Casamento Arranjado escrita por Lillypad


Capítulo 13
Melissa


Notas iniciais do capítulo

Oie!!

Voltei logo, viram!! ahahha espero que gostem.

Beijooos! :*




 

Daniel



Melissa não parava de me atormentar, hora era ligação outra hora era mensagens textos, sem contar suas várias visitas surpresas em meu escritório. Nem quando tínhamos um caso ela era tão chiclete. Claro que depois que me casei ela deve ter se sentido inferior e agora fica me atazanando, como se eu não tivesse milhões de assuntos para resolver.

 

Estava tão concentrado em meu computador que levei um susto quando Emily, minha secretária me ligou.

 

—Oi, Sr. Walker, tem uma moça aqui fora querendo falar com o senhor - ouve um minuto de silêncio - seu nome é Maya - arregalei os olhos e pedi para deixa-la entrar. Como Maya conseguiu chegar em meu escritório.

 

Ela entrou silenciosamente em meu escritório. Sua barriga de sete meses já dando as caras em seu vestido colorido. Levantei rapidamente e beijei seus lábios.

 

—Como você chegou aqui? é perigoso, você ainda não sabe andar nessa cidade, você podia ter ligado e eu ia te buscar. - tagarelei puxando sua mão e a fazendo sentar.

 

—Meu pai deixou um motorista a minha disposição, posso ir a qualquer lugar sem me perder - falou sorridente, fiz uma careta por nunca ter pensado em deixar um carro disponível para ela.

 

—Seu pai foi esperto, queria ter pensado nisso.

 

—Está com ciúmes? - perguntou divertida, revirei os olhos e sentei-me ao seu lado.

 

—Claro que não, o que veio fazer aqui? - passei a mão em sua barriga redonda.

 

—Queria te fazer uma surpresa, queria ter trago Brad, mas ele provavelmente não ia poder entrar - falou decepcionada, bufei.

 

—Podia ter trazido, você além de ser filha do dono majoritário ainda é esposa do sócio. - falei rindo e beijando sua bochecha.

 

—Uau verdade, tenho minhas regalias então? - ri baixinho e beijei sua testa. Andava tão carinhoso com Maya que se Logan visse ia me zoar por toda a eternidade, mas não conseguia me conter, Maya estava realizando um dos meus maiores sonhos, ser pai.

 

—Tem sim, vamos almoçar? - perguntei me levantando e a puxando para cima. Saímos da sala e damos de cara com o andar vazio, todos provavelmente já saíram para o almoço, Maya foi ao banheiro ao mesmo tempo que o elevador se abriu e Melissa saiu dele. Respirei fundo, era só o que me faltava, ter que aguentar Melissa justo hoje.

 

—Danizito - ela sorriu mostrando seus dentes artificialmente brancos, me abraçou apertado e depositou um beijo perto da minha boca.

 

—Melissa, o que veio fazer aqui? - ela passou o dedo pelo meu peito.

 

—Queria almoçar com você hoje, o que acha? - Tirei sua mão ao notar que Maya voltava.

 

—Não vai dar, irei almoçar com minha esposa - seu sorriso murchou e se virou para trás ao ver meu sorriso. Maya sorriu timidamente e parou ao meu lado. -Melissa essa é Maya minha esposa - Maya cumprimentou Melissa com o seu famoso gesto, colocando as duas mãos na frente e se inclinando para frente.

 

—Namastê - Melissa a olhou dos pés a cabeça e sorriu minimamente.

 

—Uau, você se casou com uma muçulmana - ela logo pregou os olhos na barriga de Maya - você está grávida?

 

—Sim - respondeu baixinho, provavelmente intimidada pela tom rude de Melissa.

 

—Sim, ela está de sete meses - falei alegre  - e só para sua informação ela não é muçulmana, é indiana.

 

—Tudo a mesma coisa, todos essa gente se veste da mesma maneira, escondendo o rosto - Maya abraçou meu braço e encostou sua cabeça em meu ombro.

 

—Melissa você está sendo rude.

 

—Desculpa Danizito - fez bico e sorriu para mim, revirei os olhos. - posso almoçar com vocês? - abri a boca pretendendo recusar - se Maya não achar ruim, claro - minha esposa me olhou sem saber o que responder, Maya nunca seria deselegante e recusaria assim.



—Sem problemas - falou fazendo Melissa sorrir.

 

—Ótimo, onde iremos almoçar? tem um restaurante ótimo, serve uma maravilhosa salada. - falou indo em direção ao elevador, respirei fundo e a segui.

 

—Eu queria comer batata frita - Maya sussurrou em meu ouvido, ri baixinho.

 

—Nós vamos comer na lanchonete aqui na frente - falei entrelaçando minhas mãos com a de Maya. Melissa resmungou.

 

—Ótimo, perfeito. - falou claramente irônica.

 

Sentamos numa mesa perto da janela, com vista para rua. Maya sentou-se do meu lado e Melissa na minha frente. Quem poderia imaginar, eu almoçando com minha esposa e meu antigo caso, nunca poderia imaginar uma cena dessas. Logan vai me zoar até a morte.

 

— Vou querer um x-salada, sem pão, queijo, presunto, carne - Melissa falou fechando o menu e entregando para o garçom que fazia esforço para não revirar os olhos - e um suco natural de laranja.

 

—Quero dois hambúrgueres, uma porção grande de batata frita e dois sucos de acerola - falei fechando o cardápio e sorrindo para o garçom.

 

—Nossa, vai comer isso tudo? cuida para não engordar Maya - Melissa falou cinicamente, revirei os olhos.

 

—Maya está linda - falei quando percebi que comentário de Melissa tinha deixado Maya cabisbaixa. Sua autoestima em relação ao corpo estava bem baixa. Ela não comentava comigo, mas eu sabia, pois faria dois meses que ela não dançava para mim. E cara, eu sentia falta.

 

— Se você diz - falou baixinho.

 

—Melissa, se é para ficar falando mal da minha esposa, peço que se retire- falo educadamente, Melissa arregalou os olhos e bufou.

 

—Ok, desculpa, Naya.

 

—Maya - corrigiu minha esposa.

 

Quando o garçom trouxe nossa comida, estávamos num silêncio constrangedor, não tínhamos papo. Se eu tivesse apenas com Maya, saberia o que falar.

 

—Já sabem o sexo? - perguntou Melissa, ela cortava seu alface em pequenos pedaços. Como eu saia com essa mulher?

 

—Não, iremos saber apenas na hora do parto - falei mordendo meu lanche. Maya sorriu para mim e limpou minha boca com guardanapo, beijei seus lábios rapidamente, Melissa nos olhava sem reação.



—Soube que na índia, as meninas não são aceitas, você acha que vai ser menina, Naya? - revirei os olhos. Maya mordiscou uma batata e sorriu para Melissa.

 

—Espero que venha com saúde.

 

—Você acha que é menina - Melissa afirmou - por isso não quer saber o sexo agora - olhei confuso para Melissa, ela vendo minha confusão esclareceu- quando eles descobrem que é uma menina antes de nascer, eles fazem a mulher abortar. - Maya se levantou com dificuldade.

 

—Vou ao banheiro.  - me levantei também e segurei sua mão.



—Está tudo bem? - ela afirmou e seguiu para o banheiro, segui seus passos até que ela sumiu pela porta. Voltei meus olhos para Melissa - o que você está tentando fazer Melissa?

 

—Eu? nada, Danizito - falou inocente.

 

—Para de me chamar assim, eu odeio - ela revirou os olhos - e se veio almoçar com ela para deixa-la para baixo, desista, pois você  nunca vai conseguir nos separar.

 

—Daniel, porque nunca demos certo? - perguntou séria.

 

—Não gostava de você dessa maneira, conversamos e chegamos ao acordo de que seria apenas sexo, você que botou sentimentos no meio.



—Mas nós éramos tão bom juntos na cama.

 

—Mas eu não quero só isso, Melissa, eu quero uma mulher quer me entenda, converse comigo, me ame e que realize todos os meus sonhos ao meu lado e isso eu encontrei em Maya, nosso casamento foi iniciado de uma maneira totalmente inesperada, mas era para acontecer, é nosso destino.  - Melissa respirou fundo e se levantou.

 

—Entendi Daniel, bom tenho que ir, diga tchau a Naya - falou pegando sua bolsa e indo em direção a porta. Será que por um milagre divino ela tinha desistido de mim?.



Minutos depois Maya retornou a mesa. Seus olhos estavam vermelhos.

 

—Cadê Melissa? - perguntou se sentando ao meu lado recomeçando a comer sua batata.

 

—Foi embora, porque estava chorando, meu amor? - perguntei já sabendo a resposta, ela sorriu e beijou minha bochecha. - foi porque Melissa falou sobre termos uma menina?

 

—Você acharia ruim termos uma menina?

 

—Maya, eu já havia te respondido isso a meses atrás, não me importo se venha menino ou menina, irei amar, respeitar, cuidar independente do sexo.

 

—Que bom, porque teremos uma menina. - arregalei os olhos e olhei atônito para Maya. Eu seria pai de uma menina? de uma mini indiana?

 

—É uma menina? - perguntei com os olhos marejados, ela afirmou - vou ser pai de uma mini indiana? de uma mini Maya? - ela riu deixando algumas lágrimas caírem, puxei seu rosto e selei nossos lábios, logo me abaixei e beijei sua barriga. - papai já ama você mini indiana.

 

—Logan vai chamar ela assim - ela brincou, gargalhei e selei nossos lábios novamente.


Amo você - declarei quando conseguindo segurar, minha felicidade era tão tão grande que eu poderia sair gritando para o mundo inteiro que eu seria pai de uma menina

 



Notas finais do capítulo

Comentem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Casamento Arranjado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.