vitória para ele.

Na época que iniciamos o ensino médio, esse jogo era a febre do momento, todas as crianças legais participavam. Eles se reuniam durante o intervalo e jogavam clandestinamente dentro do laboratório de química. Eu olhava para aquilo e não entendia o porquê de tanta empolgação, afinal, era só uma brincadeira idiota. Julgava Cameron e Erick por sempre fugirem durante o intervalo e só voltarem depois de meia hora com sorrisos de cumplicidade estampados no rosto. Mas um dia Thereza se rendeu aos encantos do verdade ou consequência e, para não ficar sozinha no refeitório, decidi acompanha-la. É claro que eu não jogava mas estava satisfeita em ser apenas uma observadora.

A sala tinha um ar de exclusividade e as crianças se comportavam como se fossem super rebeldes por estarem naquele local sem permissão. E de fato eu sentia que estava fazendo algo muito errado, ficava olhando para porta a todo o momento, como se a qualquer segundo o diretor fosse entrar em rompante pela sala e expulsar todos que ali se encontravam, hoje eu sei que isso é inviável (ninguém pode expulsar 10 crianças de uma vez só) mas sempre ficava tensa durante os encontros.

O primeiro beijo de quase todo mundo ocorreu naquele pequeno laboratório, com direito a várias risadinhas e bochechas vermelhas. Eles sempre brincavam de uma forma muito inocente, pegavam leve até com os desafios, que consistiam em lamber o chão ou fazer uma dança engraçada. As perguntas eram aquelas de praxe: Qual sua cor favorita? De quem você gosta? Quem você acha bonita? De quem você sente ciúmes?. Foi com essa lembranças que iniciei o jogo, pensei que seria tudo mundo ingênuo, como naquela época. Ata. Não poderia está mais enganada.

Até agora, Tracy beijou Ethan. Dylan colocou a mão dentro da calça de Henry. Thereza teve que tirar o sutiã. Dylan desafiou Erick a apalpar os seios de Tracy, o que graças a Deus ele não aceitou, então teve que virar uma dose. Eu tive que beber equivalente a um copo de vodka, tudo parece mais divertido agora mas ainda estou bem ciente dos meus atos e pretendo continuar assim até o final da brincadeira. Não irei deixar a profecia de Cameron se concretizar.

A garrafa gira mais uma vez. Cameron para Tracy.

— Verdade ou consequência?

— Verdade - os olhos de Tracy cintilam ao responder.

— O que você gosta de ouvir quando tá transando?  - Cameron pergunta sem nem piscar e ela passa a língua pelo lábio inferior antes de dá um risinho.

— Eu gosto de ouvir o quanto sou boa e o quanto ele me quer - ela diz depois de alguns segundos, com a voz rouca e soprosa - Gosto que puxem meu cabelo, aqui perto da nuca - Tracy pega a mão de Cameron e a faz sumir por baixo do seu cabelo loiro, ela se inclina para perto dele e abre a boca lentamente - Também gosto de fazer gemer - ela diz em um sussurro bem audível.

Cameron e Tracy estão fazendo esse joguinho de insinuação óbvia faz algum tempo. Minhas tentativas de ignora-los é dificultada pelo fato de tudo está acontecendo bem na minha frente.Eles ficam cochichando coisas um para o outro ou batendo os ombros propositalmente. Patético.

— Informação de mais - sussurro para Henry, que está ao meu lado.

— Ela tá atiçando o Cameron -  Henry ergue as sobrancelhas e faz um bico - E se você quer saber minha opinião, ele tá adorando - apenas concordo com a cabeça, pois não consigo pensar em nada para dizer.

 Tracy gira a garrafa, o lado da tampa para virado para Thereza e outra parte está apontada para Dylan.

— Verdade ou consequência? - Dylan pergunta.

— Verdade - Thereza responde prontamente.

Quando percebi que os desafios estavam sendo muito pesados, decidi passar a escolher somente verdade, mas para o meu terror, elas acabaram se tornando até mesmo piores que as consequências. O que me deixou sem ter para onde correr, então como tenho me negado a fazer a maioria dos desafios, acabei bebendo um pouco mais que o restante do pessoal, e toda vida que levo a garrafa de vodka à minha boca, Cameron me olha daquela forma que diz "eu avisei". Contanto que eu não fique bêbada, ele não precisará me dar nenhum sermão.

— Sua primeira vez doeu? -  Dylan pergunta para Thereza. Erick tem um ataque de tosse automaticamente, o que a deixa envergonhada.

— Passa a vodka! - ela pede com o gesto impaciente. Ela vira a vodka de uma vez, deixando um pouco do líquido escorrer pelo canto de sua boca e faz uma careta logo em seguida.

Thereza gira a garrafa mais uma vez. Tracy para mim. Respiro fundo e começo a massagear minhas têmporas, sempre que Tracy me faz perguntas acabo tendo que beber e acho que é isso mesmo que ela quer. Que eu fique loucamente bêbada. Faço uma promessa para mim mesma que eu irei responder qualquer pergunta que ela fizer, por mais difícil que seja.

— Nem perde tempo perguntando, ela vai escolher verdade mesmo - Thereza aconselha. Só não fico com raiva porque foi ela que disse e sei que não fez por mal. De qualquer forma, eu iria escolher verdade mesmo.

— Você engole ou cospe? - Tracy pergunta, Henry começa a rir e bater palmas ao mesmo tempo, ele ri tanto que seu corpo se projeta pra frente, olho atônita para ele.

— Engole ou cospe o quê? - quando digo isso Henry começa a rir ainda mais e Erick se junta a ele. Eles estão rindo de mim ou comigo?

— Tá falando sério? -  Tracy diz, com uma expressão displicente.

— Ela é virgem - Thereza informa baixinho para Tracy mas ainda sim consigo ouvir. O rosto de Tracy se ilumina com a nova informação e ela olha pra mim com um certo divertimento.

— Você sabe o que é sexo oral? - Tracy pergunta, faço que sim com a cabeça - Então... quando você for chupar uma cara, e se é claro, for boa nisso, vai sair um negócio branco de dentro do pinto dele. Você engole ou cospe? - ela tá falando do sêmen? é claro que sim.

— Cuspo - respondo sem pensar duas vezes. Henry me dá tapinhas nas costas enquanto limpa as lágrimas dos seus olhos com o indicador.

Tracy joga a garrafa para mim. Ficamos olhando ela girar até que ela finalmente para, dando sua sentença. Thereza para Ethan. Ele escolhe consequência.

— Anne parece com frio, porque você não aquece ela? - abro a boca para protestar mas Ethan já está colocando os braços em volta de mim.

— Que bonitinhos - Tracy forma um quadrado com as mãos enquanto finge tirar uma foto de nós dois.

— Quanto tempo eles vão ter que ficar assim? - Cameron pergunta olhando diretamente para Thereza.

— Como é?

— Você não especificou o tempo... eles vão ter que ficar assim durante quantas rodadas?

— Quem se importa? - Tracy diz, fazendo um gesto vago com a mão.

— Eles não podem ficar assim durante o jogo todo... não tem nem como eles conseguirem brincar - Cameron justifica.

— Sei lá... - Thereza estrala os dedos enquanto pensa - Uma rodada? - concordo, eu com certeza não aguentaria mais que uma rodada, os braços de Ethan começam a me deixar desconfortável, mal consigo me mover.

— Cameron, cê pode girar pra mim? Tô meio ocupado aqui, sabe - sinto Ethan mover os ombros de leve, Cameron o fuzila com os olhos mas gira a garrafa do mesmo jeito.

Ethan para Cameron.

—  Consequência - Cameron fala rapidamente.

— Lambe alguma comida no pescoço da Tracy - com os braços ainda em volta do meu pescoço, Ethan aponta vagamente para frente.

— Não temos comida - Erick observa.

— Temos isso aqui - Tracy ergue o litro de vodka e entrega para Cameron, que olha em volta sem saber o que fazer. Seus olhos param em mim por alguns instantes e depois se voltam para Tracy.

— Você tem certeza? vai ficar toda molhada... - Cameron desce os olhos pela blusa branca que tracy está usando e ela o concede um sorriso tranquilizador, um passe livre para que ele destrua sua blusa da maneira que quiser. Começo a ficar inquieta, será que Ethan se ofenderia se eu tirasse os braços dele de cima de mim?

— Vá em frente - Tracy diz.

Ela joga seus longos cabelos loiros para o lado e Cameron vira a vodka sobre o ponto que liga o seu  pescoço e o ombro. Ele coloca uma mão na nuca de Tracy e a outra em seu braço, a mantendo imóvel. Ele exita um pouco mas logo leva a boca até o local.

Assim que Tracy sente os lábios de Cameron em sua pele, ela fecha os olhos em puro êxtase, seus lábios continuam passeando por toda parte que a bebida escorreu. Sinto vontade de vomitar quando ela o puxa pelos cachos para mais perto de si. Um flash repentino surge em minha mente, minhas mãos estavam tocando seus cabelos macios não faz nem duas horas, eu o puxei com a mesma urgência de Tracy, a diferença é que ele me afastou. Um arrepio percorre minha espinha e desvio o olhar.

Afasto os braços de Ethan para longe, começando a ficar preocupada com a possibilidade de colocar tudo pra fora.

— Tá legal? - Ethan pergunta para que só eu possa ouvir, balanço a cabeça afirmativamente e engulo em seco.

olho para frente vejo que eles já acabaram o que estavam fazendo. Tracy sorri enquanto passa a mão no pescoço. Cameron limpa a boca suja de vodka e sorri de volta para ela. Quero que ele vire o rosto na minha direção e veja o quanto estou furiosa. Ele só pode está fazendo isso pra me irritar, ele sabe que não gosto dela. Cameron quer me fazer pagar por ter ignorado sua sugestão de não participar do jogo, mas quer saber? vou participar desse jogo quantas vezes eu quiser, quantas vezes eu for convidada, vou brincar tanto que quando mencionarem o meu nome vão dizer "Anne? a garota que sempre joga verdade ou consequência? eu adoro ela!".

Estou com tanta raiva que poderia chorar, eu quero bater nele por ser tão idiota! sinto vontade de pegar não mão dos meus amigos e arrasta-los para bem longe desse local de fornicação pura e se Cameron não quiser nos acompanhar...bem.. foda-se ele, vamos nos divertir muito em Las Vegas. Eu, Thereza, Erick e Henry. Sem Tracy ou Cameron. Só nos quatro e verdade ou consequência.

— Nada melhor que um show hétero - as palmas de Henry me trazem de volta à realidade.

A garrafa gira novamente. Dylan para mim.

— É verdade que voc... - eu levanto a mão para interromper Dylan.

— Eu não escolhi ainda - ergo o queixo levemente.

— Olha só - Tracy começa a bater palmas enquanto projeta os cantos dos lábios para baixo - Finalmente a dondoquinha resolveu jogar pra valer.

Ignoro Tracy e escolho consequência. Minha voz interior grita que eu  não preciso provar nada e que vou me arrepender de tentar, mas eu também a ignoro.

— Levanta o vestido e deixa o Ethan dar 3 tapas em você - abro a boca lentamente enquanto Thereza cobre a sua com a mão, aparentando está igualmente intimidada. Mais uma vez Henry desata a rir. Dylan e os outros ainda esperam minha resposta.

—  Toma -  Cameron me oferece a vodka. Eu recuso com um simples gesto. Ele me encara em estado de choque.Henry cessa o riso imediatamente.

— Você tá louca? - Erick indaga, uma expressão perplexa toma conta do seu rosto.

— Você não precisa se não quiser - os olhos de Cameron se encontram com os meus, ele luta para enxergar o que há por trás da minha determinação repentina.

— Eu quero, eu vou fazer - respiro fundo e fico de joelhos. Eu consigo. São só palmadinhas... - Na bunda? - pergunto para Dylan, que confirma com a cabeça.

— Você perdeu o juízo - Thereza comenta enquanto começo a me preparar mentalmente para o que estou prestes a fazer.

Respiro fundo e mordo o interior da bochecha. Coragem. Estão todos olhando para mim. Thereza está embasbacada com a minha decisão, assim como Erick. Cameron está petrificado, mal respira e parece profundamente decepcionado comigo, não me importo nem um pouco. Ele decidiu ignorar a minha opinião sobre Tracy, espero que ele assista enquanto ignoro a dele sobre Ethan.

— Sempre soube que você é uma safada - Henry está borbulhando de alegria, como se sempre tivesse sonhando em me ver nessa situação.

Respiro fundo mais uma vez e tento clarear minha mente, se eu começar a pensar muito vou acabar desistindo. Tento evitar olhar para Ethan enquanto me curvo sobre o seu colo, entrelaço os meu calcanhares e me empino um pouco para cima, apoiando meus cotovelos no chão. Ouço um assovio que só posso presumir ter sido dado por Dylan. Minhas bochechas pegam fogo, graças a Deus que meu cabelo está cobrindo todo o meu rosto.

— Que visão divina estou tendo agora - Henry comenta com a voz contemplativa.

— Você levanta o vestido ou... - Ethan fala acima de mim, percebo um certo nervosismo em sua voz, o que de alguma forma me deixa mais confortável.

— Pode levantar - alguns instantes depois o sinto tocar na barra do tecido azul que estou usando, seus dedos roçam de leve em minha pele antes que ele o puxe para cima. Sou grata por não conseguir ver o rosto de ninguém, só consigo ouvir as risadinhas de uns e o silêncio de outros.

— Okay, preparada? - não, não estou. Mas ao invés disso, digo:

— Se você me machucar, eu juro que te mato - ouço ele ri baixinho e eu fecho os olhos com força, tentando ao máximo relaxar.

Meu Deus, isso não parece nem um pouco comigo! normalmente eu recusaria um desafio desses na mesma hora, sempre fico nervosa quando estou perto de pessoas atraentes e agora estou debruçada sobre um cara que certamente é cobiçado por todas as fêmeas em um posição bastante comprometedora. Será que estou bêbada e não consigo perceber?

— Um... - ele começa a contar e sua mão vem de encontro a minha pele com força, não sinto dor, mesmo assim me assusto com o barulho abafado - Dois... - pressiono os meus lábios com força quando sua mão desce novamente - Três... - ele dá uma palmadinha de leve e abaixa o meu vestido. Respiro fundo, aliviada por ter conseguido.

Volto para o meu lugar sem olhar para Ethan, não sei se serei capaz de olhar para ele novamente.Droga. Droga. Droga. Vou ter que passar a noite na mesma barraca que ele! como vou conseguir evitá-lo? Passo a mão em meu rosto, que merda que eu fui fazer.

Calma, Anne. Calma. Respira. Você vai embora amanhã, nunca mais vai ver esse pessoal e com sorte seus amigos vão ficar super bêbados e esquecer tudo isso.

Quase todos irrompem em aplausos entusiasmados, até mesmo Tracy. Cameron permanece calado e os seus olhos me julgam em silêncio. Abro o meu melhor sorriso, espero que Cameron saiba que foi ele que começou essa guerra e eu não pretendo parar agora, seus olhos se transformam em duas linhas retas enquanto a garrafa torna a girar.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "With a Little Help From My Friends" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.