Casamento Arranjado escrita por Lillypad


Capítulo 11
Maya - Bônus


Notas iniciais do capítulo

Oieee!!

Esse é apenas um bônus, é a visão de Maya, então ele é pequeno, haha eu AMEI escrever esse capítulo e AMEI mais ainda que consegui passar o que queria, esse final do capitulo foi o que imaginei para esse esse momento da história.

Ps:Tem algumas palavras em hindi, os significados estão no final

Espero que gostem, Boa Leitura!




 

 

MAYA

Desde que me mudei para a américa, ando me sentindo solitária. Sem amigos, a família do Dani parece não ter muita simpatia por mim.  Daniel é um amor comigo, sei que já estou completamente apaixonada  por ele, toda sua gentileza, seu sorriso, sua voz, sua mania de passar as mãos nos cabelos, resumindo, gostava dele como um todo, sua personalidade, caráter e seu corpo.

Lembro-me de ficar irritada e com medo quando baldi havia dito que me casaria com um americano. Casar com um americano significava morar longe de minha família e quebrar a tradição indiana de nossa família de não casar com estrangeiros.Mas meu baldi sempre fui muito libertino, odiava como os indianos tratavam suas esposas e ficava com medo que eu me tornasse uma esposa infeliz. O que poderia acontecer também com um marido americano, mas ele acabou arriscando e no final me sinto feliz.

Pensava que ia me casar com um americano mais velho, perto da idade de meu pai,  mas quando vi Daniel pela primeira vez em nosso casamento,tão calmo e tranquilo, ele abriu um sorriso tão lindo.Me apaixonei por ele naquele momento.Não parecia pressionado e nem arrependido de ter quer casar com uma desconhecida de outro país. Baldi me contou desde que pôs os olhos em Daniel, sabia que ele seria perfeito para mim, e não poderia discordar disso.

O meu primeiro choque cultural aconteceu quando fui  com Daniel pela primeira vez no mercado próximo de nossa casa, a diferença do trânsito, do clima, da vestimenta das pessoas, do falar, era tudo tão diferente e quando Daniel decidiu andar de mãos dadas comigo pelos corredores foi mais um choque, para eles demonstrar afeto em público era normal, me senti confortável por esse comportamento, sou uma mulher romântica, adoraria poder andar de mãos dadas com Daniel sem ser mal falada por isso.

Estava morando nos estados unidos a mês e já tinha uma rotina que eu adorava, apesar de ficar sozinha a maior parte do tempo, mas meu djan Daniel deu um jeito nisso, me presenteando com uma lindo filhotinho de cachorrinho,atchá,ele era lindo, Foi nesse dia que quase me declarei para ele dizendo que o amava, mas consegui me segurar.

Brad me fazia companhia a maior parte do tempo, quando ele não estava destruindo algo pela casa. Lembro de quando esse pequeno monstrinho entrou no escritório de Daniel, conseguiu subir na mesa e fez xixi em alguns papéis importantes. Quando ele chegou em casa naquele dia fiquei com medo Daniel devolvê-lo para o lugar que ele veio, mas no final ele começou a rir se perguntando como ele havia conseguido subir na mesa, nunca descobrimos.

    Há alguns dias ando me sentindo meio estranha, ando tendo tonturas, enjoos e desmaios. Achei que era apenas algo que comi, mas quando notei que meus seios haviam aumentado, soube na hora que estava esperando um filho de Daniel. Fomos fazer um exame dois dias atrás, hoje Daniel trouxe o exame junto com sua alegria de ser pai aquecendo meu coração com seu sorriso alegre.

Me olhando na frente do espelho agora, apenas com um sutiã de renda, comecei a passar a mão em minha barriga.

—Sei que você pode me ouvir, Kamana— toquei minha barriga -consigo te sentir, só  consigo te imaginar aqui nos meus braços,meu amor - deixei algumas lágrimas caírem por meu rosto. Daniel entrou silenciosamente e sorriu ao ver minha mão sobre a barriga. me abraçou por trás e colocou suas mãos em cima da minha.

—Já está falando falando com nosso bebê de 2 milímetros? - brincou ele beijando meu pescoço.

—Será que ele é desse tamanho mesmo? - fiquei imaginando a miniatura dele, me sentindo totalmente protetora em relação a esses dois 2 milímetros.

—Sim, ele é muito pequenino, nem se desenvolveu, mas já o amo - falou acariciando minha barriga lisa, suspirei e olhei nosso reflexo no espelho. Meu sonho de ser mãe se realizando ao lado do homem que meu coração se apaixonou. Sorri sentindo meus olhos encherem de água.

—Eu também, eu consigo sentir ele - falei sorrindo.

—Imagino que sim, mamães tem um senso tão forte - falou beijando minha bochecha, orelha, pescoço. Adorava quando Daniel era assim carinho, me sentia amada. Não falei nada apenas fiquei quieta recebendo seu carinho

Main Tumhe Chahta Hu— Daniel sussurrou em hindi, arregalei os olhos e me virei para ele que sorria. Passei meus dedos levemente por seus rosto, acariciando sua bochecha, nariz,olhos e lábios, fitei seus lábios entreabertos e logos os desviei para seus olhos que me encaravam com carinho.  

—Eu também - falei sussurrando, ele abriu um largo sorriso - Hum Tumhe Pyar Karte hae Daniel - repeti sua frase em outras palavras e beijei seus lábios.



Notas finais do capítulo

Traduções:
main tumhe chahta hu - “Eu te amo”
Hum Tumhe Pyar Karte hae - “Eu te amo”, “nós te amamos”
Kamana - “O lindo desejo que eu aspiro acima de todos os outros.”
Djan - “Querido” “Amado”

Não sei se o eu te amo está correto, pois tem muitas palavras na hora de expressar esse sentimento, pesquisei muito e achei que esse era o mais correto.

Comentem, beijooos :*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Casamento Arranjado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.