Strannyye Veshchi escrita por Matheus Stories


Capítulo 6
EPISODIO 06: Família




Ivan finalmente chegava de mais um dia de trabalho em sua caminhonete azul carregada de madeira, ele estaciona o carro dentro da garagem que fica do lado de sua casa, descendo do carro com seu machado em mão ele sente um cheiro agradável vindo da cozinha, um cheiro nostálgico, algo que não sentia a muito tempo, abrindo a porta para a cozinha ver uma cena que o surpreende, Igor e Dimitri estava fazendo comida juntos.

— O que vocês estão fazendo? - disse Ivan enquanto encostava seu machado na parede.

— Peixe salgado - respondeu Igor do balcão sem se virar - é o Dimitri está me ajudando.

Dimitri que estava na pia olha para Ivan e esboça um leve sorriso.

— Certo, está tudo pronto, vamos comer – convidou Igor.

Ivan vai em direção a Igor e o abraça com tanta força que o faz faltar um pouco de ar, mas isso não importa, Igor retribui o abraço com força e emocionado.

— Perdão pai - disse Igor com a voz trêmula - por tudo que falei, te amo- disse quase chorando

— Também te amo filho.

Dimitri ficou apenas observando a cena e se sentindo feliz, finalmente estavam fazendo as pazes...

“Te amo”

Uma voz feminina surgiu em sua mente, lembranças que o fez fica a pensativo é com olhar perdido.

— Dimitri, Dimitri? - falou Ivan que estava com a mão sobre os seu ombro, Dimitri se recompõem e se junta com os dois para o jantar.

...

Um caminhão baú e vários Hummer do exército se locomoviam pelas estradas em direção à Oymyakon, o homem grisalho estava dentro de um dos Hummer com um sobretudo preto, ao seu lado ia o jovem.

—Senhor Mikhail, o senhor acha que que esse experimento vai dá certo mesmo?- perguntou o jovem que logo em seguida se arrependeu achando que Mikhail ficaria aborrecido com tal pergunta repetitiva.

— É claro que ira da certo Yure - respondeu sem olhar para o jovem - temos tudo do que precisamos, os melhores cientistas, recursos e equipamentos, o que pode dá de errado?

Já em Oymyakon, o comboio chega ao seu destino e os portões se abrem dando acesso ao pátio central, os muros são vigiados por várias sentinelas atenta a tudo, todos os carros estacionam junto com o caminhão baú. Mikhail é Yure descem do Hummer e seguem em direção ao caminhão.

— Podem abrir - falou Mikhail para dois soldados que estavam a postos na traseira do caminhão.

Abrindo o revela uma espécie de “caixão de ferro” com tubos que se conecta a quatros cilindros de nitrogênio líquido de alta pressão, vindo de dentro dos prédios, vários homens com roupas de frio trazendo uma maca com cilindros iguais a do caminhão, os homens ajudaram a colocar o “caixão” sobre a maca e conectarão os tubos nos cilindros que haviam trazido.

Mikhail é Yure iam na frente do grupo que levavam o “caixão” como se fosse um grande cortejo fúnebre, o corredor branco daquele prédio parecia não ter fim, durante o trajeto passaram por várias salas, mas não tinha ninguém nelas e nem nos corredores, depois de passar por inúmeras salas chegam enfim a um elevador grande capaz de suporta várias pessoas, todos entraram abrindo espaço para o “caixão”.

Todos estavam em seus lugares, um dos homens apertou o único botão que tinha no painel do elevador, assim fechando.

...

Dimitri, Ivan é Igor estavam sentados a redor de mesa comendo o peixe salgado preparado pelos rapazes, os três estavam felizes dando risadas, Dimitri estava vivendo pela primeira vez um momento assim é esperava que não fosse o último.

— Dimitri, sem querer estraga nada... - falou Ivan olhando para o garoto em uma expressão séria. – mas precisa me dizer de onde você é ou onde estão seus pais.

— Pai, o senhor não pode deixar essa pergunta para depois? - disse Igor.

— Certo, então...

—Não tenho pais - falou Dimitri olhando para o seu prato.

Todos ficaram em silêncio Ivan começava a se sentir culpado por ter feito essa pergunta.

—Você pode ficar com a gente – disse Igor olhando para o garoto e depois para seu pai - não é?

Ivan sorriu e segurou o ombro de Dimitri e o balança de leve.

— Pode parecer loucura mas se você quiser ficar você será muito bem-vindo.

— Seremos como irmãos- falou Igor.

— E eu como seu pai seremos como uma...

— Família - falou Dimitri sorridente.

— Sim, como um a família.

Como uma família, do mesmo jeito que disseram a Dimitri, porém, aquele momento feliz acabou tendo que espera um pouco, ouvia-se batidas na porta ne frente da casa.

— Quem deve ser a essa hora? - estranhou Igor que se levantava da mesa para atender a porta.

— Eu vou ver quem é - disse Ivan que se adiantou e foi na frente - fiquem aqui, eu já volto.

Ivan vai até a porta e abre, do outro lado uma figura se apresenta.

— Boa noite - cumprimentou um homem com sobretudo preto, ao seu lado há outro homem com a mesmo estilo de roupa.

— Eu me chamo Victor e esse é meu irmão Edgar a gente soube que o senhor vende lenha, estou certo?

— Sim, mas está tarde é não estou vendendo agora, sinto muito.

— Mas senhor, estamos realmente precisando.

— Certo, então por favor entrem.

— Ah, obrigado senhor.

Os homens entram e Ivan fecha a porta.

—Vocês podem se sentar no safa se quiserem- disse virando de frente para os homens e quando percebe Victor estava apontando uma pistola com selecionador para a cabeça de Ivan.

Ouve-se um disparo.

...

O elevador não demorou muito para chegar ao seu destino, havia os levados para uma área subterrânea com um corredor não tão grande que ia até uma porta grande de aço em formato de círculo, no canto de cima da parede a uma câmera de segurança que se move em direção ao grupo, logo em seguida ouve-se um pequeno alarme, indicando que a portas estão se abrindo, dando acesso a uma sala gigante com inúmeros cientistas com vários tipos de equipamentos.

Mas o que chamava atenção na sala era um tipo de tanque de água gigante com vários tubos nas laterais

 - Senhores - saudou Mikhail se destacando na frente do grupo - hoje vos trago a matéria principal para que nosso experimento de certo, e assim colocar nossa nação na frente daqueles Americanos.

 Enquanto falava os homens se esforçavam para colocar o “caixão” em pé

— A criatura.

 O “caixão” e aberto revelando a criatura em estado congelado pressa por cabos que a seguravam, os cientistas se aproximaram impressionados.

— Incrível- falou um cientista mais velho- em todos esses anos eu nunca vi algo assim.

Ele se volta para Mikhail e diz

— Quando podemos começa a criar o M.83?

— Agora mesmo - respondeu Mikhail sorrindo.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Strannyye Veshchi" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.