With a Little Help From My Friends escrita por Mariana Mendonça


Capítulo 12
Capítulo 12 - Aquele Com a Playlist





 

Mamãe prepara a massa e eu organizo as forminhas em cima do balcão enquanto penso em tudo que Cameron disse.Ele estava tão agressivo e tão diferente de ontem, queria que suas palavras não tivessem me machucado, mas Deus, como machucaram! Me sinto estranha desde que saí do estacionamento da Walmart. Queria chegar em casa e dormir até a hora do almoço,  esperando que mamãe estivesse cansada demais para fazer os cupcakes, me dando a desculpa perfeita para passar o resto da tarde ouvindo a Nona Sinfonia de Beethoven. Mas por ironia parece que trocarmos de humor, ela está toda animada( nos seus padrões,claro), assim que chegamos ela disse que logo depois do almoço poderíamos começar a preparar os cupcakes e "colocar o papo em dia".

Porém não conversamos muito, mas não me sinto incomodada.Para o meu alivio ela trouxe o seu Crosley antigo, Abbey Road toca baixinho.
    - Ah! essa música é tão bela - ela comenta assim que as primeiras notas de Something começam. - Quando você era pequena eu costumava canta-la enquanto tentava te colocar pra dormir - sorrio e apoio minha cabeça nas mãos - É claro que não funcionava tanto, não sou tão afinada quanto o Mrs. George.
   Eu queria que fosse socialmente aceitável que mães cantassem para suas filhas adolescentes em dias ruins (ou até mesmo em dias bons), eu ouviria atentamente, por mais desafinado que fosse.

  - You´re asking me will my love growww - canto com um sorriso, mas logo lembro de Cam e sinto-o sumir gradativamente do meu rosto.
    - Essa música fica ainda mais linda na sua voz - mamãe olha pra mim por cima do ombro e forço um sorriso.
   Acho que o amor é isso. Ouvir alguém cantando desafinado e ainda assim soar como a melhor coisa do mundo pra você.
   - O cabelo de Cameron está ainda mais cacheado do quê da ultima vez que o vi - comenta mamãe e fico meio atordoada com a mudança brusca de assunto.
   - Sério? pra mim parece do mesmo jeito que sempre foi - me mecho desconfortável no banco e mamãe coloca a tigela da batedeira com a massa em cima do balcão.
   - É porque você vê ele sempre, aí não nota a diferença - ela pisca para mim.
  - É, talvez seja isso...
  - Cresceram tão rápido - diz ela vagamente, preenchendo as forminhas - Nem acredito que você vai estar na faculdade próximo ano. Ainda quer ir pra Yale? - Observo uma ruga de expressão perto de sua sobrancelha enquanto ela se concentra no que faz.
 - É o plano, mas ainda não recebi nenhuma confirmação - ela olha pra mim oferecendo um sorriso tranquilizador.
  - Mas com certeza vai.
A campainha toca e faço menção de me levantar, mas ela me impede.
   - Deixa eu que vou, leva isso ao forno - ela limpa as mãos na saia e caminha em direção a porta, mas se vira no meio do caminho e olha pra mim - Querida, eles seriam muito bobos se não te chamassem, vai dar tudo certo.
 Levo as formas ao fogão pré-aquecido e depois torno a me sentar.
  -  Olha quem veio nos ajudar com a cobertura - meu coração dispara e olho pra trás.
  - Nossa, tava esperando outra pessoa? - pergunta Henry, vindo se sentar ao meu lado.- Porque pela sua reação parece que te decepcionei.
   - O que você tá fazendo aqui? - olho para mamãe pra ver se ela está prestando atenção em nós mas ela está distraída folheando uma revista.
   - Vim pedir pra sua mãe deixar você viajar com a gente - ele cruza as pernas e da de ombros.
   - Você tá louco? - falo um pouco alto e Henry ergue as sobrancelhas - Mamãe, tem problema se eu for pro meu quarto, preciso falar com Henry...- me viro pra olha-la
     - Claro que não, mas desça daqui uns... - ela olha o seu relógio de pulso - uns 25 minutos - ela volta sua atenção pra revista
  Saio puxando Henry pelo braço para fora da cozinha.
   - Tenta não fazer muito barulho, mamãe pode ter deixado você entrar mas eles surtariam - digo quando chegamos no corredor onde ficam os quartos dos meninos.
   - Eu sou mansinho, meu bem - ele levanta uma mão e leva a outra ao peito, como se fizesse um juramento.
Quando entramos no quarto, sento na cadeira e Henry se deita de bruços na cama.

 - Você não têm escolha, você vai com a gente!

— Não, Henry.Eu não vou.

— Por que não ?
    -Porque...porque eles nunca deixariam - reviro os olhos- Essa ideia é péssima.
    -Péssima? - Henry se senta na cama - Helloooo, é Las Vegas ! o paraíso na terra.
     - Ou o inferno, dependendo do ponto de vista.
    - Qual é, Anne - ele faz um cara de cético - Uma roadtrip, tudo pago...
     - Vocês vão acabar mortos
    - Para de cortar meu clima - diz fechando os olhos - Você.Não.Vai.Me.Abalar. Erick levou meu carro ao mecânico hoje, fizeram uma revisão completa e estamos prontos pra ir.
   - Bem, boa sorte - digo me encostando na cadeira e cruzando os braços.
   - Você vai perder momentos incríveis por causa desse seu medo bobo.
   - Não é medo, você sabe - fico na defensiva - Eles nunca deixariam.
  - Não é uma desculpa aceitável - diz ele, olhando as unhas - Thereza  têm quase certeza que a mãe não vai deixar ela ir com a gente, mas vai tentar mesmo assim.
    - O que você quer que eu faça? quer que eu fuja de casa?
 O rosto dele se ilumina.
   - Claro que não, Henry! nem pensar! - digo - Eu estou presa nessa casa por causa da última vez que fugi, e tipo, sua casa nem é tão longe da minha! imagina o que eles fariam se eu fugisse pra Las Vegas, com certeza mandariam a policia atras de nós.
   - Não se você deixasse uma carta - ele olha pra cima e da batidinhas no queixo com o dedo indicador - E vem cá, seu aniversário não é depois de amanhã? a policia não iria atrás de você se deixasse uma carta e fosse maior de idade.É legalmente livre pra ir e vir na hora que quiser.
    - Mas imagina a confusão que me esperaria aqui em casa.
    - Anne, você é muito idiota. Parece um cavalo com aquelas viseiras que só permitem que eles olhem pra frente.
    - Tá falando que nem o Cameron - reviro os olhos e bufo - Ele te mandou vir aqui ? - dirijo um olhar semicerrado a Henry 
    - Pra sua informação, Cameron nem se quer tocou no seu nome hoje - Henry faz um barulho com a língua  - Quem me contou sobre a briga foi a Thereza.
   - Aquilo não foi uma briga - digo, desviando o olhar para alguns cadernos que estão sobre a escrivaninha.
   - Ele disse a mesma coisa. Eu não acreditei nem por um segundo - ele poe um sorriso falso no rosto - Se eu estivesse lá na hora sem dúvida ajudaria Cameron  com o discurso "como a Anne é quadrada".
     -É, eu sou mesmo muito quadrada. Não sei por quê se deu o trabalho de vir até aqui tentar me convencer - falo tudo muito rápido, não conseguindo esconder a irritação por trás da minha voz. 

 Henry se aproxima lentamente e se posiciona na minha frente se inclinando um pouco pra baixo para que consiga olhar diretamente para mim.
       - Presta atenção, garota!!!- ele sacode meus ombros e depois me encara - Olha as suas opções: 1. você fica aqui em Deadwood durante 2 meses sem sair dessa gaiola e sem amigos, porque convenhamos querida, você só têm a gente - ele fica todo empertigado - E NÓS VAMOS ESTAR EM LAS VEGAS!
       - Não grita,droga - cubro sua boca com as mãos e ele encolhe os ombros.
       - 2. você vem com a gente - ele diminui tom - Têm férias incríveis, podendo desfrutar da minha companhia- Henry começa a andar pelo meu quarto - E quando chegar, não vai importar se eles quiserem te deixar dois, três ou mil anos de castigo... você vai pra Yale no final desse ano, pra bem longe deles - ele joga seu cabelo imaginário pra trás e faz uma reverencia, orgulhoso de seus argumentos.
       - Desculpa Henry, mas vocês terão de ir sem mim - ele parece decepcionado.Eu queria tanto ser essa garota que ele acredita que eu posso ser, mas não consigo... tenho medo do que posso perder se tentar. – acho melhor a gente descer para terminar aqueles cupcakes - digo baixinho depois de um tempo.

 Mamãe fez no mínimo 2 cupcakes antes de ir pra sala assistir algum reality show, um hábito adquirido quando papai foi embora.Henry comia o recheio de brigadeiro e ocasionalmente os usava para incrementar de fato,mas meia hora atrás ele desistiu e passou a escrever uma playlist para Roadtrip em um guardanapo enquanto eu terminava o trabalho que começamos.
    - Esse é o último - coloco o cupcake na frente de Henry - Ficou tão bonitinho que nem tenho vontade de comer.
    - Você demorou muito pra terminar e sabe por quê? - ele enfia o dedo na cobertura que eu fiz cuidadosamente, empurro ele tentando proteger o que restou do que alguns segundos atrás era o cupcake perfeito  - Porque você é louca e gosta que as coisas estejam simetricamente perfeitas. Olha isso - ele aponta pro o relógio - são 20:30!
     - Se você tivesse me ajudado teria terminado bem antes - o acuso
  - Tanto faz, valeu a pena - ele exibe o guardanapo como se fosse uma obra de arte - Se essa playlist não te deixar com vontade de viajar com a gente nada mais vai - Ele me entrega o seu projeto.Noto que cada centímetro do guardanapo está preenchido por uma caligrafia bem pequena e requintada.

 Bad Liar - Selena Gomez State of Grace - Taylor swift Kiwi - Harry Styles Love - Lana Del Rey  The Only Exception - Paramore  Up&Up - Coldplay  Yellow - Coldplay  Bohemian Rhapsody - Queen  I Want To Break Free - Queen  Girls Just Want to Have Fun - Cyndi Lauper  Linger - The Cranberries  There Is a Light That Never Goes Out - The Smiths  Creep - Radiohead  Somebody To Love - Queen  D´yer Mak´er - Led Zeppelin  Valerie - Amy Winehouse  Crazy - Aerosmith What´s Up - 4 non Blondes  Society - Eddie Vedder  With a Little Help From My Friends - The Beatles  Somewhere Over The Rainbow - Israel Kamakawiwo´ale Friends - Ed Sheeran We´ll Be a Dream - We The Kings ft.Demi Lovato  I´m Yours - Jason Mraz  93 Million Miles - Jason Mraz Lose Yourself - Eminem  One Last Time - Ariana Grande  XO - John Mayer  FOURFIVESECONDS - Rihanna, Paul McCartney, Kanye West  We Are Young - FUN ft. Janelle Monáe  Estúpido Cupido - Celly Campello  We´re All in This Together - High School Musical  Blowin´in The Wind - Bob Dylan  Could it Be  Another Change - The Samples  Heroes - David Bowie  Sitting, Waiting, Wishing - Jack Johnson  Run - Snow Patrol  I Don´t Want To Be - Gavin DeGraw  Cool Kids - Echosmith  Fidelity - Regina Spektor  Lucky - Jason Mraz ft. Colbie Caillat  Amsterdam - Imagine Dragons  Flightless Bird, American Mouth - Iron & Wine You Belong With Me - Taylor Swift  Hear Me - Imagine Dragons  Lesson Learned - Ray LaMontagne  Between The Bars - Elliott Smith  Teenagers - My Chemical Romance 

 Cake By The Ocean - DNCE

— E aí? você adorou ou o quê? - ele pisca os olhos várias vezes.

— High School Musical? sério mesmo? - devolvo o guardanapo e dou risada.

— Qual é, vai dizer que Troy Bolton não foi o seu primeiro crush - ele pega outro Cupcake e devora em questão de segundos.

— Meu primeiro crush sem dúvida foi o Leonardo Dicaprio - ergo levemente o queixo - Assisti Romeu + Julieta incontáveis vezes só pelo simples prazer de observar ele falando.

Henry limpa às mãos e pega o guardanapo cuidadosamente o dobra e guarda no bolso da calça capri.

— Eu adoraria ficar mais um pouco e ouvir sobre os seus sonhos molhados com o Dicaprio, mas preciso ir para casa e baixar todas essas músicas. 

Ele pega o meu pulso e vai me guiando até a porta de entrada, no caminho passamos pela sala e encontramos minha mãe enrolada em uma manta assistindo Keeping Up with The Kardashians, Henry cantarola um "Até mais,Susan" com direito a beijinhos no ar e mamãe devolve com acenos, sem desviar o olho da TV.

— Espero que Kim Kardashian consiga purificar a alma da Susan - fala Henry, assim que chegamos na varanda.

— Amém 

— Então, já que não vamos nos ver por 2 meses... - ele faz bico e abre os braços - Vem cá.

Caminho até ele, repousando minha cabeça em seu peito. Ele balança de um lado para o outro, dou risada, mas sinto um nó se formando em minha garganta.

— Você não vai passar aqui antes de ir? - pergunto, desejando que eu não tivesse soado tão melancólica.

— Não sei se vai dar tempo - ele desfaz o abraço - tenho que organizar algumas coisas, mandar umas mensagens  - ele faz bico - Sabe como é. Mas juro que vou comprar uma coisa fabulosa pra você,tem certeza que não quer ir? - pergunta ele, mais uma vez.

— Eu já disse, Henry...

—Okay, okay - ele levanta as duas mãos e depois as deixa cair ao lado do corpo - Agora eu vou indo 

— Até daqui alguns meses - cruzo os braços e dou um meio sorriso.

Ele desce os degraus saltitando. Me encosto na pilastra e o observo entrar em seu Volvo, ele liga o motor e abaixa o vidro do carro, acena com os dedos e só depois disso dá partida. 



Notas finais do capítulo

Você preferem capítulos grandes ou capítulos curtos? é muito importante que comentem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "With a Little Help From My Friends" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.