Casamento Arranjado escrita por Lillypad


Capítulo 4
Naya Ghar


Notas iniciais do capítulo

Naya Ghar = Novo Lar

Oii, então no próximo capítulo que as coisas vão melhorar, esses últimos capítulos foram mais lentos, tudo aconteceu em 24 hrs praticamente, mas vou acelerar,hahaha

Beijos, espero que gostem!




 

 

 

 

Logo após o almoço, meu pai nos levou para um subúrbio tranquilo de Manhattan.

 

Maya estava ao meu lado e olhava atentamente para a paisagem no lado de fora. Ela nunca tinha saído da Índia, tudo deve ser novidade para os olhos castanhos de minha esposa. Maya só desviou os olhos da janela quando sentiu carro parando.

 

Paramos em frente uma casa azul de dois andares, tinha um grande gramado, uma árvore alta enfeitava a frente da casa junto a um pequeno jardim colorido. A casa tinha uma varanda pequena onde havia um banco com almofadas de flores. Olhei para minha mãe, ela retribuiu o olhar e sorriu em resposta.

 

—A casa é linda - falei para meus pais.

 

—Sim, espere para ver dentro, tem dois quartos e uma suíte, dois banheiros, sala, cozinha e na parte de trás tem uma área de festas com uma piscina maravilhosa. - meu pai falou animado enquanto entramos na casa- sua mãe já mobiliou tudo.

 

—Eu fiz do meu jeitinho, mas você pode mudar tudo, do seu jeito, Maya - Maya arregalou os olhos surpresa.

 

—Eu? - perguntou ainda surpresa, mamãe acenou com a cabeça. - se Daniel deixar. - agora eu quer olhei surpreso para Maya.

 

—Claro que ele deixa querida - mamãe tocou no ombro de Maya - não se preocupe, aqui em Nova York você não precisa fazer tudo que seu marido manda - Maya me olhou apreensiva, sorri para ela e segurei sua mão.

 

—Maya, te dou carta verde para mudar a casa do jeito que quiser - falei divertido, ela sorriu tímida e confirmou. Minha mãe sorriu e continuou nos mostrando a casa. Tinha uma cozinha grande, Maya se encantou por esse cômodo, já eu me encantei pela área de festas. Lá era um lugar grande, tinha duas mesas lado a lado, um balcão que separava a pequena cozinha das mesas. E ah!! a piscina…

 

Era média, nem muito grande, nem muito pequena, era na medida certa para se ter numa casa. Me deitei numa espreguiçadeira e sorri alegre.

—Eu e Maya vamos torrar muito e tomar muito banho de piscina- aqui falei olhando divertido para minha mãe, Maya arregalou os olhos novamente.

 

—Não, Não - falou apressada, olhamos para ela não compreendendo seu desespero.

 

—O que foi? - ela corou.

 

—Não sei nadar - falou envergonhada, ri baixinho e me levantei passando meus braços por seus ombros.

 

—Não tem problema, te ensino.

 

—Não vou ficar com roupa de banho aqui fora - falou baixinho, eu e minha mãe acenamos com a cabeça. Minha mãe se aproximou de Maya e segurou suas mãos.

 

—Querida, sei que lá na índia, as mulheres não costumam usar roupas de banho na frente de outras pessoas, mas aqui na América é muito normal - Maya assentiu - e no final das contas só vai estar na frente do seu marido - sorri para ela - a não ser quer o crianção ali queira fazer uma festa da piscina.

 

—Uau mãe, essa é uma grande ideia - falei animado - primeiro, vou apresentar Maya a Logan e Mike e as meninas depois vou fazer uma pool party para inaugurar a nova casa, tudo bem por você Maya? - ela confirmou com a cabeça, minha mãe revirou os olhos e me olhou carrancuda quando Maya foi para dentro da casa.

 

—Você sabe que ela vai aceitar qualquer coisa que você dizer - fiquei em silêncio - ela foi criada para servir o marido, Daniel, não se aproveite.

 

—Calma, Mãe - levantei as mãos em sinal de rendição. - só achei que ia ser legal apresentar Maya para meus amigos dessa maneira para ela relaxar um pouco.

 

—Acho bom, sei que a cabeça dela deve estar um turbilhão - falou entrando na casa. - cadê seu pai? - entramos na casa e encontramos meu pai e Maya na sala, ela gesticulava rapidamente e meu pai tentava a acalmar, eles estavam rodeados de cacos de vidros. Corri até Maya.

 

—Se machucou? -ela negou com a cabeça - o que aconteceu? - olhei para os cacos nos chão.

 

—Derrubei sem querer esse vaso, desculpa Sra. Walker, vou limpar tudo - ela se abaixou e começou a catar os cacos com as mãos, a levantei e olhei em seus olhos.

 

—Não, deixa aí, depois eu limpo - falei a puxando para o sofá. Ela olhou para minha mãe que voltava da cozinha com uma vassoura e uma pá.

 

—Eu sou muito desastrada, me desculpa - minha mãe sorriu enquanto varria os cacos.

—Não se preocupe, querida - minha mãe falou - comprei esse vaso numa lojinha baratinha, nem se preocupe não tem nenhum valor sentimental.

 

—Maya estava olhando a sala quando entrei na casa, assustei ela, desculpe - meu pai falou rindo, o repreendi - que foi, Daniel? Foi engraçado - revirei os olhos. - Mas vamos ver o quarto de vocês, venham venham.

 

Nos levantamos e seguimos meu pai pela escada, passamos pelos quartos de hóspedes, todos os dois muito simples, apenas com uma cama, cômoda e um sofá de um lugar. Já o nosso quarto era mais sofisticado, tinha uma cama de casal, uma penteadeira com espelho, dois sofás de um lugar e uma sacada. Nosso quarto tinha uma sacada, pequena, mas era uma sacada que dava para a parte de trás da casa. Perto da sacada haviam duas portas, uma que dava para o banheiro e outro pro closet.

 

—Nós temos uma banheira - gritei animado saindo do banheiro e indo pro quarto e encontrei meus pais e Maya segurando riso - Adeus vida social, adeus todo mundo, de agora em diante vou morar nessa banheira - falei colocando a mão no peito. Os três riram. - estou falando sério.

 

—é um crianção né - minha mãe falou rindo e me dando um leve soco no ombro.

 

—gostaram da casa? - meu pai perguntou, sorri e abracei Maya pelos ombros.

 

—Eu adorei e você Maya? - perguntei para minha esposa que estava corada.

 

—adorei também, é tudo muito lindo - falou baixinho - obrigado Sr. Walker.

 

—Não precisa agradecer, querida - falou sorrindo e me olhou - afinal esse é o sonho de Daniel, ter uma casa, um gramado, uma esposa, cachorros e filhos - sorriu triste, pensando que havia me tirado tudo isso, sorri para ele. Eu não estava triste, gostava de Maya, não estava apaixonado por ele e nem a amava—ainda-mas gostava dele como pessoa. Se bem que nem conversamos sobre nós. Mas nunca tinha acontecido isso comigo, conhecer uma pessoa e em menos de 24 hrs gostar dela, como se nos conhecêssemos a muito tempo., talvez seja porque sempre imaginei minha esposa assim como Maya, tímida, linda, sensual, corajosa. Pois tem que ter coragem para mudar de país, sair da sua cultura e ir para um lugar com uma cultura totalmente diferente e ainda casar com um desconhecido.

 

Mas sabia que qualquer hora, Maya iria pirar, pois a mudança foi muita brusca, terei que estar preparado para quando isso acontecer.

 

Maya se virou para mim com brilho nos olhos.

 

´-Nós podemos ter um cachorrinho? - falou animada, sorri e beijei sua testa.

 

—Podemos ter quantos você quiser - ela corou e riu baixinho. Meus pais olhavam a cena com um sorriso no rosto, acho que nesse momento eles notaram que eu não estava triste, estava levando esse casamento realmente a sério, sorri para eles ainda abraçado a Maya.

 



Notas finais do capítulo

Comentem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Casamento Arranjado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.